A Nova Geração de SP epi 2: Geiko San

Oi gente!

Hoje é o 2o post da série especial onde visito um pouco o que a Nova Geração de restaurantes japoneses de São Paulo está aprontando. Visitarei restaurantes novos (com 5 anos de existência pra menos) mas que estão se destacando no excelente cenário gastronômico japonês da cidade de São Paulo.

Na minha opinião, o melhor restaurante dessa nova geração provavelmente seja o do post de hoje, o Geiko San! Ele possui o pacote completo: ambiente, equipe, sushis e preço. Vamos ver cada ítem desse?

Bom, antes de mais nada o Geiko San fica ali no bairro do Jardins, região nobríssima de SP, então o ponto é fino, chic! O endereço é Rua Haddock Lobo, 1416, São Paulo, Tel: (11) 3061-0150. Fica pertinho da famosa e hype hamburgueria Z-Deli, assim como de muitos outros “picos”gastronômicos.

O ambiente interno é perfeito para um jantar a 2 ou com um pequeno grupo de amigos! O sushibar é demais, assim como as mesinhas, todas e meia luz. Na área do sushibar a equipe do Geiko San ouviu minhas dicas e deixou focos de luz um pouco mais fortes, assim fica mais bacana ainda, afinal os lindos pratos ganham um destaque especial. Se puder, vá de balcão!

A equipe do Geiko San é um capítulo a parte! Quer saber o que é atendimento de alto nível? Vai lá…você vai ver! Tudo começa pelo maitre, o Tiel, que sabe tudo de atendimento ao cliente, ele acompanha tudo, desde a porta até o fundo do restaurante, dando atenção a todos clientes. Os garçons não são menos treinados, são excelentes e surpreendem, sabendo os ingredientes que estão em falta e indicando substituições de pratos na ponta da língua! E por final, os sushimans! Liderados pelo talentoso e sorridente sushiman chefe Fabrizio, a equipe se completa com o Goo e o Eduardo. Todos dão um show de simpatia e de destreza, você não espera muito pela sua comida no Geiko não, eles conversam com os clientes e preparam os pratos sem titubear.

Com todo esse ambiente e equipe, será que a comida é boa? Sim, é das melhores, e com sushis que só eles fazem! Deem uma olhada abaixo como foi meu jantar:

O Geiko San fez uns ajustes, antes possuía séries de 10, 13, 15 sushis (que eu pessoalmente gosto), porém com um volume maior de pedidos, parar e fazer um sushi por vez numa série longa dessa complicava a logística do sushibar. MAS, eles mantiveram uma sequência, que é suficiente. Ela possui 6 sushis (lula trufada, vieira trufada, barriga de salmão, atum com foie gras e salmão pochet).

Cada sushi é especial e único, não tem o que dizer, é o que acontece quando junta-se criatividade, bons ingredientes e técnica! Eu poderia falar aqui de cada sushi, mas prefiro que fique na imaginação e confiram por si mesmos! Corram!

Além desse excelente set de sushi o Geiko San possui outras excelentes opções no lindo cardápio deles, como o farto carpaccio de Salmão, salmão crispy (baterá de arroz frito), caterpillar roll e sushi unitários incríveis como como o de lula e uni e o de polvo puxado no azeite com aspargos!

E como eu disse anteriormente, você não vai esperar muito, eles são rápidos e até possuem um sistema especial de comunicação eletrônica com a cozinha. Profissionalismo na ponta da faca.

Se você quer ver mais sushis ainda do Geiko San não deixe de ler a minha primeira review.

Para finalizar, o preço. Você pode ir no lá e gastar 70 ou 200 reais, depende de quanto você quer comer, em outros restaurante fica difícil gastar pouco. Bom não estou sendo muito direto mas vou dar o caminho para vocês terem um jantar de absoluto sucesso: peçam um carpaccio e outras entradinhas como o crispy rice que são bem servidas e tem ótimo preço. Depois peça algum enrolado especial e sushi unitários que também possuem bom preço. Por final, vale muito a pena pegar algum temaki especial e o sushi set especial que citei acima.

O Geiko é completo e esse post é sobre o quanto completo ele é!

Visite-os, recomendo, mas chegue e cedo e só a noite, pois eles não abrem no almoço

Abraços

Gourmet San 

A Nova Geração de SP epi 1: Nakka

Hoje começamos no Gourmet San uma nova série especial que mostrará para vocês um pouco do que a Nova Geração de restaurantes japoneses de São Paulo está aprontando.

Analisaremos restaurantes novos (com 5 anos de existência pra menos) mas que estão se destacando no excelente cenário gastronômico japonês da cidade de São Paulo.

O primeiro restaurante dessa série é o Nakka! O conheci visitando o recém extinto BOS BBQ, excelente casa de carnes com cortes norte-americanos. Eles ficam quase na mesma quadra, o endereço é Rua Pedroso Alvarenga, 890. O valor por pessoa no Nakka varia entre 100 e 150 reais por pessoa se você realmente sentar pra comer, se for só pra beliscar pode sair menos.

Ele tem uma grande importância pois me abriu os olhos e percebi a nova tendência que estava se estabelecendo, sushis sofisticados em preparo e ingredientes. Eu tive uma experiência em especial (leia aqui), que foi absurda, não é a toa que chamei de um dos melhores jantares da vida. Foi um show de sabores, texturas e técnica do Régis Shiguematsu (hoje já saiu da casa mas deixou o talentoso Hermes Takeda no comando).

Bom, falando de ingredientes, vale a pena dizer que, assim como todos outros restaurantes dessa série, uma característica do Nakka é trabalhar com ingredientes excelentes, só compram o que tem de bom e melhor, ou pelo menos tentam e investem para isso, e acreditem, faz muita diferença! O próprio Alex Atala já disse que a maior parte do mérito de um prato é o ingrediente e o restante a técnica.

Fiz questão de visitar o Nakka mais uma vez antes de fazer essa review, então abaixo farei um compilado sobre minha reviews anteriores e essa última, okey dokie? Então vamos lá!

Vamos lembrar antes que Nakka é muito bonito (assinado por Naoki Otake), moderno, estiloso, eu diria que talvez ele seja como eu imaginaria meu restaurante se tivesse que montar um (a não ser claro que fosse meu outro desejo, um sushibar estilo Hamatyo). Nesse ambiente bonito o destaque é o sushibar sem dúvida nenhuma, eles capricharam!

Sobre o cardápio, o Nakka tem boas opções, sashimis variados e com cortes japoneses (grossos), sushis com fatias generosas, bem cortados e finalizados com diferentes temperos (azeites, trufas, ovas, sais, chamuscados). Eles possuem também algumas opções de robata que inclusive servem no menu executivo pro almoço e até hot rolls!

Vamos analisar os pratos? Fiz abaixo uma galeria com os principais pratos que já me serviram no Nakka, deem uma olhada em cada um com calma!

