TimeOut dá bola dentro selecionando os 5 melhores sushis de São Paulo

Se existe algo polêmico na internet são as listas que julgam os melhores dentro de uma categoria.

Pela liberdade midiática que a internet traz fica fácil qualquer um criar uma lista e divulgar por aí. Algumas listas trazem consigo análises técnicas e sérias, enquanto outras caem numa área cinzenta, gerando muita dúvida acerca da veracidade e confiabilidade delas. Um mal exemplo em geral são as listas da Vejinha, sempre com análises rasas e que contrariam as escolhas de quem conhece da área.

Falei um pouco sobre a lista de top 10 rodízios de sushi apontada pela Vejinha quando fiz a minha (aqui).

Mas hoje vamos falar de coisa boa. A revista online TimeOut, associada ao Portal IG mandou super numa lista deles, apontando como os 5 melhores sushis de São Paulo o Kinoshita, Hamatyo, Aizomê, Shin Zushi e Jun Sakamoto. Aqui no blog você encontra review de todos eles, basta clicar no nome de cada restaurante.

Se posso fazer uma meta-análise do que a TimeOut escreveu, antes de mais nada o foco do Aizomê e do Kinoshita não são os sushis e sim os pratos, então eles precisavam retocar o título.

Dentre esses, os com foco em sushi mesmo são o Shin, o Jun e o Hamatyo e por incrível que pareça cada um tem um estilo diferente.

O Shin-Zushi é tradicional mas com um toque de criatividade dos sushimans que são craques demais, se não me engano todos possuem experiência no Japão. O restaurante é caro mas se você sentar no balcão e pedir o omakasse de sushi, comerá sushis inigualáveis.

O Jun Sakamoto tem o estilo dele, sushis clássicos com algumas inovações que o acompanham faz anos. Seu ponto alto é que tudo funciona em harmonia: arroz, peixe, preparo, temperos, ambiente. Também é caro, prepare-se para tirar o escorpião do bolso.

Agora vamos ao último, o fantástico Hamatyo, do mestre Yoshida San, talvez o mais clássico sushibar da cidade. É só ele e a esposa, mais ninguém, um par de mesas e o balcão. A nota vai para os sushis extremamente fartos e com cortes generosos, o preço é mais convidativo. O ponto baixo vai para a variedade, a sequência é quase sempre a mesma.

Se pudesse acrescentar um restaurante a essa lista, seria o Sushi Kan, que é chefiado pelo habilidoso Egashira Keisuke (Ex-Shin Zushi), ele faz sushis excepcionais.

E vocês? Já conhecia esses restaurantes?

Qual recomenda? Deixe sua opinião!

Abraços

Gourmet San

Fonte: http://www.timeout.com.br/sao-paulo/restaurantes/features/655/cinco-melhores-sushis-de-sao-paulo

A Nova Geração de SP epi 1: Nakka

Hoje começamos no Gourmet San uma nova série especial que mostrará para vocês um pouco do que a Nova Geração de restaurantes japoneses de São Paulo está aprontando.

Analisaremos restaurantes novos (com 5 anos de existência pra menos) mas que estão se destacando no excelente cenário gastronômico japonês da cidade de São Paulo.

O primeiro restaurante dessa série é o Nakka! O conheci visitando o recém extinto BOS BBQ, excelente casa de carnes com cortes norte-americanos. Eles ficam quase na mesma quadra, o endereço é Rua Pedroso Alvarenga, 890. O valor por pessoa no Nakka varia entre 100 e 150 reais por pessoa se você realmente sentar pra comer, se for só pra beliscar pode sair menos.

Ele tem uma grande importância pois me abriu os olhos e percebi a nova tendência que estava se estabelecendo, sushis sofisticados em preparo e ingredientes. Eu tive uma experiência em especial (leia aqui), que foi absurda, não é a toa que chamei de um dos melhores jantares da vida. Foi um show de sabores, texturas e técnica do Régis Shiguematsu (hoje já saiu da casa mas deixou o talentoso Hermes Takeda no comando).

Bom, falando de ingredientes, vale a pena dizer que, assim como todos outros restaurantes dessa série, uma característica do Nakka é trabalhar com ingredientes excelentes, só compram o que tem de bom e melhor, ou pelo menos tentam e investem para isso, e acreditem, faz muita diferença! O próprio Alex Atala já disse que a maior parte do mérito de um prato é o ingrediente e o restante a técnica.

