1. Voltei! 2. Review do Restaurante Fujiyama na Lapa!

Oi pessoal, tudo bem?

Bom, comigo está, então fiquem tranquilos que foi hiato que passei por aqui mas que voltei e vou por umas reviews no lugar e fazer umas mudanças! Claro que também não esqueci de falar da minha viagem pro Japão, mas como é muita informação estou tentando discutir o melhor formato =)

Mas vamos lá, sem mais delongas, há um restaurante que está na minha memória de infância e eu nunca tinha ido, o Fujiyama! Agora que fui pro Japão e aprendi muito (um pouco, rs) sobre kanjis (a escrita japonesa) sei que “Yama” significa “montanha” e Fuji, é Fuji. Então o restaurante leve o nome da famosa, enorme e linda montanha do Japão: o Monte Fuji!

Antes de mais nada…por que o restaurante esteve sempre ali guardadinho no fundo da minha cabeça? Primeiro por que eu sempre morei na Zona Oeste de São Paulo e vira e mexe passava na frente dele e aquela fachada vermelha me chamava atenção, mas por algum motivo eu nunca tinha ido.

Mas chegou o dia. Vale dizer que ele é um restaurante das antigas, então se você gosta desse ambiente mais anos 80-90, lá é pra você. O que quero dizer com isso? Salão grande, mesas para família, decoração simples etc.

E os pratos, em sua grande maioria segue essa linha tradicional, e fica claro que o restaurante era a la carte e se adaptou ao rodízio. Digo isso também pois quando fui vi várias mesas de famílias japonesas pedindo pratos mais tradicionais como lamen, shogayaki etc. Mas como eu estava com outras pessoas, fui de rodízio, então se parei alguns pratos pra revermos minha experiência lá.

Abaixo uma porção de shimeji e lula na manteiga. Bem gostoso, a lula saborosa, apesar de eu achar que tem mil outras receitas melhores com lula do que essa. O shimeji não segue a receita clássica de todos rodízios, o que me agrada, nada melhor do que provar o “gostinho” da casa. Eles dão um toque mais caseiro so shimeji,

Essa foto abaixa postei pra vocês verem um pouco do ambiente e também um clássico temaki de atum com cebolinha (maguro negi). Nada especial a destacar, rs.

Agora um carpaccio de salmão que estava gostoso mas também segue exatamente a “sintonia tradicional” da casa, um carpaccio de salmão com um monte de cebolinha e um pouco de gergelim.

Algo que me agradou muito, uma seleção de sashimis até que variada pra um rodízio, com salmão, atum, prego (no me gusta), polvo e um peixe branco e não me recordo muito, mas pela pele em cima do peixe parece ser um pargo bem magrinho ou outro peixe da mesma familia.Agora o que eu considero um ponto fraco da casa e que poderia melhorar muito, os sushis agridoce, ou seja, com molho teriyaki por cima. A idéia é boa pois trás um paladar dos rodízios mais comerciais da cidade, basicamente atraindo um público maior. Pra vocês terem uma idéia e não julgarem com antecedência, o pessoal na minha mesa chegou a pedir uma porção extra de molho tarê (teriyaki).

Mas o que melhorar? A montagem dos sushis e o corte, poderiam não ser tão finos e sim mais robustos. E a casa sendo tradicional, poderia ter algum coberto com aquelas ovas vermelhas.
E pra finalizar o famoso e clássico tempura de legumes, mas quando feito assim meio que em trança ou em fios se chama kakiage!Pessoal, faz um tempinho que fui no restaurante, alguns meses, então me desculpem mas não me recordo do preço exatamente. Mas o Fujiyama possui ins 2 tipos de rodízio diferentes, o simples e o mais completo e claro um excelente cardápio a la carte. Se você curte um a la carte tradicional simples, vá nessa opção, já se você gosta de um rodízio, é uma boa opção no bairro, confiável e ótimo pra grupos e família!

Visitando um amigo no Mai Sushi: Chefe Paulo Uehara

Mai Sushi Chefe Paulo Unhara sushi salmão barriga

Oi gente, tudo bem?

Sabe o que eu ganhei de mais valioso em todos esses 6-7 anos de Gourmet San? As pessoas que conheci! Foram tantos sushimen, sushichefes, donos de restaurante, garçons, maitres, pessoas incríveis e que compartilharam muito de sua paixão pela culinária japonesa e também conhecimento.

Uma dessas pessoas é o Paulo Uehara! Chefe que trabalhou por anos no Sushibar do Hotel 5 Estrelas Renaissance ali na Al Santos, ponto chique, clientes finos! Depois mudou um pouco de ares e foi para o Sushi Kai, onde o conheci! E agora ele está ali pertinho, na Lapa ainda, no Mai Sushi!

Assim que fiquei sabendo fui visitá-lo!

O Mai Sushi fica na Rua Pio XI, 98, na Lapa, tel  (11)-3641-3545 (http://maisushi.com.br). Região super residencial da Lapa e bem tranquila para um bom jantar, o Mai tem vagas na frente para facilitar!

Dentro o ambiente é de tamanho pequeno pra médio, o que eu particularmente gosto, afinal rodízios com ambientes muitos grande geram a enorme possibilidade do sushibar e cozinha serem massacrados por pedidos.

Cheguei cedo, 18h45-19h, era feriado no meio da semana, e afinal, o que eu queria era bater um papo de boa com o Paulo!  Sentei no balcão, mas não recomendo, a não ser que você esteja sozinho ou no máximo com mais 1 pessoa que goste muito de balcão, digo isso pois não há um espaço propriamente dito pro balcão, é um espaço que eles separaram apenas.

