Ikejime – menos sofrimento para o peixe ou carne melhor para os humanos?

Como vocês devem imaginar, minha vida é em grande parte rodeada por informações sobre comida japonesa que as pessoas me enviam ou comentam.

Hoje compartilho com vocês algo super diferente e que foge em muito da rotina da maioria de nós. É o ikejime, uma técnica onde o intuito é matar o peixe com menos dor, assim ele sofre menos e como consequência a carne dele também sai com melhor qualidade.

A fonte primária dessa informação foi de uma página chamada Público, do UOL. A matéria é um pouco extensa, então fiz um resumo para vocês.

Ela se passa num evento em Lisboa onde a idéia é justamente demonstrar a técnica do ikejime e fornecer uma degustação comparativa de sashimis de peixes mortos de maneira tradicional e com a técnica do ikejime.

Tomo, o responsável pela demonstração, faz o primeiro golpe na guelra do peixe, cortando a espinha e os principais vasos sanguíneos. Logo em seguida dá um golpe, com a ponta da faca, no rabo do peixe, cortando também a espinha. Depois, o chef identifica o ponto do ikejime e, de forma precisa, introduz um arame. O peixe para de se debater na hora.

Se você não tem problema em ver cenas como essa, veja o procedimento abaixo, caso contrário, desaconselho:

Como vocês podem ver, com habilidade o processo acaba sendo super rápido!

O chefe Tomo defende que se deveria começar a usar o ikejime em Portugal. “É uma técnica que existe no Japão pelo menos há 250 anos”, afirma. Mas os pescadores portugueses têm-se mostrado resistentes à ideia. Um dos argumentos para convencimento é que quando o peixe é morto assim não é preciso gastar tanto gelo para o conservar e o peixe dura mais 18h a mais em termos de frescor.

Na reportagem eles provam e comparam sashimis de peixes que morreram “estressados” e os que não, através do ikejime. Segundo eles a diferença no sabor, mas sobretudo na textura, é evidente. O “estressado”, que inicialmente parecia fresquíssimo, parecia agora mais “farinhento”  comparado com o outro.

Mas no final das contas, que acompanha a “fúria” japonesa por peixes de melhor qualidade como eu, acho que fica difícil acreditar que os japoneses fazem isso em favor do peixe. É claro que o foco deles é conseguir uma carne de melhor qualidade.

E vocês, o que acham?

Abraços

Gourmet San

 

 

A Nova Geração de SP epi 3: Aya e seu Omakasse!

Olá gente, tudo bom?

Como 3o episódio da série onde exploro os novos restaurantes da cidade de São Paulo falaremos do Aya! Ele tem uma história bem única e isso se deve a seu sushiman chefe, o Juraci, que durante anos foi braço direito do Jun Sakamoto.

Já fui ao Aya umas 2x antes, provando o menu executivo normal e o omakasse executivo. Mas desta vez vamos de omakasse a noite. Se não me engano, de 2a feira o omakasse sai com desconto (e aqui vale a pena ligar lá pra conferir). O valor do omakasse varia de acordo com algumas opções que o Aya oferece a vai de 160 a 240 reais.

Como eu disse na review anterior, o Aya tem um ambiente bacana, tão legal que assumo que foi estranho ter ido lá num almoço corriqueiro.

Desta vez o diferencial foi ter ido a noite, mas antes de mais nada vejam a longa sequência de sushis que serviram:

Coisa pra caramba! Isso sem dúvida é um ponto a se exaltar, são pouquíssimos restaurantes que conseguem servir variedade tão grande de nigiris.

É uma série longa de sushis (15 ou 16 sushis), com alguns ingredientes difíceis de se encontrar, PORÉM (sim, um grande “porém), alguns sushis são bem fracos, como a “barriga de salmão” (que não parece barriga), bijupirá e o atum (akami, nada de chutoro ou toro). Esses sushis ficam desnivelados com o restante. Vale a pena lembrar que na minha última visita serviram saint-peter, outro peixe simples e que os leitores do blog ressaltaram bem que é um peixe bem basicão.

