Sushi Samba – Las Vegas

Gourmet recentemente foi para Las Vegas ( Yes, Vegas baby!)

A cidade é fenomenal e recomendo a todos uma visita de 3-4 dias para passear, conhecer os hotéis sensacionais, casinos, restaurantes, fazer compras (inclusive em outlets). Mas é claro que o Gourmet San aqui não perderia a chance de visitar restaurantes japoneses, certo?

Nos EUA a comida japonesa é adaptada às culturas locais, assim como no Brasil, então os restaurantes japoneses se estabeleceram de forma diferente da nossa. Para começar, claro que os rodízios lá são extremamente raros, eles chamam de “all you can eat buffet”, ou seja, algo como “coma o quanto conseguir”. Porém já adianto que esses tipos de locais não são bem vistos pois obviamente dificilmente servirão pratos da mesma qualidade dos restaurantes convencionais.

O Sushi Samba fica localizado dentro do Hotel Palazzo, na 3327 S Las Vegas Blvd, Las Vegas, NV 89109. Não, não…o Gourmet San não ficou hospedado neste hotel chique, porém dei uma passadinha lá =) Logo que você entra no restaurante encontra um ambiente até que grande de certa forma, e escuro, pro meu gosto um pouco escuro demais, poderia estar regulado para a luz indireta ser um pouco mais forte.

Fomos atendidos rapidamente, porém a garçonete se demonstrou desinteressada no restante do almoço, isso foi bem desagradável, vou comentando ao longo do texto.

Estávamos em 4 (depois 5) e começamos a analisar o cardápio que é bem extenso e variado (veja ele aqui). Você encontra desde churrasco e feijoada até os pratos japoneses clássicos e até kobe beef. Comida brasileira boa se come em casa, então nem consideramos! De entrada pedimos tempurá misto de legumes e camarão, uns 15 dólares cada um:

Estava absolutamente delicioso e super quente, queimei o inteiror da boca na fome! O interessante são os molhos que acompanharam, simplesmente deliciosos mesmo, deu vontade de repetir, mas nos seguramos! O molho mais escuro parecia um tarê um pouco menos carregado no açúcar e o amarelo era bem apimentado, não conseguimos identificar, mas adianto que a aparência enganou, o sabor foi surpreendente. A massinha de ambos tempurás estava super crocante, e os vegetais e camarões muito bem temperados, foi um dos melhores tempurás que já comi.

Após terminar o tempurá tivemos de praticamente caçar nossa garçonete pois ela não voltava mais depois de a termos dispensado 1-2x para escolhermos com calma. Pra quem não sabe, nos EUA há essa loucura das garçonetes em atender rápido e dispensar os clientes o quanto antes, pois o salário delas depende exclusivamente das gorjetas!

Finalmente conseguimos e pedimos. Três de nós, incluindo eu, pedimos um combinado de sushi que vinha nigiris e um uramaki especial. Um outro colega pediu um prato animal, um Lamen de barriga de porco por 18 dólares, a famosa pork belly nos EUA. Mas antes de ver o sushi, vamos falar do prato quente. Eu não experimentei mas posso dizer qual foi a primeira reação do meu amigo após experimentar: preocupação e logo em seguida disse “galera, não vou conseguir, é muito apimentado”. Ficamos impressionados, pois ele disse que tava acostumado com comida apimentada. Pois é gente, fiquem atentos que nos EUA carregam na pimenta mesmo.

Mas vamos ao mais importante, o sabor, ele disse que estava absolutamente delicioso e a porção foi generosíssima!! Ele aprovou muito no final das contas.

Bom, e quanto ao nosso sushi? Demorou….demorou…demorou… e finalmente veio, sem brincadeira, demorou uns 25 minutos no mínimo pra vir, chegou uns 5-10 minutos depois do Lamen, absolutamente incompreensível. Ok, eu lembrei que nos EUA é comum servirem todos da mesa ao mesmo tempo. Ledo engano, nosso combinado não saía do sushibar por nada. Depois de mais alguns minutos e de cobrarmos a garçonete, chegaram afinal nossos combinados.

Demorou? Sim! Mas não tenho o que reclamar, todos nigiris estavam deliciosos, os uramakis super bem feitos, tudo fresquíssimo. Esse para mim é o uramaki com proporção perfeita, com bastante recheio e uma camada apenas de arroz em volta, demais mesmo. Para minha surpresa veio um molho especial, uma mistura daqueles do tempurá, achei estranho, então comi os nigiris com shoyu mesmo, porém os uramakis eu testei os molhos, não ficou ruim não, aprovado! O uramaki que veio é o chamado de Green Envy, composto poratum, salmão, aspargus, semeste de wasabi, aji e maionese.

Após terminar esse combinado eu até que estava satisfeito, muito bom mesmo, mas eu queria comer algo mais diferente, sabe? Então pedi a la carte mais alguns sushis: ovas de ouriço (uni), enguia (unagui) e lula (ika):

Realmente, ainda bem que eu pedi! Fiquei satisfeitíssimo, nada como aproveitar o uni que os americanos servem, que é bem diferente do nosso, sobretudo na textura, muito mais firme. A enguia não veio das mais generosas, mas estava boa, a lula estava boa.

Gente, essa foi minha visita ao Sushi Samba de Las Vegas, eu recomendo muito ir, gostei muito de tudo servido, coisa de alto nível. Minha única reclamação fica por conta do serviço, super demorado, tanto por parte da garçonete, como do sushibar. Um combinado desse é para ser feito em 5-10 minutos por um sushiman.

Abraços

Gourmet San

Restaurante Naru – A criatividade num rodízio sem repetições!

Olá a todos!

A convite de um casal de amigos fui ao já semi-badalado Naru, restaurante japonês localizado na R. Dr. José Elias, nº 399 próximo a R. Cerro Corá – Alto da Lapa, tel  (11) 3641-7862 (http://narusushi.com.br/). O dono do Naru é o Souza, ex-sushiman do Mori Perdizes, não confundam com o Mori Consolação. O Mori Perdizes, que o Gourmet San também já foi, tem em sua alma o serviço do balcão também, porém o restaurante estava beeeeem mal cuidado merecendo reformas urgentes. Não é o que acontece com o Naru, novíssimo, não é chique, é simples, ajeitado, tudo no seu devido lugar.

Logo que entrei, a primeira coisa que vi foi o balcão, aliás, me corrijo, foi o Souza que eu vi primeiro, isso já dá um ânimo extra! Ver o dono na porta do recinto, recepcionando todo mundo, não sei se é sempre assim, mas eu gostei.