Os destaques são os nigiris, eles capricham! Os sushis são muito bem preparados e cada um recebe uma atenção especial. Como eu disse acima, muitos desses sushis do Nakka me abriram os olhos e o paladar. Por exemplo, eles não servem a lula crua, eles cozinham por um tempo curtíssimo para ela ficar mais macio, o que é excelente para agradar a um público não tão acostumado com o tradicional.

O restaurante também sabe o que funciona, a barriga de salmão é chamuscada ou com raspas de limão sisciliano, o atum com um foie gras dos grandes entre outros acertos que vale a pena conferir.

Preciso mencionar o baterá, o melhor que já comi! Sim, o Nakka tem o melhor batera que já provei! Como? Arroz bem temperado, peixe excelente, ovas e talvez o principal: flocos de tempurá nota 10. Vou te dizer que parece simples, mas não é, fazer tudo bem é onde mora o segredo.

Se formos analisar o cardápio todo, o Sushi Nakka (ou Sushi Especial) é o que vocês precisam pedir,  vem 8 nigiris especiais, selecionados do dia! Você vê dois desses pedidos meus nas fotos acima.

Agora vamos falar de alguns pontos que o Nakka pode melhorar ainda? Sempre é bom tentar melhorar! Acho que os carpaccios poderiam vir em maior quantidade, o sushi de kobe beef poderia ser em fatia e não um bolinho (perde sabor). Fora isso, o Nakka só precisa ficar atento em manter o alto nível dos nigiris, percebi que os cortes e preparo dos nigiris mudou um pouco com a saída de Régis Shiguematsu. Mas isso é só um desafio para o excelente Hermes Takeda suprir com o tempo.

Já foi ao Nakka? Me diga como foi! Não foi ainda? Me conte sua experiência depois!

Abraços!

Gourmet San

Junji – Jun Sakamoto abre nova casa e educa sobre o uso do shoyu

Oi gente, tudo bom?

Tento  ser rápido na medida do possível e visitar os restaurantes famosos que aparecem! E desta vez eu consegui! Visitei o Junji, restaurante novo do Jun Sakamoto! Ele fica localizado no Shopping Iguatemi, na Av. Brigadeiro Faria Lima, 2.232, Jardim Paulistano.

Essa review não pode ser simples, pois afinal de conta estamos falando do Jun Sakamoto, um dos maiores chefes de sushi (verdadeiro itamae) do Brasil. Ele ficou conhecido nacionalmente por dirigir um dos melhores, se não o melhor sushibar do Brasil. Inclusive já fizemos uma review de lá (leia aqui). Também vale mencionar que o livro do Jun, Virtuose do Sushi, é excelente e vale 100% a leitura!

Bom, depois de bons anos, o Jun abre esse novo restaurante com um novo conceito, nada de Menu Degustação de 300 reais feito por ele mesmo mas sim um restaurante a la carte com bons ingredientes, entrando num mercado bem disputado já em São Paulo. É claro que o nome do Jun Sakamoto ajuda a atrair clientes.

Bom, fui ao Junji numa quarta-feira a noite e foi super fácil achá-lo dentro do shopping, aliás, é só perguntar a qualquer segurança que eles sabem indicar. O restaurante fica num lugar bem bacana e pega uma área com vidros pra fora, perfeito para encontros românticos (mesmo dentro do shopping) e qualquer outra ocasião especial. Mas lembre-se que a clientela Jun e Iguatemi não acham nada demais pagar 100-150 reais (ou até mais) numa refeição qualquer. Então não se espante se você for lá para um jantar especial e ter alguém comendo lá de forma corriqueira, aliás foi o que eu fiz, então queimo minha língua, mas fui numa missão de conhecer o restaurante, rs.

Vale a pena mencionar que o Junji não possui sushibar, então é realmente um recado do Jun: “não tentem comparar, não quero que seja e nem é o mesmo restaurante, a proposta é outra”

Não deixo vocês na imaginação, deem uma olhada no ambiente:

Esse é só um relance mesmo, todas mesas já montadas e com copos para vinhos ou saquês importados, coisa fina! Não tirei mais fotos afinal estava no Iguatemi e tenho certeza que os clientes poderiam chiar. A direita de onde sentei é a parte da “varanda” que eu realmente recomendo.

Outro ponto excepcional do Junji é uma lição do Jun Sakamoto a todos os clientes, ele ensina a comer sushi corretamente, e como ele faz isso? Da maneira abaixo:

Não há “nozoki”, aquele clássico recipiente para despejar shoyu, você coloca o molho de soja nesse mini copinho e depois passa o pincel nele e posteriormente sobre o sushi, na parte do peixe. Como se fosse uma versão popular e pessoal do que o Jiro faz abaixo:

Então, eu pessoalmente, tenho muito a agradecer ao Jun, pois ele encarna um cargo como educador da culinária japonesa do sushi. Arigatô Jun, seu esforço é honroso mesmo.

Para beber, pedi um chá, que veio no maior copo de cerâmica que já vi na vida, o negócio era bruto:

Vish Maria, nem falei de comida ainda! Como eu não estava com muita fome, pedi um prato só, o Sushi Especial, que sai por 100 reais. Eles não demorou muito a vir! Vejam abaixo o combinado:

Ponto número 1, quantidade muito boa, 19 peças. É o suficiente para matar a fome. Os bons uramakis de atum ajudam nessa função.

Ponto número 2, nigiris de atuns lindos e bem cortados, muito bons e bem fartos. Veja abaixo que merece um zoom:

Ponto número 3, salmão demais! Num combinado chamado Sushi Especial, cadê ovas? vieira? lula? unagui?

Concordo que um espaço no Iguatemi não é barato, mas eu esperava maior variedade. Se fosse 1 de barriga de salmão chamuscada e mais 1 diferente como esses que citei acho que seria perfeito.

E não achem que esqueci, mas sim, tem um sushi diferente ali no meio, um clássico do Jun, o sushi de tempurá de enguia! Não vou negar que ele é delicioso, mas ele ficou meio perdido ali no combinado.

Terminei e fiquei satisfeito como mencionei acima, só achei que pecaram no excesso de salmão, mas é só um ajuste a ser feito.

Ficou um gostinho de quero mais pois o cardápio tem muita coisa boa! Aliás, se tiver a chance, recomendo que peça em duplas os sushis e vá para os sushis melhores: uni (ovas de ouriço), ika (lula), vieira (hotate), unagui (enguia de água doce) etc…etc…

Não sei quando retornarei ao Junji, mas quando retornar esses serão meus pedidos, certeza!

Curtiu o Junji? Já foi lá?

Abraços

Gourmet San

EN Japanese Brasserie: lugar mítico em NY

Olá a todos,

Essa review é uma das mais importantes reviews que já escrevi! Ela é importante devido ao lugar que visitei, se trata da EN Japanese Brasserie, localizada em NY, na 435 Hudson St. O nome já é estranho né? Brasserie remete a um lugar descontraído e requintado e é tudo isso que a EN Brasserie é.

