Restaurante Hideki – delivery de sushi!

Olá a todos!

O Gourmet San está “preguiçoso” nesse frio e ultimamente tem pedido mais sushi delivery para aproveitar e analisar alguns serviços desses! Se você acompanha o blog do Gourmet San e gosta de pedir sushi em casa, sem dúvida leu a review campeã de acessos do Meu Sushi e também a mais recente do Flying Sushi!

Pois bem, desta vez demos um passo adiante e pedimos um sushi de um restaurante japonês bem tradicional e famoso, o Hideki! Há diversas reviews do Hideki aqui no Gourmet San, desde Restaurant Week, passando por buffet no almoço e rodízio no jantar. No quesito delivery o Hideki não possui um serviço próprio, eles terceirizam através do DiskCook!

Para pedir deveria ser fácil, apenas entrar no site deles, realizar o cadastro e fazer seu pedido, porém não foi bem por aí. Logo de cara uma incoerência grande, quando chequei meu CEP na área de entrega ele foi aceito, mas assim que fui finalizar meu pedido deu erro, dizendo que eu estava fora da área de entrega. Resultado, tive de ligar! Até que foi tranquilo, a atendente pegou meus dados, meu pedido, meu CEP foi aprovado mas na hora de pagar não havia opção de pagar direto para o entregador e tive de passar meu cartão de crédito via telefone para o DiskCook e rezar para que todos que trabalham lá ajam de boa fé e não utilizem meu dados para fins indevidos.

Após realizar o pedido o tempo de espera ficou no mesmo que Meu Sushi e do Flying Sushi, por volta de 50 minutos, mas o pessoal do DiskCook  me ligou algumas vezes com dificuldade de encontrar meu endereço e depois o entregador ficou pedindo desculpas de forma muito acintosa, não gostei muito do tom, me pareceu até um pouco irônico ou ele queria gorjeta, algo assim. Porém 15 reais de entrega é demais para o meu gosto para ainda dar algo ao motoboy!

A sacola de entrega do Hideki é muito chique! Parece que você saiu de alguma loja de roupa da Oscar Freire!

Dentro estava tudo arrumadinho!

Vejam o que veio dentro da sacola! De brinde recebi uma mini garrafinha de azeite extra-virgem e uma revista de culinária oriental chamada Hashii.

Agora chegou a hora de analisar cada prato!

Primeiro o mais simples, o gohan, ele veio morno, sendo que gostoso mesmo é bem quentinho, ele estava ok, nada demais. A porção veio bem grande como vocês podem ver na embalagem de papel alumínio, o preço é 3 reais, achei bem barato!

Também pedi 2 duplas de sushi ao preço de 8 reais cada uma: peixe serra e carapau.  Eram as duplinhas mais baratas e que iriam me satisfazer! Vejam abaixo como elas vieram dentro da embalagem:

Terrível correto? Isso vai totalmente contra o que a culinária japonesa preza: harmonia em todos aspectos da refeição, sobretudo na apresentação! O Hideki deveria ter embalagens menorzinhas para acomodar melhor os sushis e eles não saírem rolando assim! Ou colocar recados de que os sushis extras foram inseridos no combinado maior. Bom…antes de comer eu dei uma arrumadinha neles.

Apesar da apresentação terrível, os sushis estavam muito bons não há como negar, a qualidade dos peixes do Hideki é top mesmo!

Deixando de lado os coadjuvantes, vamos partir para o centro das atenções, o Super Combinado Especial compreço de R$135,00! Salgado né? Sim…porém eles oferecem muitos sashimis, nigiris, ovas e sushis exóticos!

Vamos dar uma olhada nele:

A minha primeira surpresa foi sem dúvida os tekkamakis (enrolados de atum) que vieram acompanhados com ovas de salmão (tobiko) em cima! Gostei muito mesmo! Quando você morde as ovas, você sente elas estourando e depois soltando um leve gosto de salmão!

Mas os tekkamakis são o menos importante! Os sashimis do Hideki é que são incríveis! Eles possuem uma grande variedade, e a qualidade é sempre impecável. Neste Combinado Super eles serviram generosas fatias de atum (akami – a parte mais vermelha do peixe), polvo rosado (tako), salmão selado, robalo e vieiras!