Sentamos no balcão, eu estava ansioso! O rodízio lá custou 53,90 no almoço de domingo, um preço bem ok para o que temos pagado hoje em dia. Sempre que vou num restaurante especialista em balcão eu faço questão de deixar o sushiman super a vontade para servir o que ele acha que está melhor no dia e geralmente pulo as entradas, mas como todos que estavam lá eram bons de garfo, ou neste caso, de hashi, hahaha pedimos algumas, vejam abaixo:

Os guiozas vieram fritos, infelizmente, fica muito mais gostoso na chapa ou no vapor, fica a dica! Claro que talvez para o volume fique mais prático mesmo!

Camarõezinhos empanados, com molho tarê e a couve frita a direita:

Veio também esse prato que é demais e já mostra que o Souza e sua equipe gostam de servir bem! É como se fosse um ussuzukuri de frutos do mar, com lâminas de salmão, camarão cozidos, polvo, ovas, cebolinha e tudo mais, sem palavras, é um prato que todos restaurantes deveriam ter uma versão!

Comemos também shimeji que estava delicioso, mas a foto se perdeu =/

Uma coisa que percebi rapidinho no Naru é a velocidade que os sushimans trabalham, é algo completamente foram do comum, trabalham num ritmo de invejar qualquer um! Junto das entradas veio uma linda sequência de sashimis!

Estavam todos ótimos, demais mesmo, o atum cortado com perfeição, vale a pena dizer, servir polvo e o outro sashimi com ovas também é algo notável pelo preço, apenas creio que a única falta tenha sido o nabo mais bem acomodado, visualmente ficaria melhor.

Agora um ponto importante sobre essa review , não vou conseguir apresentar os pratos pra vocês numa ordem cronológica, ok? Pois são muitos, porém vocês verão todos e tenho certeza que ficarão abismados com a variedade e criatividade do pessoal do Naru!

Começamos com um clássico delicioso, que o Mori Consolação faz com maestria, um enrolado de salmão com camarão empanado dentro e coberto de molho tarê! Essa é uma das combinações mais bem sucedidas que já vi! Só acho que eles vieram um pouco desmontando…

Aqui um representante 100% da aculturação e globalização dda comida japonesa. Trata-se de um subo de abacaxi com salmão batido, molho tarê e no topo uma fatia de morango, tem cara de sobremesa, né? Mas é bem a cara do sushi contemporâneo que encontramos hoje em dia. Estava gostoso! Os tradicionalistas vão fazer cara feia, mas é preciso encarar como coisas diferentes mesmo.

Aqui 3 enrolados diferentes, acima um enrolado de pepino por fora e salmão por dentro, apimentado. No centro o famoso acelgamaki com recheio de salmão. Abaixo um enrolado de atum com recheio de salmão, eu pessoalmente não gosto muito deste, para mim não faz sentido misturar salmão com atum, o sabor não bate ou combina no meu paladar.

Este abaixo foi uma das maiores surpresas, bonito na apresentação e delícioso no sabor, prato muito bem pensado. Esse líquido azul provavelmente é algum tipo de bebida pois ele veio pegando fogo e chamuscando e flambando os enrolados de salmão com recheio de camarão, nota 10 Naru e chefe Souza!!

Agora um clássico hot roll que é empanado como uramaki, ou seja, com o arroz para fora e não com a alga. Eu achei que esse hot roll foi muito bem inserido no meio do almoço, um prato mais clássico no meio das invenções, eu gostei! A massinha estava crocante, não tem do que reclamar.

Sashimi de salmão com molho de maracujá. Este prato eu comi a 1a vez no São Paulo Tokyo, é bom, é incrível como o salmão pega rapidamente o sabor de frutas cítricas como o maracujá ou a laranja, como quando comi no Ponkan. Eu acho um pouco enjoativo, mas tem que goste, sem dúvida.

Agora começa uma sequência onde já não aguentávemos muito mais, mas em 4 pessoas foi possível comer tudo, seguindo a proposta do Naru, tudo inédito, criatividade ao extremo! Abaixo um enrolado frito, aparentemente com massinha de harumaki (rolinho primavera) e com recheio de salmão e cream cheese. muito gostoso, mas o especial fica por conta da massinha, super fininha e crocante, sem dúvida é uma ótima técnica.

Este é um sushi onde por fora é colocado polvo e dentro, se não me enganho, salmão e creamcheese, com ovas por cima. Lembro que a primeira vez que comi um enrolado com polvo por fora desse jeito foi no delivery do Hideki, mas no caso o recheio foi ostra, hummm!!

Este abaixo segue a mesma lógica do anterior, salmão com cream cheese, mas com raspas de laranja, se não me engano, por cima, muito bacana o uso de raspas de laranja.

Para finalizar o jantar um clássico hot roll, diferente do anterior, esse é empanado com a alga por fora, por isso que a textura fica diferente =)

Para finalizar de vez o jantar, talvez uma das mais sensacionais sobremesas que já serviram, ficando apenas na disputa com as que comi no Mori Sushi da Rua da Consolação e a do Aizomê. Um prato extremamente variado e delicioso, compontos tempurá de frutas (banana e maçã) e sorvetes, entre eles de gengibre.

Bom, o Naru é um restaurante único em São Paulo eu diria. Antes de mais nada o preço é ótimo, 50 e poucos reais para servir sushis com ovas, polvo, camarão, atum e salmão bons e critividade sem fim, vale muito a pena mesmo.

Mas é preciso dizer algo que deixei pro final de propósito…eles exageram muito no cream cheese, mas muito mesmo, eu acho que passa bastante do razoável. Concordo que há um público bem grande em São Paulo que adora sushi com creamcheese, mas ao mesmo tempo é possível analisar uma tendência onde o amante da culinária japonesa que está entendendo um pouco mais as origens do sushi e sashimi e busca um traço um pouco mais tradicional. Então, apesar de eu achar que o Naru acerta em muitas criações, eles seriam melhores ainda se substituissem o cream cheese por outros ingredientes, como outros tipos de peixe, umeboshi, brotos de feijão, shisso, nabo desidratado, pepino, avocado, até mesmo alface, alho frito, cebola roxa etc.

Então é isso, o Naru é ótimo, recomendo, eu voltaria e ainda quero voltar, mas sem dúvida eu diria para maneirarem no creamcheese, acho que se o chefe Souza quiser, ele pode levar o Naru a um nível alto de rodízio em São Paulo devido a criatividade, mas sem dúvida é preciso dar uma refinada na apresentação dos pratos para eles ficarem mais bonitos e bem organizados no balcão.

Abraços

Gourmet San

Restaurante Yabany: um rodízio-rodízio

Gourmet San tem estado meio lento em novas reviews de restaurantes japoneses…mas é só uma fase, não paramos não! =)

Num dia de chuva, preso esperando a tempestade passar, me vi super próximo a um restaurante japonês que já passei a frente diversas vezes, o Yabany, R. Prof. Atílio Innocenti, 53 , tel 11 3078-7773, www.yabany.com.br.