Bom, mas vamos falar de comida?

Eu resolvi correr lá pro Mai Sushi pois eu fiquei sabendo que o Paulo tinha conseguido um pedaço de atum mais gordo e fui conferir, vale a pena lembrar que não é sempre que tem,ok?

Bom, vamos lá, vejam abaixo:

Mai Sushi Chefe Paulo Uehara

Acima vocês também podem ver nigiris de polvo e barriga de salmão e também claro o sushichefe Paulo! Algo notável sobre o Paulo é sua paixão pela comida japonesa feita corretamente, ele sempre se esforça ao máximo para oferecer o que ele tem de melhor e feito da maneira correta.

Um bom exemplo é o tekkamaki abaixo, que ele deixou o atum marinando no shoyu durante um período, simplesmente delicioso!
Mai Sushi Chefe Paulo Unhara tekkamaki

Abaixo duas versão de sushi com maionese apimentada que o Paulo faz para o público que ama rodízio com jow de salmão com maionese, recomendo a todos vocês!

Mai Sushi Chefe Paulo Unhara sushis

Mais 3 duplas de nigiris, de peixe branco maçarico com esmero, salmão com cebolinha e camarão:

screen-shot-2016-12-10-at-3-28-38-pm

Abaixo, pra mim, o campeão da noite, o nigiri sushi de barriga de salmão, dando um caldo na grande maioria dos restaurantes granfinos da cidade, claro que foi um mix da qualidade do peixe e das habilidades do Paulo. MAs vejam só esse salmão que gordinha, estava incrível!Mai Sushi Chefe Paulo Unhara sushi salmão barriga

E pra finalizar outro clássico do Chefe Paulo, o nigiri de salmão skim que ele FAZ NA HORA, e sai quentinho, não tem páreo pra ninguém:Mai Sushi Chefe Paulo Unhara sushi salmão skim

Bom, essa foi minha experiência revendo o Paulo e o visitando em seu novo local de trabalho, o Mai Sushi. Ah aliás, o rodízio sai por uns 70 reais se não me engano!

Abraços

Gourmet San

Kaminari – você é cliente fiel de algum restaurante?

Restaurante Kaminari sushi de salmão maçaricado

Eae gente, tudo bem?

Sei que não estou escrevendo muitos posts ultimamente, mas vou tentar voltar a escrever 1 por semana, estou com um material bom acumulado. Não vou negar que as postagens no Instagram (visite meu perfil) nos faz ter uma ilusão de que estamos produzindo “conteúdo de qualidade”, mas vejo claramente que é uma muleta.

Quem acompanha minhas postagens sabe que tem um restaurante ali em Pinheiros que é meu xodó, se posso dizer assim, é o Mussashino. Restaurante simples e tradicional que oferece um temaki com a alga mais crocante da cidade (sem brincadeira). Com o passar dos anos o preço subiu pouco e possui uma clientela fiel, como eu.

Aliás, sempre duvide de clientes fiéis, significa que há algo que os faz retornar além da comida, além do preço, além do serviço e ambiente. É algum laço especial que as vezes é invisível e na maioria das vezes intangível, que muitas vezes depende exclusivamente das pessoas e não do restaurante. Exato, na minha impressão o que fideliza de verdade clientes não é algo que o restaurante possa fazer de especial, mas sim algo que depende das pessoas que vão lá em momentos específicos de sua vida.

Pra mim, por exemplo, o Mussashino é especial pois foi o primeiro restaurante japonês que fui na vida e possuía um preço bom numa época que eu não ousava gastar mais de 50-60 reais num restaurante. Pra vocês terem uma idéia, como eu não tinha experiência com peixe cru, pedi um temaki com pepino, manga e kani (que doideira! hahaha), lembro até hoje de ter achado horrível, depois fui pro salmão skim e gostei. Enfim, além dessa experiência pessoal o Mussashino, tem um ou outro ponto que me agradam, como a simplicidade, preço e tudo fresquinho, peixe e alga crocante.

Mas Gourmet San, vai falar quando do Kaminari? Agora! Eu fiz toda essa análise sobre clientes fiéis pois mais de 1 pessoa já tinha me indicado ir ao Kaminari, bom, finalmente decidi ir. Ele fica na R. Amaro Cavalheiro, 25 – Pinheiros, Telefone(11) 2306-7625. Cardápio: sushikaminari.com.br.

Assim que entrei, para minha surpresa, estava lotado, com 1-2 meses livres e outras 2-3 reservadas, pasmem RESERVADAS! Poxa o ambiente é super simples, é rodízio, fica no largo da Batata, por que alguém reservaria ali? Por que são clientes fiéis.

Deu pra perceber que nós éramos os estranhos ali, as garçonetes vieram explicar como funcionava o rodízio (preço por volta de 70 reais eu acho). Pedimos o rodízio e em breve vieram os pratos:

Eae o que acharam? Bom, logo de cara posso dizer a vocês que tudo estava gostosinho.

Os destaques foram os bateras com couve frita e os nigiris de salmão chamuscados, ambos bem feitos e deliciosos, são minha recomendação Além deles, o enrolado de camarão empanado com o salmão por cima também é bem bom e acho que deve ser um dos melhores enrolados da casa.

