Quer um Kare apimentado em São Paulo? Vai pro Kidoairaku

Oi pessoal, tudo bem?

Quando comecei a explorar a Liberdade (o bairro, não o conceito abstrato sociológico, rs) lá atrás, eu obviamente comecei pelos sushis e mesmo nos restaurantes mais tradicionais e com pratos quentes excelentes, acaba escolhendo os frios.

E teve a ocasião, onde indo contras minhas inclinações da época, fui ao Kidoairaku para comer um Kare e o atendente da época disse: “Olha…(gaijin, rs) é apimentado!” Com medo e ainda inexperiência, refuguei e pedi um teishoku de sashimi.

Mas tudo que vai volta! E após ganhar muita quilometragem (até no Japão), comendo Kare, recentemente retornei lá e fui firme:”QUERO O TONKATSU KARE”. Ouvi novamente: “olha…..é apimentado!”. Falei, “Pode trazer”, todo seguro de mim.

Pois bem, vejam abaixo:
Isso…agora vejam melhor!

Pessoal, se você gosta de Kare apimentado, esse é o lugar pra vocês, definitivamente ele não é mediano, ele é forte (pro meu paladar). Logo que vi, pensei o mesmo que vocês…”nossa, escuro, né?” Pois bem ele realmente é encorpado e delicioso em todos aspectos, mas…É PICANTE!

O Tonkatsu em si estava bom! MAs confesso a vocês, que depois do Japão sua concepção de tonkatsu muda. Mas isso não estraga o prato, ele é excelente.

Bom, fica a dica e o aviso, rs, se for ao Kidoairaku, já sabem o que esperar!

Abraços!

Sarumon: só salmão, funciona? SIM!

Sarumon Restaurante Japonês só de salmão sushis e enrolados

Oi pessoal, tudo bem?

Estive afastado das postagens aqui no blog, porém não parei de comer em restaurantes japoneses. E nos últimos tempos consegui visitar restaurantes novos e diferentes da minha lista corriqueira.

Voltando a ativa, visitei com um amigo de infância um restaurante que fica ali no Itaim e eu nunca tinha ouvido falar, o Sarumon, R. Pedroso Alvarenga, 365 – Itaim Bibi, São Paulo – SP, 04531-010 Telefone: (11) 4562-4988

Sarumon Restaurante Japonês só de salmão sushis e enrolados Saruman

Hahaha, não…. não se trata de um personagem do Senhor dos Anéis, mas sim de um restaurante que foca em apenas 1 tipo de peixe, o salmão!

Odiado pelos foodie-nazis pop do mundo cibernético, o salmão é um peixe belíssimo, versátil e delicioso, e que carrega o fardo de ter se popularizado em demasiado. Mas eu mantenho os pés no chão, arigatô Shake!

Pela primeira vez me deparei com um restaurante que abraçou a idéia de servir só salmão e já digo desde já, funciona perfeitamente! Os clientes já vão com expectativa alinhada e não tem chororô. E posso dizer que vivi isso empiricamente, o almoço numa quarta-feira estava cheio de pessoas do mundo financeiro e dos escritórios de advocacia do Itaim.

Pois bem, quando meu amigo me chamou pra almoçar no Sarumon, ele se preocupou em me alertar: “mas só tem salmão, ok??”. Isso acontece com frequência, as pessoas se preocupam no que o Gourmet San vai achar, mas eu sempre tento acalmá-los, eu entendo que existe restaurante pra todos os gostos e bolsos.

Pois bem, voltando ao Sarumon, é do mesmo dono do It Sushi, e isso se percebe facilmente pelos pratos servidos, como o spicy rock-shrimp:

Sarumon Restaurante Japonês só de salmão rock shrimp

E no formato dos enrolados e sushis servidos (na bandeja pelos garçons). Por falar nos sushis, todos são muito bem montadinhos e obviamente, todos de salmão:

Sarumon Restaurante Japonês só de salmão sushis e enrolados

A variedade é bem satisfatória, assim como o sabor:

Sarumon Restaurante Japonês só de salmão sushis e enrolados

O restaurante não tenta se reinventar, serve temakis (de salmão, rs) e clássicos como um carpaccio bem simples (de salmão):

Sarumon Restaurante Japonês só de salmão carpaccio

O único prato que precisa ser repensado é esse abaixo, pasteizinhos. Não faz sentido nenhum, parece uma porçãozinha de pastel de boteco, será que é a idéia mesmo?

Sarumon Restaurante Japonês só de salmão pastel

No final das contas, o Sarumon entrega o que promete e o rodízio por 60 reais está bem justo para a região e para o serviço rápido!

E vocês já foram ao Sarumon? Conhecem outros restaurantes que se dedicam exclusivamente em salmão?

Me contem mais aí embaixo nos comentários.

Abraços!

Gourmet San

Almoçando no agradável Hirá de Daniel Hirata

Izakaya Hira Shakedon

Oi pessoal, tudo bem?

