Home / Bairros / Sushi Yuki – Melhor Restaurante Japonês de Buenos Aires
Sushis pela escolha do chefe

Sushi Yuki – Melhor Restaurante Japonês de Buenos Aires

Gourmet San hoje tem um post diferente: uma review de um sushi estrangeiro!

Vocês lerão abaixo um depoimento sobre o melhor restaurante japonês, não de São Paulo, mas de Buenos Aires! Pois é, em pleno país das carnes, fui atrás do melhor sushi hermano!

A tarefa não foi fácil, muita pesquisa na internet, consulta de diferentes fontes, reviews e acabei por formar uma listinha dos melhores. Mas no final das contas escolher foi fácil, o Sushi Yuki do Chefe Kazuo-San tem depoimentos como: “o único restaurante japonês de BA sem creamcheese no cardápio”, “sushis tradicionalmente japoneses” ou “melhor restaurante japonês de Buenos Aires de longe”. Portanto já tinha me escolha, o Sushi Yuki, localizado na Rua Pasco, 740, no bairro Congreso, tel 4942-7510.

Uma das reviews que li diziam que era bom fazer reservas para não ter surpresas! Segui a dica e liguei um dia antes, reservando as 21h o balcão para duas pessoas. Fiquem sabendo que lá se fala, além do espanhol, inglês e japonês! Então fique a vontade de usar outras línguas caso não domine o espanhol. O restaurante existe há mais de 40 anos, quando o pai de Kazuo San veio do sul do Japão para Buenos Aires e desde então o chefe vem trabalhando com culinária japonesa!

Chegou a hora, pegamos um taxi do hotel e passamos o endereço ao motorista. Não diga que você vai ao Sushi Yuki, a esmagadora maioria não conhece, as pessoas que perguntei sobre o restaurante, não o conheciam, ou seja, tiro duas conclusões: 1- os argentinos realmente não estão muitos ligados ao sushi tradicional e 2- o Sushi Yuki é uma jóia escondida na cidade de Buenos Aires. E é escondida mesmo, chegando no local, a entrada é de um prédio comum e você precisa olhar pela janela para ver que a 1a porta da direita possui decoração japonesa. Tocamos a campainha e a porta elétrica foi aberta.

Balcão reservado no Sushi Yuki

O ambiente é muito legal, sóbrio, consegue ser simples e decorado ao mesmo tempo, coisa de japonês né? Poucas mesas, 2 ou 3 salinhas com tatame o logo na sua frente o balcão com 6 lugares e o Chefe Kazuo-San atrás. Quem te recepciona é um jovem japonês de 20 e poucos anos super simpático e poliglota.

Chefe Kazuo-San

Nos sentamos e demos uma olhada no cardápio mas eu já sabia o que ia pedir: omakasê, a escolha do chefe! Mas após consultar Kazuo-san, o jovem japonês nos disse que é preciso avisar com 1 dia de antecedência para ele preparar alguns pratos especiais. Pois bem, retornamos ao cardápio e pedimos um Tirashi-sushi  (Chirasizushi) pelo valor de 110 pesos (algo como 50 reais)! O chefe nos perguntou se sabíamos o que era, eu disse que sim e em seguida eles no perguntou se queríamos o tradicional ou o no estilo Osaka, que segundo ele o arroz vai misturado com os demais ingredientes. Achei melhor fica com o tradicional, com o arroz na base.

Antes do tirashi nos serviram 4 diferentes entradas, uma melhor que a outra, acompanhem:

Entradas servidas para 2 pessoas

Eae, identificaram alguma? Já adianto que todos estavam deliciosas, vou analisar uma a uma pois elas merecem.

Primeiro a entrada menos impressionante de todas, o atum cozido, picado e temperado.

Entradinha de atum

Eu digo que ele é a mais simples pois ele lembra um patezinho de atum só que mais bem elaborado, obviamente feito com carne de atum de melhor qualidade, temperado com gergelim, cebola etc.

A segunda entrada foi inédita para o Gourmet San! Como ainda faltam restaurantes tradicionais japoneses especializados em sushi para eu visitar, nunca tinha provado o tamagoyaki, omelete japonês, mas isso acabou essa noite!

Tamagô(yaki)

Se eu posso descrever este prato com uma frase é: a arte de fazer ovo frio ser uma delícia. O tamagô é bom mesmo, me surpreendi, o sabor do ovo fica leve e dá gosto de saborear. O processo para fazê-lo é bem difícil como já falamos aqui no blog.

A 3a entrada é um clássico japonês que eu acho que deveria ser mais explorado pelos restaurantes japoneses aqui do Brasil, a bardana!

Raiz de bardana temperada

Raiz de bardana é muito bom e faz super bem, além de que é uma delícia servida desta foram, no Sushi Yuki ela levou uns temperos extras como gergelim! Comeriam uns 2-3 desse.

A 4a e última entrada foi a fantástica saladinha de polvo e lula molho ponzu!

Polvo e lula no molho ponzu

Esses 4 pequenos pratos foram um início nota 10 ao jantar. Claro que nenhum deles é cobrado ou faz parte de algum couvert obrigatório que será somado na conta final. Tudo já está incluso em sua refeição!

Enquanto terminávamos as entradas o Sr. Kazuo nos observava e deixava a postos o Tirashi e assim que terminamos ele estendeu sua mão e entregou o belíssimo prato abaixo!

