Kaminari – você é cliente fiel de algum restaurante?

Restaurante Kaminari sushi de salmão maçaricado

Eae gente, tudo bem?

Sei que não estou escrevendo muitos posts ultimamente, mas vou tentar voltar a escrever 1 por semana, estou com um material bom acumulado. Não vou negar que as postagens no Instagram (visite meu perfil) nos faz ter uma ilusão de que estamos produzindo “conteúdo de qualidade”, mas vejo claramente que é uma muleta.

Quem acompanha minhas postagens sabe que tem um restaurante ali em Pinheiros que é meu xodó, se posso dizer assim, é o Mussashino. Restaurante simples e tradicional que oferece um temaki com a alga mais crocante da cidade (sem brincadeira). Com o passar dos anos o preço subiu pouco e possui uma clientela fiel, como eu.

Aliás, sempre duvide de clientes fiéis, significa que há algo que os faz retornar além da comida, além do preço, além do serviço e ambiente. É algum laço especial que as vezes é invisível e na maioria das vezes intangível, que muitas vezes depende exclusivamente das pessoas e não do restaurante. Exato, na minha impressão o que fideliza de verdade clientes não é algo que o restaurante possa fazer de especial, mas sim algo que depende das pessoas que vão lá em momentos específicos de sua vida.

Pra mim, por exemplo, o Mussashino é especial pois foi o primeiro restaurante japonês que fui na vida e possuía um preço bom numa época que eu não ousava gastar mais de 50-60 reais num restaurante. Pra vocês terem uma idéia, como eu não tinha experiência com peixe cru, pedi um temaki com pepino, manga e kani (que doideira! hahaha), lembro até hoje de ter achado horrível, depois fui pro salmão skim e gostei. Enfim, além dessa experiência pessoal o Mussashino, tem um ou outro ponto que me agradam, como a simplicidade, preço e tudo fresquinho, peixe e alga crocante.

Mas Gourmet San, vai falar quando do Kaminari? Agora! Eu fiz toda essa análise sobre clientes fiéis pois mais de 1 pessoa já tinha me indicado ir ao Kaminari, bom, finalmente decidi ir. Ele fica na R. Amaro Cavalheiro, 25 – Pinheiros, Telefone(11) 2306-7625. Cardápio: sushikaminari.com.br.

Assim que entrei, para minha surpresa, estava lotado, com 1-2 meses livres e outras 2-3 reservadas, pasmem RESERVADAS! Poxa o ambiente é super simples, é rodízio, fica no largo da Batata, por que alguém reservaria ali? Por que são clientes fiéis.

Deu pra perceber que nós éramos os estranhos ali, as garçonetes vieram explicar como funcionava o rodízio (preço por volta de 70 reais eu acho). Pedimos o rodízio e em breve vieram os pratos:

Eae o que acharam? Bom, logo de cara posso dizer a vocês que tudo estava gostosinho.

Os destaques foram os bateras com couve frita e os nigiris de salmão chamuscados, ambos bem feitos e deliciosos, são minha recomendação Além deles, o enrolado de camarão empanado com o salmão por cima também é bem bom e acho que deve ser um dos melhores enrolados da casa.

Fora isso, acho que o restaurante possui pratos bem regulares, o que faria o rodízio valer por volta dos 60 reais e não 70. Por exemplo, o carpaccio de salmão estava ácido demais, não sei que tempero colocaram nele, mas o sabor ficou agressivo. O tempura e o guioza ambos um pouco massudos, mas ponto positivo por vir tempurá de camarão. E pra finalizar, os combinados, bem padrão, mas como eu disse, padrão pra um rodízio de 60 e poucos reais.

Bom, mas ele Gourmet San, você recomendaria o Kaminari? Sim, recomendaria pra pessoas que não buscam um nível muito alto da gastronomia japonesa, e gostam do mais básico, ou seja, sem muita expectativa. Mas mesmo assim, o preço não era do mais confortável, por exemplo o próprio Mussashino é mais barato (mais simples também, confesso). Então o que faz o Kaminaria estar tão lotado? Clientes fiéis!

Abraços

Gourmet San

A notável consistência do Geiko San

Geiko San sashimi de barriga de salmão

Eae pessoal, tudo bom?

Em todos esses mais de 6 anos que faço reviews de restaurantes japoneses, tem um ponto chave que pouquíssimos restaurantes conseguem chegar, esse é o da consistência. Para mim o maior exemplo da consistência em São Paulo é o Hamatyo, entra ano e sai ano que o Yoshida San continua entregando os mesmos excelentes sushis, sem tirar nem por nada. E a grande maioria possui altos e baixos constantes, que significam que o tripé serviço-sushiman-ingredientes não estão em harmonia.

Mas dentro do seleto hall dos japoneses consistentes há um restaurante que já entrou para mim nessa lista, o Geiko San do Chefe Fabrizio.

Localizado Rua Haddock Lobo, 1416, São Paulo, Tel: (11) 3061-0150 , tive o prazer de conhecer e frequentar o Geiko San desde sua abertura, uns anos atrás (não muitos…2-3 no máximo). E desde então fui ao Geiko umas 4-5x, ou seja, não é o suficiente para dizer que sou um assíduo na casa, me dando possibilidade de comparar o Geiko San no decorrer do tempo.

