Sushi Tour SP episódio 4: Nosu

Oi pessoal, tudo bem?

Após um hiato considerável aqui no Gourmet San, voltarei a escrever! Principalmente porque fui pro Japão agora em Maio’18 e tenho muito a contar a vocês, inclusive estou considerando fazer um podcast sobre as dicas.

Mas o assunto hoje é continuar as reviews do Sushi Tour que fiz no final de 2017, indo nos principais restaurantes de SP num espaço de 3-4 dias, estava acompanhando um investidor do Rio de Janeiro.

Bom, nossa escolha 4 foi o Nosu, restaurante chefiado pelo EXCELENTE e cracásso de faca Regis Shiguematsu. Pra quem não sabe, foi ele quem prestou a consultoria técnica pro Nakka, que hoje é o sushibar mais badalado de São Paulo. Os traços e cortes do Régis são únicos e bem característicos pra quem tem bom olho.

Comecei com pra mim o que deveria estar em todos bares e botecos do Brasil: espetinho de shimeji com bacon! Se vocês nunca comeram isso não sabem o que está perdendo, os 2 ingredientes funcionam muito bem juntos. Vale lembrar que esses espetinhos são chamados de yakitoris e no Japão há restaurantes especializados nisso.

Depois pedimos um clássico da cidade, o carpaccio de salmão com raspas de limão e azeite trufado. Daria pra escrever um livro comparando todas variações da cidade que no final saem quase a mesma coisa, ahahaha. Mas não dá pra negar, é um prato muito gostoso e bem refrescante, o limão siciliano nasceu pro salmão e vice versa.

Aí meu amigo…AÍ pedimos o que vocês precisam pedir se forem ao Nosu, a sequência de sushis especiais! Como vocês podem ver abaixo, são 7 niguiris: atum maçaricado com pasta de umeboshi, barriga de salmão maçaricada, serra, lula, trufada, vieira, jo de codorna trufado, atum com foie gras. Todos sushi muito gostosos, eu diria que realmente é o ponto alto do sushibar. Vejam o formato do corte dos peixes, principalmente o salmão, é isso que digo sobre os cortes do Régis, vem mais no meu instagram (@gourmetsan).
Vejam só mais de perto o jô de ovo de codorna trufado: 

Após essa sequência, fomos pro complemento do almoço!

Duplinha de unagui:

Baterá misto de atum e salmão:

Sashimi de salmão trufado e chamuscado. Esse particularmente eu não gosto muito. Acho que fica um pedaço de salmão muito grosso e grande pra ficar com a textura do chamuscado, ele chega a ficar próximo de seco sabe? Fora que a parte de baixo fica ligeiramente crua, então fica uma confusão de sabores.


Esse gunkan sushi é famoso no restaurantes japonés highend da cidade, casar gema de ovo de codorna com ikura e uni. É gostoso, pra mim é neutro, sou um pouco mais purista. Acho que fica bom 2 elementos juntos, mas não esses 3.

Por final, uma combinação brasileira ótima e que funciona muito bem e que vocês podem fazer em casa: foie gras com lichia! A gordura do foie em contato com a textura e sabor da lichia traz uma suculência única, ahhaha, é estranhamento bom.E….de sobremesa, se eu me recordo bem, esse prato abaixo é um cheesecake de tofu! Olha só, ela mo cheesecake mas não gosto de tofu, mas estava muito bom, claro que o tofu não traz taaaaanto sabor assim, mas eu curti!
E vocês já foram no Nosu? Me contem o que acharam! 





Kenzo Sushi: iluminando a Liberdade

Kenzo Sushi Liberdade dupla de atum maguro

Oi pessoal, tudo bom?

Apesar de escrever durante +7 anos sobre culinária japonesa e visitando restaurantes japoneses em todas as partes da cidade de São Paulo e inclusive fora dela, o bairro da Liberdade não é uma região que eu explorei como poderia e deveria, shame on me! Mas de tempos em tempos vou pra lá e sempre faço questão de ter pelo menos uma refeição pra tirar o atraso! Dessa vez não foi diferente!

Depois de fazer os deveres comerciais (Ikesaki, Casa Bueno, Marukai, Empório Azuki) fui ao dever gastronômico! Sempre faço o mesmo, vou descendo a Galvão Bueno, entrando nas ruazinhas e vendo qual restaurante está menos lotado (fim de semana é dose) e qual bate aquela vontade de conhecer.

Liberdade Bairro japonês

Uma das ruas com mais opções é a Thomaz Gonzaga, onde estão alguns clássicos, como o Lamen Kazu, Porque Sim e o Ban. Mas essa rua não é bonita não, pelo contrário, ela parece abandonada, cheia dessas portinhas antigas se você não sabe se são restaurantes abertos, fechados, exclusivos etc…

É por isso que me chamou muita atenção uma portinha de madeira clara, reluzindo de nova! Lá se encontra o recém inaugurado Kenzo Sushi, Rua Thomaz Gozaga, 45F – Liberdade.

Entramos, afinal do lado de fora parecia promissor, o cardápio tinha preços honestos e combinados clássicos de restaurantes tradicionais, então senti confiança.

Dentro, o restaurante era ainda mais bonito, balcão lindo, reluzindo, depois fiquei sabendo que o arquiteto do Kenzo Sushi é o mesmo do fantástico Ryo, do Edson Yamashita.