Antes de ir para NY perguntei a alguns amigos meus orientais que moram em NY onde eu deveria ir…óbvio que eu esperava ouvir nomes como Morimoto e Nobu, e ouvi, mas eu não esperava qualquer outro nome repetido, mas foi justamente a EN Brasserie que foi citada mais de 2-3 vezes, fiquei abismado.

Desta maneira, fiz questão de reservar e nos dirigimos ao local, era noite. Logo que dei o primeiro passo dentro do restaurante percebi que deveria ter ido mais bem arrumado, o lugar é lindo, lindo, lindo, lindo mesmo! Totalmente moderno e meio cult, ambiente escuro com uma decoração impecável. Aliás todas pessoas razoavelmente bem arrumadas.

Eu tinha reservado balcão, então ali sentamos. De frente para nós não era um sushibar e sim a cozinha inteira, aberta, lembrando um pouco o estilo do Kinoshita. Aliás, o restaurante lembra bem o Kinoshita! Nos acomodamos e logo um garçon japonês de barbicha e meio cabeludo veio nos trazer o menu.

O menu é um capítulo a parte, totalmente diferente do que eu imaginava, trabalhando conceitos de sazonalidade de ingredientes ao extremo, eles oferecem opções de combinações de pratos diferentes, bem diferentes! O foco ali não é sushi nem sashimi e sim pratos japoneses mesmo, alguns que eu nunca havia ouvido falar.

Para começar pedimos um chá, afinal estava bem frio na cidade. Vale a pena dizer que lá eles não servem ou entendem por bancha, o mais comum é o sencha!

Estava delicioso, super quente e o principal foi esse recipiente de ferro onde o chá ficava armazenado, eu juro, pesava uns 2kg, incrível!

Para começar pedimos um tempurá de legumes! Ah, aqui vai uma dica, não enrolem muito para pedir, primeiro por que os americanos não gostam, e segundo por que demora um pouquinho. Mas vejam a seguir que lindo tempura:

Eles estavam muito bons, aliás, muito bem temperados. Não foi o melhor tempurá da minha vida, mas o conceito sim, veja os 2 pós ali do lado. Um deles é um sal diferente (o amarelo) e o outro é um pó especial de wasabi (o verde). Se não me engano, foi no próprio Kinoshita que comi um com o conceito similar.

A seguir pedimos um uramaki de spicy tuna, ou seja, um enrolado de atum apimentado:

Esse foi um uramaki perfeito. Arroz delicioso, atum nota 10 e picância na medida certa. Todos elementos trabalham muito bem juntos, mas realmente o atum elevou o prato a outro nível, sem dúvida nenhuma era um peixe de altíssima qualidade, eles desmanchava na boca.

Para finalizar resolvemos pegar um bem diferente, um enrolado de snowcrab (algo como caranguejo das neves ou do inverno, hahaha). Mas vou ser sincero, não sabíamos muito o que esperar. Vale a pena dizer que um dos motivos que nos fez pedir esse sushi foi o molho a base de missô que acompanha:

Quando chegou ficamos bem contentes, sobretudo pelos fartos enrolados, eram bem grandes. O sushi em si é uma delícia, o snowcrab é empanado, então se trata de um Tempura Snowcrab Roll. Essa folha amarela do lado de fora do sushi é folha de arroz, então indo um pouco além, esse sushi é algo como um Tempura Snowcrab Roll on Rice Paper, hahaha.

Agora vamos falar do principal, o molho a base de missô, pois é, não é o sushi! Este molho é um dos melhores que já provei na vida. Sabe aquele molho a base de missô que acompanha alguns sashimis? Pois bem, esse era mil vezes melhor, algo que nunca havia provado mesmo, impressionante, um sabor característico do missô, meio docinho, mas super equilibrado. Sem dúvida é algum receita japonesa onde o molho fica fervendo no fogo baixo por horas ou até dias.

Bom, infelizmente tivemos de terminar nosso jantar sem pedir outros pratos pois já tinha dado 80 e poucos dólares, um pouco carinho. Mas fica a minha dica para um dos mais fantásticos restaurantes japoneses que eu já fui na vida! Fico devendo pra próxima visita pedir um dos menus especiais sazonais do EN Brasserie.

Vai para NY, alguém vai? Anota esse na lista!

Abraços

Gourmet San

Sushi Cake! Novidade da Sweet Sushi!

Olá a todos,

Além de vocês que sempre me mandam novidades, meus amigos e familiares sempre comentam comigo suas experiências em restaurantes, pedem dicas ou falam para combinarmos de ir a algum sushi ou fazer em casa. Ou seja, estou sempre cercado por informações de comida japonesa por todos os cantos!

Desta maneira, novidades batem a minha porta sempre! Desta vez foi algo que eu já tinha visto por aí “nas internets”, mas nunca tinha nem pensado que iria provar. Estou falando de sushicake (bolos de sushis), ou de sushis em formato de bolo!

Antes que vocês comecem a torcer ou nariz ou fazer cara feia, podem parar, isso já existe faz um bom tempo no exterior e grandes chefes já aprovaram, como o Morimoto (que foi um Iron Chef original), e é um dos maiores nomes da culinária japonesa do mundo.

Vocês então devem estar se perguntando: “mas então Gourmet San, nos diga, é bom? onde? quanto? como??”

Ok, vamos lá! Aqui em São Paulo temos uma empresa pioneira em sushi cakes (sushis em formato de bolo) que é a Sweet Sushi! Eles acabaram de começar as operações e já estão fazendo sucesso! Claro que fiquei sabendo rapidamente deles e fiz questão de ver qual que é a desse sushi em formato de bolo!

Por enquanto eles não possuem site, mas possuem uma fanpage no facebook e aceitam pedidos por lá, por email (sweetsushisp@gmail.com) ou telefone (11 95874-5248). Achei que eles estariam sem movimento, afinal acabaram de abrir, mas a coisa ta indo bem aparentemente, pois fiz um pedido correndo em cima no dia 23/12 e eles só puderem me enviar no dia 24/12 depois do almoço. Ou seja, programem-se, caso queiram provar um bolo de sushi no jantar, peçam no horário do almoço. Os bolos não estão prontos, como estamos falando de sushi

Eu pedi 2 bolos de tamanho P, que servem 2-3 pessoas e custam 70 reais cada um, ou seja, mais ou menos de 25-35 reais por pessoa, bem menos do que qualquer rodízio de comida japonesa! Bom, vamos ver se vale a pena abaixo?

Sushicake 1: Sweet & Spicy

Sushicake de salmão com raspas de limão, avocado e mais alguns ingredientes que não consegui decifrar. Para cortar é bem fácil, aliás muito mais do que um bolo normal, pois o arroz cede bem mas como o bolo é bem montado, ele não desmonta em nenhum momento.

O sabor desse sushicake é excelente! Ele traz a combinação de salmão com raspas de limão, que é classicamente conhecida e funciona muitíssimo bem. Além disso, o avocado (abacate) trabalha super bem e vale lembrar que ele é ingrediente comum na culinária japonesa nos EUA. Infelizmente os abacates estavam um pouquinho desformes, isso é por que não eram avocados.

