Almoçando no agradável Hirá de Daniel Hirata

Izakaya Hira Shakedon

Oi pessoal, tudo bem?

Fazia tempo que eu estava com vontade de fazer algo bem trivial, passear pela Vila Madalena e almoçar ali no Hirá, num dia de semana! rs…

Aproveitei um dia de saga com o conserto do carro, onde tive de levá-lo em 2 lugares diferentes (o famoso combo, freio+pneus novos+alinhamento+balanceamento) e como estava na região aproveitei para ir com bastante sossego ao Hirá!

Entrei e sentei logo pertinho da porta, estava a fim de ver o movimento na rua, invejar aqueles que trabalham na Vila Madalena, pela manhã, é claro.

Perguntei pelo Daniel Hirata, mas ele estava descansando, muito merecido, pelo o que conheço do Daniel dos tempos de Mori Ohta, ele trabalha MUITO, do tipo que faz questão de trabalhar quando ninguém mais está só para criar oportunidades novas para o próprio negócio.

O restaurante estava consideravelmente cheio, mas o serviço foi tranquilo do começo ao fim.

Olhando o cardápio, ficou difícil escolher, segurar a gula principalmente. É lamen pra cá (especialidade da casa), pork bun pra lá, tonkatsu kare, novidades do chefe etc.

Fui firme, firme demais, e resisti pedir meu prato favorito, o Tonkatsu Kare! Assim sendo, resolvi pedi algo novo da casa, uma recomendação do chefe, especial pro verão, o Shake don (era uns 50 reais)! Se trata de um bowl de arroz (gohan) com fatias de salmão por cima e nesse caso ovas do salmão também (ikura).

Mas claro que………minha vontade de comer algo mais não foi deixada de lado, pedi um delicioso pork bun, que eles chamam de buttah bun, ou pancetta bun, algo assim, vejam abaixo e babem, pois estava divino!!!

Izakaya Hira Porkbun

Após abrir um sorriso comendo esses mini sanduichinhos de porco, veio o meu Shakedon:

Izakaya Hira Shakedon

Lindo prato, não? Bela apresentação!

Delicioso e mais que suficiente para 1 pessoa. Vale mencionar que essa folha verde é pra comer, é o shiso, primo do hortelã, comumente servido com uni (ovas de ouriço), lula (ika) etc. Um breve regada de shoyu por cima (pra matar do coração qualquer tradicionalista, rs). Explico melhor, tradicionalmente é errado regar com o shoyu o gohan, além disse ele molhado fica muito mais difícil pegar com o hashi.

Deem mais uma olhadinha de perto:

Izakaya Hira Shakedon

Patrocínio ali em cima da Rayban (brincadeira, quem me dera, ahah).

E para finalizar uma sobremesa incrível que fazia parte do almoço, o chouxcream (leia-se chucrãm)Screen Shot 2017-02-07 at 10.41.10 PM

É como se fosse um sonho, mas com o japanese approach. Não preciso nem dizer, estava bom demais!

No final, a conta de uns 60-70 reais, muito bom pra um almoço, com entrada, prato principal e sobremesa.

Recomendo muito o Hirá, e vocês já foram?

Abraços

Gourmet San


Izakaya Hira Porkbun

Ryo, de Edson Yamashita, o único kaiseki do Brasil!

Entradas Ryo Culinária Japonesa balcão

Oi gente, tudo bem?

Faz mais de 1 mês que não escrevo =(

Sim, o final de ano é sempre corrido, atribulado e cheio de coisas, mas vocês podem sempre acompanhar pelo Instagram que continuo postando e visando lugares (não sempre novos, rs).

Pois bem, mas hoje a review é de um lugar novinho, que não tem nem 6 meses de vida, é o Ryo, restaurando novo do Edson Yamashita (Ex-Aze Sushi, Shin Zushi e Sushi Kan da matriz no Japão), basicamente um cara que entende muito da culinária japonesa! O Ryo fica na Rua Pedroso Alvarenga, 665 Itaim Bibi, telefone: 11 3881-8110 / 11-99221-2525 / contato@ryogastronomia.com.br

Já passei todas informações de contato aí em cima pois é bom vocês saberem que só atendem por reserva!

Depois de mais 1-2 anos que saiu do comando do Aze Sushi o Edson Yamashita percorreu o Japão e buscou lugares para seu novo empreendimento em São Paulo, demorou, mas não falhou, fiquei encantado com o Ryo, do começo ao fim.

Vamos lá.

Pera, vamos lá não…antes de falar do restaurante em si, é preciso que vocês saibam que ele funciona no sistema “Kaiseki (会席), que é um conceito que contempla uma forma de arte da culinária japonesa que equilibra sabor, textura, aparência e cores dos alimentos por meio de uma sequência de pratos tradicionais, artisticamente formatados, semelhante a um “menu degustação”, onde são usados ingredientes sazonais, únicos e frescos, incluindo também ingredientes locais.”

Entendeu? Bom, eu resumo, é uma experiência gastronômica que funciona similar ao menu degustação, porém os pratos servidos, além de harmonizarem entre si (sempre culminando no umami, o 5o sabor), também tem relação direta com a sazonalidade dos ingredientes da região. Isso faz com que o cardápio mude sempre, segundo o próprio Edson a idéia é mudar toda semana! Baita desafio!

Assim sendo, aproveitei que a casa estava com 30% de desconto e fui provar, como de costume quando quero comer com calma, abri a casa, cheguei 18h, ainda estavam preparando tudo e foi ótimo pra observar o restaurante e bater um papo com o Edson.