Estava vazio, mas também…plena quarta-feira a noite, chovendo…não tinha muito como esperar outra coisa. O Yabany lota durante o almoço, mas não sei informar se eles possuem promoções para este horário, provavelmente sim!

Bom, entrei no restaurante e fui rapidamente recepcionado, perguntei do preço, tem dois rodízios, um mais simples por R$ 56,90 (salmão) e um por R$64,90, mais completo, com polvo e camarão. Logo que você entre no Yabany e ultrapassa o portão de madeira, logo vê que é um restaurante com um espaço único, mesas ao ar livre e um ambiente bem decorado, com cores fortes, muitas mesas e 2 balcões.

Como o Gourmet San nunca está para brincadeira e a minha meta é sempre mostrar para vocês o que esperar, pedi o rodízio mais caro =( que sai apenas 6 reais mais barato do que o imbatível Mori Sushi da Consolação.

Sentei no balcão e fiz meu trabalho, pedi as entradas tradicionais guioza e tempurá:

Vejam só que coisa desagradável, um prato inteiro amarelo, não gostei não, experimentei um pouco de cada um, tudo bem mediano, nada que não seja possível fazer muito melhor em casa. O shimeji estava melhor e super quentinho, guardei boas lembranças.

Pedi também um clássico temaki de salmão simples com gergelim que foi também como um outro qualquer.

Enquanto isso via o sushiman a minha frente preparando um combinado para mim, praticamente o único cliente do restaurante. Eu disse a ele umas duas vezes que eu gostava de tudo, que poderia me servir polvo, camarão e tudo mais. As vezes quando digo isso, sinto que os sushimans não se sentem empolgados em finalmente servir algo diferente para um cliente aberto, eles sentem que quero me aproveitar e tentar arrancar qualquer ingrediente extra…

Bom, o combinado veio, bem caprichado:

Foi realmente a melhor parte do jantar, tudo estava gostosinho, melhor do que as entradas. Os hot rolls em especial estavam quentinhos e os uramakis de salmão skin também estavam super macios. Os jows e os nigiris de camarão e polvo também estavam dentro das expectativas mas nada de especial, eu talvez esperasse sashimis de polvo, mas ok.

Como estava sozinho, chegou o final deste combinado, não aguentava quase mais nada, mas me ofereceram a sobremesa e aceitei. Para minha surpresa eles tinham 3 opções, sorvete (se não me engano Haagen Dazs), torta de limão frutas. Como não queria exagerar mais do que ja tinha exagerado, escolhi a fruta, que era abacaxi com raspas de limão.

Não vou negar que estava delicioso, abacaxi super docinho e as raspas de limao~combinam muito bem!

Bom, finalizando a review do Yabany, é um bom restaurante pra ir com amigos, comer sushis normais ou ate algo melhorzinho como polvo e camarão, porem o preço não justifica nem um pouco, está bem caro ao meu ver, quase o preço ‘de um Mori Sushi e não e melhor que outros rodízios como o São Paulo Tokyo e o Sapporo, por exemplo. Devia ficar na faixa dos 50 e poucos reais e nunca mais que 60,00. O foco deles em 3 sobremesas diferentes, apesar de ser algo interessante, acho um exagero, deveriam se focar numa sobremesa so e baixar o preço do rodízio.

Forte abraço

Gourmet San

 

Um almoço de domingo no Tanuki

Olá a todos, mais uma review aqui no Gourmet San =)

Caminhando pela Vila Madalena num domingo de sol, eu e minha companheira resolvemos ir até o Tanuki para um almoço! Fazia muito, mas muito tempo que eu não ia ao Tanuki, para vocês terem uma referência de tempo, o primeiro post da história do Gourmet San foi justamente sobre este restaurante! O Tanuki fica na Rua Jericó, 287 (www.tanukisushi.com.br)

Chegamos e como esperado não estava nada vazio, a maioria das mesas ocupadas, porém o balcão tinha alguns espaços livres, graças a Deus, bem em frente ao veterano sushiman Paulinho. Fiquei feliz, inclsuive por estar num ambiente fresquinho, já que do lado de fora estava mais de 30 graus!

Antes de decidirmos o que comer já nos serviram a entradinha, muito boa mesmo, o peixe marinado estava bem temperado, em alguns pontos um pouco fibroso, mas nada demais, como eu disse, servido com alga e mais alguns condimentos. Terminamos rapidinho, deu até vontade de pedir mais!

Decidimos não ir direto para os sushis e pedimos uma clássica entrada, guiozas! Claro que estando num restaurante tradicional então eu não esperava um guioza frito, mas o Tanuki me surpreendeu! Serviram guiozas absolutamente únicos e deliciosos, e tenho quase 100% de certeza que eles foram feitos ali mesmo, na cozinha do restaurante. Digo isso pois a massinha era super delicada e e possuía aspectos de terem sido finalizados em mãos, com rebarbas. Vejam abaixo!

Realmente estavam demais, acho que, junto com os guiozas do Sushi Guen e do Nozomi, talvez sejam os melhores guiozas que já comi em restaurantes japoneses!

Seguindo, não sabíamos o que pedir, o cardápio do Tanuki possui muitas opções, mas resolvemos apostar no forte deles, os sushis! Escolhemos um combinado que não me lembro o nome agora, mas custava 109 reais e vinha com um mix de nigiris e uramakis!

Pedimos diretamente para os sushimans no balcão e depois de um tempinho nos serviram este maravilhoso combinado:

Não tem nem o que falar, nigiris de tamanhos perfeitos, variedade mais do que satisfatória e ainda uramakis de peixe prego, os sushimans do Tanuki trabalham com o peixe prego como poucos. Todos nigiris estavam ótimos, o pessoal lá gosta de servir bem, vejam sushis de lula com shissô, carapau, polvo, camarões caprichados, além dos clássicos salmão e atum, e mais um especial que foi o ponto alto para mim.

Este ponto alto, sem dúvida foram os sushis de peixe prego com foie gras de peixe sapo, simplesmente delicioso, não tem como negar, é um acerto com nota maior!

Confesso que quando nos serviram este combinado, a gula me fez achar que seria pouco, mas não foi não, todo almoço foi na medida para duas pessoas. Lembrando que num restaurante japonês tradicional, a relação qualidade x quantidade geralmente se tende para a primeira.

Apenas para finalizar, pedi uma duplinha de sushis de tamago, omelete japonês.

Ele estava ok, talvez tenha sido o ponto baixo do almoço e acabou pesando no final da conta.

Resumindo, foi uma experiência ótima de almoço, sem dúvida dá vontade de voltar sempre e sempre, a equipe é ótima, a comida é sensacional e a localização é uma delícia para depois passear pela Vila Madalena. O valor total com bebidas saiu uns 80 reais por pessoa.

Fica a super dica.