Vejam abaixo o bolo de outro ângulo.

Pois é, dá pra ver que vai bastante salmão, não é um bolo de arroz. Para melhorar ainda mais esse bolo é só colocar um pouquinho de shoyu ou tarê, e foi o que eu fiz! Agora vamos ao  outro bolo!

Sushicake 2: Salmão Sweet & Frutas

Bonito né? Esse é um sushicake muito mais complexo, ele leva diversas frutas como morango, cerejas, amoras, manga além do avocado e essas foram a que percebi. Sendo bem sincero, foi um pouco fruta demais, mas estava gostoso também, apesar de eu ter preferido o sushicake anterior. Quando cortei o bolo percebi que tinha muito mais ainda, vejam abaixo.

Dentre os ingredientes ainda percebi o gergelim e filamentos de algum vegetal (talvez cebolinha e alga-nori). Diferente do outro, esse não acrescentei nem shoyu ou molho tarê, mas acho que caberia muito bem também. Vale a pena comentar que as frutas selecionadas combinam bem com o salmão e o arroz adocicado, então tudo caminha bem.

Mas vamos lá, é necessário fazer uma análise mais ampla do conceito desses sushicakes e não apenas dos sabores de cada um. Isso é muito importante pois a todos que mostrei o sushicake acharam estranho a primeira vista, com preconceito obviamente, mas depois de provarem a coisa mudou, davam uma risadinha e diziam: “não é que funciona mesmo? gostoso heim!”

Os sushicakes ou bolos de sushis, vão mais para o lado dos sushis do que de bolos, então não pense em algo como um pão-de-ló, suspiro e salmão e sim como um sushi grande com um trabalho especial. Para ser mais preciso ainda, eu diria que se trata de uma versão maior e mais bem elaborada dos bateras, famosos sushis prensados.

O sabor também não é algo super doce como os bolos normais, mas ele segue a linha de sushis agridoces que temos hoje em dia, portanto se trata de uma versão maior de sushis.

A Sweet Sushi possui diversas opções em seu cardápio, inclusive opções servidas em copos, vale a pena conferir, eu gostei muito da novidade!

Abraços

Gourmet San

Menu Degustação do Aze Sushi!

Olá a todos!

Depois de muitas e muitas excelentes visitas ao Aze Sushi, passando por menus executivos, tirashi, combinados de sushis e sashimis e sequências de sushis finalmente chegou a hora! Como prometido a mim mesmo, provei o Menu Degustação do Aze Sushi e do Chefe Edson Yamashita!

O Aze Sushi se não me engano tem 3 Menus Degustação, o menor com 6 pratos e o maior com 10 pratos. Por sorte, o meu colega Will, que é o responsável pela Série Especial visitando os 6 melhores restaurantes japoneses de SP em 6 semanas, já tinha conferido o Menu Degustação de 10 pratos e disse que era comida demais! Dessa maneira eu já tinha tiro certeiro, o Menu Degustação de 6 pratos por 160 reais mais o desconto de 30% do Grubster ou Chefs Club!

Além da dica do Will, o próprio Edson Yamashita e o gente finíssima sushiman Fabinho Takao também recomendaram o Menu Degustação menor, pois ele já daria conta da minha fome e também cobriria o proposto de mostrar pratos diferentes do restaurante.

Vai uma dica preciosa, menu degustação é para se comer no balcão! Não vai sentar na mesa e pedir um pois não vai ser tão legal! Chegando de churumelas, vamos ao sensacional Menu Degustação do Aze Sushi servido pelo Takao!

Como de praxe no Aze Sushi, eles sempre começam um combinado no balcão com belas fatias do melhor atum que eles tiverem no dia:

Enquanto isso Takao preparava o que seria um começo fenomenal do Menu Degustação, um destaque da noite, o chamado “ovo perfeito”:

Se trata de um shot servido com um molho cítrico, cubos de atum, temperos incríveis e uma gema de ovo de codorna cozida a um ponto perfeito! Nada a declarar, eu terminei e olhei pro Takao e disse: vocês começam assim o Menu? O que vem depois então?!” Difícil descrever esse shot, tudo combina perfeitamente, o atum, o molho cítrico e obviamente o ovo!

Para contrastar com o sabor cítrico da entrada serviram este caldo umami com legumes cozidos:

Para quem não sabe, umami é o chamado 5o sabor, sim, sabe além do doce, azedo, amargo e o salgado? Umami é aquele sabor delicioso que você termina com um “ahhhh” e te fazer querer mais. Ou seja, parece um prato simples mas traz muito mais.

A seguir mais um sashimi, o peixe do momento em muitos restaurantes japoneses, bijupirá, servido com um molho especial.

 

E abaixo um dos melhores  polvos que você comerá em São Paulo (depois do Sushi Kan, do mestre Egashira). O polvo é tão macio que você se pergunta o que comia até então em sua vida. Vale lembrar que o Edson trabalhou no Shin Zushi com o Egashira e eles se conhecem muito bem, então a receita do polvo é provavelmente a mesma.

Logo depois um outro lado da culinária japonesa, um peixe assado com um belo tamanho:

Vou contar pra vocês, o peixe sozinho seria uma refeição, ou boa parte de um teishoku! Peixe super saboroso, mas vou confessar que não foi fácil comer com os hashis, era necessário um garfo e faca, pois a pele se estendia um pouco na mordida e ficava um pouco difícil. Aliás, fica uma dica pro pessoal do Aze, talvez seja legal oferecer algumas opções de peixe assado, como a anchova e o salmão.

A seguir mais um prato quente excelente, barriga de porco com nabo:

Assim que o prato foi servido o Takao me disse que, por incrível que pareça, o melhor do prato era o nabo! E era mesmo! O nabo super macio, fofinho e cheio de sabor desse caldo do prato. A panceta estava boa também, mas o nabo era incrível!

Para vocês terem uma idéia, esse é sim o Menu Degustação de 6 pratos, pois todos os sashimis contam como 1 prato, então somando todos, tivemos até agora os 5 pratos diferentes e ainda falta 1, os sushis!

O primeiro sushi já foi um dos meus favoritos: lula com melhor estilo de corte possível!

Depois sushi de buri com raspas de limão, mais refrescante impossível!

Claro o sushi de camarão com pasta de missô, o melhor sushi de camarão da cidade! E já digo isso faz tempo!

O excelente e clássico sushi de pargo:

E para finalizar um belo sushi de atum chu-toro!

Além desses sushis, eles serviram outros também como uni e vieira, mas eu quis mostrar acima apenas os que mais se destacaram!

Gente, vou dizer, é comida pra caramba!!! O preço de 160 reais é o cheio, mas com 30% de desconto do Chef`s Club ou do Grubster fica de graça e com um custo benefício quase imbatível. Por isso que o Aze Sushi talvez seja a melhor opção de restaurante japonês de São Paulo, levando em consideração o custo benefício!

Abraços e até a próxima!