Fazia tempo que eu estava com vontade de fazer algo bem trivial, passear pela Vila Madalena e almoçar ali no Hirá, num dia de semana! rs…

Aproveitei um dia de saga com o conserto do carro, onde tive de levá-lo em 2 lugares diferentes (o famoso combo, freio+pneus novos+alinhamento+balanceamento) e como estava na região aproveitei para ir com bastante sossego ao Hirá!

Entrei e sentei logo pertinho da porta, estava a fim de ver o movimento na rua, invejar aqueles que trabalham na Vila Madalena, pela manhã, é claro.

Perguntei pelo Daniel Hirata, mas ele estava descansando, muito merecido, pelo o que conheço do Daniel dos tempos de Mori Ohta, ele trabalha MUITO, do tipo que faz questão de trabalhar quando ninguém mais está só para criar oportunidades novas para o próprio negócio.

O restaurante estava consideravelmente cheio, mas o serviço foi tranquilo do começo ao fim.

Olhando o cardápio, ficou difícil escolher, segurar a gula principalmente. É lamen pra cá (especialidade da casa), pork bun pra lá, tonkatsu kare, novidades do chefe etc.

Fui firme, firme demais, e resisti pedir meu prato favorito, o Tonkatsu Kare! Assim sendo, resolvi pedi algo novo da casa, uma recomendação do chefe, especial pro verão, o Shake don (era uns 50 reais)! Se trata de um bowl de arroz (gohan) com fatias de salmão por cima e nesse caso ovas do salmão também (ikura).

Mas claro que………minha vontade de comer algo mais não foi deixada de lado, pedi um delicioso pork bun, que eles chamam de buttah bun, ou pancetta bun, algo assim, vejam abaixo e babem, pois estava divino!!!

Izakaya Hira Porkbun

Após abrir um sorriso comendo esses mini sanduichinhos de porco, veio o meu Shakedon:

Izakaya Hira Shakedon

Lindo prato, não? Bela apresentação!

Delicioso e mais que suficiente para 1 pessoa. Vale mencionar que essa folha verde é pra comer, é o shiso, primo do hortelã, comumente servido com uni (ovas de ouriço), lula (ika) etc. Um breve regada de shoyu por cima (pra matar do coração qualquer tradicionalista, rs). Explico melhor, tradicionalmente é errado regar com o shoyu o gohan, além disse ele molhado fica muito mais difícil pegar com o hashi.

Deem mais uma olhadinha de perto:

Izakaya Hira Shakedon

Patrocínio ali em cima da Rayban (brincadeira, quem me dera, ahah).

E para finalizar uma sobremesa incrível que fazia parte do almoço, o chouxcream (leia-se chucrãm)Screen Shot 2017-02-07 at 10.41.10 PM

É como se fosse um sonho, mas com o japanese approach. Não preciso nem dizer, estava bom demais!

No final, a conta de uns 60-70 reais, muito bom pra um almoço, com entrada, prato principal e sobremesa.

Recomendo muito o Hirá, e vocês já foram?

Abraços

Gourmet San


Izakaya Hira Porkbun

Nayoro, mais um delivery bom em SP, acharam a fórmula?

Nayoro Delivery de comida japonesa

Eae gente, tudo bom?

Criei o Gourmet San uns 6 anos atrás e desde então tenho experimentado muitos deliveries, inclusive recomendo vocês darem uma olhadinha na lista de todos que já pedi. E no começo vou dizer pra vocês, 90% dos deliveries eram ruins ou pelo menos tinham 1 ou 2 erros gravíssimos, ou que tornavam a experiência bem insatisfatória.

Não digo que é fácil fazer delivery de sushi, é o oposto, é muito difícil. Imaginem só vocês que o temaki foi criado para ser comido segundos depois que o sushiman o prepara. O próprio sushi, para quem viu o filme Jiro: Dreams of Sushi, deve ter aprendido que deve ser comido também rapidamente, pois o timing dos ingredientes juntos funciona em sincronia.

Mas parece que esse cenário dos deliveries mudou. Ultimamente tenho experimentado alguns deliveries em São Paulo bem bons, que acertam na grande maioria dos elementos e que precisam apenas de 1 ou 2 acertos.

A review de hoje é do Nayoro, localizado na rua Carlos Weber, 92, Vila Leopoldina (ZO de São Paulo). Importante eu passar o endereço pois eles abrirão o restaurante físico em breve, mas hoje é só delivery pelo IFood.

Fiquei sabendo do Namoro por indicação e vi umas fotos no Instagram bem promissoras. Resolvi pedir num sábado a noite de preguiça e Netflix.

Em geral, em meus primeiros pedidos eu chuto o balde e quero experimentar o mais variado possível. Segue abaixo minha experiência e tudo que pedi e comi.