Fiz questão de visitar o Nakka mais uma vez antes de fazer essa review, então abaixo farei um compilado sobre minha reviews anteriores e essa última, okey dokie? Então vamos lá!

Vamos lembrar antes que Nakka é muito bonito (assinado por Naoki Otake), moderno, estiloso, eu diria que talvez ele seja como eu imaginaria meu restaurante se tivesse que montar um (a não ser claro que fosse meu outro desejo, um sushibar estilo Hamatyo). Nesse ambiente bonito o destaque é o sushibar sem dúvida nenhuma, eles capricharam!

Sobre o cardápio, o Nakka tem boas opções, sashimis variados e com cortes japoneses (grossos), sushis com fatias generosas, bem cortados e finalizados com diferentes temperos (azeites, trufas, ovas, sais, chamuscados). Eles possuem também algumas opções de robata que inclusive servem no menu executivo pro almoço e até hot rolls!

Vamos analisar os pratos? Fiz abaixo uma galeria com os principais pratos que já me serviram no Nakka, deem uma olhada em cada um com calma!

Os destaques são os nigiris, eles capricham! Os sushis são muito bem preparados e cada um recebe uma atenção especial. Como eu disse acima, muitos desses sushis do Nakka me abriram os olhos e o paladar. Por exemplo, eles não servem a lula crua, eles cozinham por um tempo curtíssimo para ela ficar mais macio, o que é excelente para agradar a um público não tão acostumado com o tradicional.

O restaurante também sabe o que funciona, a barriga de salmão é chamuscada ou com raspas de limão sisciliano, o atum com um foie gras dos grandes entre outros acertos que vale a pena conferir.

Preciso mencionar o baterá, o melhor que já comi! Sim, o Nakka tem o melhor batera que já provei! Como? Arroz bem temperado, peixe excelente, ovas e talvez o principal: flocos de tempurá nota 10. Vou te dizer que parece simples, mas não é, fazer tudo bem é onde mora o segredo.

Se formos analisar o cardápio todo, o Sushi Nakka (ou Sushi Especial) é o que vocês precisam pedir,  vem 8 nigiris especiais, selecionados do dia! Você vê dois desses pedidos meus nas fotos acima.

Agora vamos falar de alguns pontos que o Nakka pode melhorar ainda? Sempre é bom tentar melhorar! Acho que os carpaccios poderiam vir em maior quantidade, o sushi de kobe beef poderia ser em fatia e não um bolinho (perde sabor). Fora isso, o Nakka só precisa ficar atento em manter o alto nível dos nigiris, percebi que os cortes e preparo dos nigiris mudou um pouco com a saída de Régis Shiguematsu. Mas isso é só um desafio para o excelente Hermes Takeda suprir com o tempo.

Já foi ao Nakka? Me diga como foi! Não foi ainda? Me conte sua experiência depois!

Abraços!

Gourmet San

Junji – Jun Sakamoto abre nova casa e educa sobre o uso do shoyu

Oi gente, tudo bom?

Tento  ser rápido na medida do possível e visitar os restaurantes famosos que aparecem! E desta vez eu consegui! Visitei o Junji, restaurante novo do Jun Sakamoto! Ele fica localizado no Shopping Iguatemi, na Av. Brigadeiro Faria Lima, 2.232, Jardim Paulistano.

Essa review não pode ser simples, pois afinal de conta estamos falando do Jun Sakamoto, um dos maiores chefes de sushi (verdadeiro itamae) do Brasil. Ele ficou conhecido nacionalmente por dirigir um dos melhores, se não o melhor sushibar do Brasil. Inclusive já fizemos uma review de lá (leia aqui). Também vale mencionar que o livro do Jun, Virtuose do Sushi, é excelente e vale 100% a leitura!

Bom, depois de bons anos, o Jun abre esse novo restaurante com um novo conceito, nada de Menu Degustação de 300 reais feito por ele mesmo mas sim um restaurante a la carte com bons ingredientes, entrando num mercado bem disputado já em São Paulo. É claro que o nome do Jun Sakamoto ajuda a atrair clientes.