Gourmet San

Aze Sushi e sua excelente equipe surpreendem!

Olá a todos!

Se tem algo que eu sempre prego por aqui é que conheçam o sushiman ou o sushi chefe do restaurante que vocês visitam, isso faz vocês entenderem o potencial do restaurante e também a chance de tirarem máximo proveito de sua experiência gastronômica!

O Aze Sushi é um restaurante japonês que possui um grande chefe, o Edson Yamashita! Aliás, recentemente acho que o Edson visitou o Japão e deixou seu restaurante nas mãos de seus sushimans! Em muitos restaurantes isso seria motivo para uma queda na qualidade, mas em restaurante bom isso não acontece, mesmo sem a supervisão do Edson tive um dos melhores jantares no Aze Sushi, com sushis simplesmente incríveis, acompanhe!

Eu e meus amigos sentamos no balcão e pedimos 2 combinados Tokujo para cada um, que é basicamente a melhor opção para um bom jantar individual, o valor é de 95 reais (por tokujo) se não me engano, mas você ainda pode conseguir 30% de desconto se usar o Grubster ou o Chefs Club! Vale dizer que com 1 tokujo já se fica satisfeito, mas estávamos com fome e comemos muito, então fomos de 2 mesmo.

Aqui digo: faz toda diferença sentar no balcão, o sushiman serve um sushi por vez, o que é o ideal, e já temperados também! Além disso você vai conversando com ele e vai contando suas preferências!

Sem mais delongas, vamos apenas aos principais sushis que foram servidos.

Começamos com algo que não se tem todo dia: sushi de barriga de atum!

Ele estava simplesmente demais! Toro não se tem todo dia, depende de disponibilidade e também da qualidade do peixe, afinal não é toda barriga de atum que você pode considerar gorda o suficiente. Esse atum é o famoso bati (bachi) e ele estava com essa consistência pois há uma técnica de se aproveitar o máximo do toro disponível, retirando ele com uma colher. A noite começou bem!

Na sequência, outro toro, mas desta vez de buri (olho-de-boi)!

Este é um dos meus peixes preferidos juntos com o carapau! Ele foi servido com raspas de limão e estava mais refrescante impossível, nota 10! É um daqueles sushis que é difícil ficar melhor! Buri toro é divino, já comi um excelente também servido pela Sushiwoman Alice no Dô Culinária Japonesa.

Durante esses 2 Tokujos que comemos, o sushiman nos serviu 2 sushis de uni (ovas de ouriço), um melhor que o outro!

O primeiro, abaixo, é um sushi de uni com flocos de bonito desidratado por cima!

Absurdo! Foi um sushi que nunca tinha comido antes e os flocos de bonito combinam muito bem!

No segundo tokujo nos serviram um sushi maior ainda de uni, fartura pura, e com nori chocante por cima:

Apesar deste segundo sushi ter mais uni, achei o primeiro com mais sabor devido aos flocos de bonito desidratados (que aliás é base para o caldo dashi). Foi inesperadamente bom comer 2 sushis de uni diferentes na mesma noite!

Também nos serviram num copinho de shot uma mistura de arroz para sushi (shari), ikur (ovas de salmão) e gema de ovo de codorna!

Não foi muito fácil comer, mas assumo, comi da forma errada, usei a pasinha de madeira como colher, mas eu deveria ter apenas ter virado o copo na boca e ajudado a empurrar com a pasinha. Mas vamos falar do sushi, talvez esse seja dos melhores em termos de trabalho com a textura, pois as ovas de salmão explodem na boca, e o shari e a gema de codorna complementam de formas diferentes também. Ou seja é um espetáculo de texturas e sabores.

Na sequência, um clássico que o Aze Sushi sempre serve, vieira com raspas de limão!

Já conheci muitas pessoas que nunca tinham provado vieira e ficaram com um pé atrás para experimentar. Mas não tem erro, vieira é um dos alimentos crus mais deliciosos do mundo e fica melhor ainda com raspas de limão!

Agora um dos meus favoritos, sushi de lula (ika):

O sushi de lula pode ser muito “travesso” pois ele precisa ser bem trabalhado se não fica intragável. Claro que não é o caso desse acima do Aze Sushi. Com cortes precisos e na melhor técnica a la Shin Zushi, o sushi veio do jeito que prefiro, acompanhado de shisso e com momijo oroshi em cima, não tem o que melhorar, nota 10! Engraçado que apesar de ir em direção oposta ao sushi de lula do Nakka e do Geiko San, esse é tão bom quanto!

Para finalizar, não posso esquecer que no segundo tokujo repetiram a dose com um toro melhor ainda que o primeiro:

E com um sushi de atum com folha de shisso e ovas:

Esse segundo sushi mostra como o atum é um dos peixes mais flexíveis e versáteis que há (ou será que é a habilidade do sushiman, né?). Parecia outro peixe, tudo diferente, demais!

Bom gente, como mencionei no início do post, esses sushis foram o destaque dos 2 tokujos que comi, claro que tiveram muitos outros, afinal o tokujo consiste em 10 sushi (se não me engano) e mais 6 tekkamakis (enrolados de atum) ou um temaki.

Vale muito a pena! Muito! Mas só se você sentar no balcão, caso contrário grande parte da experiência se perde.

Forte abraço e até a próxima

Gourmet San

Geiko San rouba a cena em São Paulo!

Olá amantes da culinária japonesa, tudo bom?

Hoje escrevo esse post com empolgação! Sabe quando acontece ou acontecerá algo muito legal e você fica extremamente empolgado? Pois bem, é assim que me sinto agora!

A review de hoje é sobre um dos melhores restaurantes japoneses que já fui na vida, o Geiko San! Localizado na Rua Haddock Lobo, 1416, São Paulo, Tel: (11) 3061-0150, é fácil de passar batido por sua entrada pequena que precisa concorrer com tantas outras vitrines nessa rua concorrida.

Eu já tinha reparado no Geiko San alguns meses atrás, pois ele fica ao lado do Z-Deli, onde já fui comer hambúrgueres excelentes, mas todas as vezes ele estava fechado. Agora já sei o motivo: eles abrem de Segunda a Sábado apenas a noite, (19h30).

Mas vamos lá, sem enrolações, como eu sempre digo!

Cheguei ao restaurante cedo.  Fomos os primeiros a entrar, às 19h30 em ponto,  e a casa já estava pronta para receber os clientes. O ambiente é muito, mas muito bonito mesmo, perfeito para um jantar tranquilo e com certa privacidade. A iluminação indireta e a decoração nada convencional deixa o ambiente aconchegante e sofisticado ao mesmo tempo, com certeza escolheria o Geiko-San para impressionar em um jantar especial. Além do andar térreo, que comporta o balcão e algumas mesas, há um segundo andar com um número bom de mesas e um terraço muito legal para as noites quentes!

Sentamos no balcão, bem de frente do sushiman que dirige a casa, Fabrizio Matsumoto, que passou anos no famoso e sempre cheio Nagayama! Aliás, Fabrizio também trabalhou  já nos EUA, então os sushis dele são fartos e cheios de inspiração.