Desta maneira consigo ter uma opinião bem balizada do restaurante e enfatizo: eles são sólidos, sólidos como uma rocha. E essa consistência e solidez vem desde o excelente maitre, o Tiel, passando pelo serviço dos garçons, os sushimen e a sofisticação e a simpatia do Chefe Fabrizio.

Como acertos apenas corretos, o restaurante hoje entrega excelente experiência para quem não conhece e a expectativa a ser bem coberta pelos clientes assíduos, que não vão se arrepender da visita.

Sem mais cerimônias e falando do meu últimos excelente jantar (como sempre) segue abaixo tudo que comi, sentado bem na frente do Fabrizio (cheguei cedo, rs).

É difícil escapar dos saborosos e bem temperados niguiris que o Geiko San oferece, mas por incrível que pareça, esse não é o ponto forte da casa apenas, eles possuem um cardápio fortíssimo e equilibrado. Se tem algo que me deixa sempre em saia justa com as pessoas que eu indico restaurantes é o desequilíbrio dos pratos do restaurante. Em muitos casos as pessoas vão aos restaurantes que indico mas pedem outros pratos, que não são a especialidade da casa e saem insatisfeitos, não tiro a razão deles!

Voltando ao Geiko San, além ds niguiris, eu posso recomendar todo restante do cardápio. Desde os aparente simples sashimis, passando pelos carpaccios, shisotem (tempura de shiso), uramakis, tartares e combinados. Tudo é temperado no ponto certo e com porções satisfatórias. E se não me engano, eles tem um combinado para 2 pessoas por 130 reais e que tem umas 30-40 peças, ou seja, mais barato que muito rodízio, e pra quem não tem idéia de quantidade, 20 peças é suficiente para você sair satisfeito.

Gostei muito de escrever essa resenha pois não foi sobre a minha experiência em si, os sushis que comi no dia, nem nada a respeito, mas sim um âmbito maior, uma característica do restaurante.

Espero que tenham gostado!

Abraços

Gourmet San

Tonkatsu Kare no Izakaya Matsu

Tonkatsu Kare do Izakaya Matsu

Oi gente, tudo bom?

Tive a chance de retornar ao badalado e excelente Izakaya Matsu! Vale a pena dizer logo de cara que o almoço de uma só opção por 35 reais continua valendo MUITO a pena.

Para quem não leu sobre minha primeira experiência lá, dá uma olha rapidinho aqui. Como o Izakaya Matsu não fica muito perto do meu trabalho(Av. Pedroso de Morais, 403 – Pinheiros), dificilmente consigo ir lá almoçar. Aliás, tentei ir jantar num dia desses e tinha espera, desisti, afinal estava sozinho e o izakaya é cheio de opções para dividir.

Bom…mas voltando a minha refeição da vez, não é a toa que fui almoçar justamente no dia do meu prato quente japonês favorito. O Izakaya Matsu posta todo domingo na página do Facebook deles o cardápio da semana, e em geral na sexta-feira é um prato feito com kare! As vezes é croquete, as vezes hambúrguer e em outras o lombo de porco empanado (tonkatsu).

Como de praxe, não demora quase nada para chegar:

Tonkatsu Kare do Izakaya Matsu

Sempre vem a refeição completa de uma vez, a saladinha, a missoshiro, condimentos extras e a fruta.

Como o kare com o tonkatsu pode ser um pouco pesado pra barriga, geralmente eu começo pela salada. Mas não espero muito e parto logo pra estrela, o tonkatsu kare:
Tonkatsu Kare do Izakaya Matsu

Logo de cara fiquei meio triste pois me pareceu pouco…

Porém eu estava enganado, como da outra vez que comi no Matsu, a porção é perfeita para você evitar a gulodice e sair satisfeito. Talvez pudesse ter vindo mais kare, mas estava ok, no limite.Tonkatsu Kare do Izakaya Matsu

Não vou negar que minha expectativa estava alta e talvez eu esperasse um pouquiiiinho a mais do tonkatsu kare do Matsu. Vamos lá, o lombo de porco empanado poderia ser um pouco mais alto (grosso) e o kare poderia ser um pouco mais apimentado, pelo lugar ser tradicional achei que fosse ser. Nunca vou esquecer quando fui ao Kidoairaku e o garçon me alertou que o kare era bem apimentado, rs.

Bom, apesar das minhas críticas construtivas acima, eu gostei muito desse almoço, custo benefício imbatível, qualidade incrível, bom serviço. Se eu pudesse almoçar 3x por semana no MAtsu eu iria.

E vocês já foram lá?

Abraços

Gourmet San

Temakeria e Cia lança rodízio! Acreditem se puder!

Rodízio Temakeria e Cia sashimi de salmão e atum

ikOi gente, tudo bom?

Desde que comecei a escrever sobre comida japonesa e minhas experiências nos mais diversos restaurantes, acabaram surgindo aqueles locais que eu visitei com maior frequência. Citando alguns deles: Mori Ohta, Shigueru, Aze Sushi e Temakeria e Cia.

Este último sempre foi um porto seguro pra mim, com pouquíssimos altos e baixos, entregando constância sempre com um preço competitivo, ficava difícil de abandonar um temaki-refeição bem feito.

E pra mim a Temakeria e Cia sempre foi isso, um ótimo lugar pra matar bem matada a vontade de comida japonesa sem gastar muito e com algumas opções auxiliares boas, como uramaki de salmão skin e ovas e também os excelentes e fartos hot rolls. E juro, eu nunca esperei mais da Temakeria, estava feliz do jeito que ela sempre foi.