Abraços

Gourmet San

Aze Sushi, um papo com Edson Yamashita e um Tirashi sensacional

Olá a todos!

Este post escrevo com muito júbilo (olha só que palavra incrementada)! Digo isso pois tem um restaurante que está caindo totalmente nas graças do Gourmet San, este restaurante é o Aze Sushi, localizado na Rua Dr. Renato Paes de Barros, 769, Itaim Bibi, tel 11 3071.2047 (www.azesushi.com.br) É apenas minha segunda visita ao restaurante mas foi tão boa quanto a primeira, se não melhor!

Desta vez fui com um foco, comer um Tirashi dos bons e ver se o chefe Edson Yamashita estava por lá, afinal ele é o nome que chama atenção ao restaurante, sai sempre na mídia e é relacionado diretamente a um dos mais famosos restaurantes de São Paulo, o clássico Shin Zushi, que ainda não tive a oportunidade de ir.

Fui no mesmo esquema da primeira vez, utilizando o desconto do Grubster, que me proporciona ótimos 30% sobre o valor total da refeição! Yeah! Se tem algo que gosto em restaurantes de um certo nível mais respeitável é a consistência no serviço e o Aze Sushi não deixa a desejar, o serviço dos garçons e da hostess foram iguais ao anterior, rápidos e atenciosos, sem confusão nenhuma, como as vezes acontece em alguns lugares. Pedi um bancha logo de cara e para minha surpresa, ele veio no copo mais legal que já vi:

Sobre o meu pedido, nem pensei, já sabia o que queria, um Tirashi (chirashi-zushi), que se trata de um prato clássico japonês onde é servido diversas fatias de peixes (sashimi) e frutos do mar sobre arroz. Dei apenas uma olhadinha no cardápio para ver as opções de Tirashi e como estava com um desconto de 30%, nem pensei, pedi logo o mais caro, um Tirashi especial de 90 reais!

Rapidamente me serviram uma salada de entrada bem caprichada. Isso faz a diferença, sabe? Te servirem algo que não está na descrição, mas que é importante para a composição da refeição como um todo. A salada estava bem temperada, me lembrou um pouco a do Aizomê, mas maior.

Enquanto esperava meu tirashi aproveitei que o cliente com quem o Edson Yamashita conversava atendeu o celular e puxei um papo, e que surpresa! Talvez a pessoa mais aprazível de se bater um papo que já vi num restaurante! Comecei perguntando o que ele achava do Hamatyo, me respondeu de forma super sincera, dizendo que aquilo ali deve ser maravilhoso de se ter e que ele imaginava algo assim bem mais pra frente, eu concordei apenas. O papo seguiu e me apresentei, o papo fluiu mais ainda, afinal não é sempre que orientais se abrem para não orientais.

Conversamos mais e ele contou de sua experiência no Japão, do Shin Zushi, da idéia do Aze Sushi etc. E algo que me impressionou foi como ele se direcionava aos clientes, sabe? Chamando sempre pelo nome, algo notável, se lembrarmos que a maioria das pessoas mal pergunta ou lembra seu nome…

No meio da conversa chegou o tirashi, meu Deus! Um SENHOR Tirashi, grande, variado, demais, estava louco para começar a experimentar cada um. Eu sempre sigo uma técnica minha ao comer comida japonesa, pego um de cada e depois vou repetindo até terminar.

O que dizer deste tirashi? Completíssimo! Tamago, atum, vieira, camarão, uni com shissô, lula, ikura (ovas de salmão) e por aí vai. Não se esqueçam que por baixo ainda havia uma deliciosa cama de arroz, juro que tentei comer tudo, mas não consegui =( Odeio deixar comida no prato, mas realmente não aguentava mais. Ou seja, um tirashi que vale muito a pena!

O tirashi servido vale os 90 reais, com o desconto de 30% ficou bom demais! Tudo estava fresquíssimo, fiquei feliz em ver principalmente as vieiras, uni e ovas. Sem arrependimentos!

No final, uma das experiência mais gratificantes que já tive num restaurante japonês em horário de almoço: um ótimo e enriquecedor papo com um sushi chefe super gabaritado, além de uma comida do mais alto nível, com o melhor tirashi que já comi!

Voltarei, sem dúvida nenhuma!

Abraços

Gourmet San

Sushi no Empório Santa Maria – Coisa fina!

Gourmet San não anda sozinho nesta vida de gourmet, possuo amigos que apreciam diferentes áreas das gastronomia e trocamos figurinhas. Recentemente me falaram que o chique Empório Santa Maria possuía um sushibar que estava causando um certo alvoroço na cena gastronômica japonesa de São Paulo, após tanto ouvir, resolvi passar lá um dia para comprovar, fica localizado na Av. Cidade Jardim, 790, 11 3706-5211, www.emporiosantamaria.com.br.

A primeira vez que visitei o lugar fui apenas para conhecer. Fica no 1o andar do Empório e possui um belo sushibar e algumas mesas. Vi diversos sushimans japoneses trabalhando atrás do balcão, preparando-se para o turno da noite. Filés lindos de atum, pilhas de fatias de tako e unagui prontas para confeccionar deliciosos nigiris e muitas outras iguarias, como vieiras e ovas. A minha primeira impressão foi aquela de surpresa e espanto, pensei assim, meu Deus, eles compraram toda unagui disponível no mercado!

Bom, desta vez não fiquei, mas retornei:

Saí do expediente do trabalho e fui a pé para o Empório Santa Maria, a turma lá é super cordial, achei a hostess um pouco perdida apenas, me levou ao balcão, me deu o cardápio mas depois sumiu, sem garçom, sem nada, ok, era início de expediente, mas o Maitre ou Gerente responsável veio rapidamente me atender super solícito. Também percebi que os sushimans, apesar de um pouco resguardados no começo, se abriram mais depois que puxei um papo se foram gente finíssimas depois.

O Sushibar possui um cardápio bem diferente do que normalmente encontramos, os combinados são poucos e se focam em sushis e sashimi de atum e salmão, fiquei surpreso que não possuíam uma sequência de sushis exóticos, afinal a lista de nigiris do cardápio é caprichadíssima! Bom, como era cedo numa sexta-feira, e eu provavelmente ainda jantaria mais tarde, pedi apenas 4 nigiris que são meus favoritos atualmente: enguia (unagui), lula (ika), ovas de ouriço (uni) e vieira!

Eu não sabia o que esperar, porém fiquei surpreso, confesso, cada peça de nigiri sushi veio com um toque especial. Acompanhem e salivem, haha!

Uni, vieira, lula, unagui

Todos sushis saíram por volta de 12 reais a unidade, não é barato, mas também não é o mais caro que você pode encontrar, mas que é um pouquinho salgado é, porém, como eu disse, gostei muito do que vi!