Fora isso, acho que o restaurante possui pratos bem regulares, o que faria o rodízio valer por volta dos 60 reais e não 70. Por exemplo, o carpaccio de salmão estava ácido demais, não sei que tempero colocaram nele, mas o sabor ficou agressivo. O tempura e o guioza ambos um pouco massudos, mas ponto positivo por vir tempurá de camarão. E pra finalizar, os combinados, bem padrão, mas como eu disse, padrão pra um rodízio de 60 e poucos reais.

Bom, mas ele Gourmet San, você recomendaria o Kaminari? Sim, recomendaria pra pessoas que não buscam um nível muito alto da gastronomia japonesa, e gostam do mais básico, ou seja, sem muita expectativa. Mas mesmo assim, o preço não era do mais confortável, por exemplo o próprio Mussashino é mais barato (mais simples também, confesso). Então o que faz o Kaminaria estar tão lotado? Clientes fiéis!

Abraços

Gourmet San

Temakeria e Cia lança rodízio! Acreditem se puder!

Rodízio Temakeria e Cia sashimi de salmão e atum

ikOi gente, tudo bom?

Desde que comecei a escrever sobre comida japonesa e minhas experiências nos mais diversos restaurantes, acabaram surgindo aqueles locais que eu visitei com maior frequência. Citando alguns deles: Mori Ohta, Shigueru, Aze Sushi e Temakeria e Cia.

Este último sempre foi um porto seguro pra mim, com pouquíssimos altos e baixos, entregando constância sempre com um preço competitivo, ficava difícil de abandonar um temaki-refeição bem feito.

E pra mim a Temakeria e Cia sempre foi isso, um ótimo lugar pra matar bem matada a vontade de comida japonesa sem gastar muito e com algumas opções auxiliares boas, como uramaki de salmão skin e ovas e também os excelentes e fartos hot rolls. E juro, eu nunca esperei mais da Temakeria, estava feliz do jeito que ela sempre foi.

Pois bem, a Temakeria resolveu inovar! Lançou em algumas unidades o rodízio. Em cada uma com um preço um pouquinho diferente, eu fui na da Vila Boim, R. Armando A. Penteado, 7, próxima a FAAP, ali no Pacaembu. O rodízio sai por 84,90 reais no jantar e 59,90 no almoço e tem um cardápio bem variado.

Vejam abaixo o que eu comi!

De entrada o clássico shimeji, estava gostoso, mas ok, nada demais, o básico mesmo:

Rodízio Temakeria e Cia shimeji

No cardápio do rodízio eles possuem uma opção me chamou muita atenção, que é o carpaccio de ika (lula em japonês), mas quando chegou o prato, na verdade era de polvo. Avisei o garçon e o gerente da casa deste equívoco. O prato em si achei ok, não me brilhou os olhos, acho que o tempero do polvo não combina muito com o polvo, é um prato que eles podem trabalhar melhor.

Screen Shot 2016-08-22 at 11.55.40 PM

Agora, um dos clássicos da Temakeria e Cia, o carpaccio de salmão e atum (que eles chama de salmão e atum tataki, mas na minha opinião não é). Estavam deliciosos, muito bons mesmo, fazem jus a fama!
Rodízio Temakeria e Cia sashimi de salmão e atum

Merecem até uma fotinho extra =)

Rodízio Temakeria e Cia sashimi de salmão e atum

Como eu estava lá para conhecer o rodízio eu pedi as entradinhas fritas também, não me arrependi.

O harumaki de vegetais (bolinho primavera) estava ótimo, crocante e num tamanho perfeito.Rodízio Temakeria e Cia rolinho primavera

Os anéis de lula empanados também estavam no mesmo nível. Só acho que o molho que acompanha não precisava ser o tarê e sim um mais frutado, faz diferença e combina muito!

Rodízio Temakeria e Cia lula empanada

Os camarões empanados com esse molho a base de mostarda também são ótimos, recomendo pedir, todas as vezes! Eles chegaram crocantes, bem temperados também.

Rodízio Temakeria e Cia camarão empanado

Vejam abaixo todas entradinhas quentes que pedi, tinham mais, mas fui com calma.

Rodízio Temakeria e Cia entradas

Quando terminei as entradas o garçon veio perguntar sobre o combinado de sushi e sashimi, se já podia vir. Eu achei estranho pois no cardápio do rodízio tinha uma série de sushis pra pedir. Mas como o garçon disse que o sushiman já montava um, eu aceitei. Veio esse abaixo:

Rodízio Temakeria e Cia combinado de sushi e sashimi

Gostei! Não vou negar, as opções vieram bem variadas e tudo gostoso. Para quem não tem frescura ou não conhece muito de comida japonesa recomendo comer o combinado do sushiman mesmo. Porém quem conhece o sushi que gosta, vale mais a pena pedir os sushis individualmente. Inclusive, acho que a Temakeria e Cia precisa estar atenta a isso e não forçar sempre o combinado do sushiman, #ficaadica.

Gostaria de destacar que os hot rolls do combinado são exatamente os mesmos que tem no clássico cardápio a la carte! Ponto positivo. Por um outro lado, o sushi de geléia eu nem toquei pois eu não gosto mesmo.

Rodízio Temakeria e Cia combinado de sushi e sashimi

Gostei de ver também que colocaram ovas em um sushi que trabalha bem isso, que é esse abaixo, o jow de atum, é uma combinação clássica.

Screen Shot 2016-08-22 at 11.54.26 PM

De sobremesa, a Temakeria e Cia não economizou, se não me engano são 4 opções, pelo menos!