Pois bem, a Temakeria resolveu inovar! Lançou em algumas unidades o rodízio. Em cada uma com um preço um pouquinho diferente, eu fui na da Vila Boim, R. Armando A. Penteado, 7, próxima a FAAP, ali no Pacaembu. O rodízio sai por 84,90 reais no jantar e 59,90 no almoço e tem um cardápio bem variado.

Vejam abaixo o que eu comi!

De entrada o clássico shimeji, estava gostoso, mas ok, nada demais, o básico mesmo:

Rodízio Temakeria e Cia shimeji

No cardápio do rodízio eles possuem uma opção me chamou muita atenção, que é o carpaccio de ika (lula em japonês), mas quando chegou o prato, na verdade era de polvo. Avisei o garçon e o gerente da casa deste equívoco. O prato em si achei ok, não me brilhou os olhos, acho que o tempero do polvo não combina muito com o polvo, é um prato que eles podem trabalhar melhor.

Screen Shot 2016-08-22 at 11.55.40 PM

Agora, um dos clássicos da Temakeria e Cia, o carpaccio de salmão e atum (que eles chama de salmão e atum tataki, mas na minha opinião não é). Estavam deliciosos, muito bons mesmo, fazem jus a fama!
Rodízio Temakeria e Cia sashimi de salmão e atum

Merecem até uma fotinho extra =)

Rodízio Temakeria e Cia sashimi de salmão e atum

Como eu estava lá para conhecer o rodízio eu pedi as entradinhas fritas também, não me arrependi.

O harumaki de vegetais (bolinho primavera) estava ótimo, crocante e num tamanho perfeito.Rodízio Temakeria e Cia rolinho primavera

Os anéis de lula empanados também estavam no mesmo nível. Só acho que o molho que acompanha não precisava ser o tarê e sim um mais frutado, faz diferença e combina muito!

Rodízio Temakeria e Cia lula empanada

Os camarões empanados com esse molho a base de mostarda também são ótimos, recomendo pedir, todas as vezes! Eles chegaram crocantes, bem temperados também.

Rodízio Temakeria e Cia camarão empanado

Vejam abaixo todas entradinhas quentes que pedi, tinham mais, mas fui com calma.

Rodízio Temakeria e Cia entradas

Quando terminei as entradas o garçon veio perguntar sobre o combinado de sushi e sashimi, se já podia vir. Eu achei estranho pois no cardápio do rodízio tinha uma série de sushis pra pedir. Mas como o garçon disse que o sushiman já montava um, eu aceitei. Veio esse abaixo:

Rodízio Temakeria e Cia combinado de sushi e sashimi

Gostei! Não vou negar, as opções vieram bem variadas e tudo gostoso. Para quem não tem frescura ou não conhece muito de comida japonesa recomendo comer o combinado do sushiman mesmo. Porém quem conhece o sushi que gosta, vale mais a pena pedir os sushis individualmente. Inclusive, acho que a Temakeria e Cia precisa estar atenta a isso e não forçar sempre o combinado do sushiman, #ficaadica.

Gostaria de destacar que os hot rolls do combinado são exatamente os mesmos que tem no clássico cardápio a la carte! Ponto positivo. Por um outro lado, o sushi de geléia eu nem toquei pois eu não gosto mesmo.

Rodízio Temakeria e Cia combinado de sushi e sashimi

Gostei de ver também que colocaram ovas em um sushi que trabalha bem isso, que é esse abaixo, o jow de atum, é uma combinação clássica.

Screen Shot 2016-08-22 at 11.54.26 PM

De sobremesa, a Temakeria e Cia não economizou, se não me engano são 4 opções, pelo menos!

Pedimos duas, a de banana caramelizada:

Rodízio Temakeria e Cia sobremesa banana

E o clássico petit gateau:

Rodízio Temakeria e Cia sobremesa petit gateau

Ambas gostosas, combinam muito bem com o rodízio e não são enormes, o que é ótimo, afinal se você se propôs comer um rodízio, no final já vai estar com a barriga cheia, rs, ou não né? Dizem que os doces vão pro espaço separado!

No final das contas, acho que a Temakeria e Cia arriscou em começar a servir rodízio, mesmo que seja em algumas unidades. Uma temakeria que tem uma história e uma reputação tão sólida…Mas enfim…talvez valha o teste…Se posso dar uma dica para eles é que há espaço para um upgrade ou refinamento.

Abraços

Gourmet San

Hirá Ramen Izakaya: no coração da Vila Madalena

Aqui é o Marcelo Asamura da loja Konbini Produtos Orientais e vamos falar de um Izaka-ya (boteco japonês) numa das regiões mais charmosas de São Paulo, na Vila Madalena.

O local do Izaka-ya é realmente diferenciado, fica na Fradique Coutinho, no coração da Vila Madalena, região de São Paulo cheia de bares e botecos bacanas para conhecer.