Todos peixes estavam muito bons mesmo, o que menos me empolgou infelizmente foi a vieira, as fatias estavam muito finas e acho que faltou algum tempeirinho!

Uma outra parte do Super Combinado foram os nigiris e sushis exóticos! Como nigiris serviram atum semi gordo (chu-toro), atum gordo (o-toro) e de lula (ika), todos eles estavam ok, gostosos, mas nada de sensacionais! Não sei por que mas não consegui sentir muito sabor neles e o arroz do nigiri de alguns estava desmontando.

Os sushis exóticos foram um show a parte!! O primeiro da esquerda pra direita é um enrolado de peixe prego com filhote de enguia e ovas com wasabi. No meio um gunkan de salmão com ovas de salmão! E a direita o mais exótico que já comi! Um enrolado de polvo com ostra apimentada em cima!!! Demais!!!

E por aqui se encerra o delivery do Hideki pedido pelo Gourmet San! Vale a pena? Depende de quanto você está disposto a investir. A comida não é muita, não encherá a barriga, porém a qualidade e variedade realmente é altíssima! Vale a pena uma vez ou outra eu acho!

O único problema real do Hideki são as embalagens de entrega, eles precisam dar um jeito nisso! Os sushis chegam muito bagunçados, revirados etc. É necessário espaços mais compactos para eles ficarem mais firmes e chegarem ao cliente de forma mais apresentável. Alguns nigiris desmontaram, sashimis perdidos no meio dos enfeites de nabo e folhas de shisô.

Abraços

Gourmet San

Restaurante Aya do Chefe Juraci (ex-Jun Sakamoto)

Gente…gente…Gourmet San está ficando mais ousado e vocês verão reviews bem incríveis daqui em diante! O restaurante da vez é o Restaurante Aya, localizado na Rua Pedroso de Moraes, 141, em Pinheiros telefone (11) 3097-9856, (http://www.restauranteaya.com.br/).

O restaurante é novo, não tem nem 1 ano, porém a experiência do chefe é inversamente proporcional! Estamos falando do Juraci, trabalhou como braço direto de Jun Sakamoto por 11 anos, e antes disso foi parte dos badalados Kosushi e Nagayama. Se você acredita em contos de fada essa história é para você, Juraci começou como manobrista, passou para garçom e nas horas livres aprendia um pouco sobre a arte da culinária japonesa! E hoje…chegou onde está: chefe de um dos principais restaurantes japoneses de São Paulo.

Chefe Juraci

Fazia um tempo que eu ameaçava ir ao Aya, porém não foi fácil, eu não tinha idéia de preço e qualquer sushi associado a Jun Sakamoto para mim passa a idéia de algo por volta de 200 reais! Porém desta vez não houve escapatória, pesquisei no site do Aya e vi que o almoço não passava de R$100,00 , e que havia pratos de sushis e sashimis executivos por volta de 70-80 reais. Como para mim o nível esperado de sushi era altíssimo, achei que valia a tentativa!

O restaurante fica na última quadra da Pedroso de Morais antes da Rebouças, e é do lado direito, uma construção de madeira bem moderna com um segurança na porta, não tem erro. Você se aproxima, ele corre para abrir a porta e você adentra a um jardim intermediário que dá acesso ao restaurante, é como se fosse uma salinha de espera. Assim que me aproximo da outra porta o Maître já corre para a abrir. O Maître é uma nota a parte, extremamente bem arrumado, terno, cabelo penteado para trás, dando a impressão de que você está num jantar de um restaurante francês chique (não que eu já tenha ido, porém é a idéia que vem na minha cabeça).

Foi numa segunda-feira, estava “vazio”, alguma mesas a esquerda (umas 4-5), metade ocupada, e o balcão a direita, com uns 12 lugares e apenas um casal sentado, bem a frente do Juraci. Como aquele seria meu lugar escolhido, escolhi para ficar na lateral, com boa visão para os movimentos do itamae (o chefe Juraci)! Antes de vocês me perguntarem sobre o Chefe eu falo! Reconheci o Juraci na hora, já tinha visto foto dele no site do Aya, é uma figura extremamente serena e em harmonia com a posição que ocupa.