O sushi de uni, como esperado foi um gunkan sushi mas o que me surpreendeu foi esse formato de panetone dele! Estava muito bom mesmo, não foi o melhor que já comi, pois o do Hamatyo e o do Aze Sushi ainda foram mais tops, porém foi extremamente satisfatório, tenho de dizer.

Já o sushi de vieira entra, sem dúvida nenhuma, na lista dos melhores que já comi junto com o do Aizomê. Já vi prepararem sushis de vieira de diversas formas e temperos, porém o que mais me agrada é quando simplesmente pingam algumas gotas de limão sisciliano sobre a vieira, dá um sabor e refrescância únicos!

Sushi de Ouriço e Vieira

Seguindo para os outros 2 sushis, o de lula e o de unagui. O de lula me suspreendeu pela elegância, uma fatia super bem cortada e ainda com ovas por cima, acho que foi executado muito bem e estava ótimo, eu ainda prefiro com folha de shissô, acho que combina demais com o sabor doce da lula. O de enguia me surpreendeu pelo tamanho, já comi sushis de enguia meio mirrados, como minha primeira experiência no Tanuki ou até no próprio Aizomê. Mas este veio no capricho, delícia demais, nota 10!

Sushi de Lula e Enguia

Os 4 sushis vieram em tamanhos perfeitos, não pequenos demais como citei no Aya, nem grandes demais. E aqui vai minha única crítica, eles precisam de mais combinados e pratos como algum em que o cliente possa pedir uma sequência de 8, 10, 12, 15 sushis de uma vez só com um desconto no preço, ter de pedir todos a la carte não faz sentido. Poderia por exemplo ter uma sequência de Sushi mais simples e outros mais finos.

De restante, acho que vale muito a pena visitar o sushibar do Empório Santa Maria, sushis de altíssima qualidade, refinados, impecáveis mas  com um preço um pouco salgado, seguindo a linha do público dos frequentadores do empório.

Forte abraço

Gourmet San

Restaurante Sapporo Moema – rodízio bom e ambiente diferente

Olá a todos!

Sempre procurando visitar novos restaurantes, Gourmet San desta vez foi a um popular restaurante japonês do bairro de Moema, o Restaurante Sapporo, localizado na Praça Nossa Senhora Aparecida, tel 11 5051-5458 www.restaurantesapporo.com.br?

Resolvemos visitar o Sapporo pois já tinha ouvido falar algumas vezes nele e fiquei curioso em conhecer, afinal parecia ter um público muito fiel, sobretudo no bairro de Moema. Vale a pena dizer que fomos na semana do Natal e a unidade do Itaim estava fechada, então acabamos indo na de Moema, um pouco mais longe de onde estávamos, mas fomos até lá.

Para estacionar não tivemos muito problema, quer dizer, as ruas estavam cheias mas achamos uma vaguinha uma quadra de distância. Fiquem apenas atentos que a região está em obras devido ao metrô, então talvez encontrem algumas ruas fechadas e também com flanelinhas.

Do lado de fora o Sapporo é meio feinho, largado na fachada, porém essa imagem muda assim que você entra. Muito diferente, se não o mais diferentes de todos restaurantes japoneses que já visitei, o Sapporo conta com mesas de tamanho familia como em restaurante chineses. Mesas grandes e algumas até redondas, toalhas brancas e cadeiras estofadas da mesma cor compõe um cenário inesperado para um restaurante japonês. De verdade, dá impressão que você está num restaurante francês, sei lá, algo assim!

Outro fato a se comentar, sem dúvida nenhuma é o serviço, logo ao chegar você é recepcionado pelas hostess, maitre e sushimans que estão atrás do balcão, sensacional, nos sentimos super bem recebidos! Falando em balcão, foi lá mesmo que sentamos, pra ser sincero foi onde achei que melhor me encaixava. Recomendo o ambiente para famílias e grupos de amigos, mais para frente vocês verão o porquê não recomendo para casais.

Sucão do Sapporo

Sentamos no balcão e o serviço continuou o mesmo, super dinâmico. Pedimos algumas entradas tradicionais que vocês já conhecem dos rodízios que temos por aí. Todas ok, fiquei surpreso ao servirem camarões empanados que, apesar de cada vez mais fazerem parte das entradas dos rodízios (ainda bem), não estavam ótimos, apenas ok, talvez um pouco massudos demais. Os bolinhos de peixe e a “salada” a direita foram a melhor parte! Os guiozas fritos e os harumakis (rolinhos primavera) podiam estar melhores. O que eu gostei foi que serviram tudo junto, me incomoda um pouco quando trazem muitos praticos e cumbucas.

Essa entrada do Sapporo na cumbuca se destaca muito, foi a primeira vez que a vi, não é um ceviche, é diferente, lá eles chamam de salada e que consiste baseando-se um pouco no ceviche um pouco mais caprichado e menos refinado ao meu ver, sem cebolas roxas também. Antes de mais nada, claro que vale a pena dizer que o menos refinado se deve a grande quantidade, pois foi uma quantidade generosa de peixes, camarões e kani. Vale a pena mencionar também que o tempero estava bem agressivo, até um pouco demais para o meu gosto. Mas minha companheira gostou muito!

Além dessa salada ceviche, serviram também o ceviche tradicional dos restaurantes japoneses. Eu também achei o tempero forte, mas é mais frescura minha. Porém achei os peixes um pouco passados demais, parece que ficaram cozinhando no limão por muito tempo. Tive a experiência de já ir em algumas Cevicherias muito boas como a Suri em São Paulo e o Wanchako em Maceió, restaurante premiadíssimo de lá.

Logo depois vieram alguns sushis como entradas. Um chamuscado que estava ótimo, um jow e um com creamcheese e maracujá. Apesar de eu achar que o maracujá pode até combinar com o sabor do salmão, não gosto dessa infusão de creamcheese, o brasileiro precisa se livrar disso aos poucos… em um ou outro sushi, ok, mas creamcheese as vezes parece que vira parte primordial do sushi. Tsc tsc, claro que não estou culpando os restaurantes, eles oferecem o que vende mais.

O meu favorito foi o chamuscado, estava muito bom mesmo, cada vez mais vejo como salmão chamuscado adquire uma característica totalmente diferente. Após esses sushis veio o combinado de sushi e sashimi! Ele estava bem legal, não excepcional, mas gostamos, acho que o Sapporo manteve a linearidade do jantar, o que é muito importante. Vale apena ressaltar alguns pontos altos, sem dúvida nenhuma, o peixe serra, os hot rolls e o sashimi de atum!

Realmente fiquei bem surpreso em servirem peixe serra, isso é raro demais em rodízios de sushi! Acho que no máximo no Mori Sushi ou no buffet do Hideki! Sapporo está de parabéns pela diversidade de peixes e no capricho dos sushis! O hot roll estava bem crocante, quentinho e super saboroso. Os nigiris estavam bons assim como os sashimis, mas acho que foi mais devido a qualidade do peixe do que do arroz, achamos o arroz um pouquinho duro em alguns momentos.