O que mais chama a atenção é a decoração descolada deste boteco japonês.
Dá uma olhada no estilo do ambiente:

hira-ramen-izakaya-fachada

hira-ramen-izakaya-ambiente-01

hira-ramen-izakaya-ambiente-02

hira-ramen-izakaya-ambiente-03

Cardápios:

hira-ramen-izakaya-cardapio hira-ramen-izakaya-cardapio-01

hira-ramen-izakaya-cardapio-03

Pratos pequenos para experimentar e dividir igual nos izaka-yas tradicionais. No entanto, este é um izaka-ya moderninho. Não experimentamos o Lamen, mas o Chef Daniel Hirata foi descobrir novos sabores lá no Japão e creio que voltarei para experimentar. (Saiba mais aqui na reportagem da Veja)

Porções (otsumami):

Nirá (verdura japonesa que lembra um pouco o alho) que eu adoro com Baby Polvo. Gostei do prato, mas prefiro Nirá com um molho ou mais temperado.

hira-ramen-izakaya-baby-polvo-nira

O prato que mais nos impressionou foi essa Berinjela com Gengibre (Nasubi), ela era crocante e suculenta ao mesmo tempo e com um sabor simplesmente delicioso. Foi a grande surpresa da noite. Altamente recomendada:

hira-ramen-izakaya-berinjela-nasu

Hirá Buns: muito bom, a massa do pão é bem macia e o recheio é bem genial. Tem barriga de porco e pepino e aioli.

A combinação de sabores é perfeita, só queria que viesse umas 4 unidades.

hira-ramen-izakaya-hira-buns

Kaki Furai (milanesa de ostra), muito bom também, mas prefiro na massa de tempurá.

hira-ramen-izakaya-ostra-empanada-kaki-furai

O diferencial da casa na minha opinião são as bebidas com temperos aromáticos da ásia e os drinks diferenciados:

Bebidas não alcoólicas

hira-ramen-izakaya-bebida-02 hira-ramen-izakaya-bebida-capim-limao01

Drinks Especiais

hira-ramen-izakaya-drink-ginger-soul
The Ginger Soul
hira-ramen-izakaya-drink-tatame
Tatame
hira-ramen-izakaya-drinks
Drinks Diferenciados

Vale a pena conhecer a casa,

Endereço:
R. Fradique Coutinho, 1240.
Pinheiros, São Paulo – SP.
CEP: 05416-001

Nayoro, mais um delivery bom em SP, acharam a fórmula?

Nayoro Delivery de comida japonesa

Eae gente, tudo bom?

Criei o Gourmet San uns 6 anos atrás e desde então tenho experimentado muitos deliveries, inclusive recomendo vocês darem uma olhadinha na lista de todos que já pedi. E no começo vou dizer pra vocês, 90% dos deliveries eram ruins ou pelo menos tinham 1 ou 2 erros gravíssimos, ou que tornavam a experiência bem insatisfatória.

Não digo que é fácil fazer delivery de sushi, é o oposto, é muito difícil. Imaginem só vocês que o temaki foi criado para ser comido segundos depois que o sushiman o prepara. O próprio sushi, para quem viu o filme Jiro: Dreams of Sushi, deve ter aprendido que deve ser comido também rapidamente, pois o timing dos ingredientes juntos funciona em sincronia.

Mas parece que esse cenário dos deliveries mudou. Ultimamente tenho experimentado alguns deliveries em São Paulo bem bons, que acertam na grande maioria dos elementos e que precisam apenas de 1 ou 2 acertos.

A review de hoje é do Nayoro, localizado na rua Carlos Weber, 92, Vila Leopoldina (ZO de São Paulo). Importante eu passar o endereço pois eles abrirão o restaurante físico em breve, mas hoje é só delivery pelo IFood.

Fiquei sabendo do Namoro por indicação e vi umas fotos no Instagram bem promissoras. Resolvi pedir num sábado a noite de preguiça e Netflix.

Em geral, em meus primeiros pedidos eu chuto o balde e quero experimentar o mais variado possível. Segue abaixo minha experiência e tudo que pedi e comi.

Antes de mais nada as embalagens não seguiram o padrão de virem numa sacola de papel marrom grandes. Nada contra nem a favor, mas gostei de ver as sacolinhas coloridas =)

Nayoro Delivery de comida japonesa embalagem

Depois que abri as embalagens ficou assim:

Nayoro Delivery de comida japonesa embalagem

Eu particularmente gosto muito dessas embalagens para encaixar rolls (enrolados) confortavelmente posicionados. É interessante também pois não tem aquela mistura de rolls diferentes na mesma embalagem, onde o ingrediente de um sushi cai em cima do outro. Claro que eu não pedi um combinado grande, pode vir junto, mas só posso dizer dessa minha experiência.

E agora…tan-tan-tan-tan:

Nayoro Delivery de comida japonesa

Vejam só que beleza, comida pra caramba! Aí vocês vem na coluna da esquerda um baterá com salmão e camarão, depois um uramaki com crispy de tempura e depois um enrolados de salmão com camarão empanado e ovas. Do lado direito um sashimi bem farto de salmão com alho poró e 3 duplas de sushi: atum com foies gra, how de salmão com alho poró e salmão chamuscado.

Vamos ver um a um agora.

Baterá de salmão com camarão e ovas:

Nayoro Delivery de comida japonesa batera de salmão com camarão

Eu comecei pelo prato que o Nayoro precisa mais trabalhar. Apesar do sabor estar ali e dos ingredientes serem bons, tem muita coisa junta rolando e cada baterá acabou ficando grande demais, mal cabia na minha boca. Minha recomendação pro pessoal do Nayoro é diminuir a quantidade de todos ingredientes e talvez tirar o camarão de cima, não precisa mesmo, o prato já é bom sem ele.