Pedimos duas, a de banana caramelizada:

Rodízio Temakeria e Cia sobremesa banana

E o clássico petit gateau:

Rodízio Temakeria e Cia sobremesa petit gateau

Ambas gostosas, combinam muito bem com o rodízio e não são enormes, o que é ótimo, afinal se você se propôs comer um rodízio, no final já vai estar com a barriga cheia, rs, ou não né? Dizem que os doces vão pro espaço separado!

No final das contas, acho que a Temakeria e Cia arriscou em começar a servir rodízio, mesmo que seja em algumas unidades. Uma temakeria que tem uma história e uma reputação tão sólida…Mas enfim…talvez valha o teste…Se posso dar uma dica para eles é que há espaço para um upgrade ou refinamento.

Abraços

Gourmet San

Ótimo sushi de aeroporto no Pappadeaux Seafood Kitchen

Mais uma review internacional!

Para quem acompanha de perto meu blog deve ter lido a minha péssima experiência no Origami Sushi no aeroporto de Newark. Confesso que fiquei um pouco traumatizado, claro, sem motivos, pois com a logística certa dá pra ter sushi bom em qualquer lugar do mundo. Inclusive, sobre o Origami Sushi, o colaborador do Gourmet San, Will visitou o mesmo local que eu e teve uma experiência bem boa.

Assim sendo, como a paixão do sushi vai além de pequenas pedras no caminho, tive a oportunidade de comer novamente um sushi em aeroporto, nessa vez em Houston, TX, o restaurante, nada japonês: Pappadeux Seafood Kitchen!

Pappadeux Seafood Kitchen é um restaurante de frutos do mar tipicamente americano, lembra um pouco o Red Lobster até, no cardápio você encontrará excelentes pratos com salmão, lagosta, vieiras, camarões, etc etc, acho que deu pra entender. Confesso que entrei no Pappadeux pensando em qualquer coisa, menos sushi.

Porém…não tem jeito, quem é aficcionado por sushi assim que vê no cardápio algo escrito com “maki” ou “sushi” já começa a se coçar inteiro para pedir. Tentei lutar contra, pensei em várias opções diferentes do cardápio e consegui, pedi ostras:

Os Estados Unidos são incrivelmente bem abastados por ostras e é comum você encontrar em restaurantes diversos tipos de ostras ofertados, por exemplo, ostra do Pacífico, ostra do Golfo do México, ostra não sei o que… Enfim, pedi meia dúzia de uma dessas ostras enquanto resolvia o que mais ia pedir.

As ostras estavam excelentes, muito boas mesmo, fresquinhas, refrescantes e com um tamanho bom. Assumo que acabei comendo só com limão depois de experimentar os 3 diferentes temperos que acompanham. Americano precisa aprender ainda a temperar ostras pois nenhum deles combinava muito bem, aliás, um deles parecia chimichurri, nossa nada a ver, limãozinho salvou. Vejam abaixo que a apresentação foi boa, num prato cheio de gelo!

A partir desse momento, eu já tinha feito minha escolha para o jantar. O Pappadeaux tinha 3 inusitadas opções de sushi, 3 enrolados maki! Escolhi 2:

O primeiro foi um lobster roll, ou seja, um enrolado de lagosta!

Estava suculento, delicioso e bem grande, dá uma olhada no tamanho dos sushis! Isso é bem clássico dos americanos e eu particularmente gosto! Um ponto a melhorar, sem dúvida é o recipiente que veio o shoyu, totalmente desproporcional, quase uma bacia. Além disso eu pedi o sushi de lagosta pois é algo que você jamais encontraria em São Paulo.

O segundo enrolado eu não tinha como resistir, um urabiten com camarão jumbo!

Obviamente outro enrolado bem grande e farto, delicioso. Esse molho em cima é uma maionese apimentado, muito boa, mas um pouco too much. E outra vez um recipiente gigantesco para shoyu. Como vocês podem ver o sushi também estava envolto por uma casquinha que na verdade é um tipo de pimenta em pó.

Bom, depois dessa excelente refeição eu estava pronto para embarcar! Esse jantar com bebida e serviço saiu uns 40 dólares, um pouco carinho mas bem completo.

Gostei bastante do Pappadeaux Seafood Kitchen e assumo que ficou uma vontade de experimentar os outros pratos do cardápio!

E vocês já comeram no Pappadeaux? Curtiram?

Abraços

Gourmet San

Kawa Sushi Jardins – a indicação que faltava na minha lista

Oi gente, tudo bom?

A pergunta que eu mais respondo no meu dia-a-dia são indicações de rodízios para meus amigos e conhecidos. Apesar de eu preferir restaurantes tradicionais a la carte, não há como negar, a paixão do brasileiro (pelo menos o paulistano) é o rodízio.

Mas o paulistano não está mais satisfeito com os rodízios baratos, isso tanto é uma verdade que o número de restaurante que oferecem o all-you-can-eat está cada vez menor. Hoje é difícil você ouvir alguém falar que vai com frequência num rodízio de 40-50 reais. As pessoas que gostam de rodízio fizeram suas escolhas nos últimos anos e se apegaram a elas. Os escolhidos da cidade são os famosos Aoyama e Mori Ohta, o 2o escalão é bem variado então fica difícil citar, apesar de eu ter minhas preferências.

Mas voltando ao assunto do dia, descobri um novo restaurante com rodízio e que é EXCELENTE, o Kawa! Mas atenção, o Kawa tem 2 restaurantes, o do Brooklyn (região da Berrini) e o do Jardins, e eles tem propostas totalmente diferentes. O Kawa da Berrini tem como foco 100% o público do almoço que busca um sushi rápido, nada mais, então as vezes o resultado é um pouco insatisfatório. Já o Kawa dos Jardins o papo é outro e é desse que vou falar hoje.