Sentamos no balcão e olhando o cardápio pedimos um combinado de 14 sushis por 120 reais mais alguns sushis no a la carte, apenas nigiris! Preciso dizer que antes de fazer o pedido eu tinha ido ao banheiro e vi alguns nigiris chegando numa outra mesa e fiquei de olhos arregalados, pois estavam lindos, de encher os olhos e a barriga. Segue o cardápio (de nada):

Kenzo Sushi Liberdade cardápio

Bom, vamos lá, foi uma sequência linda de sushis, que merecem serem mostrados um a um:

1. Carapau

Kenzo Sushi Liberdade sushi de carapau

2. Buri (um dos mais gordos que comi nos últimos tempos)Kenzo Sushi Liberdade sushi de buri

3. PargoKenzo Sushi Liberdade sushi de pargo

4. RobaloKenzo Sushi Liberdade sushi de robalo

5. Polvo e Lula com shisoKenzo Sushi Liberdade sushi de tako e ika lula

6. Camarão com yuzuKenzo Sushi Liberdade sushi de camarão com yuzu

7. MassagoKenzo Sushi Liberdade sushi de ovas

8. UniKenzo Sushi Liberdade sushi de uni ovas de ouriço

9. VieiraKenzo Sushi Liberdade sushi de vieira

10. Unagui (maravilhosa!!!)

Kenzo Sushi Liberdade unagui

11. Atum

Kenzo Sushi Liberdade dupla de atum maguro

12. Saladinha de alga wakame (deliciosa, recomendo a todos)

Kenzo Sushi Liberdade salada alga wakame

Bela sequencia, não? Saí do Kenzo com alguns pensamentos na cabeça: (1) Preciso voltar logo aqui (2) Preciso contar pra pessoas sobre esse lugar (3) Mas que achado!

Além dos deliciosos sushis servido, tive a oportunidade de conversar bastante com a simpática Cintia, uma das responsáveis pelo restaurante e também com o sushi chef Hiro, que tem experiência numa lista notável dos melhores restaurantes de São Paulo, como Nagayama, Miyabi, Kinoshita, Jun etc. Sabe pouco o Hiro? Hahaha, sabe muito!

Num desses papos durante o almoço, eu falei pro chefe Hiro que eu estava impressionado com o arroz, que além de muito gostoso, estava com ótima textura e quando colocava o bolinho de arroz na boca ele se desmanchava. Hiro então abriu um enorme sorriso e agradeceu: “poxa fico muito feliz que você reparou, obrigado!”.

Seguindo o papo sobre arroz, ele montou dois bolinhos pra sushi sem o netá, um com a técnica correta e o outro não, adivinham dos 2 abaixo qual é certo?

Kenzo Sushi Liberdade shari arroz pra sushi

Então, na verdade é bem fácil =)

O da direita é o correto, vocês conseguem perceber que o bolinho está um pouco mais comprido? Com os grãos mais espaçados? É isso! O Chefe Hiro apertou menos para fazer o bolinho.

Eae pessoal gostaram do Kenzo Sushi? Eu virei fã e quero voltar lá o quanto antes! Recomendo muito!

Abraços

Gourmet San

A notável consistência do Geiko San

Geiko San sashimi de barriga de salmão

Eae pessoal, tudo bom?

Em todos esses mais de 6 anos que faço reviews de restaurantes japoneses, tem um ponto chave que pouquíssimos restaurantes conseguem chegar, esse é o da consistência. Para mim o maior exemplo da consistência em São Paulo é o Hamatyo, entra ano e sai ano que o Yoshida San continua entregando os mesmos excelentes sushis, sem tirar nem por nada. E a grande maioria possui altos e baixos constantes, que significam que o tripé serviço-sushiman-ingredientes não estão em harmonia.

Mas dentro do seleto hall dos japoneses consistentes há um restaurante que já entrou para mim nessa lista, o Geiko San do Chefe Fabrizio.

Localizado Rua Haddock Lobo, 1416, São Paulo, Tel: (11) 3061-0150 , tive o prazer de conhecer e frequentar o Geiko San desde sua abertura, uns anos atrás (não muitos…2-3 no máximo). E desde então fui ao Geiko umas 4-5x, ou seja, não é o suficiente para dizer que sou um assíduo na casa, me dando possibilidade de comparar o Geiko San no decorrer do tempo.

Desta maneira consigo ter uma opinião bem balizada do restaurante e enfatizo: eles são sólidos, sólidos como uma rocha. E essa consistência e solidez vem desde o excelente maitre, o Tiel, passando pelo serviço dos garçons, os sushimen e a sofisticação e a simpatia do Chefe Fabrizio.

Como acertos apenas corretos, o restaurante hoje entrega excelente experiência para quem não conhece e a expectativa a ser bem coberta pelos clientes assíduos, que não vão se arrepender da visita.

Sem mais cerimônias e falando do meu últimos excelente jantar (como sempre) segue abaixo tudo que comi, sentado bem na frente do Fabrizio (cheguei cedo, rs).

É difícil escapar dos saborosos e bem temperados niguiris que o Geiko San oferece, mas por incrível que pareça, esse não é o ponto forte da casa apenas, eles possuem um cardápio fortíssimo e equilibrado. Se tem algo que me deixa sempre em saia justa com as pessoas que eu indico restaurantes é o desequilíbrio dos pratos do restaurante. Em muitos casos as pessoas vão aos restaurantes que indico mas pedem outros pratos, que não são a especialidade da casa e saem insatisfeitos, não tiro a razão deles!

Voltando ao Geiko San, além ds niguiris, eu posso recomendar todo restante do cardápio. Desde os aparente simples sashimis, passando pelos carpaccios, shisotem (tempura de shiso), uramakis, tartares e combinados. Tudo é temperado no ponto certo e com porções satisfatórias. E se não me engano, eles tem um combinado para 2 pessoas por 130 reais e que tem umas 30-40 peças, ou seja, mais barato que muito rodízio, e pra quem não tem idéia de quantidade, 20 peças é suficiente para você sair satisfeito.

Gostei muito de escrever essa resenha pois não foi sobre a minha experiência em si, os sushis que comi no dia, nem nada a respeito, mas sim um âmbito maior, uma característica do restaurante.

Espero que tenham gostado!

Abraços

Gourmet San

Murasaki – Orange County, LA

Eae pessoal tudo bom?