Voltando para o principal…a comida, peguei o cardápio para conferir os preços e minha surpresa: sushi executivo por R$43,90! Quase saí correndo e dei o pulo de Pelé de comemoração! Afinal quem estava preparado para gastar uns 80 reais, ver que vai sair quase com metade disso é um alívio! O Sushi executivo consiste heim 9 nigiri sushi e 6 tekkamakis! Além disso pedi também o gohan, arroz japonês sem tempero, que como em todo bom restaurante japonês, é cortesia.

Para minha surpresa me serviram uma entrada! Um delicioso ceviche de peixe branco!

Este ceviche estava muito bom, extremamente bem temperado e refrescante, não tem nem o que dizer, comeria um prato cheio só dele!

Após o ceviche me serviram o combinado de sushi executivo! Vejam abaixo!

Agora, vamos com muita calma pois precisamos analisar cada parte! Primeiro os tekkamakis, o que vou dizer pode soar estranho, porém foi o melhor tekkamaki que já comi na vida! Incrível como é possível fazer coisas tão simples, como um enrolado de atum, melhor do que o esperado! Não sei explicar o motivo de ser tão melhor assim, mas acho que tem a ver talvez com o que o Jiro, do documentário Dreams of Sushi diz, que sushi tem a ver com timing: o peixe fresco, cortado na hora certa, com o arroz na temperatura certa e tudo servido como uma sinfonia!

Deixando um pouco de lado os enrolados de atum, vamos ao main event (evento principal), os nigiris, que deixaram Jun Sakamoto famoso e o que, provavelmente, também é o ponto forte de Juraci! Me serviram 9 nigiris, para meu lamento, 2 de salmão, não vou mentir, não gostei disso mesmo, porém pelo preço acho que até foi “justo”. Todos sushis estavam impecáveis e o mais importante, sabores distintos! Antes de analisar os sushis, vamos dar uma olhada neles mais de perto:

Em cima: atum, salmão, salmão, buri, anchova negra. Abaixo: robalo, saint peter, pargo e serra.

O primeiro que provei foi o robalo, ele chamou minha atenção por essa questão bicolor nele, em metade do nigiri sushi, entre o arroz e o peixe havia uma folha, se não me engano de shisô! Não sei o que dizer do sabor, foi algo totalmente novo para o meu paladar acostumado com nigiris medianos. Começo promissor!

Após o robalo, fui variando, todos estavam bons mesmo, muito melhores do que eu já havia provado na maioria dos lugares! Não tem como citar um a um pois eu precisaria ter anotado cada bocado! Porém o que percebi foram alguns pontos muito interessantes e que mostram esse lado artístico dos nigiri-sushi que eu nem imaginava!

Além da folha de shisô no nigiri de robalo, na construção de outros para o casal que estava na minha frente, vi que Juraci mistura raspas de limão junto ao wasabi e posso estar enganado, mas talvez o chefe tenha usado até wasabi verdadeiro em alguns deles! Pois num momento de desatenção minha o vi pegar algo num potinho, ralar bem rápido e passar no peixe!

Terminei os sushis extremamente satisfeito, na hora da conta uma surpresa, R$ 17,00 de vallet, porém eu tinha ido a pé! Ok, devo ter sido o primeiro cliente a ir a pé! Pedi ao garçom que retirasse o valor, ele o fez e antes de ir embora feliz da vida, informei ao Maître que voltaria para o omakasê (série de pratos e sushi pela escolha do chefe).

Restaurante Aizomê – a pérola do Jardim Paulista

Olá a todos,

É com grande entusiasmo que escrevo o post de hoje. O Gourmet San visitou o famoso restaurante japonês Aizomê, do chefe Shin Koike, que fica na Al. Fernão Cardim, 39,  tel 3251-5157 (www.aizome.com.br). Para quem não sabe, o chefe Shin Koike era o responsável por um dos mais tradicionais e badalados restaurantes japoneses de São Paulo, o A1, que possuía uma aura de algo meio secreto etc…porém este fechou as portas em 2008, ele se localizava alino prédio do Top Center, na Av.Paulista.