O Kawa Jardins fica localizado na Al. Lorena, 300 – Jardins, tel: (11) 3057-1582, fica a dica, fica pra lá da 9 de Julho, pro lado mais Paraíso. Para estacionar é bem tranquilo, eles tem valet, mas eu parei o carro por conta própria na rua pois a região, já mais distante do burburinho incessante da Oscar Freire, facilita a tarefa.

Quando entrei no restaurante percebi que alo o papo era outro, ambiente super bonito e amplo, bem alinhado com o nível do Aoyama e o Mori Ohta. O restaurante possui 2 opções de rodízio com o mesmo preço (uns 70 e poucos reais), uma opção “normal” e outra “gourmet” que oferece sushis mais diferentes. Ah o foco do Kawa é servir na mesa, então não há balcão.

As opções são bem variadas e consegui provar quase tudo! Vejam abaixo:

Tudo coisa boa e muito bem feita! Realmente fiquei impressionado como eu nunca tinha ido lá antes. Na verdade eu sei por que eu nunca fui, pois tive uma impressão não tão boa do Kawa da Berrini.

Logo de início gostei muito de ver 4 tipos de carpaccio para serem servidos: salmão, atum, polvo e peixe branco. E como sempre digo que deve ser, cada um deles com um tempero e molho diferente. Claro que não deve ser toda noite que eles conseguem ter essa variedade, mas gostei muito do que vi e comi.

Dificilmente como algo inédito num rodízio, mas dessa vez comi a famosa lula com recheio de shimeji que só vejo em restaurante a la carte. Adorei a idéia de oferecer no rodízio, claro que não estava primorosa, mas me surpreendeu.

No rodízio do Kawa você também encontra ingredientes que nenhum outro oferece, como vieira, peixes defumados e sushi com ovo de codorna. Os sushis são de um tamanho médio pra pequeno pois segundo eles mesmo o foco é que os clientes comam variedade. Outro fator que me agradou muito foi que tudo estava muito bem montado e servido, vejam os carpaccios, por exemplo, ou o prato com os niguiris.

Para finalizar, o Kawa não tem combinados ou sushis pré-feitos, como é de praxe em rodízios, eles fazem tudo na HORA! Eles só precisam ficar bem atentos nessa diferença grande de padrão entre o Kawa Berrini e o do Jardins, eu mesmo vejo isso como um enorme desafio administrativo e de cunho mídia, afinal, como lidar?

O Okawa já se tornou um dos meus rodízios favoritos, e eu o colocaria na minha lista de melhores rodízios. Aliás, assim que eu montar o meu ranking de rodízios, ele estará nas cabeças.

E vocês já foram lá?

Abraços

Gourmet San

Café da manhã Japonês no Hotel Intercontinental

Oi gente, tudo bom?

Hoje um post bem diferente aqui no Gourmet San, visitei o Hotel Intercontinental, localizado na Al. Santos, 1123, Tel:(11) 3179-2600para experimentar o café da manhã japonês que eles oferecem a seus hóspedes, e claro, a quem quiser ir lá fazer esse programa que sabemos que é comum em São Paulo, sair de casa para tomar deliciosos cafés-da-manhã que a cidade oferece.

Fui convidado por uma hiper-mega-especialista na cultura e gastronomia japonesa, a Katia Miyada, mas além disso, ela manja mais ainda é de como recepcionar bem o público japonês que se hospeda no Hotel Intercontinental. Com 14 anos de experiência no atendimento ao público japonês no ramo da hotelaria, trabalhando como gerente de vendas internacional, a Katia coleciona hoje um leque de habilidades e conhecimentos que poucos possuem como ela: como agradar um público que se atenta aos mínimos detalhes. Obviamente a Katia fala japonês e já foi ao Japão inúmeras vezes.

Falando um pouco mais desses detalhes, quem conhece um pouco da cultura japonesa sabe que eles prezam muito pela tradição e pela maneira “correta”, ou entendida como “tradicional” de fazer as coisas, e que caso seja feito diferente, já cai bastante no conceito e, pode até ser encarada como falta de respeito.

Pois bem, no café-da-manhã do Hotel Intercontinental é isso que você encontra, respeito ao gosto e a tradição japonesa. Antes de mais nada vale dizer que o café da manhã não é inteiro japonês, não é isso, há o café tradicional, tão maravilhoso quanto você pode imaginar (pães, ovos, bacon, frutas, café com leite) e também há uma estação com as opções japonesas. Deem uma olhada na estação especial:

O público ocidental pode achar estranho, mas os japoneses tem um café da manhã bem diferente do nosso. Você encontra gohan, peixe grelhado (salmão no caso), tamagoyaki, condimentos como pepino, conserva de shimeji, missoshiro, natto, nabo etc. Mas o importante aqui não é a oferta, de verdade, mas sim a qualidade, ela é extraordinária, digna dos melhores restaurantes japoneses da cidade, e como vocês podem ter certeza disso? Primeiro o crivo da Katia e segundo a aprovação dos hóspedes orientais.