Após um período de reviews não muito constantes aqui no blog, me reorganizei e vocês voltarão a ter mais reviews!! Inclusive com uma novidade em breve!!

Eu e o Will tivemos a oportunidade de viajar a trabalho para Los Angeles e sempre que viajamos nós somos do tipo de pessoas que só pensa em conhecer novos e bons lugares para comer algo que não comemos em São Paulo.

Uma dica sobre Los Angeles, tudo é LONGE, e quando digo longe, é longe mesmo. Los Angeles em si é bem espalhada e os diversos counties ficam separados por highways (estradas de 6 faixas pelo menos). Dando um exemplo melhor, é como se para ir do Bairro de Pinheiros para a Vila Olímpia você precisasse pegar a Marginal Pinheiros e andar a uns 100 km/h por uns 20 min, o que na realidade te faria chegar pelo menos na Represa Guarapiranga.

Enfim com esse exemplo de distância angelina, eu e o Will tínhamos mapeado diversos restaurantes para ir antes da viagem, porém quando nos demos conta das distâncias entre os bairros, tivemos de desistir de vários. Mas não de todos!

Nossa escolha foi visitar o Murasaki, 2901 W MacArthur Blvd #108, Santa Ana, CA, Tel:+1 714-241-1000. Logo que entramos, nada demais, um típico restaurante japonês dos EUA. Pedimos balcão mas todos livres estavam reservados! Bom sinal, pelo menos o restaurante tem um público fiel. Sentamos na mesa e perguntamos se serviam o omakase ali também, resposta positiva, sem problema =).

Assim que sentamos o Will, que estudou japonês, disse: “já sei por que Murasaki! Murasaki é roxo/violeta em japonês”. Aí olhamos pros guardanapos, forro das cadeiras e cortinas, tudo roxo! Bom, só um toque lúdico da experiência.

O que pedimos? Não tivemos muita dúvida, os peixes do omakase estavam na parede, num quadro, uma boa seleção, preço de 54usd, vamos nessa!

Vejam abaixo todos sushis que nos serviram:

Gostaram? Nós ficamos impressionados. Sushis suaves, bem temperados, bem finalizados, além da ótima variedade. O Will mencionou que alguns desses cortes/peixes ele só tinha comido em sua viagem ao Japão.

Nos serviram 10 ótimos sushis, com destaque para o uni, o toro, barriga de salmão chamuscada e sem dúvida ao tako cru. Sim, um dos sushis ali que parece uma vieira na verdade é polvo cru. Não foi a 1a vez que comi polvo cru, já tinham me servido num restaurante em São Paulo, mas foi fato raro. Além disso, eu já tinha visto um vídeo no youtube do restaurante Jewel Bako em NY que o estrelado chefe prepara o polvo cru. Estava excelente,super docinho e consistência macia, surpreendente!

O Murasaki é uma ótima escolha para se provar o que um bom restaurante japonês dos EUA pode oferecer, que é matéria-prima das melhores (inclusive importadas do Japão) e uma técnica boa (não excelente).

Se tem algo que não me agradou um pouco foi o tamanho dos netas (leia “ne-tás”) que é a fatia de peixe para cobrir o bolinho de arroz. Achei que na grande maioria estavam um pouco pequenos demais.  Além disso a missoshiru estava feia, feia mesmo, poderia melhorar um pouco!

Se você estiver na região de Santa Ana, em Orange County, dê um passadinha no Murasaki, eu recomendo! Tente sentar no balcão!

Abraços

Gourmet San

Gourmet San conhece o ZSan

Eae gente, tudo bom?

Cada dia que passa fico mais impressionado com o cenário gastronômico em São Paulo. Eu acredito que temos um calibre gastronômico  da mais alta classe do mundo, apesar do que blogueiros chatos dizem por aí.

Já tive a oportunidade de visitar alguns países e cada local tem características específicas e traz consigo pratos únicos. PORÉM, se formos considerar as principais culinárias como pizza, carnes, hambúrguer, chinesa, japonesa (é claro) etc, São Paulo é pelo menos tão boa quanto todos, se não melhor.

Eu digo tudo isso com experiência de causa, eu sou food addicted não só de comida japonesa, para todos lugares que vou minha meta turística é a gastronômica.

Assim sendo, o que vejo em São Paulo é impressionante, a quantidade restaurantes novos de qualidade que brotam por aí é surreal. Toda essa introdução é para falar do ZSan, um restaurante japonês abriu faz uns 4 meses. Ele fica localizado na Rua Oscar Freire, 439, Jardins, São Paulo (www.zsan.com.br), uma quadra se afastando do vuco-vuco do bairro, bem perto do PJ Clarke’s.

O restaurante é liderado pelo chefe Jun Yamauchi que teve mais de 20 anos de experiência no Nagayama (um dia preciso escrever sobre a escola Nagayama, pois ela é formidável). O chefe foca numa culinária fusion, misturando seus conhecimentos sobre comida japonesa tradicional. mas dando alguns toques pessoais. Eu pessoalmente acho essa idéia muito melhor do que forçar o fusion com uma outra apenas.

Bom, eu e o Will fomos convidados para ir conhecer o ZSan. Sentamos no balcão. Aviso que o foco do restaurante talvez não seja muito o balcão, pois ele não é dos mais confortáveis, eu apostaria sentar nas mesas, mas mesmo assim veja que o balcão tem uma bela apresentação:

Quem nos atendeu foi o Leo, super habilidoso, percebemos pelo decorrer do jantar. Se não estou enganado ele trabalhou no Koi já!

Eu e o Will comemos primeiro a sequência qual fomos convidados e depois pedimos a la carte.

Tudo que nos serviram estava beeeem gostoso e super bem preparado, o chefe preparou tudo com muito esmeiro e cuidado, não dá pra negar, nota 10. Vamos dar uma olhada?