O Geiko tem uma extensa e impressionante oferta de sushis, iguarias e pratos bacanas, mas se você puder, deixe nas mãos do Fabrizio te guiar pelo melhor do dia e foi assim que fizemos!

O Fabrizio é daquelas pessoas que sorri enquanto fala, não por que ele acha graça de algo, mas simplesmente porque é o jeito dele, então logo de cara ele deixa o ambiente bem mais descontraído, o que é ótimo para quem gosta de interagir e aprender com o sushiman a sua frente.

Começamos com o que a casa tinha de mais especial no dia, toro de atum bati (bachi):

Desculpem pela má qualidade da foto! Só depois vi que ficou assim =(. Mas vamos falar do sushi! Ele estava excepcional, o Geiko San não é daqueles restaurantes que vende gato por lebre, se é Toro, é Toro, se é Chu-toro, é Chu-toro, e assim por diante. Afinal, já vi em muitos restaurantes falaram, “quer um torozinho?” E em seguida servem um “semi” chu-toro! O atum gordo (Toro) derrete na boca e o sabor é totalmente diferente do akami (parte das costas do atum e mais vermelha).

Em seguida nos serviram um dos sushis que já se estabeleceu como um “must” em casas de culinária japonesa com tendência mais contemporânea, o sushi de barriga de salmão com raspas de limão sisciliano!

O sushi estava perfeito, foi nesse momento que percebi que o sushi lá tem o tamanho perfeito, ele enche sua boca de sabor, não sendo pequeno nem grande demais! Nessa hora já sabíamos que o nível do jantar seria incrível.

Logo depois nos serviram um robalo fresquíssimo com um filete de shiso e momiji oroshi (que é nabo mistura com uma pimenta):

Novamente desculpe pela qualidade da foto, essa foi a última, trocamos de celular logo em seguida! Bom, o grande trunfo desse sushi de robalo é a tira fina de shiso entre o peixe e o arroz. É comum restaurantes japoneses colocarem uma folha inteira abaixo do peixe, o que transforma o sushi num sushi de shiso, o que não é legal, pois o sabor é muito forte! Esse ficou na medida, muito balanceado e cheio de sabor!

Agora o Fabrízio iniciou sua sequência de apelação, ele deve ter pensado “ok, comecei leve com eles, ta na hora de motrar o que fazemos de diferente” . Abaixo vocês veem um sushi de camarão excelente, servido com maionese apimentada e nori crocante!

Simplesmente demais! Tudo combina, é daqueles sushis que você pensa logo em fazer em casa, pois é prático, fácil de fazer e de comer, além de delicioso! Vale a pena comentar que o camarão era um senhor camarão, dos graúdos!

A seguir, um sushi que se tornou um dos meus favoritos de todos os tempos: sushi de polvo com aspargo, mas o polvo foi grelhado no azeite e o aspargo foi chamuscado com o maçarico!

Tudo muda, o sabor do polvo, a textura do sushi com a presença do aspargo, enfim, um sushi que é um acerto do começo ao fim! Inédito e surpreendente! Até repeti no final.

Passando para o próximo sushi, se tem um ingrediente que tem em abundância no Geiko San é o foie gras, este abaixo até parece o sushi de atum com foie gras que comi no Osaka, mas não é!

Impossível vocês descobrirem a diferença pois o ingrediente secreto está escondido: é a lichia! Essa fruta combina muito bem com outros peixes, como o sushiman Salomão, do Mori, já demonstrou. Nesse caso foi uma grata surpresa, a lichia vai muito bem com o atum e o foie gras! Outro sushi com um toque inédito! Mais um ponto positivo para o Geiko!

Seguindo na linha do inesperado, o sushi que se seguiu foi algo que eu jamais pude imaginar para um jantar japonês, mas que já virei fã. Vi o Fabrízio mexendo num ingrediente pequenino com um conteúdo branco dentro, perguntei o que era e ele me disse: “Ovo de Codorna Pochet, ” Esse é o nível de criatividade e inovação e claro, capacidade técnica que você encontra no Geiko San. Então o Fabrízio montou esse sushi de salmão com ovo de codorna pochet, regado a azeite trufado e com um pouco de pimenta!

Talvez o melhor sushi da noite, brigando apenas com um que virá em breve, esse sushi é simplesmente uma explosão de sabor. Eu digo explosão de sabor literalmente, pois o sushi não tem um sabor apenas, ele tem diversos e a cada instante que você mastiga o sushi, vai sentindo os sabores diferentes que vão mudando no decorrer dos segundos. Sem dúvida esse é o caso dos ingredientes que combinam perfeitamente, montados da maneira perfeita. A técnica usada para fazer esse pequenino ovo pochet é um espanto à parte que demonstra o cuidado do restaurante em realmente fornecer uma experiência marcante aos clientes.

Depois de algo tão criativo assim, o Fabrízio dá um passo atrás e volta para algo mais tradicional, um sushi de lula (ika) com ovas de salmão (ikura)!

Algo legal foi ver essas pétalas da lula criando vida quando foi chamuscada de leve. Eu tenho que admitir que eu acho que lula combina mais com shiso e é difícil bater a lula do Yoshida San do Hamatyo, a do Edson Yamashita do Aze Sushi, fora a que todos falam, do Ken do Shin Zushi! Mas sem dúvida valeu a experiência, deu para sentir cada ikura na boca, elas estavam fresquísimas!

Bom, lembra aquele sushi de camarão que mostrei acima? Com nori? O Fabrízio repetiu a técnica e colocou um pedaço colossal de enguia unagui (de água doce) num nori:

Enguia deliciosa, realmente enguia….enguia….ainda bem que é cara e não tem em todo lugar, se não os outros ingredientes ficariam com ciúme! Apesar do sushi de camarão ter combinado super bem com o nori em volta, eu pessoalmente acho que esse não proporcionou a melhor maneira de sentir todo sabor da enguia, acho que esse pedaço de unagui ia bem só com o arroz mesmo. Mas por favor, não achem que eu não gostei, estava delicioso, e o pedaço de enguia foi o mais generoso que já vi, mas estamos aqui sempre com críticas construtivas!

A seguir um clássico que todos restaurantes japoneses tradicionais de São Paulo trabalham, vieira! Em geral as vieiras são importadas do Canadá, e esse foi o caso! Esse sushi abaixo é de vieira trufada e nessa parte de cima do sushi são trufas negras!

O sushi de vieira estava absolutamente excelente, top top top! O Geiko San utiliza trufas negras e também azeite trufado, mas vejam o trunfo do restaurante, eles ainda misturam trufas com o azeite para deixar ele com mais sabor ainda!

Agora sim…agora sim!! Um dos vencedores da noite, sushi de kobe beef com foie gras! Para quem não sabe, kobe beef é a carne de um boi com tratamento especial que faz com que a gordura da camada externa se infiltre delicadamente no meio da carne, dando muito mais sabor! Esse kobe beef do Geiko San vem da famosa fazenda da Yakult, próxima a São Paulo!