Enrolado de salmão com camarão empanado dentro:

Nayoro Delivery de comida japonesa

Esse prato funciona muito bem. Já está se tornando famoso em vários restaurantes. O Nayoro de seu toque, com as ovas verdes. Para o meu gosto funciona muito bem, muito bem. Foi um dos pontos altos do jantar. Se a equipe deles precisa ficar atenta só em um ponto é pro camarão não ficar crocante demais a ponto de ficar durinho. Só digo isso pois esse enrolado matou minha fome, bem farto.

Uramaki Camarão Parmesão:

Nayoro Delivery de comida japonesa uramaki

Esse daqui o pessoal pegou dos EUA, e fizeram muitíssimo bem, pois ele é ótimo. Aqui no Brasil os restaurante pegaram a péssima idéia de colocar pedaços muito grandes de pepino nos sushis, não funciona…Já diminuindo o pepino e acrescentando o avocado o sushi fica muito mais suave.

Esse foi o sushi que acabou antes, isso mesmo, devorei, é do jeito que eu gosto.

Sashimi de salmão chamuscado com alho poró:

Nayoro Delivery de comida japonesa salmão sashimi com alho poró

Esse foi outro grande acerto. A inédita combinação de salmão com alho poró me surpreender e funcionou super bem. Ele traz uma textura e sabor bem leve. Novamente apenas um ponto, os sashimis estavam muito grandes, da maneira que ficava difícil equilibrar a fatia. A grossura estava perfeita, acho que dá pra manter, mas o filé do salmão de onde foram tiradas as fatias estava muito largo. Lembrando que isso é só um toque para deixarem o prato na medida.

Niguiris:

Nayoro Delivery de comida japonesa niguiris

Realmente o atum com foies pra dominou a cidade, ele está presente em todos os cantos. Os produtores devem estar felizes da vida. Além desse sushi, as outras duplas era um jow de salmão com alho poró e um de salmão chamuscado. Ambos deliciosos e enorme, eu mesmo tive dificuldade para que coubessem na minha boca, quem gosta de sushi grande vai amar.

No final das contas eu adorei mesmo o Nayoro, entrega rápida, embalagens boas, sushis bons (precisando apenas acertar um ou outro ponto) e preços bons. Aliás, falando em preço, todos pratos acima (tirando os niguiris) tem preço de 15 a 30 reais, excelente custo benefício!

Recomendo o Nayoro sim! Mas uma opção interessante de delivery de comida japonesa em São Paulo, quero pedir novamente, mas agora outros pratos.

Abraços

Gourmet San

Omakase promocional do Aya as 2as, vale a pena? Eu fui!

Omakase Restaurante Aya jo de caviar

Oi gente, tudo bom?

Os omakases (menu degustação) que em japonês significa algo como “deixar por conta do chefe” ou “confie no chefe” estão cada vez mais caindo no gosto do paulistano, afinal é a chance de comer o melhor que o restaurante tem a oferecer, de uma maneira mais abrangente, e numa refeição só.

Pro restaurante também é bom, pois ele consegue sair do lugar comum dos pedidos de sempre e também varias e abusar mais de ingredientes diferentes.

Assim sendo, a quantidade de restaurante que possuem no cardápio 1, 2 ou até 3 tipos de omakase não é raro. Os preços obviamente são mais elevados. Acho que o omakase mais em conta que conheço é o do Shigueru, que sai por uns 130,00, depois tem o do Aze Sushi, que com o Chef`s Club sai por uns 160,00. Também tem os omakases dos restaurantes melhores ainda, como o Kinoshita e Shin Zushi, onde os omakases vão de 250 até uns 350 facilmente, mas é claro que trabalhando com a excelência em ingredientes e técnica.

O restaurante Aya, do chefe Juraci também tem seu omakase, que se não me engano custa uns 240 ou 260 reais, mas as 2as eles o oferecem pro 180,00! Eu já tinha ido conferir uma vez um bom tempo atrás e aproveitei para ir de novo.

Como sempre, vale a pena salientar que o ambiente do Aya é dos melhores. Para um casal, talvez seja o melhor de SP. O serviço do Aya também é top de linha, desde os garçons, maitre, segurança, tudo.

Quando cheguei o balcão estava 100% vazio e o Juraci não se encontrava, eu sentei na frente de um jovem oriental que morou anos no Japão (descobri no decorrer do jantar). Assim que sentei, confirmaram que era o omakasse, e eu confirmei que era o dia com preço promocional.

Sem mais churamelas, vejam tudo que me serviram (clique para ver em tamanho maior):

Pra começar, eles conseguiram me pegar pelo ponto fraco. Na minha opinião não tem melhor jeito de começar um jantar japonês do que com o tempurá de shiso com atum batido, é perfeito, e estava muito bem executado.

O tartare também estava bom, apesar de que eu achei que o foie gras em cima não combinava muito com o prato.

Sobre os sushis, o Aya manteve a mesma linha da vez passada que comi esse omakase, a grande maioria dos sushis bons, mas não excelentes. Sim, exato, sushis bem gostosos, mas não eram de chorar em cima. Com exceção da barriga de salmão chamuscada e do incrível jo de salmão com caviar, esse último é de brihar os olhos. A vieira também estava fresquíssima, geladinha, uma delícia. E para finalizar, eles serviram o signature sushi deles, o haddock empanado com mel trufado, simplesmente delicioso, de sonhar mesmo. Ah, e obrigado pelo uni cortesia =) Eles me serviram quando perguntei se não ia vir no omakase.

Como prato final, antes da sobremesa, serviram um surpreendente e delicioso lagostim a provençal, juro estava demais, comeria todos os dias, foi preparado com esmero!