Antes de mais nada as embalagens não seguiram o padrão de virem numa sacola de papel marrom grandes. Nada contra nem a favor, mas gostei de ver as sacolinhas coloridas =)

Nayoro Delivery de comida japonesa embalagem

Depois que abri as embalagens ficou assim:

Nayoro Delivery de comida japonesa embalagem

Eu particularmente gosto muito dessas embalagens para encaixar rolls (enrolados) confortavelmente posicionados. É interessante também pois não tem aquela mistura de rolls diferentes na mesma embalagem, onde o ingrediente de um sushi cai em cima do outro. Claro que eu não pedi um combinado grande, pode vir junto, mas só posso dizer dessa minha experiência.

E agora…tan-tan-tan-tan:

Nayoro Delivery de comida japonesa

Vejam só que beleza, comida pra caramba! Aí vocês vem na coluna da esquerda um baterá com salmão e camarão, depois um uramaki com crispy de tempura e depois um enrolados de salmão com camarão empanado e ovas. Do lado direito um sashimi bem farto de salmão com alho poró e 3 duplas de sushi: atum com foies gra, how de salmão com alho poró e salmão chamuscado.

Vamos ver um a um agora.

Baterá de salmão com camarão e ovas:

Nayoro Delivery de comida japonesa batera de salmão com camarão

Eu comecei pelo prato que o Nayoro precisa mais trabalhar. Apesar do sabor estar ali e dos ingredientes serem bons, tem muita coisa junta rolando e cada baterá acabou ficando grande demais, mal cabia na minha boca. Minha recomendação pro pessoal do Nayoro é diminuir a quantidade de todos ingredientes e talvez tirar o camarão de cima, não precisa mesmo, o prato já é bom sem ele.

Enrolado de salmão com camarão empanado dentro:

Nayoro Delivery de comida japonesa

Esse prato funciona muito bem. Já está se tornando famoso em vários restaurantes. O Nayoro de seu toque, com as ovas verdes. Para o meu gosto funciona muito bem, muito bem. Foi um dos pontos altos do jantar. Se a equipe deles precisa ficar atenta só em um ponto é pro camarão não ficar crocante demais a ponto de ficar durinho. Só digo isso pois esse enrolado matou minha fome, bem farto.

Uramaki Camarão Parmesão:

Nayoro Delivery de comida japonesa uramaki

Esse daqui o pessoal pegou dos EUA, e fizeram muitíssimo bem, pois ele é ótimo. Aqui no Brasil os restaurante pegaram a péssima idéia de colocar pedaços muito grandes de pepino nos sushis, não funciona…Já diminuindo o pepino e acrescentando o avocado o sushi fica muito mais suave.

Esse foi o sushi que acabou antes, isso mesmo, devorei, é do jeito que eu gosto.

Sashimi de salmão chamuscado com alho poró:

Nayoro Delivery de comida japonesa salmão sashimi com alho poró

Esse foi outro grande acerto. A inédita combinação de salmão com alho poró me surpreender e funcionou super bem. Ele traz uma textura e sabor bem leve. Novamente apenas um ponto, os sashimis estavam muito grandes, da maneira que ficava difícil equilibrar a fatia. A grossura estava perfeita, acho que dá pra manter, mas o filé do salmão de onde foram tiradas as fatias estava muito largo. Lembrando que isso é só um toque para deixarem o prato na medida.

Niguiris:

Nayoro Delivery de comida japonesa niguiris

Realmente o atum com foies pra dominou a cidade, ele está presente em todos os cantos. Os produtores devem estar felizes da vida. Além desse sushi, as outras duplas era um jow de salmão com alho poró e um de salmão chamuscado. Ambos deliciosos e enorme, eu mesmo tive dificuldade para que coubessem na minha boca, quem gosta de sushi grande vai amar.

No final das contas eu adorei mesmo o Nayoro, entrega rápida, embalagens boas, sushis bons (precisando apenas acertar um ou outro ponto) e preços bons. Aliás, falando em preço, todos pratos acima (tirando os niguiris) tem preço de 15 a 30 reais, excelente custo benefício!

Recomendo o Nayoro sim! Mas uma opção interessante de delivery de comida japonesa em São Paulo, quero pedir novamente, mas agora outros pratos.

Abraços

Gourmet San

Sushi na Europa? Achei o Shabu Shabu!

Oi gente, tudo bom?

Tive o prazer de viajar para a Europa e conhecer alguns países que nunca havia ido antes! Sempre que viajo, para qualquer lugar que seja, sempre tento experimentar o sushi local, ou como a culinária japonesa se moldou a cultura gastronômica local.

Infelizmente, na Europa, nunca fui muito feliz com a oferta de comida japonesa. Os locais e amigos meus que moram lá sempre me dizem que há ótima opções, porém quando faço buscas através de aplicativos de comida como o Yelp e o TripAdvisor, raramente encontrei opções que eu julguei convidativas. O mesmo aconteceu nessa última viagem.