Bom, vamos falar do sushi agora, absolutamente fenomenal, isso demonstra para mim que todos kobe beefs eu tinha comido antes ou não era kobe beef ou foram preparados de maneira equivocada! O Fabrízio retirou o pedaço de wagyu (kobe beef) e fatiou os pedaços para o sushi. Deixou eles descasarem um pouco para ficarem em temperatura ambiente, depois chamuscou eles e chamuscou o foie gras separadamente, depois montou o sushi. O resultado é um sushi absolutamente incrível!

Ainda sonhando com o kobe beef o Fabrízio mostrou um toque de sua experiência nos EUA, montou um senhor sushi de carne de kingcrab com avocado!

O sushi era grande, até um pouco demais, ele poderia ser um poquuinho menor que continuaria sendo excelente! A carne do kingcrab nos faz pensar no nossos triste consumo de carne carangueijo normal e até no kani. Esse sushi vai numa direção totalmente inesperada, carne de kingcrab com molho apimentado e o avocado combinou super bem!

Chegando já no final de nosso inesquecível jantar, o Fabrízio nos fez lembrar do começo, servindo uma barriga de salmão chamuscada! Simplesmente delicioso!

Ele também ofereceu um sushi tradicionalíssimo dos sushibares, sushi de salmão de ovas de salmão (ikura) e gema de ovo de codorna crua.

Não vou negar que sempre fiquei um pouco com pé atrás de comer ovo cru…mas como esse sushi é servido com muito costume e como a casa é de altíssimo nível, não me preocupei e mandei ver! Ele é um sushi muito bom, que trabalha sabores e texturas muito bem.

Quando eu achei que estava acabando ele me lança um sushi que eu só soube ter sido servido no Jun Sakamoto: tempurá de unagui com foie gras em cima!

Este sushi é absolutamente absurdo! Enguia realmente é uma dádiva dos deuses, fica bom com tudo e tem um sabor único! O tempurá de enguia com terrine de foie gras é surreal, só acho que o sushi poderia ser um pouquinho menor, para ser mais fácil comer em uma mordida, ou…fazer gigante para comer em 2 pedaços mesmo =)

Para finalizar o clássico da casa, um signature dish, um sanduichinho de salmão e outro de atum chamado panino, servido com maionese apimentada e crispy de tempurá por cima!

Vocês devem estar achando estranho e eu confesso que também achei! Esse conceito tem tudo para dar errado, afinal como e porque um sanduíche de sushi daria certo? E o inacreditável é que dá ele é super bem feito e não desmonta com as mordidas! Dá para sentir todos os ingredientes e a maionese dá um toque especial, esse é um prato que vocês precisam pedir no Geiko! Muito bom!

E como o jantar já estava super especial, nada melhor do que finalizar com um petit gateau dos melhores, servido com sorvete de uma famosa e excelente sorveteria do jardins chamada Casa Eli.

Ah, claro que eu não poderia esquecer de compartilhar também uma imagem da equipe do sushibar do Geiko San:

E também do sushi chefe Fabrizio, cortando abaixo um toro, vejam a cor do peixe!

Mas não posso deixar de mencionar toda Equipe do Geiko San, o Maitre e também os garçons que são excelentes e sempre nos perguntavam se queríamos algo a mais ou completavam nossos copos de bebida.

Sobre os valores, não posso dizer que é um restaurante barato, mas eles estão com preços muito competitivos se comparados a outros restaurantes de renome, que apresentam ingredientes de qualidade semelhante. Ou seja, você consegue pegar o cardápio e escolher sushis bons e baratos (entre 6 e 10 reais a unidade), mas existem alguns poucos que são mais caros mesmo (acima de 20 reais a unidade).

Alguns pratos, como carpaccio de barriga de salmão, polvo ou peixe branco ficam entre 20 e 35 reais, e os hossomakis e uramakis dos mais diversos peixes ficam entre 11 e 35 reais (entre 6 e 8 unidades). Há também pratos unitários: a porção de shimeji fica a 7 reais e o Panino também. O Geiko San também possui algo que poucos restaurantes possuem, combinados de sushi apenas com sushis especiais, que saem ente 100 e 180 reais (entre 9 e 15 unidades) e incluem alguns dos que mostrei aqui hoje.

No final das contas, fazendo um resumo, o Geiko San fica como um dos melhores restaurantes e sushibar de São Paulo com tranquilidade! Se você gosta de sushis tradicionais, eles tem.  Se quer os modernos e contemporâneos, vai com tudo. A grande vantagem é que o Geiko não é apenas para ocasiões especiais (apesar de eu recomendar para isso), você pode dar uma passarinha lá, sentar no balcão e ter certeza que não vai se decepcionar.

Forte abraço e até a próxima!

Benihana – Gourmet San foi conferir com o Chef`s Club!

Se tem um restaurante bem comercial que tem nome internacionalmente, esse é o Benihana! Com unidades pelo mundo todo, o restaurante chegou a São Paulo faz um pouco mais de 1 ano e é especializada em comida diretamente preparada na chapa (teppanyakis) por um “chapaman” que inclusive faz shows e malabarismos.

Em São Paulo o Benihana fica localizada na Rua Amauri, 517, tel (11) 3078-2549 (www.benihanabrasil.com.br) ao lado da Av. Cid Jardim, região propícia para o público moderninho da cidade. Visitei o restaurante no almoço e aproveitei do meu desconto do Chef`s Club de 50 %! Aliás você consegue adquirir o cartão anual do Chef`s Club com mês grátis utilizando o código “gourmetsan”, aproveitem, é por tempo limitado!

Alguns de vocês podem estar pensando, posa Gourmet San, mas comida na chapa? Não é japonesa! Pois bem, o Benihana é uma gastronomia fusion oriental e no próprio logo deles diz: The Japanese Steak House!

O restaurante estava bem vazio, uma mesa completa com uma chapa e sentei na outra que de 6-8 lugares, só tinham 2 ocupados, então sentei. Os garçons me explicaram o sistema e se tem algo que eu não gosto é quando no almoço só oferecem o cardápio executivo, é um preconceito que vai contra a parte comercial do negócio, poxa, sempre, sempre ofereça o menu normal e também o executivo.

Como eu já estava com o desconto doe Chef`s Club, dei uma de glutão e óbvio que pedi mais do que devia, aliás em nem sabia quando voltaria lá. De entrada pedi um tuna tataki e um sushiroll sumo (ambos por volta dos R$ 20-30,00). Aliás, vale a pena dizer que talvez um trunfo do Benihana seja manter o menu internacional, então eles devem ser o único lugar no Brasil que serevm sushis americanizados como os famosos rainbow roll.