Vejam abaixo o tamagoyaki e o salmão que peguei para mim:

E também as conservas:

Agora falando justamente da qualidade, vamos lá, o gohan é incrível, a Katia importa o arroz que mais se adequa ao paladar japonês. O salmão grelhado, eu juro, fiquei com um pé atrás quando vi, mas ele estava molhadinho, suculento e saboroso. O tamagoyaki super amarelinho (ou seja, não queimado) e macio. A conserva de shimeji então, quero mais!! Ela é importada, sendo exatamente como os japoneses comem por lá. Aliás, se você gosta das conservas, o café da manhã tem uma boa oferta:

Além disso, outros detalhes incríveis. O missoshiro é feito com missô importado também (que você encontra na Liberdade) e é o melhor que já comi em São Paulo, na verdade acho que empata com os melhores dos restaurantes mais tradicionais. O shoyu é Kikkoman. E o natto (soja fermentada) é oferecido num recipiente fechado especial, acompanhando os temperos especiais a serem misturados pelo cliente a seu gosto, confiram:

Vocês devem estar se perguntando, nossa, mas tudo isso? É necessário? Sim! Pensem que o público do Hotel Intercontinental é o público AAA que vem do Japão, CEOs, presidentes e VIPs que estão acostumados com o que tem de melhor lá no Japão e pasmem, eles aprovam o excelente café da manhã organizada pela Kátia e pelo hotel.

E não fica só na estação japonesa, eles possuem na parte de bebidas os famosos Yakult e Taffman, que os japoneses também adoram. Ah e falando em bebida, é claro que eles não esqueceram do chá verde, não é mesmo? Usando palavras da própria Katia: “chá verde nós fazemos na hora, se não fica oxidado e o gosto fica ruim”. Estão vendo? É esse o nível de atenção aos detalhes!

A caráter de curiosidade, pedi para ver os produtos importados que eles usam para o excelente café-da-manhã (com direito a nori crocante):

E só para finalizar esse trabalho exemplar do Hotel Intercontinental e da Katia com os hóspedes japoneses, ela me mostrou que eles oferecem também um tablet com o jornal japonês com a edição do dia para os hóspedes, quer hospitalidade melhor do que essa?

Abraços e esperam que tenham gostado da review o tanto que eu gostei de conhecer esse incrível café da manhã, acompanhado de todo conhecimento que a Katia me passou!

Estou louco para voltar! Recomendo a todos como opção de passeio em São Paulo um dia ir tomar um café da manhã lá no Continental.

Abraços

Gourmet San

Sushi Chic – mais um bom delivery em SP!

Eae gente, tudo bom?

Quem me conhece e lê os posts que escrevo aqui sabe minha opinião sobre deliveries de comida japonesa, eu não recomendo.

A maneira que a culinária japonesa é feita, sobretudo os sushis, não tem nada a ver com a proposta do delivery. Para apreciar a comida japonesa da melhor maneira possível o ideal é que você a coma logo depois que o sushiman prepara. Alguns de vocês vão dizer que isso não é exclusividade da comida japonesa, que uma pizza, hambúrguer etc, também são bem melhores se comida na hora, SIM, mas calma…

Os ingredientes que montem um bom sushi, por exemplo, se bem preparados e bem montados, estarão no ápice do sabor e da textura no momento em que são servidos e não há absolutamente nada que você possa fazer para recuperar esse ponto (alguém gosta de uma alga murcha?). Já uma pizza, por exemplo, acaba ficando até melhor requentada, como eu sei que é o gosto de muitos.

Assim sendo, oferecer um delivery de sushi é um desafio ENORME, se não quase impraticável. Destarte, os poucos restaurantes que fazem o trabalho bem feito precisam ser reconhecidos. Hoje em São Paulo há 2-3 deliveries que eu recomendo, o Sushi Beta e o Meu Sushi Delivery. Há também alguns restaurantes não especializados em delivery que fazem um bom trabalho, como o Tanuki e o Sassá Sushi.

Hoje chega mais uma recomendação, pelo bem da cidade, de mais um excelente delivery, o Sushi Chic!

Fiquei sabendo dele pelo Instagram e assim que pude fiz um pedido. Como de praxe e vocês já sabem, em geral eu peço mais do que o necessário para experimentar o mais número diferente de pratos.

Assim sendo vejam abaixo todo meu pedido:

Eae curtiram?

Antes de mais nada queria dizer que a identidade visual, assim como as embalagens são excelentes. O Sushi Chic nesse quesito está praticamente no mesmo nível de seus concorrentes principais Meu Sushi Delivery e Sushi Beta. Acho que as embalagens patenteadas do Meu Sushi Delivery ainda são mais funcionais e as embalagens de cor branca e tampa transparente do Sushi Beta são mais bonitas, mas as do Sushi Chic são bem boas também, muito melhores do que a média.

O Sushi Chic enviou também um shoyu normal e um light, mas negam tarê, falha grave! Tive de pegar o que eu tinha na geladeira. E aliás, falha operacional mesmo, pois por parte deles é dinheiro jogado no lixo. Além disso não enviaram wasabi, também acabei usando a da minha reserva em casa.

Sobre o combinado especial que pedi. Sem dúvida nenhuma é o combinado de melhor custo benefício que há no mercado. Sushis muito bons, com ingredientes excelentes e muito bem executado, sobretudo para um delivery! Vejam vocês mesmos nas fotos, ikura (ovas de salmão), atum chamuscado com foie gras, salmão chamuscado, uramakis com ovas, atum spicy etc. Esse combinado chamado Box Gourmet sai por 68,00!

Outro ponto a ser ressaltado é a habilidade do sushiman responsável. Vejam que dei destaque numa foto para um nigiri de salmão. Dá pra ver o belo corte e como ele foi bem montado!