E para finalizar, a sobremesa estava estupenda e perfeitamente executada. Vou ser sincero, eu gosto de banana, mas não sou fã dela como sobremesa, mas estava divina. Empanada em pedacinhos crocantes, sequinhos e com o sorvete. Raspei o prato! No fim, como tomei só bancha (cortesia) e minha conta saiu redondinha 200 reais.

Agora a consideração final. Vale a pena? Sim, vale! por 180,00 é um omakase completíssimo! Mas agora tem um ponto importante, se esse mesmo omakase for servido por 240/260 reais, aí não vale…

Então o que eu acho, minha opinião tá, que o Aya faz um omakase mais barato sim, que vale a pena, mas que também ele dá uma “acertada” nos ingredientes para adequação do preço.

Recomendo irem, vale a pena sim, principalmente como em casal =)

Abraços

Gourmet San

Minha receita de shimeji na manteiga – Gourmet San

Receita shimeji na manteira

Oi gente, tudo bom?

Faz MUITO tempo que não publico uma receita, certo? Pois bem, é que estou tentando começar a produzir vídeos mas infelizmente não estou conseguindo dar esse passo adiante ainda, mas vou conseguir =)

Mas tem uma receita que há tempos quero compartilhar com vocês, a de shimeji na manteiga (leia shimêji e não shiméji).

Antes de mais nada, que fique bem claro que essa não é uma receita profissional, não é uma receita de restaurante. Eu digo isso pois sei que há muitos profissionais do ramo que leem esse blog. Em geral as boas receitas profissionais de shimeji na manteiga levam um caldo especial e feito com um conhecimento culinário maior. E esse não é o intuito aqui, não quero que vocês façam um caldo que leva horas para ser finalizado.

Sem mais churumelas e após minha enfática explicação de que essa não é uma receita tradicional, segue o passo a passo para fazer um bem delicioso shimeji na manteiga =)

Passo 1: Compra!

Para 2 pessoas, 1 pacotinho de shimeji escuro dá para o gasto (entre 7 e 10 reais), claro, se não forem comer um balde de shimeji, se for parte de uma refeição com outros ingredientes dá tranquilamente para 2 pessoas saborearem. Eu tenho feito sanduíches com pão pita com shimeji, e dá para 2 sanduíches.

Passo 2: Pode congelar =) Mas não corte os talos.

Sim, isso mesmo, pode congelar sem medo e não precisa deixar ele descongelando antes de usar, os cogumelos são super rápidos de descongelar sob água corrente.

SUPER importante, não corte os talos dos cogumelos, se não eles ficarão minúsculos, acredite, os cogumelos que você come nos restaurante é com talo e tudo.

Veja abaixo como eles ficam após cortados de comprido:

Receita shimeji na manteira

Passo 3: A Panela!

Ligue a panela até ela ficar bem quente, ou seja, quando começa a sair fumaça. Cuidado, não é pra deixar a panela queimar, não é tão quente assim.

Receita shimeji na manteira

Passo 4: Jogue a manteiga e os cogumelos.

Uma colher de manteiga resolve para essa quantidade de shimeji.

Receita shimeji na manteira

Espere a manteiga derreter, o que é rápido.

Receita shimeji na manteira

Jogue os cogumelos e deixe os fritar bem.

Receita shimeji na manteira

Passo 5: Sake!

Assim que o shimeji tiver soltado água, ter dado uma boa dourada com a manteiga e a panela estiver praticamente seca você adiciona o sake!

Receita shimeji na manteira

Veja na foto que a panela praticamente não possuía nenhum líquido no fundo. Também não precisa ser esse sake, pode ser um sake culinário, porém esse era o único que eu tinha em casa.

Você vai colocar pouco sake, o suficiente para os cogumelos terem chance de cozinhar um pouquinho no sake.

Passo 6: Shoyu!

Após o sake der uma diminuída, mas não totalmente, acrescente o shoyu! Basta uma leve regada sobre os cogumelos.

Receita shimeji na manteira

Eu usei um excelente shoyu, o Kikkoman, faz a diferença, sinto lhes informar. Porém se vocês só tiverem outro shoyu, siga em frente, deixe para depois comprar um shoyu melhor.

Receita shimeji na manteira

Dê uma mexida e tampe, deixe cozinha por uns 5 minutos:

Receita shimeji na manteira

Passo 7: O grande segredo, o óleo de gergelim!

Depois dos 5 minutos cozinhando, tire a tampa e deixe o shoyu e sake restantes evaporarem. E derrame um fio de óleo de gergelim sobre o shimeji. APENAS 1 fio, pois o óleo de gergelim tem um sabor e aroma bem dominante.

Receita shimeji na manteira

Essa hora você vai precisar ficar em cima da panela mexendo e virando bem os cogumelos. Eles vão dar mais uma fritadinha e você vai sentir um aroma incrível!

É nessa hora que você vai decidir se gosta dos cogumelos mais ou menos queimadinhos, é questão de gosto, pois o prato está praticamente pronto.

Passo 8: Finalização com a cebolinha!

Assim que você decidir o ponto do shimeji, desligue o fogo e jogue a cebolinha:

Receita shimeji na manteira

Eu tenho cebolinha congelada em casa, o que ajuda, mas claro que o ideal é jogar fresca =)

Mistura mais um pouco e sirva:

Receita shimeji na manteira

E aí, gostaram?