Mas, voltando ao Aizomê, um tempo atrás fiquei curioso de ir lá, porém eu simplesmente não achava o local! Passava no endereço e só via comércio, casas familiares e prédios…até que…percebi que uma dessas casas abrigava o Aizomê!! uma jóia, praticamente escondida ali no bairro do Jardins! Ok, mas jóia por que? Bom, é isso que tentarei mostrar a vocês abaixo.

A primeira vista você tem impressão de que está entrando num lugar proíbido, secreto mesmo. Sou saudado pelos garçons, pelos sushimans no balcão (haviam dois) e por uma japonesa extremamente simpática. Vejo que o balcão possui lugares e já fico feliz, ela pergunta onde desejo sentar, eu digo que onde for melhor para eles, ela me retruca e diz: “onde for melhor para você!” Escolho a diagonal do balcão e sento.

Na porta eu havia pego uma filipeta impressa no papel sulfite com o cardápio do almoço, são 4 opções, Udon ou Soba, Almoço Express, Una-ju ou Kaisen-ju e Almoço Especial. Fico com a último opção, cujo preço é o mais alto e sai por 100 reais. Sim, bem salgado para um almoço, porém dentre todas opções, esta me pareceu a que valia mais a pena mesmo (eu levo marmita para o resto do mês, hahaha).

Peço o Almoço Especial e pergunto se o chá verde é cortesia, como bom restaurante japonês, sim, ele é servido sem custo adicional. Junto com o chá me servem a salada abaixo.

Como vocês podem ver, nada de especial, salada de alface, tomate, cenoura e pepino, porém extremamente bem temperada! Você não precisa se preocupar em adicionar sal nem qualquer outro molho, aparentemente eles usam alguns daqueles molhos prontos da Hellmans, ou talvez seja feito lá mesmo de forma caseira. Comi tudo.

Após um momento, me servem a chamada Entrada, que são os tempurás de camarão e vegetais:

Simplesmente deliciosos, todos, todos mesmo. A casquinha é muito leve e saborosa, o camarão e os vegetais são bem temperados, e…há um plus. Como vocês podem ver, eles servem um pedaço de limão sisciliano e uma cumbuquinha com um sal especial. Eu espremo o limão na cumbuca com o sal e depois, com os hashis, pego os tempurás, passo na mistura e como, o resultado é uma explosão de sabor, dessas que você faz careta de tão bom mesmo. Esses tempurás são do nível do Kinoshita, com a diferença de que há o sal especial com o limão.

Na sequência, aguardo os sashimis, na minha frente o sushiman Luciano, oriental, é extremamente focado em seu trabalho e demanda, se há pratos a fazer, ele está em ação, caso contrário, ele limpa seu balcão, e arruma sua faca, e seus hashis metálico de chefe. Ele é responsável pelos sushis (nigiris) enquanto o outro, de seu lado esquerdo, faz o sashimis.

Meu prato chega:O sushiman Luciano me explica o que é cada um, dentro da cumbuca, pedaços de carapau já temperados, a direita, pargo com molho de missô, sobre a rodela de limão, o polvo e o roxo é a chamada ostra vagalume, há também dois cortes generosos de atum, um de buri e um enrolado bem único que não me recordo agora, me desculpem.

Tudo estava sensacional, não vou negar, os sashimis pré temperadas são fora de série, o pargo com missô talvez seja o melhor sashimi que já comi na vida, a ostra vagalume igualmente saborosa, uma surpresa para os olhos e paladar. O polvo, ok apenas , os pedacinhos de carapau muito bons também raspei a cumbuca toda. O atum extremamente macio assim como o buri, peixes de alta qualidade, não há como negar, e com corte japonês, bem grossos, como tem de ser.

Na sequência, o Prato Principal, o carré de cordeiro! Estava bem ansioso para esse prato, afinal cordeiro não é todo dia que você come!