O ambiente é lindo, aliás, deem uma olhada no balcão:

Ryo Culinária Japonesa balcão

Ryo Culinária Japonesa balcão

E também no menu do dia:Menu Kaiseki Ryo Culinária Japonesa balcão

Não demorou muito e começaram a me servir os pratos! Mas antes dos pratos, uma surpresa, junto do bancha, serviram uma água com um ph especial que traz uma purificação maior do corpo, super interessante, e pra mim restaurante desse gabarito tem de impressionar do começo ao fim mesmo:

Ryo Culinária Japonesa balcão

E vamos partir logo para os pratos que foi um show de imagens, sabores e texturas!

Abaixo a sopa de marisco, o polvo e o atum!Entradas Ryo Culinária Japonesa balcão

Os 3 totalmente diferentes, com características únicas, uma delícia, o polvo da família Shin Zushi não tem igual, realmente de uma maciez incrível.
Entradas Ryo Culinária Japonesa balcão

Depois me serviram um caldo de legumes delicioso, aliás, é o único jeito de eu comer nabo, rs. Vejam o video, muito mal gravado por mim mesmo. Pois é, eu gravei com o celular de pé ao invés de deitado, desculpem, mas deu pra captar a idéia:

Depois foi servido o prato de sashimis, linda apresentação, acho que a mais bela que já vi na vida (ah, agora acertei no video):

Nunca tinha presenciado nada assim, uma apresentação que eu mesmo tive de interagir, demais! Os peixes estavam super saborosos e fresquinhos, nada menos do que o esperado.

Seguindo me serviram o ponto único ponto mais fraco da refeição, o pato. Apesar da apresentação novamente linda e do ótimo purê de brócolis e vinagrete de alcachofra, realmente o pato não estava tão macio.
Screen Shot 2017-01-22 at 11.23.33 PMDepois dos pratos, começou a sequência de sushis! Quem conhece o Edson sabe que a mão dele devia coçar ali atrás do balcão do Aze Sushi, só comandando e sem botar a mão na massa, literalmente! Assim sendo dá pra ver que no Ryo ele fica mais do que feliz em servir sushis novamente, um a um.

São servidos 6 sushis na refeição, segue abaixo as delícias:

Toro do dia:
sushi de toro kaiseki Ryo Culinária Japonesa
O mais bonito do dia, xaréu:
sushi de xareu kaiseki Ryo Culinária Japonesa

Sushi de serra:

sushi de serra kaiseki Ryo Culinária JaponesaSushi de engage (músculo da garoupa):
sushi de engawa kaiseki Ryo Culinária Japonesa

Sushi de vieira:sushi de vieira kaiseki Ryo Culinária Japonesa

Sushi de Uni:
uni  kaiseki Ryo Culinária JaponesaE como último prato, algo inédito pra mim, tomate momotaro recheado de peixe:
Tomate momotaro sobremesa moti e sorbet de cereja kaiseki Ryo Culinária Japonesa

Esse tomate é algo único, muito diferente mesmo, a textura, sabor e o molhinho, foi bem interessante.

E como sobremesa, morango coberto por chocolate e moti e sorbet de cereja!sobremesa moti e sorbet de cereja kaiseki Ryo Culinária Japonesa

O sorbet é feito em casa e o moti com chocolate e morango foi feito na minha frente, muito muito muito bom, gostoso e confesso que foi minha 1a vez comendo moti, me surpreendeu, gostei bastante!

Agora pra completar, vamos lá, vale a pena? Sim! Se não me engano o valor fechado é entre 180 e 200 e ainda há vouchers de 30%, aí vale muito a pena, se não, continua valendo mesmo sim. Antes de mais nada é o único restaurante no Brasil inteiro que trabalha abertamente com o sistema kaiseki, se vocês conhecem outro me avisem. E não me vem com Kinoshita, pois ele não é.

Recomendo pra ocasiões especiais e pra apreciadores de profusão de sabores, afinal a refeição segue uma cadência pra chegar ao umami e isso faz a experiência ser única.

Eae, o que achar? Curtiram? Já foram?

Abraços

Gourmet San

Visitando um amigo no Mai Sushi: Chefe Paulo Uehara

Mai Sushi Chefe Paulo Unhara sushi salmão barriga

Oi gente, tudo bem?

Sabe o que eu ganhei de mais valioso em todos esses 6-7 anos de Gourmet San? As pessoas que conheci! Foram tantos sushimen, sushichefes, donos de restaurante, garçons, maitres, pessoas incríveis e que compartilharam muito de sua paixão pela culinária japonesa e também conhecimento.

Uma dessas pessoas é o Paulo Uehara! Chefe que trabalhou por anos no Sushibar do Hotel 5 Estrelas Renaissance ali na Al Santos, ponto chique, clientes finos! Depois mudou um pouco de ares e foi para o Sushi Kai, onde o conheci! E agora ele está ali pertinho, na Lapa ainda, no Mai Sushi!

Assim que fiquei sabendo fui visitá-lo!

O Mai Sushi fica na Rua Pio XI, 98, na Lapa, tel  (11)-3641-3545 (http://maisushi.com.br). Região super residencial da Lapa e bem tranquila para um bom jantar, o Mai tem vagas na frente para facilitar!

Dentro o ambiente é de tamanho pequeno pra médio, o que eu particularmente gosto, afinal rodízios com ambientes muitos grande geram a enorme possibilidade do sushibar e cozinha serem massacrados por pedidos.