Todo dia, sempre que eu passava por um restaurante japonês ou quando ía fazer alguma refeição, sempre cogitava a possibilidade de comer um sushi. Infelizmente, como disse acima, não encontrava nenhum que eu achasse que valia a pena o risco e o investimento. Quando digo “risco” é que a última coisa que eu quero numa viagem é passar mal com alimentos perecíveis estragados, segundo, na Europa tem restaurante japoneses bons? Sim, sem dúvida, excelentes, mas uma refeição boa sai por pelo menos uns 60-80 euros (240-360 reais no câmbio da época), to fora, dinheiro não ta sobrando assim não…

Bom, eu tinha desistido de comer um sushi na Europa, até que…numa caminhada em Amsterdam buscando uma opção de almoço que não houvesse batata-frita, me deparei com o Shabu Shabu, localizado em Rembrandtplein 47 1017 CT Amsterdam, Holanda.

O restaurante de fora é bem moderninho, assim como a parte de dentro, eu particularmente gostei bastante! Tinha desenho e cerejeiras de plástico, o que deixar ambiente bem agradável e moderno ao mesmo tempo.

Pra ser honesto, o foco não era comer sushi e sim um shabu shabu, que leva o nome do restaurante. Para quem não sabe, esse é um prato super saudável, onde você vai mergulhando legumes, fatias de carne, cogumelos entre outros alimentos numa panela de água quente e assim eles são cozidos e depois você come.

Para minha surpresa, não tinha shabu shabu no cardápio! E a garçonete confirmou que eles não servem! Hahaha vai entender… enfim… back to sushi!

Não foi difícil escolher e o cardápio é ótimo, bem variado e com ótimas opções! Como já escrevi muito aqui, segue abaixo tudo que comi:

Temaki de enguia:

Uramaki de salmão grelhado com pimenta:

Urabitem, ou seja, uramaki de camarão empanado:

E tekkamakis e gunkan sushi de atum spicy:

Digo desde já que tudo estava muito bem preparado e muito gostoso. Nada deixou a desejar, nada mesmo, fiquei surpreso.

Para começar, o temaki de enguia, apesar de pequeno, veio super saboroso e o preço era bem convidativo, algo como 4-6 euros. E além disso, não se pode negar uma enguia com bom custo-benefício, nunca!

A seguir, 2 enrolados, o de salmão grelhado com pimenta e o de camarão empanado. Ambos de ótimo tamanho e com 8 unidades cada, não dá pra reclamar mesmo, eles custavam por volta de 8-10 euros cada. O de salmão grelhado era bem apimentado, afinal essa pimentinha seca que eles usaram não é leve. Já o urabitem super bem executado.

Para finalizar, um combinho de atum, tekkamakis e gunkan de spicy tuna. O grande ponto foram sem dúvida os gunkan! Super fartos e picantes na medida certa, ou seja, não apimentados demais. Se eu não tivesse satisfeito eu repetiria com certeza.

Sem dúvida nenhum, uma das surpresas da viagem, sobretudo devido as minhas baixas expectativas e como essa refeição caiu tão bem para minha barriga e mente =)

Recomendo! Ah quase esqueci! A partir de um certo horário da tarde eles servem all-you-can-eat-sushi! Aproveitem!

abraços

Gourmet San

Kawa Sushi Jardins – a indicação que faltava na minha lista

Oi gente, tudo bom?

A pergunta que eu mais respondo no meu dia-a-dia são indicações de rodízios para meus amigos e conhecidos. Apesar de eu preferir restaurantes tradicionais a la carte, não há como negar, a paixão do brasileiro (pelo menos o paulistano) é o rodízio.

Mas o paulistano não está mais satisfeito com os rodízios baratos, isso tanto é uma verdade que o número de restaurante que oferecem o all-you-can-eat está cada vez menor. Hoje é difícil você ouvir alguém falar que vai com frequência num rodízio de 40-50 reais. As pessoas que gostam de rodízio fizeram suas escolhas nos últimos anos e se apegaram a elas. Os escolhidos da cidade são os famosos Aoyama e Mori Ohta, o 2o escalão é bem variado então fica difícil citar, apesar de eu ter minhas preferências.

Mas voltando ao assunto do dia, descobri um novo restaurante com rodízio e que é EXCELENTE, o Kawa! Mas atenção, o Kawa tem 2 restaurantes, o do Brooklyn (região da Berrini) e o do Jardins, e eles tem propostas totalmente diferentes. O Kawa da Berrini tem como foco 100% o público do almoço que busca um sushi rápido, nada mais, então as vezes o resultado é um pouco insatisfatório. Já o Kawa dos Jardins o papo é outro e é desse que vou falar hoje.

O Kawa Jardins fica localizado na Al. Lorena, 300 – Jardins, tel: (11) 3057-1582, fica a dica, fica pra lá da 9 de Julho, pro lado mais Paraíso. Para estacionar é bem tranquilo, eles tem valet, mas eu parei o carro por conta própria na rua pois a região, já mais distante do burburinho incessante da Oscar Freire, facilita a tarefa.