O carré de cordeiro acompanha cogumelos, pimenta biquinho e couve flor. Comecei pelos congumelos, não dava para parar de comer, extremamente bem temperados, dá água na boca só de lembrar, a pimenta biquinho provei pela primeira vez na vida, um pouco receoso, pensei um pouco, mais coloquei na boca, ela não é quase nada ardida e extremamente doce, boa demais! Agora o carré de cordeiro, os temperos utilizados deixam o sabor na medida certa, eu acho que ele poderia ser um pouco maior e também ser servido ao ponto, o meu estavam bem passado, na minha visão perde um pouco o sabor! A crosta é parte essencial do prato, e te faz tentar arrancar até o que cobre o osso de tão boa que é!

Após o cordeiro, chega a hora do que eu realmente queria ver, os sushis, ou melhor, os nigiris!

Eles são 4, o primeiro é o de vieira, diretamente do Canadá, segundo o sushiman Luciano, as vezes eles recebem de Santa Catarina, mas elas são bem menores que as do Canadá. Antes de ser servida, espreme-se limão sisciliano sobre o nigiri. Não há palavras pra descrever o frescor que é, foi a 2a vez que provei, a primeira foi no Kinoshita, mas esse superou em muito minha primeira experiência.

O segundo e terceiro nigiris são de robalo e atum, estão gostosos, nesses dois é possível reparar o conjunto total do prato, o arroz perfeito, o peixe fresco e bem cortado, o wassabi entre o peixe e o arroz e o shoyo que passei com leveza sobre o peixe, tudo isso junto torna ambos nigiris maravilhosos. Nesse momento, apreciando um dos melhores nigiris que já provei na vida, lembro do Jiro, do documentário Dreams of Sushi e penso…se esses do Aizomê são assim, imagina os do Jiro!

Bom, por último, um dos meus favoritos, o de enguia (acima a direita). No Aizomê ela já estava pré cortada, eles preparam um papel alumínio e colocam num forninho elétrico, após um tempo, a retiram, montam o nigiri, colocam tarê por cima e servem, o resultado é acima do esperado. Um dos pontos que faz a diferença nesse nigiri é a fatia generosa de enguia!

Para terminar, servem a sopa de missô com tofu, missoshiro. Gourmet San confessa, não é grande fã, mas tomei boa parte, segue abaixo:

A cumbuca da esquerda foi usada como tampa para manter quente a sopa de missô que era de tofu.

Após a missoshiro, o garçom me pergunta que sobremesa desejo, dentre as escolhas há a chamada sopa de frutas e o sorvete de gengibre e de moti, se entendi bem. Escolhi a sopa de frutas por curiosidade e por ter visto pessoas ao lado com uma enorme taça que parecia deliciosa. Eis a sobremesa:

Bom, assim que chegou e pude provar fiquei chocado, geralmente restaurantes japoneses não possuem como forte a sobremesa, porém no Aizomê é diferente, até a sobremesa me surpreendeu. A sopa de frutas se trata de um sorvete de creme levíssimo, servido com algum tipo de molho…parece gaseificado, não soube identificar, ao redor são lâminas de fruta e casam perfeitamente com o sorvete e o molho, raspei até o talo!

Gente, é isso ae, recomendo a ida ao Aizomê quando puderem, não sei como fuciona o menu do jantar, mas no almoço as opções vão de 38,00 a 100,00 reais. É caro? Sim, mas vale a pena. O serviço é de altíssima qualidade, nota máxima mesmo. Eu nem tive de pedir mais chá, eles passam e servem quando veem que o seu está no fim.

Comparado ao Kinoshita, prefiro o Aizomê, não que o nível da comida seja maior, pois o restaurante do mestre Murakami serve pratos com molhos excepcionais, mas no dia a dia, o Aizomê é uma escolha melhor, com um custo benefício que favorece os desprovidos de uma renda mais avantajada como eu. Se come tão bem quanto, mas por muito menos. Espero retornar em breve!

Até a próxima!

Abraços

Gourmet San

Restaurante Hideki Pinheiros: rodízio com ovas, peixes frescos e mal humor

Olá a todos!