Cheguei cedo, 18h45-19h, era feriado no meio da semana, e afinal, o que eu queria era bater um papo de boa com o Paulo!  Sentei no balcão, mas não recomendo, a não ser que você esteja sozinho ou no máximo com mais 1 pessoa que goste muito de balcão, digo isso pois não há um espaço propriamente dito pro balcão, é um espaço que eles separaram apenas.

Bom, mas vamos falar de comida?

Eu resolvi correr lá pro Mai Sushi pois eu fiquei sabendo que o Paulo tinha conseguido um pedaço de atum mais gordo e fui conferir, vale a pena lembrar que não é sempre que tem,ok?

Bom, vamos lá, vejam abaixo:

Mai Sushi Chefe Paulo Uehara

Acima vocês também podem ver nigiris de polvo e barriga de salmão e também claro o sushichefe Paulo! Algo notável sobre o Paulo é sua paixão pela comida japonesa feita corretamente, ele sempre se esforça ao máximo para oferecer o que ele tem de melhor e feito da maneira correta.

Um bom exemplo é o tekkamaki abaixo, que ele deixou o atum marinando no shoyu durante um período, simplesmente delicioso!
Mai Sushi Chefe Paulo Unhara tekkamaki

Abaixo duas versão de sushi com maionese apimentada que o Paulo faz para o público que ama rodízio com jow de salmão com maionese, recomendo a todos vocês!

Mai Sushi Chefe Paulo Unhara sushis

Mais 3 duplas de nigiris, de peixe branco maçarico com esmero, salmão com cebolinha e camarão:

screen-shot-2016-12-10-at-3-28-38-pm

Abaixo, pra mim, o campeão da noite, o nigiri sushi de barriga de salmão, dando um caldo na grande maioria dos restaurantes granfinos da cidade, claro que foi um mix da qualidade do peixe e das habilidades do Paulo. MAs vejam só esse salmão que gordinha, estava incrível!Mai Sushi Chefe Paulo Unhara sushi salmão barriga

E pra finalizar outro clássico do Chefe Paulo, o nigiri de salmão skim que ele FAZ NA HORA, e sai quentinho, não tem páreo pra ninguém:Mai Sushi Chefe Paulo Unhara sushi salmão skim

Bom, essa foi minha experiência revendo o Paulo e o visitando em seu novo local de trabalho, o Mai Sushi. Ah aliás, o rodízio sai por uns 70 reais se não me engano!

Abraços

Gourmet San

The Bowl – nova casa de Lamen ganha espaço entre os paulistanos

Shoyu Lamen The Bowl Food Truck Food Park butanta

Oi gente, tudo bom?

Vocês bem sabem que o blog aqui é focado muito mais na comida japonesa fria do que na quente. Porém eu confesso de uns tempos pra cá, depois que o tonkatsu kare ganhou parte do meu coração, eu tenho comido muitas refeições japonesas da cozinha quente! E eles não ficam nem um pouco atrás dos clássicos sushis, aliás, o custo benefício é muito melhor em geral, rs.

No último ano São Paulo ganhou uma boa quantidade de Izakayas e Casa de Lamen. E “graças ao bom Deus”, essas casas japonesas de culinária quente começaram a se descentralizar da Liberdade. Afinal eu estava cansado de ouvir: “pra comer Lamen bom vai no Aska”, “vai no Lamen Kazu”, pra ir em “Izakaya bom vai no Issa…” e por aí vai.

Nossas preces foram ouvidas e de um tempo pra cá ganhamos Izakaya Matsu, Hira, Jojo Ramen e agora o The Bowl! Ele fica no Butantã Food Park, Rua Agostinho Cantu, 47 – Loja 9. Aliás, o Food Park foi todo reformado e lembra até um pouco o Pier 39 de São Francisco!

Shoyu Lamen The Bowl Food Truck Food Park butanta

Mas antes de falar do The Bowl, vamos falar rapidamente do Matsu e do Jojo…

Ambos servem comida esplendorosas, excelentes, porém….PORÉM…eles caíram no gosto popular dos instagrammers popzinhos (infelizmente não sou um deles, rs), sabe o que isso significa? FILAS, ta bom? não? então aqui vai: MAIS FILAS. No Izakaya Matsu você não consegue jantar ou almoçar um dia tranquilamente, você precisa chegar cedo ou tarde ou nem vá. Já no Jojo Ramen, parece que tão distribuindo dinheiro, filas de 3h! Sério? Sério? To fora, obrigado, to em São Paulo, tem muitas opções boas também.

Então, o que isso tudo significa? Precisamos de mais, paulistano precisa de abundância (quer mais prova disso do que a oferta de Outbacks?), e sim, precisamos de mais casas de Lamen! E ganhamos uma FANTÁSTICA do começo ao fim, The Bowl. Antes de eu falar mais sobre ele, vejam o que comi lá:

De entrada um pork bun por 12 reais:

Shoyu Lamen The Bowl Food Truck Food Park butanta

É um sanduíchinho de lombo de porco servido no clássico pãozinho oriental, com pepino e um molhinho, tudo fresco e delicioso, dá vontade de comer todo dia. Já dei a dica pro Daniel Kataguire fazer um Tonkatsu Bun, eu comeria todos os dias, hahaha.