Tentaram já fazer a receita? Tem uma diferente? Imagino que sim! Por favor compartilhe abaixo =)

Abraços

Gourmet San

Naga, o primo chique do Nagayama

Eae pessoal, tudo bom?

Mais um domingo a noite, é hora de mais uma review aqui no Gourmet San!

Depois a excelente review feita pelo colaborador Will do Nagayama, resolvemos ir ao Naga, que fica logo ao lado.

ALIÁS, sim é um “aliás” maiúsculo, nessa esquina da Bandeira Paulista tem 3 Nagayamas. 2 no térreo (Nagayama e Nagayama Café, que de café não tem nada) e o Naga.

O Naga é só pra quem sabe, e tenho dito! Apesar de vocês até poderem ter ouvido do Naga, acho difícil ir lá por conta própria ou iniciativa própria, parece mais um encontra secreto da seita dos sushizeiros, rs. Piadas a parte, foi assim que me senti ao ir ao Naga, e conto mais a seguir.

Chegamos e o restaurante ainda estava fechado, mas quando os funcionários que estão do lado de fora percebem que você vai no restaurante eles te convidam a esperar dentro.

Do lado de dentro você espera numa pequena salinha escura onde cabem no máximo 15 pessoas. Tem um bar, um barman e a hostess, não mais que isso. Uma televisão ligada no Sportv passa os resultados do dia, do futebol é claro, rs. O barman oferece uma bebida mas negamos. Não é o que o casal mais granfino do outro lado da salinha faz, pedem o cardápio e algum drink.

Como chegamos perto do horário de abertura (19h30? ou 19h?) logo a hostess nos convida antes para subir. Subimos e o restaurante é maior do que eu imaginava, tem um número considerável de mesas. O ambiente é bem escuro, intimista, perfeito para um encontra a 2. As janelas tem cortinas que são abertas a noite apenas. Vendo daquela perspectiva dá pra entender porque do lado de fora não é possível entender que é um restaurante ali em cima.

Sentamos direto no balcão, vazio e muito bonito.

Depois de 3 minutos já estava cheio. Do nosso lado, um casal de 50 e poucos anos. Por falar nisso,  público do Naga é bem único e padrão. Público adulto (50-60 anos) com muito dinheiro e…pouco conhecimento sobre comida japonesa ou sushi. Aliás, é possível fazer um paralelo bem próximo com o público dos sushibares moderninhos da cidade Geiko San e Nakka, para citar uns exemplos. Esses restaurantes, recém nascidos, possuem um publico igualzinho ao da Naga, porém 20-30 anos mais novo.  E eu digo tudo isso com conhecimento de causa.

Mas vamos ver umas fotos do que comemos? depois continuo minha dissertação sobre a experiência:

Antes de mais nada, já aviso, não foi nada barato, meu foco inicial era deixar no máximo 170-200 reais lá e saiu 50% a mais que isso =(.

Aí vocês devem se perguntar, mas por que? Você não controlou o pedido? Não… e vocês vão entender abaixo.

Nesse tipo de restaurante em geral o menu não quer dizer muita coisa, a não ser que você queira ver os combinados de salmão e atum que eles possuem. Restaurantes a la carte de alto nível possuem ingredientes bons e excelentes que sempre alternam, ou seja, se você quer comer bem, pergunte ou deixe por conta do sushiman, nós fizemos um mix.

Sentamos e pedimos 10 niguiri sushi pra cada um, os melhores do dia e que depois iríamos ver algum enrolado. Afinal o próprio Will me disse que eles tinham enrolados de vieira que pareciam promissores.

Começamos e logo nos serviram uma entradinha bem boa de polvo, logo depois começaram os sushis. Não vou negar, eles começaram beeeem devagar, sushis bem simples, de atum-akami (parte das costas e mais vermelha), robalo, buri, serra, mas nenhum peixe gordo. Depois melhorou. Um pouco.

Nos serviram uma ótima sequência de um farto camarão, uma centolla gigante (kingcrab) e uma lula mais ou menos (mal cortada). Depois nos serviram um trio muito bom: ikura, uni e spicy king crab. O spicy kingcrab realmente é uma delícia, já tinha provado no Geiko San. Porém, os gunkan sushi estavam mal montados, faltou habilidade ali pros sushimans, só ver na foto.

Enquanto isso, no meio do jantar, o chefe responsável pelo Naga, e que coordena todos sushiman ali nos ofereceu uma ostra com uni temperada, simplesmente deliciosa. Adoro quando chefes nos oferecem pratos extra que eles sabem que não são todos clientes que gostam, essa é a alma do sushibar. Ele também nos serviu ovas de tainha (karsumi).

Os sushiman continuaram nos servindo sushis, 10, 11, 12, 13, 14, 15! Finalizaram com um delicioso e fartíssimo sushi de atum com foie gras e uma gordíssima enguia (unagui, sim ela voltou a cidade).

Mas pera, você repararam algo acima? Eu tinha pedido claramente 10 sushis, mas eles foram servindo mais, mais, mais, mais. E depois veio a conta, claro, todos esses sushis E….E…a entradinha, a ostra e as ovas de tainha (karasumi). Somando mais uns 120 reais fácil pra conta. Sabe o que é isso? FALTA DE RESPEITO, mas infelizmente, eu que estava no ambiente dos ricaços, onde a conta nunca é vista, revista ou analisada com afinco, você apenas dá seu cartão e pega o carro no valet (o que eu não faço).