Tirashi do Sushi Yuki

O Tirashi contemplava salmão, atum, camarão, polvo, hirame, shitake, tamagô e anagô! Todos ingredientes estavam deliciosos assim como o arroz shari, perfeitamente temperado, comemos tudo com muito prazer, sonharei por um bom tempo com este tirashi! A grande surpresa para mim foi o shitake, confesso que quando o vi fatiando não fazia idéia do que era, mas combinou perfeitamente com tudo servido! Vamos dar uma olhada em duas fotos com zoom pois merece!

Tirashi do Sushi Yuki

Abaixo você pode ver bem no topo do prato os cogumelos shitake! Não posso esquecer de citar o atum, com uma coloração tão viva quanto jamais vi, assim como um gosto bem mais agressivo, delícia!

Tirashi do Sushi Yuki

Após o Tirashi, peguei o cardápio novamente e já sabia o que ia pedir, a sequência de sushis (nigirisushi) a escolha do chefe! O prato custa 120 pesos, por volta de 60 reais! O Sr. Kazuo me perguntou se eu queria os sushis em duplas ou unitários, lógico que pedi unitários, assim a diversidade seria muito maior! O chefe também me perguntou se eu queria o wasabi ao lado ou dentro dos nigiris, lógico que pedi dentro!

Em pouco tempo Kazuo-San estendeu o seguinte prato para nós:

Sushis pela escolha do chefe

Acima vocês podem ver nigiris de salmão (shake), atum (maguro), lula (ika), anagô, camarão (ebi), polvo (tako), hirame, robalo e gunkam de foie gras de peixe. Sim faltam alguns sushis para serem identificados, mas juro que já me senti meio que intruso perguntando sobre o hirame, apesar de ser bem receptivo, não dá vontade de interromper muito o Sr. Kazuo enquanto ele trabalha.

Vejam abaixo o sushi de lula e do lado direito o gunkam de foie gras de peixe

Eu achei que seria difícil bater o Tirashi mas essa escolha de sushis do chefe foi sensacional, todos peixes fresquíssimos e muito refrescantes. Para mim a grande surpresa foi o gunkam de foie gras de peixe, uma delícia, o chefe espreme um limãozinho em cima para completar. Outro fato que faz os nigiris de chefe Kazuo tão bons é o acabamento e detalhe em cada um dos sushis, deem uma olhada como o sushi não é apenas arroz e peixe. Por exemplo, o polvo e o anagô levam um molho em cima, alguns outros sushis acompanham temperinhos (geralmente shissô) que ficam presos ao sushi pela fitinha de nori.

Veja os temperinhos presos nos sushis!

Quando você termina você fica feliz e triste. Feliz pois acabou de comer sushis fantásticos e triste pois acabou e não sabe quando comerá algo assim novamente.

Perguntei jovem japonês que serve como intérprete se eles possuíam algum tipo de ovas como uni (ouriço) ou ikura (salmão)! O chefe nem esperou a tradução e já disse com cara meio triste que estando na Argentina ele não consegue importar!

Como ainda havia um espacinho na barriga pedimos mais 2 pratos.

O primeiro é a famosa sopinha de missô (missoshiro) que acompanhava tofu, o preço era 30 pesos (15 reais), comparando com o mercado brasileiro o valor é alto, porém me deu uma expectativa de vir algo realmente bom!

Sopa a base de Missô

Ela, como o resto do jantar estava muito boa e como uma sopa de missô deve ser: reconfortante!

O último da noite, para fechar com chave de ouro foram 3 fatias de sashimi de atum que estavam me encarando desde que sentei no sushibar! Após consulta o preço das 3 fatias ficou por 25 pesos, 12 reais! Ótimo preço!

Sashimi de atum

Quando o Kazuo San pegou o filé do atum para fatiar, fiquei de olho na espessura dos cortes, queria ver a técnica e se os sashimis seriam no estilo japonês (mais grossos). E foram como você puderam observar!

O prato montado com nabo e folha de shissô merece um zoom, foi a forma perfeita de encerrar a noite:

Sashimi de atum com corte japonês

Antes que me perguntem se não bebemos nada, pedimos o bancha, chá verde tradicional servido em muitos lugares. Mas o sushi Yuki não trabalha com bancha para minha surpresa e sim com o sencha, tão bom quanto, se não melhor! E claro que, como bom restaurante japonês, o Sushi Yuki não cobra pelo chá!

Sencha

Depois de tantas descrições, espero que vocês fiquem com a imaginação e vontade de visitar o Sushi Yuki. Sem dúvida é uma visita obrigatória para quem passa por Buenos Aires!

O valor é muito em conta para o que foi servido, 285 pesos para duas pessoas (não cobram serviço), algo em torno de 70 reais para cada um. Me diga, onde em São Paulo você paga 140 reais por tudo isso? Eu te respondo, em lugar nenhum!

A dica é: foi para Buenos Aires? Esqueça as carnes um dia e visite o Sr. Kazuo e o Sushi Yuki.

 

Comentários

comments

05 Passos para Fazer Sushi

About Gourmet San

Formou-se na Escola de Comunicações da USP mas segue carreira em uma multinacional do ramo da tecnologia. Compartilha no Gourmet San toda sua paixão pela culinária japonesa, que veio da visita de mais de 100 restaurantes diferentes, de centenas de horas de vídeos no Youtube e de muita leitura e bate papo com itamaes. Apesar de seus amigos acharem que ele só come sushi, não dispensa de forma alguma uma boa pizza ou um cheesebacon maionese.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*