Se você está do lado de fora, esperando, eles servem numa caixinha de isopor, olha só, você pode até levar pra casa:

Shoyu Lamen The Bowl Food Truck Food Park butanta

Enquanto eu devorava o pork bun, vagou lugares lá dentro e fui, obviamente, sentar no balcão, de frente onde os irmãos Vitor e Daniel Kataguire preparavam tudo:

Shoyu Lamen The Bowl Food Truck Food Park butanta

Aliás, para quem não sabe, o Daniel Kataguire é o “dono” do lugar e ele inclusive participou das primeiras etapas do Master Chef Brasil e encantou a Carosella com seu Lamen.

Bom, por enquanto o The Bowl só possui 2 opções de Lamen e eu fui no Shoyu Lamen por 23 reais com um topping the ovo (sim, aquele ovo cozido com a gema semi mole).

Não demorou quase nada e me serviram no “bowl” de cerâmica o lindo e delicioso Shoyu Lamen, aliás, bom dizer que o bowl de cerâmica só é pra quem senta no balcão!

Shoyu Lamen The Bowl Food Truck Food Park butanta

Aí no lamen vocês podem ver o ovo cozido, o moyashi (broto de feijão), o lombo de porco, a cebolinha e o horenso (espinafre japonês), e aí no fundinho escondido o lamine feito pelo próprio Daniel. Aliás, vale a pena mencionar que o Daniel Kataguire aprendeu sobre Lamen com o maior nome de Lamen de Nova York (que eu não sei o nome). E ae, tão servidos?

Shoyu Lamen The Bowl Food Truck Food Park butanta

Vou contar pra vocês…Simplesmente D-E-L-I-C-I-O-S-O! O conjunto todo funciona bem em harmonia, como deve ser, mas o caldo é simplesmente fantástico, segundo o Vitor, é colágeno puro, uma proteína das melhores para consumirmos. Além disso quero dizer que o caldo do Lamen do Daniel é 100% UMAMI, sim, Umami, o quinto sabor, você toma ele e sente aquele sabor profundo e rico! Comi o Lamen todo e fiquei 110% satisfeito.

Só fui ao The Bowl um vez, na semana de abertura e estou louco para voltar! Quando vocês estiver andando pelo Butantã Food Park vai ser fácil de encontrar, vejam só:

Shoyu Lamen The Bowl Food Truck Food Park butanta

Ah sim, ele fica no térreo =)

Abraços

Gourmet San

Kaminari – você é cliente fiel de algum restaurante?

Restaurante Kaminari sushi de salmão maçaricado

Eae gente, tudo bem?

Sei que não estou escrevendo muitos posts ultimamente, mas vou tentar voltar a escrever 1 por semana, estou com um material bom acumulado. Não vou negar que as postagens no Instagram (visite meu perfil) nos faz ter uma ilusão de que estamos produzindo “conteúdo de qualidade”, mas vejo claramente que é uma muleta.

Quem acompanha minhas postagens sabe que tem um restaurante ali em Pinheiros que é meu xodó, se posso dizer assim, é o Mussashino. Restaurante simples e tradicional que oferece um temaki com a alga mais crocante da cidade (sem brincadeira). Com o passar dos anos o preço subiu pouco e possui uma clientela fiel, como eu.

Aliás, sempre duvide de clientes fiéis, significa que há algo que os faz retornar além da comida, além do preço, além do serviço e ambiente. É algum laço especial que as vezes é invisível e na maioria das vezes intangível, que muitas vezes depende exclusivamente das pessoas e não do restaurante. Exato, na minha impressão o que fideliza de verdade clientes não é algo que o restaurante possa fazer de especial, mas sim algo que depende das pessoas que vão lá em momentos específicos de sua vida.

Pra mim, por exemplo, o Mussashino é especial pois foi o primeiro restaurante japonês que fui na vida e possuía um preço bom numa época que eu não ousava gastar mais de 50-60 reais num restaurante. Pra vocês terem uma idéia, como eu não tinha experiência com peixe cru, pedi um temaki com pepino, manga e kani (que doideira! hahaha), lembro até hoje de ter achado horrível, depois fui pro salmão skim e gostei. Enfim, além dessa experiência pessoal o Mussashino, tem um ou outro ponto que me agradam, como a simplicidade, preço e tudo fresquinho, peixe e alga crocante.

Mas Gourmet San, vai falar quando do Kaminari? Agora! Eu fiz toda essa análise sobre clientes fiéis pois mais de 1 pessoa já tinha me indicado ir ao Kaminari, bom, finalmente decidi ir. Ele fica na R. Amaro Cavalheiro, 25 – Pinheiros, Telefone(11) 2306-7625. Cardápio: sushikaminari.com.br.

Assim que entrei, para minha surpresa, estava lotado, com 1-2 meses livres e outras 2-3 reservadas, pasmem RESERVADAS! Poxa o ambiente é super simples, é rodízio, fica no largo da Batata, por que alguém reservaria ali? Por que são clientes fiéis.

Deu pra perceber que nós éramos os estranhos ali, as garçonetes vieram explicar como funcionava o rodízio (preço por volta de 70 reais eu acho). Pedimos o rodízio e em breve vieram os pratos:

Eae o que acharam? Bom, logo de cara posso dizer a vocês que tudo estava gostosinho.

Os destaques foram os bateras com couve frita e os nigiris de salmão chamuscados, ambos bem feitos e deliciosos, são minha recomendação Além deles, o enrolado de camarão empanado com o salmão por cima também é bem bom e acho que deve ser um dos melhores enrolados da casa.

Fora isso, acho que o restaurante possui pratos bem regulares, o que faria o rodízio valer por volta dos 60 reais e não 70. Por exemplo, o carpaccio de salmão estava ácido demais, não sei que tempero colocaram nele, mas o sabor ficou agressivo. O tempura e o guioza ambos um pouco massudos, mas ponto positivo por vir tempurá de camarão. E pra finalizar, os combinados, bem padrão, mas como eu disse, padrão pra um rodízio de 60 e poucos reais.