Os restaurante japoneses realmente possuem incongruências no serviço, alguns cobram chá-verde, outros não, alguns cobram cortesia, outros não. Na minha humilde, mas experiente opinião, não se deve cobrar cortesias, JAMAIS. Claro que não estou falando de oferecer cortesias, mas sim servir diretamente, eu ia fazer o que? Negar? Perguntar se iam me cobrar ou não? Paro por aqui, mas confesso que me tirou do sério um pouco.

E agora o veredicto final. Gourmet San, você recomendo o Naga? Sim! Recomendo, para ocasiões especiais, comemorações a 2 e claro, que você não se importe em gastar um pouco a mais. E se for sentar no balcão, atenção com as “cortesias”

Abraços

Gourmet San

 

 

 

7 Temakis diferentes que comi nos últimos anos

Eae gente, tudo bem?

Muitas pessoas me perguntam, qual o melhor sushi? qual o melhor sashimi? Mas vou falar que por incrível que pareça, “qual o melhor temaki?” não ouço muito! Pelo meu entendimento e observação de como as pessoas interagem com a culinária japonesa fria, eu tenho uma idéia do motivo que isso ocorre.

O temaki, sem dúvida nenhuma, é a forma mais popular de sushi que encontramos. Não tem como negar, tem gente que “ama” temaki de uma forma até irracional (ou passional?! rs) eu diria. Dessa maneira eu sinto que as pessoas acabam ficando na mesmice e adorando temakis “ordinários” (leia-se comuns).

Mas não é bem assim, apesar do temaki ter se tornado corriqueiro, ele é uma arte e envolve muita técnica e sobretudo ingredientes bons e bem combinados.

Então hoje gostaria de compartilhar com vocês alguns temakis que com que me deparei no decorrer dos anos!

1) Temaki em Cubos da Temakeria e Cia (reviews aqui):

Parece fácil, mas não é. A Temakeria e Cia meio que quebrou o paradigma popular do temaki “batidinho” e sempre serviu temakis bem fartos (não tanto ultimamente) de salmão em cubos. O desafio principal é o temaki ficar bem montado e a grande vantagem pra quem está comendo é saber e ver que os pedaços são de partes boas do salmão.

2) Temaki de salmão empanado e alface (review aqui):

O Makis Place quando surgiu fez algo que me surpreendeu bastante, criou uma variedade de combinações enorme. O cardápio tinha, e ainda tem, pelo menos 30-40 opções diferentes. Algumas funcionam, outra não. Mas esse aí de cima é um ótimo acerto. Pequenos cubos de salmão empanado e com um refrescante folha de alface. Para quem nunca experimentou, a folha de alface combina muito bem com sushis, sobretudo com o arroz, nori, algum recheio e molho. Esse temaki vai muito bem com o tarê). Fica a nota para esse temaki, você comer os cubos de salmão quentinhos ainda.

3) Mini temakis do Ras Robataria e Temakeria (review aqui):

O Ras é um lugar único. Eles escolheram um filão que ninguém possui, temakis com robatas, e faz ambos muito bem. A grande nota para os temakis é o tamanho deles, são pequeninos (metade de uma temaki normal), você termina com 2 mordidas. Sabe o que o Ras consegue com isso? Temakis super crocantes, além de você conseguir aprovar uma variedade maior!

4) Temaki Empanado (review aqui):

Não lembro onde comi esse temaki, lembro que foi num restaurante perto do Aeroporto de Congonhas. E não, eu não gostei muito dele, mas isso não quer dizer que uma grande parte da população siga meu gosto. Ele basicamente é um hot roll em forma de temaki. Recheio de camarão ou salmão, com cani e depois finalizado com cream-cheese e a sempre deliciosa couve crocante. Eu achei ele difícil de comer e meio lambuzento, porém ele era febre no restaurante que provei, as vezes quem está errado sou eu não?

5) Temaki de atum com cebolinha (negui-maguro ou negui-toro) (review aqui):

Coloquei 2 fotos desse temakis de atum com cebolinha pois eles são justamente um denegui-maguro e o outro de negui-toro. Vale também enfatizar e muito que ambos são do Tanuki, restaurante tradicional de Vila Madalena (cujo dono é o simpaticíssimo Shigueru). Os temakis de atum com cebolinha do Tanuki são os melhores que já provei e vou dizer por que. Eles usam partes boas do atum, não usam as pontinhas ou restos que não iam virar sushi e sashimi, o resultado são temakis muito acima da média. Além disso a alga é sempre fresquinha e crocante e o shoyu kikkoman disponível deixa o temaki imperdível.

6) Temaki de camarão empanado com maionese a base de ovas da Temakeria e Cia (reviews aqui):

Esse já foi um dos melhores temakis da Temakeria e Cia, mas eles andam mandando mal na execução, porém a idéia ainda é fantástico. É um temaki de camarão empanado crocantíssimo envolto numa maionese um pouco spicy e com ovas tobiko vermelhas, simplesmente delicioso, é uma combinação certeira! O grande desafio aqui é montar o temaki com uma fartura de camarões, precisa ser um temaki mais robusto, não tem como.

7) Temaki tradicional (charutinho) (review aqui):

Pois é gente, más notícias para os fãs de temaki, o formato original do temaki não é de cone e sim de charutinho. É como se fosse um hossomaki antes de ser cortado em sushis menores. A parte de baixo dele não é vazada, então necessita um corte especial na alga para fechar a parte de baixo.