O Aya do Juraci é como se fosse uma versão mais barata e simples do Jun Sakamoto, mas mesmo que seja um pouco mais em conta o custo benefício é mais ou menos, vamos ver por quê…

Como eu disse, o ponto alto é a variedade, mas servindo peixes simples e baratos, o preço não justifica, e além disso, não se vê no corte dos peixes e no preparo de alguns sushis, técnica tão boa pra cobrar tão caro. É como se fossem pratos parecidos ao do Jun Sakamoto mas com execução abaixo.
Agora ressaltando os pontos altos, tem alguns sushis surpreendentes. O melhor de todos é o de tempura de anchova, simplesmente sensacional, nota 10! É daqueles que você come e se contorce na cadeira!
Outro que merece destaque é o de camarão com apenas seu rabo em formato de tempurá, a diferença de textura funciona muito bem. Seguindo na linha dos que fiquei surpreso foi com o salmão do alaska, e outros com um preparo diferenciado, com o tempura com ikura, a lula com yuzu e sal negro e a anchova negra em duas maneira diferentes.
Desta maneira, acho que o Aya seja uma opção boa para quem não quer dor de cabeça com reservas e que também não está no ímpeto de ter a refeição da vida. O Aya não compromete, ele é bom, um pouquinho caro para o que oferece e com o custo benefício quase bom.
Gostaria muito de ir mais vezes, talvez eu foque numa visita as 2as feiras para aproveitar o desconto!
Abraços
Gourmet San

TimeOut dá bola dentro selecionando os 5 melhores sushis de São Paulo

Se existe algo polêmico na internet são as listas que julgam os melhores dentro de uma categoria.

Pela liberdade midiática que a internet traz fica fácil qualquer um criar uma lista e divulgar por aí. Algumas listas trazem consigo análises técnicas e sérias, enquanto outras caem numa área cinzenta, gerando muita dúvida acerca da veracidade e confiabilidade delas. Um mal exemplo em geral são as listas da Vejinha, sempre com análises rasas e que contrariam as escolhas de quem conhece da área.

Falei um pouco sobre a lista de top 10 rodízios de sushi apontada pela Vejinha quando fiz a minha (aqui).

Mas hoje vamos falar de coisa boa. A revista online TimeOut, associada ao Portal IG mandou super numa lista deles, apontando como os 5 melhores sushis de São Paulo o Kinoshita, Hamatyo, Aizomê, Shin Zushi e Jun Sakamoto. Aqui no blog você encontra review de todos eles, basta clicar no nome de cada restaurante.

Se posso fazer uma meta-análise do que a TimeOut escreveu, antes de mais nada o foco do Aizomê e do Kinoshita não são os sushis e sim os pratos, então eles precisavam retocar o título.

Dentre esses, os com foco em sushi mesmo são o Shin, o Jun e o Hamatyo e por incrível que pareça cada um tem um estilo diferente.

O Shin-Zushi é tradicional mas com um toque de criatividade dos sushimans que são craques demais, se não me engano todos possuem experiência no Japão. O restaurante é caro mas se você sentar no balcão e pedir o omakasse de sushi, comerá sushis inigualáveis.

O Jun Sakamoto tem o estilo dele, sushis clássicos com algumas inovações que o acompanham faz anos. Seu ponto alto é que tudo funciona em harmonia: arroz, peixe, preparo, temperos, ambiente. Também é caro, prepare-se para tirar o escorpião do bolso.

Agora vamos ao último, o fantástico Hamatyo, do mestre Yoshida San, talvez o mais clássico sushibar da cidade. É só ele e a esposa, mais ninguém, um par de mesas e o balcão. A nota vai para os sushis extremamente fartos e com cortes generosos, o preço é mais convidativo. O ponto baixo vai para a variedade, a sequência é quase sempre a mesma.

Se pudesse acrescentar um restaurante a essa lista, seria o Sushi Kan, que é chefiado pelo habilidoso Egashira Keisuke (Ex-Shin Zushi), ele faz sushis excepcionais.

E vocês? Já conhecia esses restaurantes?

Qual recomenda? Deixe sua opinião!

Abraços

Gourmet San

Fonte: http://www.timeout.com.br/sao-paulo/restaurantes/features/655/cinco-melhores-sushis-de-sao-paulo

Mori Sushi Moema

Eae gente, tudo bom?