Bom, mas ele Gourmet San, você recomendaria o Kaminari? Sim, recomendaria pra pessoas que não buscam um nível muito alto da gastronomia japonesa, e gostam do mais básico, ou seja, sem muita expectativa. Mas mesmo assim, o preço não era do mais confortável, por exemplo o próprio Mussashino é mais barato (mais simples também, confesso). Então o que faz o Kaminaria estar tão lotado? Clientes fiéis!

Abraços

Gourmet San

Yoshida San e seu balcão – Patrimônio de São Paulo

Olá a todos,

Para vocês que me acompanham no decorrer dos anos, sabem que eu não tenho frescura foodie, muito menos a de fascistas anti-foodie. Traduzindo: eu acho que a diversificação de approaches que a culinária japonesa possui é válida, afinal cada pessoa tem um paladar diferente e também um bolso diferente. Quão simples e sem graça seria se só existissem rodízios de 49,90? Quão segregacionista e elitista seria a culinária japonesa se só tivéssemos Kinoshitas e Juns? Cada um tem seu valor.

Eu tenho o prazer de ir em tudo quanto é lugar, as vezes gasto menos, as vezes gasto mais, porém ganho uma visão completa do cenário.

Dentre todas essas possibilidades (hoje já se encontram mais estáveis e não mais naquele boom descontrolado de anos atrás) tenho que levantar um único lugar, único em São Paulo: o balcão do Yoshida San – O Hamatyo.

Conheci o Hamatyo anos atrás (leiam minha 1a review) e depois fui mais 1-2x e sempre foi igual, praticamente idêntico! Reconheço que nesse espaço de tempo cheguei a me incomodar pelo restaurante não variar muito, afinal eu fui num intervalo de 1 ano e meio e comi exatamente a mesma sequência.

Mas hoje penso diferente, não sinto nem a empolgação da 1a visita, nem o conformismo da 2a e 3a. Hoje eu sinto um respeito infinito combinado a uma sensação de que o lugar tem uma aura única e especial. O balcão do Yoshida devia ser tombado! É um lugar que vai deixar muita saudade e vai fazer mais falta que os extintos Rangetsu e Shintori. Explico mais abaixo, mas antes, vamos dar uma olhada nos incríveis sushis que comi no balcão do Yoshida:

 

Agora que você viram as fotos, vou tentar contar um pouco da experiência ao vivo, que é umas 100x mais incrível, aproveito e explico o que faz do Hamatyo o Hamatyo.

O ambiente é 100% tradicional, um balcão de madeira, longo, bem cuidado, louças bonitas mas não extravagantes. Funcionários? 3. O segurança na porta, Yoshida e sua esposa (que não faz meias palavras com quem acha que é rodízio). Valor do Sushi Hamatyo (a sequência máxima acima) é de 200 reais, não cobram taxa de serviço. Chá quente? Cortesia como tem de ser. Missoshiru? Cortesia como tem de ser.

Dificilmente a casa fica cheia, aliás, em geral só vai quem é comensal regular, aventureiros são raros, no Hamatyo vai quem sabe o que quer e o que vai encontrar.

Os sushis do Yoshida são grandes, repito, GRANDES, mas não devido ao bolinho de arroz, mas sim a perfeita e harmoniosa combinação com uma farta fatia de peixe. Aliás, por falar sobre a fatia de peixe (ou netá em japonês) os cortes do Yoshida são precisos e para cada pedaço do peixe ele faz um corte condizente. Recomendo que subam a página e revejam como os cortes do Yoshida não são lâminas de peixe, mas sim fatias generosas.

Sobre o custo benefício, não vou dizer que é ótimo, é caro sim, mas vale cada centavo quando você decide ir. Se eu tivesse mais dinheiro iria 1x por mês. Atrelado a isso, os 12 sushis por 200 reais soa pouco, certo? Todas as 4x que fui lá pensei o mesmo, porém quando você chega na metade já percebe que é mais do que suficiente para sair satisfeitíssimo! E a qualidade dos peixes? O Yoshida tem só pedaços excelentes de peixe, ele sempre pega o necessário para servir bem, já ouvi histórias de que em dias de peixe ruim ele nem abre.

Para finalizar meu raciocínio…Hamatyo seria a 1a opção para levar qualquer pessoa a qualquer momento se alguém quisesse comer um bom sushi. Mas Gourmet San, por que então você nunca disse isso? Pois eu sempre considero o custo benefício que a pessoa me passa, o gosto da pessoa e também a expectativa dela. Por exemplo, o Hamatyo não é para encontros, não é para quem quer pular do rodízio para um sushi tradicional, também não é para quem quer comer em muita quantidade. O Hamatyo é o cume do sushi em São Paulo.

Mas Gourmet San, e os outros sushis e restaurante top tipo o Jun Sakamoto, Kansuke (ex-Sushi Kan) e o Shin Zushi? Todos esses lugares são excelentes, repito, excelentes, mas não representam a experiência de um Sushi-Ya na minha opinião. Motivos? Os mais diversos, vamos comentar um a um abaixo.