O ZSan de entrada nos serviu esse “doce” que nós não gostamos muito, apesar deles falarem que o público gosta bastante. Achei que briga muito na boca.

Como de praxe em muitos restaurantes, as trouxinhas estão presentes! Eu pessoalmente não sou muito fã de pedir, MAS a de camarão do ZSan estava muito boa, foi servida com um molho especial. Gostei muito, crocante e ótimo recheio!

Também nos serviram um excelente batera de atum, coberto com flocos de tempura e o arroz temperado com ovas tobiko:

Foi um dos melhores batera já servidos a nós, ele fica atrás só do Nakka. Pro ZSan mandar ver falta só um temperinho melhor e aí ficará incrível.

Agora um outro prato mais polêmico, onde entra a questão fusion! Uma tortilla de atum com maça se não me engano. Super boa, mas não é um dos meus favoritos.

Tem dias que o sushiman lê seus pensamentos, felizmente foi o caso. Fazia tempos que eu queria comer ostra e nos serviram um par fresquíssimo:

Comeria umas 10! Elas funcionam muito bem como entrada num jantar.

Como o restaurante estava vazio (afinal terça-feira a noite), sabíamos que tudo que estava sendo preparado ali no balcão era para nós. Essa uma enorme vantagem de sentar no balcão e ir num restaurante mais vazio. Então vimos o camarão empanado chegar e se transformar num uramaki:

Faz uma enorme diferença comer um sushi desse com o camarão ainda quentinho. Nota 100! O Will aclamou como o melhor uraebitem da vida dele. Eu fui um pouco mais conservador, mas ainda gostei bastante. Vale a pena pedir!

Serviram também esse combinado:

Sashimi de salmão, 1 dupla de vieira e 1 dupla de salmão com raspas de limão. Tudo estava bom, mas não excepcional. Acho que eles podem trabalhar um pouco mais nos temperos dos sushis. Atenção, estava longe de ser ruim, mas pelo nível do restaurante dá pra dar um sofisticada ainda.

A seguir, mais ostra! Not Bad, não é mesmo? Ostra nunca é demais!

Esse sushi é um enrolado com pepino e coberto por ostra temperada na hora. Sushi excelente. Mas aqui fica um gosto pessoal. Assim como salmão e maracujá eu não achar que combina, eu não consigo achar que a crocância e sabor do pepino cai bem…Preferia que fosse um gunkan normal com alga nori.

Finalizando a excelente sequência, mais duas duplas:

A 1a é de um sushi que eu só tinha comido um parecido no Shigueru, atum selado com pimenta biquinho, como eu já sabia, funciona muito bem. E depois 1 par de sushi fartíssimo com king crab! Repito fartíssimo! Muitos restaurante trabalham miguelando, não foi o caso do ZSan, gostei muito.

Bom, C’est fini! 

Mas claro, só da sequência. Quem acompanha os meus posts e os do Will sabe que conosco o buraco é mais embaixo, nós comemos bem! Então conversamos com o Leo e avisamos que íamos comer mais sushis, indicações dele.

Bom, não nos decepcionou nem um pouco!

Começamos com o que ele disse serem os clássicos do restaurante, os jows especiais:

O primeiro lá de cima é um how de salmão chamuscado, o do meio é de brie e o de baixo é de ovo de codorna com ovas chamuscado também.

Se posso ressaltar uma enorme surpresa é o jow de salmão com queijo brie. Quando o chefe estava montando esse sushi de queijo eu e o Will nos olhamos e pensamos:”Meu Deus, antes de mais nada tomara que ele maçarique, e segundo, tomara que seja comestível”. O resultado foi incrível, excelente, repito, muito gostoso. Os foodchatos nariz empinados que me perdoem, há fusion que funciona e outras que não, toda unanimidade é burra.

O Leo nos serviu também esse prato abaixo:

Ele consiste numa leva mistura de ingredientes, não é simples. O Will, um pouco mais conservador, não gostou muito. Eu achei ok, gostosinho, nada especial demais, são ingredientes arriscados, mas tenho certeza que o público em geral vai adorar.

Comemos também um dos maiores clássicos dos restaurantes japoneses atualmente, o atum com foie gras:

Vale a pena sempre pedir esse sushi pois em geral cada restaurante põe a sua cara nele. Nesse caso o ZSan oferece uma generosa fatia de foie gras que vem preparada da cozinha, juro, estava divino, uma das melhores que já comi mesmo!

Para finalizar nosso jantar o Will pediu um repeteco do sushi de ovo de codorna e eu pedi esse da direita aí todo diferente:

Confesso que quando vi no cardápio, “ikura com avocado“, imaginei qualquer coisa, menos isso aí em cima. Eu logo percebi que não era algo ordinário quando o Leo estava sendo mais minucioso do que o normal. Não nego que fiquei impressionado, excelente e lindo trabalho, dos mais bonitos que já vi. Sobre o sabor, confesso que a textura do avocado cai bem com os explosivos ikuras, mas talvez precise de alguma outra combinação que eu não saiba dizer.

E agora o gran finale, a sobremesa:

Eis a melhor sobremesa que já comi num restaurante japonês. Eles chamam de mousse de chocolate e é extraordinária. Consiste num sanduíche de mousse, pois ele fica entre duas placas incríveis de chocolate. RECOMENDO. Aliás, foi a garçonete que me disse que ela gostava demais dessa. Confiei.

Esse foi todo jantar que tivemos no ZSan, MUITA COISA, ficamos bem satisfeitos, vale a pena as considerações abaixo.

Um ponto que eu recomendo atenção no ZSan é que o cardápio é bem variado, tem opções para todos os gostos. Ou seja, para mim acaba sendo fácil pedir, pois eu conheço tudo que leio ali, mas para quem não tem muito conhecimento, pode ter uma experiência bem diferente da que tivemos, ou seja, comer/gastar com um basicão.