Quando entrei no restaurante percebi que alo o papo era outro, ambiente super bonito e amplo, bem alinhado com o nível do Aoyama e o Mori Ohta. O restaurante possui 2 opções de rodízio com o mesmo preço (uns 70 e poucos reais), uma opção “normal” e outra “gourmet” que oferece sushis mais diferentes. Ah o foco do Kawa é servir na mesa, então não há balcão.

As opções são bem variadas e consegui provar quase tudo! Vejam abaixo:

Tudo coisa boa e muito bem feita! Realmente fiquei impressionado como eu nunca tinha ido lá antes. Na verdade eu sei por que eu nunca fui, pois tive uma impressão não tão boa do Kawa da Berrini.

Logo de início gostei muito de ver 4 tipos de carpaccio para serem servidos: salmão, atum, polvo e peixe branco. E como sempre digo que deve ser, cada um deles com um tempero e molho diferente. Claro que não deve ser toda noite que eles conseguem ter essa variedade, mas gostei muito do que vi e comi.

Dificilmente como algo inédito num rodízio, mas dessa vez comi a famosa lula com recheio de shimeji que só vejo em restaurante a la carte. Adorei a idéia de oferecer no rodízio, claro que não estava primorosa, mas me surpreendeu.

No rodízio do Kawa você também encontra ingredientes que nenhum outro oferece, como vieira, peixes defumados e sushi com ovo de codorna. Os sushis são de um tamanho médio pra pequeno pois segundo eles mesmo o foco é que os clientes comam variedade. Outro fator que me agradou muito foi que tudo estava muito bem montado e servido, vejam os carpaccios, por exemplo, ou o prato com os niguiris.

Para finalizar, o Kawa não tem combinados ou sushis pré-feitos, como é de praxe em rodízios, eles fazem tudo na HORA! Eles só precisam ficar bem atentos nessa diferença grande de padrão entre o Kawa Berrini e o do Jardins, eu mesmo vejo isso como um enorme desafio administrativo e de cunho mídia, afinal, como lidar?

O Okawa já se tornou um dos meus rodízios favoritos, e eu o colocaria na minha lista de melhores rodízios. Aliás, assim que eu montar o meu ranking de rodízios, ele estará nas cabeças.

E vocês já foram lá?

Abraços

Gourmet San

Kyodo Sushi em Osasco: simplicidade e criatividade para família e amigos

Oi gente, tudo bom?

Essa review era para ter saído 1 semana atrás, mas tive contra-tempos blogueirísticos que me impediram. Mas obviamente que eu nunca paro! Percebi recentemente que há muito ainda a explorar na culinária japonesa então continuo forte na minha função de trazer novidades a vocês!

Desta vez não foi diferente, depois de um convite feito há muito tempo atrás, finalmente fui conhecer o Kyodo Sushi, localizado na R. Dep. Emílio Carlos, 796, em Osasco – SP, Tel (11) 4623-1212. Apesar da palavra “Osasco” assustar muito paulistano (incluindo a mim) pela preguiça do deslocamento para outra cidade, isso é desculpinha. Osasco é fica na beira da união das Marginais Pinheiros e Tietê, e para quem mora na ZO, como eu, a desculpa é maior ainda, pois bastam 10-15 min de carro que qualquer um chega.

Bom, como dito acima, tomei conta da minha preguiça e fui! Cheguei, e o bairro residencial onde está o restaurante é super arrumadinho, lembrou um pouco o Anália Franco na ZL.

Quem me recepcionou foi o Xandi, o dono do restaurante e que ta sempre por lá tocando a paixão dele, segundo ele mesmo diz. Isso é um ótimo sinal, pois restaurantes precisam de atenção constante e isso transparece.

O lugar em si é bem pequenino, com umas 4 mesinhas avulsas mais umsa 4 mesas com sofás estilo Outback. Eles devem ter problemas costumeiros de espera, pois o lugar “senta” umas 20 pessoas no máximo ao mesmo, PORÉM vale lembrar que um dos erros mais comuns dos restaurantes é quererem expandir-se demais ou atender muitas pessoas e não darem conta, quando o assunto é restaurante japonês, normalmente menor é melhor.

Me explicaram que o sistema do restaurante que os clientes mais pedem é o rodízio de temaki, claro que fui nele! Se não me engano o valor fica entre 45 e 55 reais, um EXCELENTE preço! Eu mesmo disso isso na hora, que o valor está bem abaixo da concorrência e logo desconfiei. Mas nesse momento o Xandi me explicou a estratégia dele. O público com que ele trabalha gosta mesmo de salmão (e não há problema nenhum nisso, viu xiitas gastronômicos), então ele optou, após algumas tentativas de trabalhar com outros peixes, de comprar só salmão. Eu assino em cima! Aliás, parabéns pela coragem Xandi, poucos donos de restaurantes tem essa visão!