Algo que vale a pena dizer é que tem uma televisão bem atrás dos sushimans, então se você está sentado ali no balcão tem a chance de acompanhar as últimas notícias da Globo…isso eu não gostei mesmo, não acho que combine com um restaurante. Porém como eu disse, é um restaurante familiar e acho que talvez o público goste mesmo, mas não achei que a novela das 8 combinou com o que eu esperava de um jantar sábado a noite, invariavelmente você acaba vendo tv e conversando menos! Por isso, reitero: vá com sua família ou amigos.

Claro que, como sempre, pedimos o repeteco, mas nada de combinado, pedi exatamente o que tinha sentido falta, um sashimi de polvo:

Descobrimos que o sashimi de polvo não fazia parte do rodízio, mas como a hostess havia nos dito que fazia, acabaram nos servindo. Eu acho que deveria fazer parte, pelo preço de quase 60 reais do rodízio. O polvo estava bom e foi cortado como deve ser, como vocês veem acima.

Também pedimos alguns uramakis com couve frita que vi indo para uma outra mesa! Estavam super bem recheados e foi ótimo para encerrarmos a noite!

Claro que quando se vai a um rodízio onde a sobremesa está inclusa, o final nunca é o final, hahaha. Então para realmente finalizarmos, pedimos a sobremesa, tempurá de banana com cobertura de chocolate:

Eu acho que estava bem gostoso, não sou muito fã de doces, porém minha companheiro doçólotra aprovou! Por isso é sempre bom ir em restaurantes acompanhado, você pega mais detalhes e características que deixaria passar.

No final concluímos que o Sapporo é uma boa opção sim, possui uma boa variedade de peixes e sushis, a equipe é altamente qualificada e atenciosa, desde o maitre, hostess e garçons. Acho que os sushimans poderiam se comunicar um pouco mais diretamente com quem senta no balcão, alguns sushimans faziam isso porém outros não então ficou meio confuso. Além disso só a questão da televisão que não me agradou.

Mas eu sem dúvida retornaria na ocasião correta, um almoço familiar, ou ir com alguns amigos bater um bom papo e comer sem pressa num horário de almoço. Aliás, almoço de domingo no Sapporo deve ser uma delícia.

Forte abraço

Gourmet San

Shigueru – um sushi que vale a pena!

Gourmet San agora anda por outras regiões de São Paulo!

Quando o blog nasceu eu andava mais pela região da Av. Paulista, onde pude visitar diversas vezes o bom Mitsuyoshi, o tradicional Yakitori Mizusaka e o animal Sushi Guen.

Depois frequentei mais o bairro de Pinheiros, onde pude comer diversas vezes na Temakeria e Cia, o melhor temaki de São Paulo e outros restaurantes de um nível bem mais alto, como o Hamatyo e o Aya, além de alguns dias visitar o justo e com ótimo custo benefício rodízio do Sushi Tori.

E por final, hoje caminho mais próximo ao Shigueru, um restaurante que dispensa apresentações, localizado na Rua Leopoldo Couto de Magalhaes Junior, 275 – Itaim Bibi (http://www.shiguerusushi.com.br/). Já tinha ido uma vez e foi sensacional, sashimi de atum diferenciado e nigiris de primeira linha. Resolvi voltar pois é quase irresistível, o serviço é ótimo, a experiência no balcão é boa e a comida é top!

Desta vez, como da outra, sentei obviamente no balcão, mas fiquei no único lugar onde dá pra ver pra toda movimentação dos sushimans, bem do lado esquerdo, onde o próprio Shigueru fica posicionado.

Pedi novamente o combinado do dia, que são 6 sashimis, 5 nigiris e 4 uramakis. Pelo o que percebi, os peixes que compõe esse prato varia de acordo com o que há melhor no dia, mas com uma predominância maior do atum. O valor aumentou um pouco, fica por 39 reais

Mas antes do combinado chegar, me serviram uma entradinha. Dessa vez, melhor do que a já batida sunomono (saladinha de pepino) que a maioria dos restaurantes servem, o Shigueru serviu uma entradinha que eu comi muito no Mitsuyoshi, peixe cozido:

Não vou negar, a aparência não foi das melhores, apesar do sabor estar ótimo. Acho que seria melhor servir em uma cumbuquinha chawan como a do missoshiro, com um molhinho mais grosso. Desse jeito, solto no prato ficou meio borocoxô e causa uma má impressão para os mais atentos e eu diria até para as mulheres, mais ligadas em detalhes e apresentações.

Seguindo, me serviram o combinado do dia que mencionei acima,  três reais a mais do que a primeira vez que fui lá, mas acho que ainda vale a pena, apesar de que um pouco mais do que 40 reais já ficará caro para um combinado de 15 peças sem nenhum sushi especial, porém vale lembrar que a qualidade é incontestável, é top mesmo. O shari (arroz temperado para sushi) é muito, mas muito bom mesmo, dá quase vontade de pedir uma chawan (cumbuca) só desse arroz.

O peixe então não tem nem o que dizer, o atum é um dos melhores, se não o melhor akami que já comi (parte mais vermelha e menos gorda do atum, que é retirada das costas do peixe). Todos peixes, incluindo o salmão, são diferenciados e muito acima de qualquer rodízio que você possa ir, é nível restaurante tradiciona dosl bons mesmo, o pessoa lá não ta brincadeira. Os uramakis são diferenciados justamente pela qualidade do arroz que mencionei acima, me lembra um pouco os macios uramakis do Sushi Guen, onde o experiente Itamae San Mitsuaki Shimizu os prepara quase de forma unitária.

Após comer esse delicioso combinado, é óbvio que fui para os nigiris a la carte, não resisto! Eles possuem tantos produtos de qualidade tão alta que faz com que a oferta e possibilidade de nigiris seja enorme! Desta vez pedi um sushi de uni (ovas de ouriço) , um serra e um tamago. Neste momento, aproveitei para puxar papo com o Shigueru, perguntando para ele qual era a diferença entre o tamago e um outro tipo de omelete japonês que ele tinha citado na minha primeira visita, porém dessa vez ainda não consegui entender como se pronúncia =(. Vou correr atrás dessa informação!

Vejam abaixo o uni e o sushi de tamago, que o do Shigueru vem em tamanho família!

Vocês viram só que beleza esse gunkan de uni abaixo. Cada vez mais fico fã desse sushi, ovas de ouriço! É engraçado que com sushi de uni é assim, a primeira vista você acha horrível, experimenta e acha estranho…Depois você come a segunda vez e já acha melhorzinho, depois você vai gostando cada vez mais e mais. Merece até um zoom:

O sushi de pargo também estava belíssimo, não há dúvidas que os peixes do Shigueru são dos melhores e realmente é uma preocupação deles servir o melhor aos clientes.