No Jun Sakamoto é consenso que as pessoas vão lá para interagir com o Jun e isso nem de perto acontece o que gera até um desconforto. No Shin Zushi a questão é conhecidíssima, o custo-benefício freestyle devido as inconsistências planejadas e controladas pelo restaurante, por exemplo, se você sentar no balcão do Ken vai ser diferente do Nobu, também vai encontrar diferenças se eles foram com a sua cara e também se não forem e por fim, se a oferta dos peixe for ruim no dia não abaixam o preço. E por fim  o Kansuke, do Egashira Keisuke (Ex-Shin Zushi), acho que é o mais próximo ao prazer de comer no Hamatyo, porém os sushis são mais delicados, é uma experiência mais fina, digamos assim.

Bom, acho que já falei bastante, recomendo irem ao Hamatyo, eu gosto, muito! Me contem depois como foi. Ah e por favor coloquem shoyu só na parte de cima do sushi, no peixe =).

Abs!

Jin Jin Wok e uma reflexão sobre a culinária japonesa

Jin Jin Wok Sushis

Eae gente, tudo bom?

Se tem algo que raramente faço é comer comida japonesa em shopping centers. Em geral quando eu vou acabo recorrendo a algum restaurante “fechado” e não os clássicos de balcão. Não é nada contra, é apenas costume. E claro, como também não sou de ferro, muitas vezes o que você quer é comer aquele lanche com batata-frita, uma pizza-hut ou qualquer outra coisa.

Porém um dia desses fui convidado pela assessoria de imprensa do Jin Jin Wok a conhecer o restaurante. Obviamente fiquei um pouco com o pé atrás, mas fui com o coração aberto.

O Jin Jin Wok possui diversas unidades e a que eu fui foi do Shopping Eldorado, que fica na praça de alimentação.

Para quem não sabe, o Jin Jin Wok tem como foco comida quente, porém oferece também sushis, sem dúvida pelo apelo comercial.  Se você nunca viu o Jin Jin Wok antes, dá uma olhada na carinha dele aí =)

Jin Jin Wok

Eles possuem, como eu disse, uma parte quente e um parte fria, além de alguns pratos a la carte, como yakisoba, por exemplo.

Antes de mais nada, vejam como ficam dispostos os sushis na bancada fria do Jin Jin Wok:

Jin Jin Wok Sushis

Um close mais de perto:

Jin Jin Wok Sushis

Não vou negar, ali até tinham sushis interessantes para o meu gosto, porém outros não tanto. Segue abaixo o meu prato:

Jin Jin Wok Sushis

Peguei niguiris de salmão chamuscados, hossomakis de salmão, uramakis de salmão, jow de salmão, hot rolls, enrolado de salmão skin. Enrolado de pepino com pedacinhos de polvo por cima. Todos esses sushis estavam muito bem feitinhos e gostosos. Gostei do chamuscado, mostrou que eles estão até a par do que está em moda por aí.

Além disso, peguei um “sushi” totalmente fora do meu gosto, só a caráter de experimentar mesmo, que foi aquele hot roll de morango com nutella ali em cima. Eu faço questão de experimentar sushis menos tradicionais mas que mesmo assim muita gente gosta. Confesso que não faz muito meu gosto mesmo, mas valeu a tentativa =). Serviu de semi-sobremesa, rs.

Depois segui de volta ao Jin Jin Wok e fiz um prato só com escolhas quentes:
Jin Jin Wok pratos quentes

Acima vocês podem ver rolinhos primavera, carne com brócolis, shimeji e lombo de porco a milanesa. Confesso que essas opções tiveram seus altos e baixos.

O rolinho primavera, por exemplo, não estava tão crocante, apesar de bom sabor. O molhinho agridoce também poderia ser um pouco melhor. O shimeji e a carne com brócolis estavam ok, a carne um pouquinho dura só, porém o brócolis super macio (como eu gosto).

E para minha surpresa total, o melhor foi o lombo de porco empanado, como se fosse um tonkatsu sem o empanado de panko. A cara não estava boa, mas o sabor e a textura estavam excelentes! Surpreendente mesmo, super macio.

Agora uma reflexão muito importante:

Aqui no Gourmet San costumo escrever sobre lugares ótimos de se visitar pois servem sushis excelentes e…geralmente caros. Não posso negar, busco bons custo-benefício, porém invisto para poder escrever no Gourmet San, são omakases, sushis com toques contemporâneos, corridas para provar um bluefin, e nada sai de graça.

Porém o mundo da culinária japonesa não é só esse. Aqui no Brasil, e particularmente em São Paulo, ela sofreu adaptações, seja no preparo do sushi, seja em níveis distintos de ingredientes. E sendo bem honesto, o foodie-fascistas que se remoam, mas AINDA bem que existem lugares com ambições menores em relação a culinária japonesa, AINDA bem que há restaurantes que querem servir algo acessível a maior parte da população. Esse é o caso do Jin Jin Wok.

Pude observar por um tempo o público que estava pegando comida ali no Jin Jin Wok, ele era o mais variado possível: adultos, crianças, idosos de todos os gêneros e raças. E olhando a todos eles, com minha experiência grande, foi uma certeza, todos eram iniciantes na culinária japonesa.

Vocês veem a beleza nisso?

Uma base enorme e variada de pessoas, um público leigo que está adentrando na culinária japonesa, sem expectativas, se abrindo e se expondo para o novo, que muitas vezes é assustador, como a culinária japonesa pode ser. E o Jin Jin Wok é um desses lugares que permite que essa nova base de clientes de restaurantes japoneses surja.

Espero que tenham gostado da reflexão

Abraços e até a próxima.

Gourmet San

A notável consistência do Geiko San

Geiko San sashimi de barriga de salmão

Eae pessoal, tudo bom?