Este provavelmente é o último post do Gourmet San no ano de 2011! Aproveito para agradecer a todos que acompanham o site com as informações da gastronomia japonesa e as reviews dos diversos restaurantes, em 2012 teremos muito mais e com novidades!

O restaurante japonês visitado desta fez é um velho conhecido aqui no Gourmet San, é o Hideki, Rua dos Pinheiros, 70
Tel: 011 3086-0685  (www.hidekisushi.com.br). As primeiras 3 reviews feitas deste restaurante japonês tão famoso foram feitas na unidade da Bela Vista, agora, pela primeira vez, a unidade do bairro de Pinheiros foi a escolhida. Se você ainda não leu as 3 primeira reviews do restaurante Hideki pelo Gourmet San, veja: review 1, review 2 e review 3.

Nesta oportunidade, o Gourmet San teve coragem e encarou o famoso e caro rodízio do Hideki de 85 reais! Sim bem caro não é mesmo? Mas vamos ver a seguir se ele vale a pena afinal das contas, é um rodízio que oferece ovas!

Cheguei cedo, umas 19h e pouco e não sabia o que esperar, afinal tenho aguardado ir neste rodízio faz um bom tempo, estava ansioso! O ambiente é bem diferente da maioria, cheio de detalhes orientais bem variados, mesas a direita, a esquerda um balcão até que grande, estava vazio! Eu, como sempre, ia sentar no balcão, mas como ele estava meio escuro, iria ficar ruim para as fotos, sentei na mesa. Porém havia uma plaquinha na mesa, que eu não tinha visto, e o garçom bem mal humorado me disse que tava reservada, ok, levantei e fui para o balcão mesmo.

Como a maioria dos restaurantes japoneses, achei que algum próprio sushiman iria me atender no balcão, afinal eles estavam em muitos ali, uns 5. Mas não, esperei…esperei…até que tive meio que chamar algum, que me informou que eu deveria pedir ao garçom antes mesmo. Consegui chamar a atenção de um garçom um pouco mais de idade e com muita cara de mal humor. Ele me deu o cardápio para escolher.

Enquanto escolhia, ele me serviu uma entradinha bem peculiar, vejam abaixo:

Ela estava gostosa! Me surpreendeu a sofisticação e mistura dos ingredientes!

Bom, eu fui logo a o que interessa, meu primeiro pedido foi: “um nigiri sushi de cada peixe, um sushi de cada ovas e duas fatias de sashimi de cada peixe menos o peixe prego.”

E aí, de forma ridícula, o garçom arranca o papelzinho de anotações e entrega ao sushiman que estava na minha frente. Algo interessante a se notar é que parte do balcão é responsável pelos sashimis e a outra parte pelos sushis.

Não demoraram muito e me serviram primeiro os sushis:

Todos absolutamente maravilhosos, não há o que dizer…Não mesmo, o arroz, o peixe, as ovas, o polvo, o jow, o camarão, tudo uma delícia e o que eu gostei foi que apresentaram nesse “prato” de madeira, bem tradicionalmente japonês!

Logo após me serviram o sashimis:

Também estavam perfeitos, imagino que os peixes que forneceram essas carnes eram enormes pois a maciez de cada pedaço é fenomenal. Outra fato a se comentar, sem dúvida, é como eles servem os sashimis, numa cumbuca com gelo embaixo, mantendo uma temperatura muito mais agradável! É algo que tentarei levar para meu sushi feito em casa!

Após essa primeira degustação dos clássicos de um restaurante japonês, fui para os extras:

O mesmo garçom, se mostrando prestativo apesar de mal humorado, me ofereceu ostras, pedi 3. Diferente das ostras do buffet do Hideki, estas vieram muito mais preparadas e mais apimentadas, até demais para o meu gosto, acho que exageraram no condimento! Mas estavam boas mesmo assim, serviram em cima do gelo também!

Tempurá de legumes e de camarão. Estavam ambos super sequinhos, uma delícia, apenas achei o tempurá de brócolis muito grande, mas o resto estava fenomenal.