Bom não demorou muito e veio o meu tuna tataki:

Logo de cara um dos pontos altos do almoço, prato absolutamente excelente! Atum bom, com a crosta de gergelim muito bem feita, molho também e por cima o que parecia tempura de algum vegetal pequenino, como o alho poró. Só depois de pedir esse prato fiquei um pouco pensativo sobre como deve ser o giro de peixe fresco num restaurante onde o foco é alimentos quentes…

Veio também meu Sumo Roll, que consistia em camarão, avocado e maionese especial Benihana!

O sushi em sia era bem gostoso, mas estava muito pesado nessa maionese especial, tinha de ser só um toque e não um sushi de maionese! Infelizmente não consegui comer todos =/

Para a chapa eu escolhi uma opção que serviria camarões e filé mignon por volta de uns 60-80 reais:

O teppanyakiman começa fazendo um showzinho com a espátula de metal que é legalzinho, acho que é uma experiência excelente para família com crianças, mas confesso que para um almoço de uma quarta-feira a tarde com o restaurante quase vazio foi meio vergonha alheia. E ele logo dá início fazendo arroz frito na chapa com frango, ovos e shoyu:

No final ele serve assim:

Por incrível que pareça, ele fica bem gostoso, mas comer com o hashi é difícil pois o arroz que fica escorregadio com o shoyu.

Logo depois de servir o arroz a todos na mesa ele começa o preparo das carnes de cada um e acompanhamentos como as cebolas e a abobrinha.

Quando vi o pedaço do filét mignon animei e muito, pensei logo naquele pedaço ao ponto, com a carne rosada por dentro e dos camarões fiquei feliz que eram todos para mim =)

Os camarões ele serviu primeiro:

Estavam super bem preparados e temperados, muito bom mesmo, excelentes! O tamanho dos camarões não era grande nem pequenos, médio, eu acho que foi na medida, lógica que eu ficaria feliz se fossem camarões maiores, mas deu pro gasto

Mas agora o filé mignon foi beemmmm decpcionante, primeiro que ele fez picadinho da carne, achei totalmente sem sentido, acho que ele poderia perguntar como eu preferia. Por exemplo eu sem dúvida ia pedir fatiado e ao ponto como comentei acima. Foi servido com cogumelos também.

O filé mignon realmente foi meio estranho, sabe quando você sente que está comendo algo que poderia ter feito na sua casa em 10 minutos?

No final das contas o almoço foi ok, o ponto alto foi a experiência, o camarão e o tuna tataki. Se eu voltaria? Difícil na mesma situação só se alguém quisesse muito ir lá. Mas graças ao Chef`s Club tive uma bela economia!

Abraços

Gourmet San

 

Uma 2a chance para o Rodízio do Hideki Pinheiros

Depois de um bom tempo voltei ao Hideki Pinheiros para dar uma segunda chance a o que não tinha sido uma boa experiência.

Na primeira review que fiz de lá tive uma experiência bem complicada…Apesar de comida ser muito boa, o serviço e a falta de vontade da equipe é duro de aguentar…Bom, sabendo de tudo isso, fui lá novamente, assim vocês podem ter uma comparação e ter uma idéia mais completa do que esperar!

Cheguei ao Hideki Pinheiros, localizado Rua dos Pinheiros, 70 tel: 011 3086-0685  (www.hidekisushi.com.br) e para minha surpresa não ouvi nenhum Irashaimase! Pois é…nada disso, triste! Ao contrário da outra vez, nem cogitei sentar no balcão, já que sei que os sushimans de lá não gostam de servir diretamente clientes do rodízio. Sentei na mesa e fui muito bem atendido por um novo garçon! O valor do rodízio é de 105 reais, pouco acima de quanto fui na primeira vez.

Já fui ao Hideki diversas vezes (buffets de almoço, Restaurant Weeks etc) e sei o que eles tem de bom, então pedi logo de cara os tempurás, sushis e sashimis! Para complementar pedi também um shimeji e hot rolls! Infelizmente não tinham ostras =/ pois eles servem no rodízio elas também!

Não demorou quase nada e minha comida chegou, afinal, numa quarta-feira a noite, chovendo, não tinha muita gente no restaurante.

O primeiro prato que chegou foi shimeji:

Estava beeeem ok, nada demais, estava gostoso, quentinho. Se posso dizer algo bom dele mesmo é que não estava muito amanteigado, estava mais leve, de uma maneira mais tradicional.

Me serviram logo depois os sushis e sashimis:

Os sushis estavam bons, o grande trunfo do Hideki é sem dúvida nenhuma a variedade de peixes, talvez seja o rodízio com mais oferta! Atum, salmão, robalo, polvo, ovas, salmão chamuscado tekkamakis e um djo! Todo sushis bons, não espetaculares, nem perto, mas sem dúvida nenhuma gostosos.

Também me serviram esse belo e incrível prato de sashimis:

O Hideki tem o ótimo costume de servir seus sashimis em belos pratos com uma base de gelo, o que mantém os peixes numa temperatura bem agradável! A variedade é igual a dos sushis, se não melhor, salmão, atum, atum selado, peixe prego (que eu não gosto), robalo e um outro ainda. Todos bem cortados e muito bons!

Mas pera lá…vocês estão vendo a quantidade de sashimis? Mais de 20 fatias! Sim…isso é uma porção para duas pessoas! Aí tem algo que não gostei muito pois no cardápio está escrito que em caso de pedidos feitos e peças não consumidas será cobrado uma taxa de 5 reais por unidade. Ou seja, eles me serviram e eu não conseguiria pedir um repeteco de algo que tenha gostado mais, achei um exagero! Então olha só, ou eu estou sendo muito chato ou eles possuem essa estratégia de servir logo um monte de peças para não receber mais pedidos. Bom, seja como for, é algo que deixo no ar e que você fiquem atentos quando forem.

Logo depois que chegaram os sushis e sashimis, chegaram também os tempurás:

Absolutamente deliciosos, nota 10! Melhor tempurá de todos rodízios de comida japonesa de São Paulo, mas fácil mesmo. Eles são grandes, quentinhos, crocantes, bem temperados, tudo de bom. Fica minha dica, vá ao Hideki e abuse dos deliciosos tempurás!

Também me serviram os hot rolls:

Eu não gostei muito, achei muito massudos, com muito arroz, sem dúvida nenhuma não é a melhor receita de hot roll a se fazer.

No fim, a refeição é bem farta e a qualidade é ótima, o serviço continua tendo seus deslizes. O que eu acho é que o Hideki se perdeu no decorrer dos anos, com o desenvolvimento da culinária japonesa em São Paulo. Ele era (é) um restaurante japonês tradicional que resolveu se abrir para os modismos e abraçou o rodízio, algo que é complicadíssimo de se instalar e pelo o que vemos não combina bem com o espírito do restaurante e com seus sushimans.

Se eu fosse o Hideki me preocuparia numa reforma administrativa interna para decidir qual será o foco do restaurante e preparar a brigada para os diferentes públicos que eles servem.

De qualquer maneira o restaurante continua tendo produtos muito bons e um preço ok, o rodízio é carinho, mas por incrível que pareça vale o preço sim se você for bom de hashi!

Forte abraço

Gourmet San