Como você muito bem sabem, sou fã do Mori Ohta Sushi (com filiais no Itaim e Jardins), porém tem um outro Mori na cidade que causa quase tanta “comoção” sushizística de rodízio como o seu irmão mais badalado de alcunha Ohta.

Estou falando do Mori Sushi com filiais em Perdizes, Moema, Vinhedo e Campinas! É super comum a confusão entre esses 6 Mori(s), 4 sendo Mori Sushi e 2 sendo Mori Ohta Sushi (Ohta colocado recentemente no nome). Para quem não sabe, lá nos primórdios de 10 anos atrás eles realmente eram a mesma empresa porém se separaram logo no início, o que os une, além do nome era o foco no serviço diferenciado no balcão. Mas não os confunda, são empresas distintas!

Bom, um tempinho atrás fui conferir o Mori Sushi da Melo Palheta (Perdizes) e a comida no balcão realmente é farta e saborosa, seguindo a melhor linha possível do que o paulistano que ama um rodízio de sushi busca, porém o ambiente na época ficou a desejar (confira a review completa aqui).

Mas além do Mori de Perdizes, tenho amigos que falam incessantemente do Mori de Moema. Juro que eu não tinha ido antes por preconceito do ambiente que tinha ficado na memória do anterior. Mas cedi. A convite do meu colega Junião, eu e mais um amigo do trabalho fomos lá ver “qualé que é” desse Mori de Moema. O endereço é Rua Gaivotas, 1488 – Moema.

Fomos numa quarta-feira a noite (recomendo muito), estava bem vazio e tranquilo, sentamos direto no balcão. Vale a pena dizer que o Mori Sushi de Moema é bem bonito e arrumadinho. Claro que não estou comparando ele com requintes de design como o Kinoshita, mas para um restaurante de rodízio ele está acima da média e melhor do que o que eu lembrava do Mori de Perdizes.

O ambiente é descontraído e o serviço foi bom. Sobre o rodízio, ele sai se não me engano por 87 reais e você fica por conta (ou não do sushiman). Digo isso pois eles tem uma variedade criativa bem grande mas você pode pedir a vontade algo dentro de sua preferência.

Antes de falar sobre os pratos, deem uma olhada em tudo que comemos:

Comida pra não botar defeito!

Se posso recomendar algo a vocês, vão em grupo, assim a refeição rende mais! Em geral, lugares de muita fartura você tende a se saciar rapidamente e fica um “quê” de frustração.

Agora minhas considerações sobre a comida. A qualidade dos ingredientes é boa, o giro dos peixes é muito grande então isso garante com que os peixes servidos sejam bons.

Sobre os pratos, vale a pena conferir as entradas quentes pois elas são bem feitas, em particular gostei muito do guioza no vapor, do harumaki (rolinho primavera) e dos camarões empanados. O serviço é atencioso e nos forneceu exatamente o número de unidades que pedimos, nada pior do que restaurante que tentam te empurrar um monte de prato quente que você não pediu.

Eu não foquei muito nos sashimis pois eles são básicos, e minha função ali era provar as novidades. Se posso ressaltar algo é que logo de entradas eles servem um sashimi de salmão maçaricado com um molho excelente e que há sashimi de polvo a vontade. Aliás vi que o sushiman serviu o clássico molho sumisso num outro sushi e pedi para ele servir sobre o polvo, pois fica muito bom.

Sobre os enrolados. É aí que mora a grande criatividade do restaurante, a variedade é enorme e segundo os visitantes mais fiéis, eles sempre tem novidades. Vou ser sincero, a grande maioria das combinações funciona bem, porém outras não, geralmente isso ocorre quando misturam sabores demais, por exemplos 2 tipos de peixe com 2 molhos diferentes. E como sempre digo, não acho que molho de maracujá combine com salmão, são raros os sushis que provei onde essa combinação foi agradável.

Mas vamos falar de coisa boa? O Mori Sushi de Moema tem acertos incríveis como os enrolados de salmão com camarão servido com ovas e molho a base de laranja, funciona muito bem, nota 10. Outros que funcionam muito são o enrolado de salmão chamusco com shimeji, fiquei surpreso, estava delicioso também. Para não ficar só em 2 destaques, eles serviram um flambado que acabei não fotografando que também estava excelente,.