Vou dar um exemplo, o ZSan não possui um combinado iguarias, nem algo que foque só nos melhores sushis, tem de pedir unitário. Por outro lado, tem alguns combinado que o foco é salmão. Nada contra, mas é um contraste em termos de foco.

Outro ponto que me deu um pouco de coceira pra contar a vocês é que talvez o ponto alto da refeição tenha sido a sobremesa, pois ela é divina. Mas então tem algo errado? Será? Só acho que há um leve descompasso, pois se a sobremesa é o ponto alto, eles precisam elevar um pouco mais o restante para tudo ficar mais equilbrado. Aposto nisso, eles tão muito bem.

Se eu retornaria ao ZSan? Sim, sem dúvida!

E vocês já foram lá? O que acharam?

Aliás gostaram da review?

abraços

Gourmet San

Benihana – jantar para a família!

Tem alguns lugares que nós visitamos uma vez só, o Benihana eu achava que seria um deles.

Fui lá um tempo atrás, e escrevi tudo nessa review que você lê aqui. O Benihana fica localizada na Rua Amauri, 517, tel (11) 3078-2549 (www.benihanabrasil.com.br). Resumindo um pouco, eu tinha achado caro, comida média e o show bem mais ou menos. Mas como minha experiência tinha sido durante um almoço, resolvi voltar e dar mais um chance.

Desta vez fui a noite e descobri logo de cara algo interessante, eles não abrem mais no almoço! Achei um ajuste inteligente, afinal pelo menos pra mim, a proposta não combina com um almoço de semana corrido.

Bom, cheguei umas 20h, o restaurante já estava com bastante gente, mas sem fila de espera, pegamos uma das chapas que estava vazia. Por falar em chapa, elas são lindas, vale a pena ressaltar que brilham mesmo e que os teppanyakiman (melhor do que chapa man) cuidam muito bem delas.

Meu pedido dessa vez foi para provar um pouco de tudo, vocês verão no decorrer do post.

Pra beber pedimos uma sangria! Ela veio bem saborosa e leve, eu particularmente prefiro um pouco mais forte, mas eu recomendo pedir.

Bom, vamos lá, falar da comida! Pra começar, eles serviram uma saladinha, muito bem temperada e uma sopa de cebola que é famosa do Benihana:

A sopa de cebola com cogumelos realmente é muito boa e pro inverno ela caiu muitíssimo bem. Pelo o que pesquisei, ela leva 6h pra ficar pronta! Ah no final você encontra uns filetes de cebola empanada que fecham bem.

Logo depois chega o teppanyakiman, dessa vez um beeem mais simpático do que na minha 1a experiência, como eu disse, não acho que o primeiro estava tão empolgado em fazer showzinho num almoço durante a semana num restaurante vazio. Já esse foi o oposto!

Ele começa se apresentando e já fazendo malabarismos e colocando a chapa pra pegar fogo, literalmente! É um show que vale a pena, surpreende!!

Depois, ele começa a preparar o arroz, que é como se fosse um arroz primavera. Ele tempera o arroz, faz o ovo, o frango, tempera com gergelim e obviamente vai fazendo umas gracinhas e show no meio:

Em um momento ele chama um dos clientes para quebrar um ovo de uma maneira toda especial, veja abaixo um vídeo que achei no Youtube:

A seguir ele serve para cada o arroz temperado com shoyu:

Confesso que ele estava melhor do que o que tinha comido antes. Muito mais saboroso e fácil de comer com ohashi.

Logo depois de dar uma limpada na chapa o teppanyaki man começa a preparar as carnes e vegetais (que eu dispensaria, rs):

Como eu disse, pedimos um pouco de cada, então comemos frango, carne (filet mignon), lagosta, camarões e até um pouco de vieiras!

Para acompanhar os pratos eles deixam conosco 2 molhos, um a base de mostarda e um outro que não me lembro muito bem. Ambos molhos bons, mas nada demais.

Novamente, igual a minha primeira experiência, dá um pouco nos nervos ver eles picarem o filet mignon! Se fosse pra fazer um x-filet-mignon no pão francês ok, continuo achando que eles poderiam servir em fatias, a apresentação ficaria melhor também.

Sobre os frutos do mar, as vieiras estavam boas, assim como os camarões. Sobre a lagosta, não tem jeito, ela vai bem com molho amanteigado e faltou isso.

Para finalizar, ele nos serviu um yakiudon spicy com frutos do mar! Isso mesmo, um macarrão japonês udon (fios mais grossos) temperado com shoyu e misturado com camarão e vieiras:

Estava muito gostoso saboroso, achei melhor até do que a carne sozinha que veio como prato principal. Nota importante sobre esse macarrão, ele é apimentado, muito! Nós pedimos que ele pegasse leve e ficou bom, mas mesmo assim picante, segundo o teppanyaki man ele usou 1/3 da pimenta só =O !!

Para finalizar, ele fez o famoso vulcão de cebola! Não tive tempo de gravar então busquei outro vídeo no Youtube para vocês entenderem do que estou falando:

Bacana não é mesmo?

Agora como tenho feito, algumas considerações sobre o Beninhana após essa minha 2a visita.

O Beninhana é um restaurante-show, ou seja, você vai lá pra ver um mini espetáculo além de comer, é pra se divertir mesmo. Então você tem de estar disposto, não tem como fugir e ser um ranzinza, haha.

Sobre a comida, também não adianta achar que vai ter a melhor refeição da vida, não vai, a qualidade é ok, não espetacular. Isso acontece em todos pratos, seja carne ou frutos do mar. Aproveitando, vamos falar do preço, é um pouco salgado, se prepare para gastar ali pelo menos uns 100 reais por pessoa.

Minha recomendação final é: vá com a família ou grupo de amigos! A galera faz bagunça, a criançada ama e todo mundo se diverte!