Em todos esses mais de 6 anos que faço reviews de restaurantes japoneses, tem um ponto chave que pouquíssimos restaurantes conseguem chegar, esse é o da consistência. Para mim o maior exemplo da consistência em São Paulo é o Hamatyo, entra ano e sai ano que o Yoshida San continua entregando os mesmos excelentes sushis, sem tirar nem por nada. E a grande maioria possui altos e baixos constantes, que significam que o tripé serviço-sushiman-ingredientes não estão em harmonia.

Mas dentro do seleto hall dos japoneses consistentes há um restaurante que já entrou para mim nessa lista, o Geiko San do Chefe Fabrizio.

Localizado Rua Haddock Lobo, 1416, São Paulo, Tel: (11) 3061-0150 , tive o prazer de conhecer e frequentar o Geiko San desde sua abertura, uns anos atrás (não muitos…2-3 no máximo). E desde então fui ao Geiko umas 4-5x, ou seja, não é o suficiente para dizer que sou um assíduo na casa, me dando possibilidade de comparar o Geiko San no decorrer do tempo.

Desta maneira consigo ter uma opinião bem balizada do restaurante e enfatizo: eles são sólidos, sólidos como uma rocha. E essa consistência e solidez vem desde o excelente maitre, o Tiel, passando pelo serviço dos garçons, os sushimen e a sofisticação e a simpatia do Chefe Fabrizio.

Como acertos apenas corretos, o restaurante hoje entrega excelente experiência para quem não conhece e a expectativa a ser bem coberta pelos clientes assíduos, que não vão se arrepender da visita.

Sem mais cerimônias e falando do meu últimos excelente jantar (como sempre) segue abaixo tudo que comi, sentado bem na frente do Fabrizio (cheguei cedo, rs).

É difícil escapar dos saborosos e bem temperados niguiris que o Geiko San oferece, mas por incrível que pareça, esse não é o ponto forte da casa apenas, eles possuem um cardápio fortíssimo e equilibrado. Se tem algo que me deixa sempre em saia justa com as pessoas que eu indico restaurantes é o desequilíbrio dos pratos do restaurante. Em muitos casos as pessoas vão aos restaurantes que indico mas pedem outros pratos, que não são a especialidade da casa e saem insatisfeitos, não tiro a razão deles!

Voltando ao Geiko San, além ds niguiris, eu posso recomendar todo restante do cardápio. Desde os aparente simples sashimis, passando pelos carpaccios, shisotem (tempura de shiso), uramakis, tartares e combinados. Tudo é temperado no ponto certo e com porções satisfatórias. E se não me engano, eles tem um combinado para 2 pessoas por 130 reais e que tem umas 30-40 peças, ou seja, mais barato que muito rodízio, e pra quem não tem idéia de quantidade, 20 peças é suficiente para você sair satisfeito.

Gostei muito de escrever essa resenha pois não foi sobre a minha experiência em si, os sushis que comi no dia, nem nada a respeito, mas sim um âmbito maior, uma característica do restaurante.

Espero que tenham gostado!

Abraços

Gourmet San

Tonkatsu Kare no Izakaya Matsu

Tonkatsu Kare do Izakaya Matsu

Oi gente, tudo bom?

Tive a chance de retornar ao badalado e excelente Izakaya Matsu! Vale a pena dizer logo de cara que o almoço de uma só opção por 35 reais continua valendo MUITO a pena.

Para quem não leu sobre minha primeira experiência lá, dá uma olha rapidinho aqui. Como o Izakaya Matsu não fica muito perto do meu trabalho(Av. Pedroso de Morais, 403 – Pinheiros), dificilmente consigo ir lá almoçar. Aliás, tentei ir jantar num dia desses e tinha espera, desisti, afinal estava sozinho e o izakaya é cheio de opções para dividir.

Bom…mas voltando a minha refeição da vez, não é a toa que fui almoçar justamente no dia do meu prato quente japonês favorito. O Izakaya Matsu posta todo domingo na página do Facebook deles o cardápio da semana, e em geral na sexta-feira é um prato feito com kare! As vezes é croquete, as vezes hambúrguer e em outras o lombo de porco empanado (tonkatsu).

Como de praxe, não demora quase nada para chegar:

Tonkatsu Kare do Izakaya Matsu

Sempre vem a refeição completa de uma vez, a saladinha, a missoshiro, condimentos extras e a fruta.

Como o kare com o tonkatsu pode ser um pouco pesado pra barriga, geralmente eu começo pela salada. Mas não espero muito e parto logo pra estrela, o tonkatsu kare:
Tonkatsu Kare do Izakaya Matsu

Logo de cara fiquei meio triste pois me pareceu pouco…

Porém eu estava enganado, como da outra vez que comi no Matsu, a porção é perfeita para você evitar a gulodice e sair satisfeito. Talvez pudesse ter vindo mais kare, mas estava ok, no limite.Tonkatsu Kare do Izakaya Matsu

Não vou negar que minha expectativa estava alta e talvez eu esperasse um pouquiiiinho a mais do tonkatsu kare do Matsu. Vamos lá, o lombo de porco empanado poderia ser um pouco mais alto (grosso) e o kare poderia ser um pouco mais apimentado, pelo lugar ser tradicional achei que fosse ser. Nunca vou esquecer quando fui ao Kidoairaku e o garçon me alertou que o kare era bem apimentado, rs.

Bom, apesar das minhas críticas construtivas acima, eu gostei muito desse almoço, custo benefício imbatível, qualidade incrível, bom serviço. Se eu pudesse almoçar 3x por semana no MAtsu eu iria.