No final das contas eu recomendo bastante o restaurante, mas atenção com as bebidas, pedi um chá e um coca-cola e no final a conta saiu quase 110 reais a cabeça com o serviço. Como dica para o Mori Sushi, sempre revisem os pratos para ter certeza de que não há misturas demais, em geral funciona, mas com comida japonesa, geralmente menos é mais =)

Se eu voltaria? Sim, voltaria!

Abraços

Gourmet San

 

Meu Sushi Delivery – pratos novos e melhorando os antigos!

Eae gente!

Depois de pedir delivery do Restaurante Kai num outro dia resolvi conferir novamente como andava um dos meus deliveries favoritos da cidade, o Meu Sushi!

Já pedi comida do Meu Sushi outras vezes e ele é para mim, até hoje, o melhor delivery de comida japonesa da cidade! Vale a pena mencionar que eles só fazem delivery, nada mais, então é sempre bom trabalhar com um especialista no ramo.

Eu sou humano como todos vocês, então gosto de pedir aqueles pratos que gosto mais, porém, como Gourmet San, minha função vai um pouco além, é de pedir e conhecer as novidades, então perguntei pro pessoal do Meu Sushi o que eles tinham de novo. O Meu Sushi tem uma base sólida de comida japonesa, também de pratos quentes, sendo que o responsável pelo casa busca manter-se atualizado com tudo que acontece na cidade, apesar da culinária mais tradicional.

O Meu Sushi não é barato e nem quer ser, ele tem um serviço diferenciadíssimo, sempre com sobremesa cortesia e principalmente suas embalagens patenteadas que são de longe as melhores do mercado.

Sem enrolar mais, vamos ao meu pedido…Mas antes já fique com o telefone em mãos, pois vai dar fome pra vocês (tel do Meu Sushi: 3051-6701).

Nosso pedido foi para umas 4 pessoas, vejam abaixo as embalagens e como ele veio:

Para os pratos frios, a vantagem é que os sushis ficam super presinhos e não desmontam de maneira alguma. Já para os pratos quentes, a vantagem é que os pratos continuam quentes até chegar a sua casa!

Os hashis e os shoyus vem também em embalagens próprias. Aliás, vale a pena dizer que ao fazer o pedido o pessoal do Meu Sushi me disse que eles estão testando um shoyu novo, feito na casa deles, eu aprovei!

Bom, depois de verem as caixinhas fechadas, ta na hora de ver sem as tampas, assim vocês tem uma visão melhor:

Como vocês devem ter percebido, foi uma fartura sem fim, essa comida toda dá para umas 4 pessoas! E além dessas de cima, tem mais ainda! Mas não coube na foto, então vamos seguir aos poucos!

Para começar, os sashimis! Além da seleção logo acima, com atum, polvo, anchova negra e salmão, pedimos uma porção extra de sashimi de atum pois tínhamos atum lovers na turma!

Bom, sobre os sashimis, todos estavam excelentes, e apesar de eu não curtir muito peixe branco, esse com o limãozinho sisciliano estava muito bom! Aliás todos estavam fresquíssimos, apenas o polvo que ficou mais no “ok”, acho que o pessoal do Meu Sushi pode tentar dar mais um passo a adiante e colocar um molho a base de missô por cima, o famoso sumiso.

Um dos pontos alto do jantar não foram os sashimis mas sim esse prato abaixo, o shimeji com lula:

Agora me ouçam direito, por mais incrível que pareça, esse aí é o melhor shimeji com lula que já comi em toda cidade. O segredo está no caldo, antes de mais nada, ele existe, muito diferente de vários restaurantes que mandam shimeji secos. O caldo era bem encorpado e cheio de sabor, sem dúvida nenhuma ele foi pré-preparado e depois juntado ao prato.