Abraços

Gourmet San

Visitando o Japão epi 1: Daiwa Zushi

Olá a todos!
Hoje começa a incrível sequência de reviews de restaurante no Japão pelo principal colaborador do Gourmet San, o Will!
[divider]
Vamos dar início com o Daiwa Zushi, provavelmente o segundo sushi mais famoso do mercado de peixes de Tsukiji, sendo os outros Sushi Dai, Sushi Zanmai e Umai Sushi Kan.
Eu cheguei ao mercado de peixes (Tsukiji) por volta das 6:00 da manhã, e inicialmente minha intenção era ir ao Sushi Dai, porém quando finalmente cheguei lá havia uma fila de, acreditem se quiser, 5 horas!! Então, por motivos óbvios eu optei por pegar a fila do Daiwa Zushi que era de cerca de 30 minutos.
 possui dois restaurantes, um do lado do outro, acredito que cada um deles deva caber umas 8 pessoas, totalizando aproximadamente uns 16 lugares pelo que eu me lembro. O restaurante é muito apertado, não dá nem pra ficar com a mochila perto de você.
Ao sentar-se o itamae-san te sugere um seto (do inglês set), que basicamente consiste de 8 sushis + 1 enrolado.
No meu caso veio o seguinte: Ika, Chu-Toro, Kurumaebi, O-Toro, Uni, Tamago, Mirugai, Kampachi e tekkamaki:
Após a série eu ainda pedi uma dupla de O-Toro e uma dupla de Aji, pois estava na estação, ambos estavam incríveis.
O grande diferencial dos restaurantes localizados ao redor do mercado de peixes de Tsukiji é o frescor dos pescados, ainda que a técnica do itamae-san não seja a mais incrível do mundo, com o frescor o sushi torna-se incrivelmente delicioso.
A experiência em si é bastante rápida, mas muito interessante, pois é um dos poucos restaurantes tradicionais do Japão em que se vê um grande número de estrangeiros, além disso o clima é muito leve, é um ótimo local, se pudesse teria voltado mais vezes ao Daiwa Zushi, com certeza um dos melhores custo-benefício do Japão.
O seto fica em torno de 3,500 ? dependendo da variedade disponível no dia.
A minha conta, com um seto, uma coca-cola e duas duplas ficou cerca de 4,400  ?.
Daiwa Sushi
Building 6, Tsukiji Fish Market, 5-2-1 Tsukiji, Chuo, Tokyo
Preço 3,500~4,500 ienes
Abraços
Will

Sushi Beta – o delivery que me faz ficar em casa

Olá amantes da culinária japonesa!

Todos nós temos aquele dia em que é melhor ficar em casa, certo? Ainda bem que temos excelentes ofertas de delivery, sobretudo em São Paulo. Não dá pra reclamar mesmo, é hambúrguer, pizza, carne, massa…basicamente tudo que quisermos.

E claro que também não falta opções de sushi ou comida japonesa. Já fiz diversas reviews diferentes, realmente há uma boa lista para vocês avaliarem e escolherem qual preferem. Leia Aqui.

Mas hoje estou “estupefato” (alguém usa essa palavra?). Tive a oportunidade de conhecer um sushi delivery que foi muito além do esperado, trata-se do Sushi Beta, localizado na R. Clodomiro Amazonas, 1158, São Paulo – SP, tel (11) 2362-0810.

Só para situar um pouco para vocês how deep é o Sushi Beta, ou seja, o quão gabaritado ele é, o sushiman chefe é o Hideto Shimizu, com experiência de trabalho no Nobu, um dos restaurantes japoneses mais famosos do mundo, cujo chefe, Nobu Matsuhisa é estrela internacional. Além disso, o Hideto possui um sobrenome conhecido, não? Sim, ele é filho do Mitsuaki Shimizu, o itamae do Sushi Guen, um dos mais tradicionais restaurantes japoneses de São Paulo, a quem eu recomendo muito uma visita.

Pedi o delivery para 2 pessoas, mas como sempre…fui fominha, pois dava para 3 pessoas facilmente. Odeio quando faço isso! Mas fizemos uma forcinha e comemos tudo, rs.

Para começar, vejam que bela apresentação as embalagens do Sushi Beta:

É o primeiro sushi delivery que vi embalagens brancas assim, fica muito bonito mesmo, fiquei surpreso quando tiramos da sacola. Vale a pena mencionar que elas não são tão aperfeiçoadas como a do Meu Sushi Delivery (outro grande delivery de São Paulo), mas o Sushi Beta acertou na mão. Como comentamos durante o jantar, dá perfeitamente para pedir para uma festa ou jantar especial pois você vai fazer bonito.

Como vocês podem ver, foi MUITA comida mesmo, então vamos falar de cada um?

Para começar, o temaki. Sempre começamos pelo temaki, certo?

Opa, temaki embrulhado?

Sim, em geral não gosto muito de pedir temaki em deliveries, pois realmente não combina, porém o Sushi Beta tem uma técnica especial que eu só tinha ouvido falar de pessoas que já foram para o Japão e do Sushiman Mario Tucillo do SP Tokyo. O arroz e a alga do temaki vem separados por uma fina película de plástico que sai facilmente. Assim o próprio cliente tira e pode comer o temaki com a alga fresquinha e crocante =). Ah fiz até um vídeo, acompanhem:

 

Depois disso, fui direto para a caixinha com sushis grandes, meus spider rolls e new york rolls:

Como já expliquei num outro post, o Spider Roll é um sushi enrolado onde o ingrediente principal é o softshell crab, ou seja, o siri mole empanado. Além disso também pedi o New York Roll, que é um futormaki com peixe grelhado.

Se fica uma dica para o pessoal do Sushi Beta que poderiam combinar esses sushis com um molho diferente do shoyu, ou um tarê ou algo diferente, mas isso é só um extra, pois os sushis estavam excelentes!