Também tive sorte o suficiente para bater um papo com o simpático e habilidoso sushiman Ricardo, gente finíssima! Que me preparou um nigiri especial demais! Muito, mas muito inesperado e surpreendente, foi um sushi de foie gras de tamboril (peixe sapo), chamuscado e com um molho por cima que me pareceu tarê, mas sinceramente acho que era outro molho.

Talvez o que tenha mais me impressionado nesse sushi de foie gras de tamboril tenha sido a textura, claro além do sabor bem peculiar. Eu repetiria sem dúvida nenhuma. Esse sushi foi simplesmente totalmente fora do que eu já vi ou esperei, isso mostra o quanto o Shigueru é um restaurante de altíssimo nível e com produtos que surpreendem os clientes.

Durante essa minha sequência de sushis a la carte, o Shigueru viu que eu estava comendo os sushis com uma quantidade de shoyu pequena, ou seja, bem raso, o suficiente para apenas pincelar o peixe, e também não estava mergulhando o sushi no molho, o que acabaria molhando o arroz e desmontando tudo, estava colocando apenas o suficiente. Ele então me ofereceu um shoyo um melhor e mais avançado e depois me ofereceu um ainda mais diferente ainda, mas eu já havia terminado…pena, mas ele disse que dá próxima que for, posso pedir direto, pois infelizmente não dá para disponibilizar para todo mundo, pois a maioria faz aquela clássica piscina de shoyo no recipiente para o molho.

Todos esses diferencias que apontei nessa review do Shigueru são o que fazem um restaurante se destacar, espero que eles continuem assim.

Bom gente, fico por aqui, mas podem ter certeza, em breve estarei de volta com mais uma review, pois estou gostando demais de lá!

Forte abraço

Gourmet San

 

 

Restaurante Nozomi: inovações na ponta da faca!

Olá a todos

Hoje mais uma review bem entusiasmada por parte do Gourmet San! Retornei ao ótimo restaurante japonês Nozomi,  localizado na Rua Eleonora Cintra 1040, tel (11) 2338-3327, no bairro Anália Franco. Infelizmente, diferente do que planejei ao final da primeira review do Nozomi, não pedi o Menu Degustação, fui com o rodízio que teve um leve aumento de preço e hoje sai por R$ 56,90, justíssimo ainda como vocês poderão perceber.

Não optamos pelo Menu Degustação pois estávamos preparados para comer um simples temaki em uma das muitas temakerias da região, porém estavam todas lotadas, então sem pensar duas vezes nos dirigimos ao Nozomi! Um pouco mais cheio do que a primeira vez, entramos e escolhemos o balcão que possuía alguns lugares diferentes, é sempre uma boa opção, principalmente no caso do Nozomi que tem, sem dúvida, um dos balcões mais bonitos da cidade e além disso permite uma interação maior com os sushimans.

O mesmo maitre de antes estava lá, o João simpaticíssimo e gerenciando o salão como poucos. Fizemos nossa escolha pelo rodízio e ficamos na espera ansiosos, afinal além da fome já estar grande, queria ver se o Nozomi havia mudado alguma coisa no cardápio.

As entradas continuam as mesmas, ainda bem!! Lembro bem que foram um ponto forte em nossa primeira visita, então nem bobeamos, pedimos quase tudo, teppan de salmão, shimeji, guioza, tempurá de camarão e o bolinho de carne.

De todas essas entradas, a única que pecou um pouquinho foi o shimeji, não que estivesse ruim, mas para o meu gosto, talvez tenha faltado um pouco mais de shoyo e uma fritadinha a mais na panela, estava um pouco amanteigado demais, aliás, nem sei se eles fazem na panela, parecem utilizar uma outra técnica!

Todas as outras entradas eu repetiria de olhos fechados, nota para o excelente guioza, feito na chapa, super leve e cheio de sabor. Quando como um guioza deste fico pensando como restaurantes tem coragem de fritar um guioza, é praticamente uma afronta!

Seguindo serviram pequenas fatias de teppan de salmão. Eu achei a porção muito correta, não consigo entender restaurantes japoneses que te servem 300g de salmão, você pediu um rodízio por que você quer comer um pouco de tuuudo. O Nozomi acertou na medida, o sabor estava apenas ok.

Ahhh mas claro que não esqueci da melhor entrada de todas, a dupla do bolinho e do camarão. Quando os bares e botecos de São Paulo descobrirem esse filão de comida japonesa, o bicho vai pegar! Esses bolinhos são incrivelmente macios e molhadinhos por dentro e super crocantes por fora, além do molho combinar perfeitamente! Os camarões estavam muito bem empanados e bem saborosos, porém podiam acompanhar algum molhinho também. Pedimos um pouco de tarê para acompanhá-los.

Seguindo, estávamos ansioso pelo ceviche deles, que é preparado um tempo antes para que o limão tenha tempo para cozinhar um pouco os peixes. Vejam abaixo que bonito que estava também. Aproveito para salientar que todos pratos servidos pelo Nozomi são de cerâmica, isso faz uma diferença enorme para a apresentação.

Chegou a hora dos sushis e sashimis. Assim como da outra vez nigiris belíssimos e peixes de ótima qualidade, o salmão tem aquele sabor a mais que te impressiona, sabe quase doce?! Outro fato que sem dúvida notei foram os enrolados, uma evolução notória da minha primeira visita, na qual justamente  citei que os uramakis destoavam um pouco de todo o jantar, sendo mais simples, não fazendo muito sentido. Não posso deixar de citar o sushi batera com molho a base de brócolis e finalizando com azeite em cima que, segundo o sushiman, é um toque italiano à culinária. Gostei muito de ouvir isso, sem dúvida demonstra o caráter contemporâneo que o Nozomi busca, eu incentivo e muito pois isso faz parte da gastronomia moderna, tem muito espaço para restaurante assim, o Mori Sushi que o diga!

O único ponto negativo deste combinado foi o sashimi de atum, veio bem mal cortado, pareciam pedaços para se utilizar em um temaki, provavelmente era o finalzinho de algum filé de atum, precisam ficar atentos nisso.

Seguindo, recebemos a maior surpresa da noite, um prato belíssimo mas com um sabor melhor e mais surpreendente ainda: carpaccio de salmão com azeite, limão, azeite de trufas e alcaparras. Não sei explicar mas quando você saboreia cada fatia de salmão com esses temperos e a alcaparra você passa por diferentes sabores, uma sequência bem distinta, e tem um toque especial, como os americanos dizem, um “kick” de sabor, parabéns, nota 10!

Estava na hora dos repetecos! O primeiro que veio a nossa cabeça foi pedir novamente sashimi de atum, pois não era possível o que tinham nos servido. Pedimos também mais alguns enrolados e nigiris, além também dos baterás com molho de brócolis, algo na linha contemporânea que o sushiman citou.