Bom, vamos seguir em frente! Outro pedido foi o salmão selado com gergelim! Ele veio com tarê:

Estava sensacional, a crosta de gergelim foi feita perfeitamente e a quantidade era bem satisfatória, deu para todos comerem. Se tem apenas um ponto que eu mudaria, é que ele já veio com tarê, mas acho que seria mais bacana nós mesmos colocarmos na hora.

Como disse no começo do post, tem sempre o que gostamos muito de pedir e essa é o caso do combinado abaixo:

Ele vem de tudo, nigiris, sushis com ovas, sashimis com ovas (novidade) e alguns sushis diferentes como esse com shimeji. É um combinado completo e que dá pra ser a refeição de uma pessoa só facilmente!

Abaixo talvez uma de minhas maiores surpresas e o que mostra em definitivo como o pessoal do Meu Sushi fica alteando nas novidades: carpaccio de salmão trufado com raspas de limão sisciliano.

Esse prato é o queridinho da vez de São Paulo. Todo lugar que queira atrair ou já atrai o público moderninho da cidade deve oferecê-lo. Ele não é complexo, se trata de salmão em forma de carpaccio com azeite trufado. Não vou negar que realmente dá um sabor todo em especial! Mais uma dica para o Meu Sushi, poderia vir um pouco mais de raspas de limão.

Bom, e pra fechar com chave-de-ouro um clássico do Meu Sushi, os hot rolls, primeiramente a novidade, o hot roll spicy:

E para finalizar, o hot roll Meu Sushi:

Essa é a marca registrada do Meu Sushi e eles podem se orgulhar mesmo, são excelentes e tem uma diferença de todos outros restaurantes, o sushis é empanado como uramaki e não como hosomaki, ou seja com o arroz para fora e não para dentro (e com a alga para fora).

Eles ficam bem diferentes em termos de texturas, justamente por que na hora de empanar o arroz reage de outra forma! Para esse sushi o Meu Sushi manda também vidrinhos de molho tarê a parte. Thanks!

Bom gente, ufa! Foi isso, que banquete, não é mesmo? Como eu disse acima, não sai barato, mais ou menos uns 100 por pessoa, talvez um pouco mais. Porém vale a pena, tudo excelente!

Eae, já pediu Meu Sushi, o que achou?

Abraços

Gourmet San

VEJA entrevista Jun Sakamoto (video)

Olá a todos!

A revista VEJA entrevistou o Jun Sakamoto e disponibilizou na íntegra o bate-papo num vídeo com 50 minutos.

Na mesa redonda, além do Jun, estão presentes uma apresentadora chamada Joyce que força um pouco nas piadas, mas faz bem o papel de mediadora, uma editora da VEJA chamada Helena, que basicamente não participou durante os 50 minutos e por final o Arnaldo Lorençato, responsável pelas reviews da VEJA e que assinou a lista de melhores rodízios de sushi de SP, colocando bizarramente o Kibô Sushi como melhor rodízio de SP (vai entender).

Bom…vamos falar um pouco do vídeo! O Jun aparece sorridentíssimo e super simpático como sempre na mídia, porém não é o que muitas pessoas dizem quando sentem frente-a-frente com ele em seu sushibar. Não tive a chance ainda de ir ao Jun Sakamoto, estou para tirar essa dúvida pessoalmente, mas talvez essa coisa seja de expectativas grandes demais.

Mas, não posso negar, a entrevista é ótima e eu recomendo, Jun passa análises super interessante sobre o mercado gastronômico em SP e no Brasil. Eles também comentam sobre o seu novo restaurante, o Junji e a Hamburgueria Nacional, o qual o Jun também é responsável.

Assistam Aqui a entrevista.

Abraços

Gourmet San

Uo Katsu em 2 semanas seguidas

Oi gente, tudo bom?

Atenção, nessa review, é um dos meus restaurantes favoritos de São Paulo, o Uo Katsu. Por indicação de um primo meu (valeu André!), conheci o Uo Katsu anos atrás e escrevi uma review sobre ele.

Apesar de bem localizado, Rua Manuel da Nóbrega, 1180, tel 11 3051-5855 (perto do Parque do ibirapuera), ele é um pouco fora de mão para mim. Além disso, não abre a noite, tornando a possibilidade de ir mais difícil ainda.