Além desse combinado, que por si só já seria suficiente para mim, pedi um uramaki ebifry especial, que consiste num uramaki com camarão empanado e coberto por salmão, além disso, como vocês puderam ver, ele vem acompanhado com flocos de tempurá.

Esse prato precisa de acertos, o primeiro é que ao abrir a caixa eu não sabia identifica o que estava ali, então a apresentação foi ruim. Segundo ponto é que um prato desse acompanharia molho tarê, e eles não enviaram. Porém a idéia do combinado em si é ótima e todo problema seria facilmente resolvido com uma embalagem menor, onde os sushis caberiam de forma mais justinha e a quantidade de flocos de tempurá ficaria menos abundante e os uramakis não capotariam. Como última dica, os flocos de tempurá precisam de mais tempero e estar mais crocantes. Mesmo assim o uramaki tem ótimo sabor e tem um bom preço, 32 reais.

Como considerações finais, o Sushi Chic é muito bom, e vale muito a pena, sobretudo pelo combinado que eles entregaram, realmente excelente e muito bem feito, decepcionou um pouco pela falta de organização operacional (falta de wasabi, entrega de 2 tipos de shoyu sem necessidade, falta de tarê e o uraebitem um pouco bagunçado).

Mas mesmo assim, se vocês me perguntarem, “Gourmet San, você pediria Sushi Chic de novo?” Sim, mas sem dúvida! Esse combinado é muito bom mesmo. Quero conhecer os outros combinado e pedir uma variedade maior de pratos.

E vocês, já pediram Sushi Chic?

Abraços

Gourmet San

Pub Kei: o karê, o chefe e o chá

Eae gente, tudo bom?

Faz umas 2 semanas eu escrevi sobre o equilibrado omakase do restaurante Pub Kei, excelente, recomendo ler a review e depois ir lá conferir!

Empolgado que sou, retornei lá 1 semana depois para comer um dos meus pratos preferidos, o Tonkatsu Kare, que é o lombo do porco empanado, frito e acompanhando molho a base de curry, o kare.

O valor do prato no Pub Kei é um pouco mais salgado do que na maioria dos restaurantes, se não me engano sai por uns 50 e tantos reais (entre 53 e 58,00), no Shigueru, por exemplo, sai por 41,00.

Não demorou muito e me serviram tudo isso abaixo:

Saladinha a esquerda, o tonkatsu com o shari (arroz) e o karê num recipiente a parte! Acima a direita vocês também podem ver o chá-verde que pedi para acompanhar, eles me serviram num bule, como muitos restaurantes fazem.

A saladinha veio como a maioria dos restaurantes tradicionais faz, alface, tomate, pepino, repolho ralado e tudo com um daqueles molhos para salada bem saborosos. Eu particularmente gosto de comer essa saladinha de entrada para minha fome ir embora mais cedo, rs. E também para me manter um pouco mais saudável.

Foi a primeira vez que comi um tonkatsu kare com o kare servido a parte, a idéia é interessante, você consegue ir adicionando aos poucos e onde quer. Vale a pena comentar que o sushi chefe que estava no balcão me perguntou num dado momento se eu queria um refil de kare! Gostei da iniciativa e faz muito sentido, algo que pensei na hora é que provavelmente o restaurante já tinha bastante kare preparado, ou a porção que eles fizeram para o meu pedido era maior do que a servida, então fazia sentido me oferecer mais, de qualquer maneira, gostei do lance de refil de kare!

Vejam abaixo um videozinho bem mais ou menos que fiz na hora:

Um ponto negativo do kare apenas é que ele veio apenas com o molho, sem os vegetais que muitas vezes o acompanham, como batata e cenoura.

Seguindo, o tonkatsu estava médio, veio bem crocante porém um pouco fino demais, eu particularmente gosto dele mais grosso. A casquinha também estava se soltando um pouco, o que faz o prato perder “pontos”.

O conjunto em si, do shari (arroz), o kare a vontade e self-service junto com o tonkatsu crocante faz o prato em si ser satisfatório. Mas não dá pra negar que os pontos negativos que levantei acima, acima de tudo lembrando que é um tonkatsu kare com o preço acima da média.

Como sempre, glutão e com os olhos maiores que a boca eu conversei com o chefe, super simpático e aberto, quais peixes estavam bons pro dia. Ele me ofereceu logo de cara um atum toro, porém não encarei, afinal eu sabia que a dupla ia sair uns 50 conto.

Desta maneira acabei pedindo outras indicações ele, um carapau e um buri:

Ambos sushis estavam bons, saborosos, frescos e bem cortados. Porém pelo o que já vi no instagram de alguns blogueiros famosos que foram lá, vi sushis espetaculares, eu esperava um pouquinho mais.

Ta na hora das considerações finais, e aqui tenho uns pontos cruciais a serem ditos.

Primeiro algo que não falei neste texto ainda, sobre o chá-verde que foi servido no bule. Como vocês muito bem sabem, em muitos restaurantes, se não na maioria, o chá quente é uma cortesia, ou seja, não é cobrado. Já no Pub Kei me cobraram 11 reais, sim, ONZE REAIS por 1 chá. Poxa Pub Kei, com esses 11 reais vocês compram quantos kilos de chá?

Segundo ponto é que os 2 nigiris que pedi, que estavam ok, mas nada espetaculares custaram uns 30 reais! Poxa, não foi nem buri toro nem um carapau incrível. Em restaurantes tradicionais a unidade de sushi desses peixes sai de 8 a 11 reais.