Neste momento, após ter tido um contato maior com os sushimans, não de conversa é claro, mas apenas por terem me entregado os pratos de sushi e sashimi, resolvi pedir mais alguns sushis de ovas. Pedi primeiro o sushi de uni, para quem não sabe, uni são as ovas do ouriço. Pedi para quem me pareceu mais receptivo, porém ledo engano, ele era apenas o aprendiz ali, e foi falar com o sushiman responsável que fez muita cara feia e foi verificar, aparentemente, se uni realmente estava no cardápio do rodízio (mas estava!), após conferir com o garçom, me serviram o sushi abaixo:

Ok…sei que a aparência não ajuda, mas é uma delícia! A consistência é meio molenga mesmo, mas o sabor é de muito frescor! Vale muito, sobretudo num rodízio onde você pode pedir sem dor na consciência de afundar seu bolso!

Bom, entrei no ritmo das ovas e pedi novamente mais. Agora um sushi de cada tipo de ovas que eles tinham:

Me serviram 3 como visto acima, todas muito boas novamente, porém eu pedi 1 de cada!! No meu primeiro combinado me serviram uma laranja, poxa, cadê? Será que não entendem o recado? Fiquei meio decepcionado!

Para finalizar, resolvi pedir uns enrolados de ebi (camarão)…

E também mais uns sashimis de atum…

Como vocês podem ver, esse sashimi de atum não é o mais bonito de todos, (o verde em cima é wassabi que eu já havia colocado). Esses sashimis estavam, inclusive, piorzinhos que o que me serviram no começo! O que aconteceu é que eu estava sentado bem próximo aos filés de atum que são destinados para o sashimi. Eles colocam em uma ordem de qualidade, dos atuns mais magros até os mais gordos. Os gordos estavam lindos, sendo possível ver bem o degradê do claro pro escuro entre as fibras, mas os menos gordos, e provalvemente oriundos das costas do atum (akami), não estavam feios não. Porém levei uma negativa com cara bem fechada do sushiman, por pedir os sashimis mais gordos: “eles não fazem parte do rodízio” e me serviu estes…

A minha experiência gastronômica no rodízio do Hideki foi essa, a comida é sensacional, top mesmo! Eu recomendo, porém houve alguns pontos quanto ao serviço muito desagradáveis. Vou focar um pouco mais nisso agora.

Logo de início a falta de sincronia entre o garçom mal humorado, eu e o sushiman. Depois o sushiman não podia pegar pedidos diretos meus, mesmo eu estando no balcão e eles estando em 5, alguns deles nem uniformizados estavam. Depois, a falta de conhecimento dos próprios sushimans quanto a quais ovas estavam no rodízio e se estavam mesmo…No final o sushiman ranzinza que me negou o atum gordo (até aí tudo bem) e me deu o que parece ser as costas das costas do atum, ou o rabo. E no final, quando fui pagar, até a japonesa do caixa tinha cara de mal humorada, eu ali, pagando quase 100 reais num jantar e ela nem olhando na cara ou agradecendo a visita.

Além disso, no final da minha experiência chegaram outros clientes no sushibar, um deles obviamente é cliente de longa data e nesse momento um dos sushimans foi correndo limpar o balcão deles e servir de maneira pessoal e personalizada! Incrível! Claro que não espero o mesmo tratamento pessoal de quem vai lá sempre, mas no mínimo o mesmo serviço de balcão!

Muito estranho essa disparidade entre o Hideki Bela Vista e o Pinheiros, lá no Bela Vista ganhei até 1 nigiri extra! Ou talvez o forte do Hideki seja o buffet mesmo e não o serviço no balcão, o que é clássico no Japão.

O resultado é, o rodízio é incrível, porém eles são muito mal humorados lá dentro. Só voltarei se as pessoas que estiverem comigo quiserem ir ou eu tenha dinheiro disponível para arriscar um repeteco!

Abraços e bom ano novo!