Antes de falar dos temakis que comi e do que você pode comer no Kyodo Sushi, vou dizer algo que você tem de pedi: COCA COLA COM CALDA DE MORANGO:

Eu juro para vocês amantes de Coca-Cola, peçam, peçam! Quando eu tomer eu fiquei um pouco com o pé atrás, mas é simplesmente deliciosa, funciona muito muito bem mesmo! Se não me engano, o que eles fazem é misturar meio que morangos batidos com coca-cola, o resultado é nota 10!

Agora, vamos aos pratos! Vejam abaixo tudo que comi:

Como eu disse anteriormente, o Kyodo trabalha apenas com salmão, mas eu mesmo só percebi isso porque o Xandi me contou, pois no cardápio são tantas opções diferentes,, mas tantas que você nem lembra direito. Claro que uma hora ou outra eu ia pedir um atum com cebolinha, mas tudo bem.

Sendo bem sincero não lembro os nomes dos temakis, pois eles são super criativos, mas tem o de inspiração árabe, o mais saudável (sem arroz), um outro delicioso com alho, todos muito bem feitos. As opções são também todas consideravelmente diferentes, o Kyodo não é como o Makis que muda 1 ingrediente e cria um temaki com um nome novo.

Além dos temakis o Xandi tem uma ótima sacada, ele oferece pequenos mimos no meio do rodízio temaki, um sashimi especial aqui, um hot roll ali, entre outro pratos que eles variam no dia-a-dia.

Eu acho que o Kyodo é uma opção excelente pro pessoal do Zona Oeste, bom preço, opções honestas de temaki, além de um ambiente tranquilo e equipe super amigável. Se fosse mais perto eu retornaria sem dúvida.

Agora algumas dicas de melhoria ao pessoal do Kyodo. Vocês já possuem uma identidade, o que é o mais difícil nesse nicho de mercado, agora precisam focar nos detalhes para oferecer um produto final melhor ainda aos seus clientes.

Por exemplo, como melhorar o temaki? Alga mais crocante, ou seja, acho que vale o investimento numa daquelas caixinhas que mantém a alga aquecida. Além disso sempre, sempre revisitar os sabores dos temakis e serem honestos consigo mesmos, esse sabor funciona? Não funciona? Por final, sobre os temakis, senti falta daquela clássica couve fritinha com tarê, é certeiro com todos os clientes.

Sobre os pratos extras no meio do rodízio, acerto de mão cheia! Acho que vale a pena vocês terem um leque de opções na manga para seus clientes sempre se surpreenderem, é só correr aqui pelo meu blog que vocês acharão diversas. Além de claro, a mesma dica dos temakis, continue trabalhando, por exemplo, o crocante hot roll pode ser melhor executado ainda, e fica mais “redondinho” em termos de finalização.

E finalmente, sobre a coca-cola com morango, fiquei apaixonado! Parabéns!

Abraços e até a próxima!

Gourmet San

Café da manhã Japonês no Hotel Intercontinental

Oi gente, tudo bom?

Hoje um post bem diferente aqui no Gourmet San, visitei o Hotel Intercontinental, localizado na Al. Santos, 1123, Tel:(11) 3179-2600para experimentar o café da manhã japonês que eles oferecem a seus hóspedes, e claro, a quem quiser ir lá fazer esse programa que sabemos que é comum em São Paulo, sair de casa para tomar deliciosos cafés-da-manhã que a cidade oferece.

Fui convidado por uma hiper-mega-especialista na cultura e gastronomia japonesa, a Katia Miyada, mas além disso, ela manja mais ainda é de como recepcionar bem o público japonês que se hospeda no Hotel Intercontinental. Com 14 anos de experiência no atendimento ao público japonês no ramo da hotelaria, trabalhando como gerente de vendas internacional, a Katia coleciona hoje um leque de habilidades e conhecimentos que poucos possuem como ela: como agradar um público que se atenta aos mínimos detalhes. Obviamente a Katia fala japonês e já foi ao Japão inúmeras vezes.

Falando um pouco mais desses detalhes, quem conhece um pouco da cultura japonesa sabe que eles prezam muito pela tradição e pela maneira “correta”, ou entendida como “tradicional” de fazer as coisas, e que caso seja feito diferente, já cai bastante no conceito e, pode até ser encarada como falta de respeito.

Pois bem, no café-da-manhã do Hotel Intercontinental é isso que você encontra, respeito ao gosto e a tradição japonesa. Antes de mais nada vale dizer que o café da manhã não é inteiro japonês, não é isso, há o café tradicional, tão maravilhoso quanto você pode imaginar (pães, ovos, bacon, frutas, café com leite) e também há uma estação com as opções japonesas. Deem uma olhada na estação especial:

O público ocidental pode achar estranho, mas os japoneses tem um café da manhã bem diferente do nosso. Você encontra gohan, peixe grelhado (salmão no caso), tamagoyaki, condimentos como pepino, conserva de shimeji, missoshiro, natto, nabo etc. Mas o importante aqui não é a oferta, de verdade, mas sim a qualidade, ela é extraordinária, digna dos melhores restaurantes japoneses da cidade, e como vocês podem ter certeza disso? Primeiro o crivo da Katia e segundo a aprovação dos hóspedes orientais.