Uo Katsu não é um restaurante normal, as mesas são coletivas, o ambiente é barulhento, só aceita dinheiro ou cartão VISA, Ele também é concorridíssimo e eu já sabia…Então programei de chegar 11h45, estava vazio, mas não deu outra, 12h20 já não tinha lugar.

Vejam abaixo meus pedidos referente a as minhas duas visitas em duas semanas seguidas!

Comece sempre, sempre, sempre, sempre, sempre, sempre com ostras. Elas são gigantes e deliciosas. Atenção, são as maiores ostras da cidade, sem dúvida nenhuma! Sai 4 reais cada uma.

Não posso nem pensar nelas que dá vontade de ir lá de novo!

Pedimos também uma combinado de enrolados, basicamente uramakis, que sai por uns 30 e poucos reais.

Vou ser sincero, esses uramakis são excelentes e gigantescos! Além dos peixes fresquíssimos o arroz é dos melhores, super macio. Recomendo muito pedir esse combinado para garantir matar a fome.

Também é possível criar combinados, afinal todos sushis você pode pedir por unidade. Foi o que fizemos, pedimos um mix de uramaki ebitem e batera de atum com ovas.

Esses 2 são sensacionais. O batera de atum é fora de série, é igual as ostras, se você for ao Uo Katsu, precisa pedir! O arroz é tempero com ovas, o atum é batidinho e por cima mais ovas e cebolinhas. O uramaki ebitem  também é nota 10.

Outra excelente opção para ter uma refeição completa é o sushi especial, que sai uns 100 reais:

Vem todos esses nigiris, a grande maioria muito, muito boa, principalmente o buri, o de lula, atum e o de haddock defumado. Os nigiris são tão grandes quanto os uramakis, preciso dizer. O único ponto negativo foi o polvo (tako), bem gelado, duro e borrachudo, nota 2. 

O batera de atum é tão bom que pedimos mais e uma dupla de atum gordo.

Claro que esse atum não é o atum mais gordo da história, ele é ok, mas preciso mencionar que o preço também é baixo, 24 reais a dupla. Em muitas restaurantes a unidade de atum gordo é no mínimo 30 reais.

Pedimos também um outro batera especial com ikura.

Pra finalizar talvez uma das melhores pedidas do Uo Katsu, a enguia anago.

É o maior sushi de enguia da cidade, eles devem mandar metade da enguia, rs, e espero que continuem assim. Ela enche a boca de sabor, é suficiente para matar qualquer saudade de enguia de qualquer pessoa.

Por fim, o Uo Katsu é realmente uma das melhores opções para comer sushis na cidade São Paulo. Atenção, não estou falando que ele é um bom restaurante, não, ele é uma peixaria adaptada para vender sushis e sashimis e faz isso muito bem!

No final, dê uma caixinha pra ver a dona no caixa gritar: “Caixiiiiinhaaaa” e os sushimans respondendo, “Arigatooooo”!!

Abraços

Gourmet San

 

Não resisti, pedi o delivery do Kai

Apesar de eu achar que a culinária japonesa seja um desafio muito grande para o delivery, sempre tem aquele dia que você não quer sair de casa mas está com um desejo específico. Para isso temos algumas boas opções em São Paulo.

Depois de um pouco mais de 1 semana de ter visitado o restaurante Kai, não resisti e liguei para pedir um delivery, tel (11) 3645-0102. Eu sabia que a entrega seria rápida, afinal o restaurante é super próximo de casa e ainda era cedo, 18h30!

O que fique impressionado logo de cara é com o preço, bem em conta, o combinado grande saiu por uns 60 e poucos reais, o temaki uns 17 e os outros sushis não lembro!

Bom, como eu disse, veio bem rápido, vejam abaixo!

O temaki, já adianto, não foi idéia minha, afinal eu sei que pedir delivery de temaki vai totalmente oposto ao valor original do temaki, que é de comer o mais rápido possível e aproveitar a alga crocante.

Mas quem estava comigo queria matar a vontade de um temaki de atum, então pedimos.

E não é que tava uma delícia ainda? Claro que a alga chegou borrachuda, mas não tinha como né? Mesmo assim valeu a pena pois o atum estava ótimo!