Depois deu uma pausa nos sushis e fui conferir o onigiri, clássico bolinho de arroz japonês com recheios variados:

Esse em questão possui um recheio de bulgogi, uma espécie de churrasco coreano. Simplesmente delicioso, muito bom mesmo, dá pra entender por que os japoneses comem oniguiri desde pequenos, ele é suficiente para matar a fome até uma refeição, é ótimo pra um lanchinho. Deem uma olhada no recheio:

Nesse caso, eu acho que o mesmo molho que dou como sugestão para o spider e new york roll caberia bem aqui. =)

A seguir, talvez o mais inacreditável de todo jantar, o uramaki de vieiras, que sai por 48 reais:

Se você está achando que estou louco e que 48 reais é muito caro, pare e pense que qualquer dupla de vieira custa pelo menos 20 reais! E nesse uramaki aí tem pelo menos umas 8 vieiras! Veja abaixo:

Sushi delicioso, é daqueles para se pedir todas as vezes! Prepara o “estoque” Sushi Beta! Realmente não tem o que dizer, vieira e ovas!

E para finalizar, a última “caixinha” do delivery, onde veio crunchy spicy tuna, spicy salmon roll e sashimi de atum tataki.

O primeiro que provei correndo foi o uramaki de crunchy spicy tuna, que é um enrolado de atum levemente apimentado com crosta de flocos de tempurá. Deem uma olhada nele mais de perto.

Sushi inédito na minha carreira, super criativo, saindo do já batido spicy tuna que encontramos em diversos lugares. Confesso que os flocos de tempurá não estavam super crocantes, mas é algo simples de se ajustar. O sushi é muito bem executado e o atum estava excelente. Nota 9! Esse é outro pra pedir sempre!

Além desse enrolado de atum crocante, veio também o spicy salmon, ou seja, o enrolado uramaki de salmão levemente apimentado, juro, super leve mesmo, infelizmente não tirei uma foto muito boa para colocar aqui =/

Mas vamos fechar com chave de ouro? Um dos melhores sashimis de atum que comi nos últimos tempos:

Atum de qualidade altíssima, fresquíssimo, cortado com excelente técnica, com tempero na medida certa e levemente selado, nota 10. Absolutamente delicioso!

Concluindo, o Sushi Beta é um dos melhores deliveries de comida japonesa de São Paulo, isso se não for o melhor. Claro que estou falando de empresas especializadas em delivery. O Sushi Beta conta com sushis excepcionais, com criatividade, ingredientes excelentes e tudo super bem executado.

Sobre o preço também é bom, para vocês terem uma idéia, tem combinado para 4 pessoas por 130 reais, ou seja, 40 e pouco por pessoa. Mas isso tudo foi o que eu achei, e vocês? Já pediram?

Abraços

Gourmet San

 

Mawari – sushis excelentes no novo kaiten da cidade

Oi gente, tudo bom?

Faz um tempo já que não escrevia uma review nova aqui no Gourmet San, não é mesmo? Me desculpem, fiquei na correria e o trabalho acumulou, mas podem ficar tranquilos que estou firme e forte!

Na review de hoje vou falar do Mawari, um restaurante japonês novo e que possui um dos funcionamentos mais raros que temos por aí, o de esteira, também chamado de kaiten-sushi (sushi rodante basicamente). O Mawari é irmão mais novo do Hiro, precursor de restaurante kaiten sushi em São Paulo, com endereços no Shopping Eldorado e Paulista.

Ele fica localizado num ambiente bem único também, no mezanino-praça de alimentação de um grande prédio comercial bonitão, edifício Morumbi Corporate, na frente do Shopping Morumbi, na Rua Henri Dunant, 1383, Brooklin, tel. 3957-9560. No mesmo local se encontram restaurantes como o Due Cuochi Cucina e o café Santo Grão.

Não fique com pé atrás por ser num prédio comercial, se imagine como na Av. Paulista, entrando no Center 3 ou no Conjunto Nacional. Aliás, fui no horário de almoço e o movimento era intenso, segundo o pessoal de lá a noite é tranquilo e acho que é bacana até para um encontro a 2.

Talvez o maior ponto positivo de todos seja o dinamismo e variedade, afinal os pratinhos vão chegando um atrás do outro, precisa de cuidado para não se empanturrar em 15-20 minutos e também para não perder o controle da conta, rsrs. Como nesse dia eu comi pra caramba, deixei as fotos organizadas todas de uma vez, acompanhem minha aventura gastronômica no kaiten sushi do Mawari:

Pois é, comi bem pra caramba e apenas para não esconder nada de vocês, ainda faltou aí um shimeji que peguei e veio num papel alumínio, mantendo a temperatura bem quente por sinal.

Para falar dos meus favoritos, sem dúvida nenhuma o criativo nigiri sushi de salmão com bordas de nori (alga), que é clássico do Hiro e faz alusão a relação entre os restaurantes. O spicy tuna (talvez um pouco spicy demais) também estava excelente. O harumaki de salmão que veio numa ótima apresentação e estava super crocante e quentinho, nota 10. Também vale a pena ressaltar que eles estão a par com o ritmo da cidade, servindo o nigiri de salmão chamuscado e trufado.

Os outros pratos estavam bons também mas não brilharam os olhos, mas eles vem em boa quantidade, o tartare de peixes e o hot roll são bem satisfatório! Tive também a oportunidade de pedir diretamente ao sushi a dupla de ikura, afinal eles não iam ficar jogando ovas na esteirinha sendo que muita gente não gosta.

Mawari apresenta uma consistência bem grandes nos pratos, o que é excelente, afinal você não depende de ficar repetindo 2-3 sushis, pode pegar o que aparecer que a grande maioria vai ser boa. O que é preciso ficar muito atento é no preço de cada pratinho (varia de R$7,00 a R$25,00) pois o Mawari é um restaurante a la carte que funciona como kaiten, mas não deixa de ter preços de a la carte, então segura o facho e não espere comer como em rodízios, ou se quiser comer, prepare a carteira. O ticket médio vai ser de no mínimo uns 60-70 reais.