Vejam abaixo o tamagoyaki e o salmão que peguei para mim:

E também as conservas:

Agora falando justamente da qualidade, vamos lá, o gohan é incrível, a Katia importa o arroz que mais se adequa ao paladar japonês. O salmão grelhado, eu juro, fiquei com um pé atrás quando vi, mas ele estava molhadinho, suculento e saboroso. O tamagoyaki super amarelinho (ou seja, não queimado) e macio. A conserva de shimeji então, quero mais!! Ela é importada, sendo exatamente como os japoneses comem por lá. Aliás, se você gosta das conservas, o café da manhã tem uma boa oferta:

Além disso, outros detalhes incríveis. O missoshiro é feito com missô importado também (que você encontra na Liberdade) e é o melhor que já comi em São Paulo, na verdade acho que empata com os melhores dos restaurantes mais tradicionais. O shoyu é Kikkoman. E o natto (soja fermentada) é oferecido num recipiente fechado especial, acompanhando os temperos especiais a serem misturados pelo cliente a seu gosto, confiram:

Vocês devem estar se perguntando, nossa, mas tudo isso? É necessário? Sim! Pensem que o público do Hotel Intercontinental é o público AAA que vem do Japão, CEOs, presidentes e VIPs que estão acostumados com o que tem de melhor lá no Japão e pasmem, eles aprovam o excelente café da manhã organizada pela Kátia e pelo hotel.

E não fica só na estação japonesa, eles possuem na parte de bebidas os famosos Yakult e Taffman, que os japoneses também adoram. Ah e falando em bebida, é claro que eles não esqueceram do chá verde, não é mesmo? Usando palavras da própria Katia: “chá verde nós fazemos na hora, se não fica oxidado e o gosto fica ruim”. Estão vendo? É esse o nível de atenção aos detalhes!

A caráter de curiosidade, pedi para ver os produtos importados que eles usam para o excelente café-da-manhã (com direito a nori crocante):

E só para finalizar esse trabalho exemplar do Hotel Intercontinental e da Katia com os hóspedes japoneses, ela me mostrou que eles oferecem também um tablet com o jornal japonês com a edição do dia para os hóspedes, quer hospitalidade melhor do que essa?

Abraços e esperam que tenham gostado da review o tanto que eu gostei de conhecer esse incrível café da manhã, acompanhado de todo conhecimento que a Katia me passou!

Estou louco para voltar! Recomendo a todos como opção de passeio em São Paulo um dia ir tomar um café da manhã lá no Continental.

Abraços

Gourmet San

Temakeria e Cia – passado e presente

Eae gente, tudo bom?

Quem acompanha minhas peripécias pelos restaurantes japoneses sem dúvida nenhum não deveria estar esperando que eu escrevesse novamente sobre a Temakeria e Cia. Aliás provavelmente sobre nenhuma temakeria, certo? Hoje em dia tenho um foco enorme em restaurantes diferentes e principalmente os de altíssimo nível, buscando o que a culinária japonesa tem de melhor.

A Temakeria e Cia surgiu em São Paulo faz uns bons anos, provavelmente uns 8! Minha visita ontem a Temakeria me fez lembrar dos tempos que ao redor dela tinha uma aura de novidade fina. A unidade da Rua Oscar Freire vivia cheia de gente fina que ia lá fazer uma refeição rápida mas considerada chic, afinal comer bem, rápido e numa novidade não é para todos.

Eu, 8 anos atrás, saía do meu trabalho na Av. Paulista e descia até a Oscar Freire para provar dessa novidade que todos falavam, um lugar especializado em temakis e que oferecia temakis gigantescos. Lembro claramente de entrar num recinto de luz baixa, poucos lugares, serviço cortês e clientes pedindo sakês e outras bebidas. O público que estava ali poderia muito bem ter ido ao Almanara, vizinho, ou em qualquer outro restaurante. Além disso os jovens que frequentavam o local eram da alta sociedade paulistana e pediam pratos que não eram temakis, afinal jovens descolados sempre querem ser “diferentóides”.

Hoje a realidade da culinária japonesa em São Paulo mudou e a Temakeria também. A rede expandiu com múltiplas unidades e seu público mudou. Com o crescimento e a febre da culinária japonesa a demanda cresceu muito e as temerias foram as primeiras a serem invadidas pelo novo público, sedento por experimentar o que era esse tal de peixe cru.