O combinadão é super bem servido! Dá para 2 pessoas tranquilamente, deem uma olha

Os peixes estavam todos muitos bons, o polvo estava ok. Os sushis estavam excelentes, gostei em especial dos futomakis (esses sushis maiores na parte de baixo). O único ponto que eu alteraria era esse com a calda de maracujá por cima. Apesar de estar super suave e ter sido um dos melhores sushis de salmão com maracujá que eu já tenha provado, eu continua achando que salmão e maracujá não combinam (e olha que já comi até salmão grelhado com maracujá, pra mim não passa).

De resto, esse combinado é ótimo para uma refeição completa, o Kai acertou na mão, ótimo custo benefício!

E por final, eu pedi um repeteco dos sensacionais sushis do chefe Paulo que comi no rodízio e fiquei feliz demais de pode-los comer novamente.

Foi ótimo provar novamente os sushis de lula, das perninhas lula (guesso), do peixe branco com pasta do kombu, e do uramaki spicy. Todos muito bons.

Se eu posso passar uma dica ao Kai, é que se ao passar dos tempo, o delivery deles começar a sair mais pedidos, vale a pena investir em embalagens onde os sushis fiquem mais firmes.

Gostei e aprovei, pediria novamente! Mas não nego que pedir esse delivery só me fez ficar com vontade de ir lá pessoalmente!

abraços

Gourmet San

Restaurante Kai, rodízio com bagagem tradicional!

Oi gente, tudo bom, hoje estou entusiasmado!

Visitei um restaurante novo, o Kai, que fica localizado na Rua Pio XI, 228, tel (11) 3645-0102. Dificilmente visito restaurantes na Lapa, mesmo morando perto. Isso é devido ao caráter mais residencial da região e que foge do eixo gastronômico da cidade, acaba nem passando pela minha cabeça buscar restaurantes lá, preconceito meu infelizmente.

Mas ainda bem que fiquei sabendo do Kai e resolvi visitá-lo. Claro que o que me chamou atenção não foi o fato de ele ser novo ou de servir rodízio, mas sim a equipe, quando visitei o site descobri que eles possuem uma equipe incrível, ela é composta pela chefe Sayuri Takamatsu, mestra em pratos quentes e pelo sushiman chefe Paulo Uehara, ambos possuem anos de experiência no Japão.

Não tive a oportunidade de conhecer a chefe Sayuri, mas em compensação bati um papo  excelente com o chefe Paulo San. Se me permitem dizer, o cara é um enciclopédia do sushi, conhece MUITO! Eu juro, olha só, já fui em mais de 100 restaurantes japoneses e já conversei com inúmeros sushimans experientes, bom, o Paulo San conseguiu me passar informações e conhecimentos que eu nunca tinha ouvido antes. O cara é fera!

Antes de falar da comida, vale mencionar que o ambiente é bem tradicional e com uma equipe nota 10, principalmente o maitre Eugênio que é um show a parte.

O Kai possui ótimas opções a la carte e duas opções de rodízio que variam de 50 e pouco a 70 e poucos reais se não me engano. Eu fui na opção completa, afinal na primeira visita você já precisa ir com tudo.

Logo de cara já falo pra vocês, dica 1: tentem sentar no balcão, dica 2: o rodízio completo é “livre” , ou seja, não tem aquela história de que pratos especiais só estão no a la carte e no rodízio não, tudo faz parte, aproveitem!

Só de escrever fiquei com água na boca, quero muito voltar! Vamos falar da comida? Assim vocês me entendem…

De entrada eu pedi 1 guioza no vapor que veio excelente:

1 shimeji na manteiga que veio no padrão de rodízios:

E 2 ebitem,  camarões empanados que foram o ponto alto das entradas simplesmente deliciosos.

Para começar a parte fria, o Paulo San me serviu um ceviche lindo, que foi o mais bem elaborado que já comi num restaurante japonês, veio até com direito a chips e purezinho de batata, nota 10!

Para minha enorme surpresa o Kai tinha salmão gravlax preparado! Exato, o salmão curado de receita nórdica, acompanhem, não é pouca coisa não:

Comi também uns enrolados especiais da casa, como o hot roll clássico e o do “chefe”. Ambos muito bons. Hot roll é gordice pura e não tem problema que não é tradicional, é bom demais.