Gourmet San

Restaurante Original Shundi – experiência gastronômica única (fechado)

Boa noite a todos,

O Gourmet San desta vez traz para vocês uma review de um restaurante japonês um pouco fora dos padrôes do que geralmente é encontrado por aí. No Original Shundi (www.originalshundi.com.br), Rua Dr. Mário Ferraz, 490 – Itaim Bibi, Tel: (11) 3079.0736, você não irá gastar pouco, aliás, você gastará muito se for realmente sentar pra comer o que a casa tem a oferecer. O menu degustação que eu comi custa R$ 230,00! MAS…eu paguei apenas R$ 82, ou seja, imperdível, pois aproveitei uma promoção de compra coletiva que comprei ano passado.

Fui num quarta-feira, restaurante vazio. Sentei-me no balcão e logo fui atendido pelos garçons, super prestativos, e pelo sushiman Ronaldo, que manja muito, como percebi no decorrer do jantar.

O menu degustação possui 10 pratos e a seguir comentarei um a um:

1: Sashimi de Salmão de Polvo no molho ponzu. Uma delícia, receita aparentemente simples, recomendo tentarem em casa! prato 2: sashimis sortidos a escolha do sushiman Ronaldo, todos deliciosos e com uma espessura perfeita, longe daquelas fatias minúsculas da maioria dos restaurantes. Na foto, salmão, atum, prego, serra…prato 3: pedaços de polvo no molho com base no missôprato 4: primeiro prato quente, lula recheada com shimeji! incrivelmente gostoso, essa receita farei em casa!prato 5: Um pouco de tradição, 4 nigiris, camarão, atum, salmão e lula japonesa. Primeira vez que comi nigiri de lula (lula japonesa), tem uma textura mais firme, mto gostoso! Nesse ponto eu já havia conversado bastante com o shushiman Ronaldo e ele percebeu que eu não era dos mais leigos e me ofereceu um shoyo japonês especial, que oferece um sabor melhor.  prato 6: Segundo prato quente, um camarão na manteiga e molho de ervas! Muito saboroso! Talvez o gosto tenha sido um pouco acentuado demais, mas valeu!prato 7: Ponto alto da noite! sem dúvida. Um prato repleto de iguarias, o sushiman Ronaldo ofereceu coisas bem exóticas. Abaixo você vê, filhotes de enguia, de polvo e água-viva! E também algumas fatias de sashimi de salmão.prato 8: pedaços de peixe prego marinado, infelizmente não me agrada muito o peixe prego, mas esse estava bem gostoso, mas talvez um pouco temperado demais.prato 9: Ceviche de frutos do mar variados. Infelizmente esse foi o prato que menos gostei. A prática gastronômica do ceviche as vezes pode ficar um pouco condimentada demais, mas realmente foi uma grande variedade!prato 10: 2 nigiris bem inusitados!  o da esquerda é arenque prensado com ovas. Infelizmente me fugiu o nome agora. Assim que eu lembrar posto aqui!Prato 11 (bònus): Ahá! ganhei um prato extra! o sushiman Ronaldo me perguntou se eu queria algo extra e eu disse que senti falta de um enrolado. Nem precisei falar nada, ele me serviu um delicio enrolado de enguia com atum e molho tarê!Sobremesa e conta: A sobremesa que pedi foi sorvete de gengibre e frutas vermelhas, estava uma delícia. A conta veio numa caixinha, como vocês podem ver. Ela saiu em torno de 18 reais, afinal tive de pagar apenas o serviço e duas bebidas que pedi.

No final das contas o Menu Degustação do Original Shundi vale sim 230 reais! Essa é a opinião do Gourmet San. Ou seja, se um dia você puder gastar isso num restaurante  japonês, vá lá sem medo! Eu paguei 100 reais ao todo (preço no desconto do site de compra coletiva mais bebidas e serviço).

O serviço é nota 10! Parabéns a equipe do Orginal Shundi e agradecimento especiais ao Ronaldo que foi sensacional nos pratos e na conversa!

Nota: enquanto estive lá chegou um casal de uns 50 e poucos anos, sentaram no balcão, pediram 2 temakis e foram embora. Dá pra entender? Você não vai num restaurante desse pra comer temaki…

Caso deseje que seu restaurante também seja analisado, envie email para contato@gourmetsan.com!