Por final, mais um aprendizado sobre o Pub Kei. Alguns pontos bons, como o kare refil e o bom e completo prato como num conjunto (recomendo muito para uma refeição). Mas outros pontos a serem melhorados, como o próprio tonkatsu, o preço absurdo do chá.

E você? Já foi ao Pub Kei? O que achou?

Abraços e até a próxima!

Gourmet San

A pedidos de leitores do passado: Rodízio do Hakka

Eae gente, tudo bom?

Escrevo sobre minhas experiências em restaurantes japoneses faz anos já, e logo de início um restaurante que meus leitores sempre falaram para eu visitar era o Hakka!

Não que eu tivesse comendo bola, o Hakka nunca saiu em nenhuma lista de melhores restaurantes nem figurou na mídia como sensação ou favorito do público. Mas mesmo assim, de tempos em tempos, alguém me mandava um e-mail ou comentava em algum post para eu visitar o tal do Hakka!

Pois bem, anos vem, anos vão e chegou a hora!

O Hakka (www.hakkasushi.com.br/) tem umas 5 unidades em São Paulo mas a que eu fui foi a da Al. Ministro Rocha Azevedo, 239, Jardim Paulista, São PauloTel 11 3266.5393. Ela fica a uma quadra da Av. Paulista, em uma região muito boa! O restaurante também tem unidades na Vila Olímpia, no Itaim e ali na região da Berrini.

O Hakka possui um sistema de rodízio parecido com o do Aoyama, você pede os pratos do rodízio na ordem que quiser diretamente de um cardápio específico do rodízio. Eu aprovo esse método, pior do que ter sua mesa lotada com coisas que você não quer comer e depois ficar sem graça de deixar comida na mesa.

Fui logo que eles abriram, por volta da 18h30, aliás, foi nessa terça-feira, estava um calor infernal e o ar condicionado caiu bem. Outra coisa que caiu bem logo de início também é o serviço, desde a sorridente hostess e dos garçons.

Primeira coisa que pedi foi uma coca-cola com um copo cheio de gelo e o serviço se mostrou eficiente, foi exatamente o que recebi, não precisei pedir mais gelo! Grazie!

Depois, como de praxe faço em rodízios, pedi um temaki de atum simples. Faço isso para testar questões básicas e fundamentais de um restaurante japonês: atum, shari e alga.

Infelizmente como vocês podem ver, o temaki não era dos mais vermelhos, era um atum mediano. O arroz estava gostoso mas a alga meio borrachuda, poderia estar melhor sem dúvida. Atenção Hakka, são pontos como esses que fazem toda diferença em fidelizar clientes! Não no atum em si, mas sim na experiência gastronômica, na mordida, na textura.

Para compensar o temaki, chegou praticamente junto um delicioso shimeji:

Repito, o shimeji (pronúncia shimêdji) estava muito bom mesmo, antes de mais nada ele veio super quente e acompanhado de algo que poucos rodízios servem: caldo. Aprendi com o melhor shimeji da cidade (Meu Sushi delivery) que o caldo do shimeji é fundamental e o Hakka faz isso, sinceros parabéns!

A seguir me serviram outras entradas que pedi: carpaccio de salmão e o ebifry.

O carpaccio de salmão veio com uma apresentação melhor do que eu esperava, mas ainda dá pra melhorar:

O sabor estava ok, poderiam jogar flocos de tempurá salgadinhos que ficaria ótimo.

Já o camarão empanado, o ebifry, estava massudo demais, precisam rever a receita urgentemente:

Logo depois peguei o cardápio para escolher os diferentes sushis que eles oferecem, vou assumir que é um bom punhado de combinações, viu!

Essa é a parte que recomendo fortemente vocês focarem seus esforços comensais. Vejam o que pedi abaixo:

Como vocês podem ver, o Hakka tem ovas no cardápio, pode pedir a vontade, pedir tanto como djo, como gunkan e ambos vieram com quantidades satisfatórias! Gostei de ver o gunkan de couve frita, bem interessante.

Sobre os sushis, o de salmão skin estava mediano, mas o de salmão temperado ali estava muito bom, recomendo.

Já os sashimis foram a grande surpresa, em geral o polvo de rodízios é borrachudo e sem gosto, mas esse estava o oposto! Já o sashimi de atum veio assim:

Sabe o que isso significa? Que a peça do atum foi cortada certinho em filé, e o filé foi cortado da maneira correta também! Aliás, vendo a cor desse sashimi e do temaki que comi antes, tenho o palpite que o atum de temaki já estava pré-batido.

Esse combinado estava bem gostoso e eu pedi um outro, diferente, porém das 18h30 quando cheguei até o momento que pedi meu 2o combinado já tinha escurecido e o restaurante usa o sistema de velas e luz baixa então minha foto saiu uma desgraça, não conseguirei postar aqui, mas acreditem, vieram uns sushis bem apetitosos, tão bom ou melhor que esses!

No final das contas, se não me engano o jantar saiu por 86 reais, contando com a bebida e os 10%. O rodízio sai por 70 e poucos reais, o que é um preço justo, espero que mantenham assim, acaba sendo um valor justo se considerarmos os concorrentes.

Outro ponto que preciso ressaltar é que, como comentado no website deles, o serviço realmente é cortês, eu diria que até estranhamente cortês, pois todo mundo é muito simpático, é um diferencial!

Eu recomendaria o Hakka para grupos de amigos ou para famílias e pessoas que gostam de rodízios mas não querem gastar muito.

Abraços

Gourmet San