Eu pude acompanhar de perto essa transformação, sobretudo na Temakeria e Cia. Aos poucos o público começou a se diversificar e hoje o próprio restaurante é outro, foi se adaptando sabiamente.

Hoje a Temakeria e Cia na Oscar Freire é mais democrática, ela é um oasis de gastronomia democrática no elitizado Jardins. Me deparei também com um cardápio bem diferente mas ainda com ótimos preços.

Dá pra ver claramente que os donos por trás do restaurante trabalham para trazer novidades e atualizações. Além disso o serviço decaiu também, por vezes acontecem confusões em pedidos, demoras entre outros fatores que são reflexo de uma rede muito grande, onde o controle por qualidade por vezes começa a degringolar um pouco.

Se vai durar? Eu acho que sim, a Temakeria e Cia para mim é a melhor temakeria de todas que existem no mercado e eu pessoalmente adoro seu cardápio. Só pra citar um novo que provei, o hot roll de camarão empanado.

E você gostam da Temakeria?

abraços!

Daian Sushi – Rodízio no Butantã

Eae gente tudo bom?

Fazia tempo que eu não ia num rodízio de sushi de “bairro”, ou seja, aqueles que fogem do circuito moderninho e que tem como público   a própria população do bairro.

Como morei um bom tempo no bairro e tenho amigos lá eles me recomendaram o Daian como uma opção bacana para um jantar descontraído. Por falar nisso, de vez em quando é bom ir num restaurante de ambiente mais relax e sem tanto requinte.

O Daian Sushi fica na Av. Com. Alberto Bonfiglioli, 618, tel 011 3731-3506 (http://www.daiansushi.com.br). E pra chegar é bem fácil mesmo, ele fica no coração do Butantã com o Jd Bonfiglioli, e tem vagas na frente e na região, para parar o carro é tranquilo. O restaurante possui um deck de madeira e uma parte interna.

Pelo o que ouvi o restaurante trabalhava só com o a la carte e resolveu trabalhar com rodízio (o que sabemos que é um desafio). Os valores são beeeem tranquilos pros dias de hoje, almoço R$ 49,90 e jantar R$ 59,90.

Eu não fui sozinho, estava com minha família e pedimos rodízio para todos. Vejam os pratos a seguir e logo depois como foi minha experiência e considerações:

Gostaram das fotos? Rodízio com um combinado bacana, não é? Comecei pedindo um temaki de atum simples com cebolinha, mas quando chegou estava com cream-cheese, algo que eu realmente não acho que combine, de forma alguma. Sorte que quem estava comigo gostava, então assumiram a tarefa. Depois veio o meu certinho.

Pedimos de entrada o shimeji e a ika furai (lula empanada). O shimeji veio dentro do esperado de um rodízio, já a ika furai surpreendeu, em geral não acertam no ponto e ela vem borrachuda, mas não foi o caso, estava excelente!

Também nos serviram um carpaccio de peixe branco que poderia estar mais caprichado em termos de execução final do prato e um sushi de salmão com molho verde que lembra muito o do Aoyama, a qual eu não gosto. Quem gosta do Aoyama vai aprovar pois estava igualzinho.

De forma bem rápida e com bom timing veio um caprichadíssimo combinado, tenho de dizer. Perfeito para 4-5 pessoas e com uma excelente variedade, não decepcionou em nenhum ponto. Alguns sushis bem diferentinhos que gostei de ver e provar, se esses sushis são servidos a todos clientes com consistência então os sushimen do Daian estão mandando bem.

Dentro desse combinado serviram um sashimi de salmão marinado chamado salmão black. Ele meio que virou modinha entre os sushiman atuais e eu que estou em diversos fóruns sobre culinária japonesa acompanhei essa busca pela receita de salmão marinado. Bom, foi a 1a vez que provei esse salmão black e não achei nada muito especial, aqui fica a minha dica, o atum marinado fica ótimo =)

Seguindo nos serviram também um hot roll que está muito gostoso, super crocante, e também um teppan de salmão caprichadíssimo para uma das pessoas que não comia peixe cru, ela adorou e realmente parecia ótimo!

Para finalizar eles servem de sobremesa algumas opções como sorvete, que não comi, mas o pessoal aprovou!

Agora algumas considerações finais.

O Daian sushi possui um preço competitivo para um rodízio nos dias de hoje, sem dúvida 60 reais é pelo menos 20-30 reais mais barato do que os rodízios top cobram. Mas mesmo assim não é só o preço que importa, o Daian tem alguns pontos para arrumar, o 1o dele é a coordenação entre garçons, sushibar e cozinha. Dá pra ver claramente que as coisas não estavam muito em sintonia, um exemplo é um tempurá que pedimos para 4 pessoas diferentes e no final não veio.

Se o restaurante fizer alguns pequenos acertos com o que já possui, mantendo o preço, dá pra dar um salto, dê apenas satisfazer a vontade de um sushi dos clientes, para os surpreender e os fidelizar.

Abraços

Gourmet San