Seguindo, o chefe Paulo caprichou e deve ter arregaçado as mangas, começou a mostrar suas armas!

Começou com um enrolado de salmão batidinho e flocos de peixe, nunca tinha visto, delícia!

Depois emendou com um uramaki de camarão empanado com molho spicy e em volto por ovas. Ponto alto do jantar, eu comeria esse sushi todo dia.

Mantendo o alto nível, o Paulo preparou um prato muito bonito e com 3 pares de sushis: camarão, gunkan de shitake em conserva com camarão e um de peixe branco com pasta de kombu.

Simplesmente sensacionais, o de camarão era um nigiri normal, mas os outros eram acima da média, o shitake em conserva é bem diferente e acho que o sushi ficaria demais mesmo sem o camarãozinho por cima. Já o sushi de peixe branco (esqueci qual era) com a conserva de kombu estava sensacional, o sabor adocicado das pasta trouxe um sabor novo, um sushi excelente.

Paulo me perguntou se eu eu gostava de lula, quando respondi que sim, ele aprontou mais um prato com sushis incríveis. 2 de lula, 2 de polvo e 1 de guesso (perninha da lula):

Sushis absolutamente incríveis, vale a pena dizer que esse tempero escuro em cima dos sushis é conserva de gengibre, incrível, não tem o que dizer, delícia!

Para finalizar, o Paulo me perguntou se eu gostava de salmão skin e ele disse que ele preparava de uma maneira diferente da maioria e não é que era verdade!? Acompanhem abaixo, sushi delicioso, realmente um dos melhores skins que já comi.

Enfim, o Kai é um acerto do começo ao fim, o ambiente, a equipe, os ingredientes e o preço. Ele se posiciona muito bem no cenário de rodízios de comida japonesa de São Paulo, pois ele oferece sushis mais tradicionais muito bem executados!

Não posso esquecer de dizer da presença do dono, o simpático Fábio, que traz um acolhimento italiano ao restaurante!

E ae, gostou? Já foi lá? Me conte como foi!

Abraços

Gourmet San

 

Qual wasabi comprar? Review de 4 tipos vendidos on-line

Oi gente, tudo bom?

Recentemente a Kombini, uma loja bem bacana de artigos e ingredientes japoneses, me forneceu 4 tipos de wasabi diferentes para eu experimentar!

Claro que eu não ia perder a oportunidade de compará-los e passar a vocês minhas considerações, afinal, quando que temos mais de 1 tipo de wasabi em casa?

Algum palpite? Bom, eu fiz um videozinho para vocês abrindo e testando todos esses wasabis que a Kombini me forneceu, confiram:

 

E ae, gostaram?

Abaixo fiz um resuminho de cada um deles!

1) Wasabi em tubo Kenko (compre aqui):

Tem o sabor padrão de wasabi, eu gostei bastante pois não é tão ardido como os outros, eu diria que ele tem picância na medida certa. Além disso, por ele vir em tubo você ganha em economia, já que só tira o que vai usar, assim como pasta de dente, rs.

2) Wasabi em pó Sanjin Ottogi (compre aqui):

Apesar de vir em pó, é super fácil de fazer, basta misturar um pouquinho com água e voila. De sabor é bom também, mas o que se destaca é o aroma, como você “faz” na hora, ele solta um perfume “wasabesco” pelo o ambiente. Recomendo se for usar para uma quantidade razoável, pois é difícil fazer um pouquinho só então o desperdício ocorre.

3) Wasabi em tubo S&B (compre aqui):

É o wasabi mais ardido de todos, então se você gosta daquele wasabi picante, vai nele, eu pessoalmente não sou muito fã, para mim wasabi tem uma função maior que essa. Por ele ser em tubo a economia está do seu lado também.

4) Molho a base de Wasabi S&B (compre aqui):

Antes de mais nada, não use para sushis e sashimis, ok? Ele é um molho para saladas e afins, não seja teimoso. Se você ama saladas e ama wasabi esse é um molho a mais para ter em sua geladeira!

Abraços

Gourmet San