Se eu acho que vale a pena? Sim, vale sim, a experiência é única e recomendo para um almoço casual sozinho, casal ou em grupo de amigos.

abraços e até a próxima!

Gourmet San

Meu Sushi Delivery – pratos novos e melhorando os antigos!

Eae gente!

Depois de pedir delivery do Restaurante Kai num outro dia resolvi conferir novamente como andava um dos meus deliveries favoritos da cidade, o Meu Sushi!

Já pedi comida do Meu Sushi outras vezes e ele é para mim, até hoje, o melhor delivery de comida japonesa da cidade! Vale a pena mencionar que eles só fazem delivery, nada mais, então é sempre bom trabalhar com um especialista no ramo.

Eu sou humano como todos vocês, então gosto de pedir aqueles pratos que gosto mais, porém, como Gourmet San, minha função vai um pouco além, é de pedir e conhecer as novidades, então perguntei pro pessoal do Meu Sushi o que eles tinham de novo. O Meu Sushi tem uma base sólida de comida japonesa, também de pratos quentes, sendo que o responsável pelo casa busca manter-se atualizado com tudo que acontece na cidade, apesar da culinária mais tradicional.

O Meu Sushi não é barato e nem quer ser, ele tem um serviço diferenciadíssimo, sempre com sobremesa cortesia e principalmente suas embalagens patenteadas que são de longe as melhores do mercado.

Sem enrolar mais, vamos ao meu pedido…Mas antes já fique com o telefone em mãos, pois vai dar fome pra vocês (tel do Meu Sushi: 3051-6701).

Nosso pedido foi para umas 4 pessoas, vejam abaixo as embalagens e como ele veio:

Para os pratos frios, a vantagem é que os sushis ficam super presinhos e não desmontam de maneira alguma. Já para os pratos quentes, a vantagem é que os pratos continuam quentes até chegar a sua casa!

Os hashis e os shoyus vem também em embalagens próprias. Aliás, vale a pena dizer que ao fazer o pedido o pessoal do Meu Sushi me disse que eles estão testando um shoyu novo, feito na casa deles, eu aprovei!

Bom, depois de verem as caixinhas fechadas, ta na hora de ver sem as tampas, assim vocês tem uma visão melhor:

Como vocês devem ter percebido, foi uma fartura sem fim, essa comida toda dá para umas 4 pessoas! E além dessas de cima, tem mais ainda! Mas não coube na foto, então vamos seguir aos poucos!

Para começar, os sashimis! Além da seleção logo acima, com atum, polvo, anchova negra e salmão, pedimos uma porção extra de sashimi de atum pois tínhamos atum lovers na turma!

Bom, sobre os sashimis, todos estavam excelentes, e apesar de eu não curtir muito peixe branco, esse com o limãozinho sisciliano estava muito bom! Aliás todos estavam fresquíssimos, apenas o polvo que ficou mais no “ok”, acho que o pessoal do Meu Sushi pode tentar dar mais um passo a adiante e colocar um molho a base de missô por cima, o famoso sumiso.

Um dos pontos alto do jantar não foram os sashimis mas sim esse prato abaixo, o shimeji com lula:

Agora me ouçam direito, por mais incrível que pareça, esse aí é o melhor shimeji com lula que já comi em toda cidade. O segredo está no caldo, antes de mais nada, ele existe, muito diferente de vários restaurantes que mandam shimeji secos. O caldo era bem encorpado e cheio de sabor, sem dúvida nenhuma ele foi pré-preparado e depois juntado ao prato.

Bom, vamos seguir em frente! Outro pedido foi o salmão selado com gergelim! Ele veio com tarê:

Estava sensacional, a crosta de gergelim foi feita perfeitamente e a quantidade era bem satisfatória, deu para todos comerem. Se tem apenas um ponto que eu mudaria, é que ele já veio com tarê, mas acho que seria mais bacana nós mesmos colocarmos na hora.

Como disse no começo do post, tem sempre o que gostamos muito de pedir e essa é o caso do combinado abaixo:

Ele vem de tudo, nigiris, sushis com ovas, sashimis com ovas (novidade) e alguns sushis diferentes como esse com shimeji. É um combinado completo e que dá pra ser a refeição de uma pessoa só facilmente!

Abaixo talvez uma de minhas maiores surpresas e o que mostra em definitivo como o pessoal do Meu Sushi fica alteando nas novidades: carpaccio de salmão trufado com raspas de limão sisciliano.

Esse prato é o queridinho da vez de São Paulo. Todo lugar que queira atrair ou já atrai o público moderninho da cidade deve oferecê-lo. Ele não é complexo, se trata de salmão em forma de carpaccio com azeite trufado. Não vou negar que realmente dá um sabor todo em especial! Mais uma dica para o Meu Sushi, poderia vir um pouco mais de raspas de limão.

Bom, e pra fechar com chave-de-ouro um clássico do Meu Sushi, os hot rolls, primeiramente a novidade, o hot roll spicy:

E para finalizar, o hot roll Meu Sushi:

Essa é a marca registrada do Meu Sushi e eles podem se orgulhar mesmo, são excelentes e tem uma diferença de todos outros restaurantes, o sushis é empanado como uramaki e não como hosomaki, ou seja com o arroz para fora e não para dentro (e com a alga para fora).

Eles ficam bem diferentes em termos de texturas, justamente por que na hora de empanar o arroz reage de outra forma! Para esse sushi o Meu Sushi manda também vidrinhos de molho tarê a parte. Thanks!

Bom gente, ufa! Foi isso, que banquete, não é mesmo? Como eu disse acima, não sai barato, mais ou menos uns 100 por pessoa, talvez um pouco mais. Porém vale a pena, tudo excelente!

Eae, já pediu Meu Sushi, o que achou?

Abraços

Gourmet San