E vocês já foram lá?

Abraços

Gourmet San

Temakeria e Cia lança rodízio! Acreditem se puder!

Rodízio Temakeria e Cia sashimi de salmão e atum

ikOi gente, tudo bom?

Desde que comecei a escrever sobre comida japonesa e minhas experiências nos mais diversos restaurantes, acabaram surgindo aqueles locais que eu visitei com maior frequência. Citando alguns deles: Mori Ohta, Shigueru, Aze Sushi e Temakeria e Cia.

Este último sempre foi um porto seguro pra mim, com pouquíssimos altos e baixos, entregando constância sempre com um preço competitivo, ficava difícil de abandonar um temaki-refeição bem feito.

E pra mim a Temakeria e Cia sempre foi isso, um ótimo lugar pra matar bem matada a vontade de comida japonesa sem gastar muito e com algumas opções auxiliares boas, como uramaki de salmão skin e ovas e também os excelentes e fartos hot rolls. E juro, eu nunca esperei mais da Temakeria, estava feliz do jeito que ela sempre foi.

Pois bem, a Temakeria resolveu inovar! Lançou em algumas unidades o rodízio. Em cada uma com um preço um pouquinho diferente, eu fui na da Vila Boim, R. Armando A. Penteado, 7, próxima a FAAP, ali no Pacaembu. O rodízio sai por 84,90 reais no jantar e 59,90 no almoço e tem um cardápio bem variado.

Vejam abaixo o que eu comi!

De entrada o clássico shimeji, estava gostoso, mas ok, nada demais, o básico mesmo:

Rodízio Temakeria e Cia shimeji

No cardápio do rodízio eles possuem uma opção me chamou muita atenção, que é o carpaccio de ika (lula em japonês), mas quando chegou o prato, na verdade era de polvo. Avisei o garçon e o gerente da casa deste equívoco. O prato em si achei ok, não me brilhou os olhos, acho que o tempero do polvo não combina muito com o polvo, é um prato que eles podem trabalhar melhor.

Screen Shot 2016-08-22 at 11.55.40 PM

Agora, um dos clássicos da Temakeria e Cia, o carpaccio de salmão e atum (que eles chama de salmão e atum tataki, mas na minha opinião não é). Estavam deliciosos, muito bons mesmo, fazem jus a fama!
Rodízio Temakeria e Cia sashimi de salmão e atum

Merecem até uma fotinho extra =)

Rodízio Temakeria e Cia sashimi de salmão e atum

Como eu estava lá para conhecer o rodízio eu pedi as entradinhas fritas também, não me arrependi.

O harumaki de vegetais (bolinho primavera) estava ótimo, crocante e num tamanho perfeito.Rodízio Temakeria e Cia rolinho primavera

Os anéis de lula empanados também estavam no mesmo nível. Só acho que o molho que acompanha não precisava ser o tarê e sim um mais frutado, faz diferença e combina muito!

Rodízio Temakeria e Cia lula empanada

Os camarões empanados com esse molho a base de mostarda também são ótimos, recomendo pedir, todas as vezes! Eles chegaram crocantes, bem temperados também.

Rodízio Temakeria e Cia camarão empanado

Vejam abaixo todas entradinhas quentes que pedi, tinham mais, mas fui com calma.

Rodízio Temakeria e Cia entradas

Quando terminei as entradas o garçon veio perguntar sobre o combinado de sushi e sashimi, se já podia vir. Eu achei estranho pois no cardápio do rodízio tinha uma série de sushis pra pedir. Mas como o garçon disse que o sushiman já montava um, eu aceitei. Veio esse abaixo:

Rodízio Temakeria e Cia combinado de sushi e sashimi

Gostei! Não vou negar, as opções vieram bem variadas e tudo gostoso. Para quem não tem frescura ou não conhece muito de comida japonesa recomendo comer o combinado do sushiman mesmo. Porém quem conhece o sushi que gosta, vale mais a pena pedir os sushis individualmente. Inclusive, acho que a Temakeria e Cia precisa estar atenta a isso e não forçar sempre o combinado do sushiman, #ficaadica.

Gostaria de destacar que os hot rolls do combinado são exatamente os mesmos que tem no clássico cardápio a la carte! Ponto positivo. Por um outro lado, o sushi de geléia eu nem toquei pois eu não gosto mesmo.

Rodízio Temakeria e Cia combinado de sushi e sashimi

Gostei de ver também que colocaram ovas em um sushi que trabalha bem isso, que é esse abaixo, o jow de atum, é uma combinação clássica.

Screen Shot 2016-08-22 at 11.54.26 PM

De sobremesa, a Temakeria e Cia não economizou, se não me engano são 4 opções, pelo menos!

Pedimos duas, a de banana caramelizada:

Rodízio Temakeria e Cia sobremesa banana

E o clássico petit gateau:

Rodízio Temakeria e Cia sobremesa petit gateau

Ambas gostosas, combinam muito bem com o rodízio e não são enormes, o que é ótimo, afinal se você se propôs comer um rodízio, no final já vai estar com a barriga cheia, rs, ou não né? Dizem que os doces vão pro espaço separado!

No final das contas, acho que a Temakeria e Cia arriscou em começar a servir rodízio, mesmo que seja em algumas unidades. Uma temakeria que tem uma história e uma reputação tão sólida…Mas enfim…talvez valha o teste…Se posso dar uma dica para eles é que há espaço para um upgrade ou refinamento.

Abraços

Gourmet San