O sashimi de atum dessa vez não decepcionou, o sashimi de polvo estava  estava mais macio que o da outra vez, porém apenas ok também. Acho que um sashimi de polvo para ficar bom mesmo ou tem de ser excepcional ou tem de acompanhar algum molho ou tempero.

Vejam só que belos nigiris!! Sinceramente? Eu acho que quando um restaurante tem sushimans com habilidade tão boa assim para fazer nigiris, é preciso aproveitar, eu focaria mais ainda em variedades deste tipo de sushi!

Algo bem interessante que os sushimans nos contaram, sendo um deles o dono do restaurante,  foi que o restaurante está com uma ótima proposta de inovar toda semana, ou seja, procurar novos ingredientes e montar diferentes pratos, assim os clientes da casa não enjoam e sempre terão a expectativa de algo novo. Por exemplo, falaram que semana passada tinha tamagô, legal né?

E para finalizar, um grandíssimo e imprevisível prato que tive pedir a la carte, um nigiri sushi de toro (barriga do atum) chamuscado com foie gras! SIM o Nozomi trabalha com peixes dessa qualidade. Eu perguntei se eles sempre tinham toro assim, pois não é fácil de achar em São Paulo, é muita competição entre os restaurantes. O chefe me disse que possuem um fornecedor de confiança! Isso sim é um restaurante bom e confiável, estão vendo como todos pontos precisam estar alinhados? Fornecedor, ambiente, maitre, cerâmica, sushimans, comida e preço! Vejam o belo sushi abaixo:

O sabor estava divino, assim com a textura. O problema de começar a comer sushis assim é que você sempre quer mais e fica com preguiça de comer os mais normaizinhos, lembra o que eu disse na review do Hamatyo? O preço não sei informar, acabei esquecendo de anotar, mas saibam que obviamente não faz parte do rodízio, mas recomendo pedir a la carte ou pedir o Menu Degustação.

O Nozomi parece continuar como uma das melhores opções de comida japonesa em São Paulo para quem quer: ótimo ambiente, preço justo, serviço surpreendente e comida boa e sempre com novidades!

Gourmet San recomenda!

Abraços e até a próxima!

 

Kappa & Kanashiro: uma prévia!

Olá a todos!

Gourmet San traz uma novidade! Visitei o recém inaugurado Kappa & Kanashiro em sua semana de testes. O restaurante recebeu convidados especiais para conhecerem o ambiente e experimentarem a comida que está por vir, Gourmet San foi um dos convidados =)!

Me chamou a atenção o nome do famoso sushiman Adriano Kanashiro, que assina casas famosas como o Momotaru. Fiquei bem curioso em ver que linha ele ia seguir em conjunto ao Kappa Sushi. Fui informado também que a intenção é ser o melhor rodízio de sushi de São Paulo, tarefa nem um pouco fácil, mas uma boa meta sem dúvida nenhuma.

Esse tipo de experiência é diferente, a casa ainda está se preparando, faltam acertos aqui e ali, os gerentes dando toques aos garçons, conversando com os clientes e perguntando se tem algo a melhorar. É como se fosse um jogo amistoso ou coletivo de futebol, não está valendo nada, é treino! Desta forma, hoje não é uma review como as outras, é apenas uma passada de olho para ver o que está por vir.

Kappa & Kanashiro! Fica localizado no chique bairro do Itaim, na Rua Leopoldo Couto Magalhaes, 524, São Paulo, tel (11) 2691-8003. O preço fica em 62 reais, o que eu considero um valor ok, não é caro que nem alguns rodízios mas ele entra num quadro de rodízios que possuem um preço médio, quase alto, mas que nunca sabemos o que esperar, pode ser õtimo ou uma total perda de tempo e dinheiro. Então acompanhem abaixo a prévia do Kappa & Kanashiro! Gourmet San provavelmente voltará ao Kappa & Kanashiro algum dia para realmente ter uma experiência que vocês possam se basear 100%, ok? =)

Começando, fiquei impressionado com o ambiente, super hiper moderno! As paredes e a decoração são algo único dentro de um restaurante japonês, nunca vi nada igual, me senti como se estivesse num daqueles restaurantes moderninhos de Nova York que vemos em filmes. A música de fundo também é diferente, não sei identificar, era mais animada mas não incomodava, acho que o ambiente é perfeito para quem quer comer antes de curtir a noite ou quem quer ir num restaurante japonês com um conceito diferente e um ambiente não tão parado, que dificilmente encontramos por aqui.

Focando agora o papo sobre a comida do Kappa & Kanashiro, as entradas achei todas nada convencionais, mandaram muito bem mesmo, fiquei surpreso!

Para começar um sashimi de salmão inédito, marinado no shoyú e sakê. Um restaurante que quer ser top precisa ter essa linha, sempre ir além do esperado.

Seguindo, tive uma sequência de pratos quentes! Para mim os destaques ficaram por conta do camarão empanado, filet mignon a milanesa e bolinho de abobrinha com recheio de camarão. Acho bem interessante essa oferta diferente de entradas quentes, restaurantes que tem sempre os batidos shimeji, guioza e harumaki não vão se destacar.

O camarão empanado estava bom, a massinha macia mas não crocante, porém estava muito bem temperado:

O filet mignon a milanesa é sacanagem, fiquei com vontade de comer todo dia esse prato! Vale a pena lembrar que na culinária japonesa é muito comum pratos empanados como este filet mignon a milanesa, acho que está mais do que na hora de começar a mostrar para o público que comida japonesa não é só crua.

Bolinho de abrobrinha com recheio de camarão, delicioso:

Depois serviram um prato que reflete muito a mão do Adriano Kanashiro na casa, uma sequência de sushis bateras pra lá de especiais, com direito a molhos a base até de pupunha!

Também é necessário destacar lindos sashimis que foram servidos. Como este de salmão:

E este de atum selado:

Foram servidos outros pratos durante o jantar e que também fazem parte do rodízio, porém esses foram os principais. Tentei não me estender muito pois acho melhor deixar para a review que realmente vai valer!

Outros pontos que preciso comentar é a maneira como os pratos são servidos, dando uma importância grande para a apresentação dos pratos. Se tem algo que não virão por lá são aqueles combinados de sushis abarrotados de peças apertadas e amassadas. Eles apresentam cada prato como se fosse um prato principal, isso é muito importante e faz a diferença, gastronomia japonesa também é a aparência!

O Kappa & Kanashiro abriu esta segunda-feira dia 29/10 e não sei como eles estão indo, mas realmente acho que vale uma visita! Vou ver se daqui um tempo passo lá pra conferir como está o rodízio pra valer, numa noite com funcionamento normal.

Vou ficando por aqui!

Abraços

Gourmet San