Bom, fui ao Junji numa quarta-feira a noite e foi super fácil achá-lo dentro do shopping, aliás, é só perguntar a qualquer segurança que eles sabem indicar. O restaurante fica num lugar bem bacana e pega uma área com vidros pra fora, perfeito para encontros românticos (mesmo dentro do shopping) e qualquer outra ocasião especial. Mas lembre-se que a clientela Jun e Iguatemi não acham nada demais pagar 100-150 reais (ou até mais) numa refeição qualquer. Então não se espante se você for lá para um jantar especial e ter alguém comendo lá de forma corriqueira, aliás foi o que eu fiz, então queimo minha língua, mas fui numa missão de conhecer o restaurante, rs.

Vale a pena mencionar que o Junji não possui sushibar, então é realmente um recado do Jun: “não tentem comparar, não quero que seja e nem é o mesmo restaurante, a proposta é outra”

Não deixo vocês na imaginação, deem uma olhada no ambiente:

Esse é só um relance mesmo, todas mesas já montadas e com copos para vinhos ou saquês importados, coisa fina! Não tirei mais fotos afinal estava no Iguatemi e tenho certeza que os clientes poderiam chiar. A direita de onde sentei é a parte da “varanda” que eu realmente recomendo.

Outro ponto excepcional do Junji é uma lição do Jun Sakamoto a todos os clientes, ele ensina a comer sushi corretamente, e como ele faz isso? Da maneira abaixo:

Não há “nozoki”, aquele clássico recipiente para despejar shoyu, você coloca o molho de soja nesse mini copinho e depois passa o pincel nele e posteriormente sobre o sushi, na parte do peixe. Como se fosse uma versão popular e pessoal do que o Jiro faz abaixo:

Então, eu pessoalmente, tenho muito a agradecer ao Jun, pois ele encarna um cargo como educador da culinária japonesa do sushi. Arigatô Jun, seu esforço é honroso mesmo.

Para beber, pedi um chá, que veio no maior copo de cerâmica que já vi na vida, o negócio era bruto:

Vish Maria, nem falei de comida ainda! Como eu não estava com muita fome, pedi um prato só, o Sushi Especial, que sai por 100 reais. Eles não demorou muito a vir! Vejam abaixo o combinado:

Ponto número 1, quantidade muito boa, 19 peças. É o suficiente para matar a fome. Os bons uramakis de atum ajudam nessa função.

Ponto número 2, nigiris de atuns lindos e bem cortados, muito bons e bem fartos. Veja abaixo que merece um zoom:

Ponto número 3, salmão demais! Num combinado chamado Sushi Especial, cadê ovas? vieira? lula? unagui?

Concordo que um espaço no Iguatemi não é barato, mas eu esperava maior variedade. Se fosse 1 de barriga de salmão chamuscada e mais 1 diferente como esses que citei acho que seria perfeito.

E não achem que esqueci, mas sim, tem um sushi diferente ali no meio, um clássico do Jun, o sushi de tempurá de enguia! Não vou negar que ele é delicioso, mas ele ficou meio perdido ali no combinado.

Terminei e fiquei satisfeito como mencionei acima, só achei que pecaram no excesso de salmão, mas é só um ajuste a ser feito.

Ficou um gostinho de quero mais pois o cardápio tem muita coisa boa! Aliás, se tiver a chance, recomendo que peça em duplas os sushis e vá para os sushis melhores: uni (ovas de ouriço), ika (lula), vieira (hotate), unagui (enguia de água doce) etc…etc…

Não sei quando retornarei ao Junji, mas quando retornar esses serão meus pedidos, certeza!

Curtiu o Junji? Já foi lá?

Abraços

Gourmet San

Os melhores de SP em 6 semanas! (Todos Episódios)

Para quem acompanha o Gourmet San de perto deve ter visto que nesse último mês fizemos uma série especial dos melhores restaurantes japoneses de São Paulo.

Quem fez as visitas foi um enviado especial nosso, o Wil, e a “regra” era clara, pedir o menu degustação máximo, o famoso omakase!

Segue abaixo a lista de todos eles e os links para cada review! Aproveitem!

Episódio 1: Jun Sakamoto

 

 

 

 

 

Episódio 2: Kinoshita

 

 

 

 

 

Episódio 3: Hamatyo

 

 

 

 

 

Episódio 4: Aizomê

 

 

 

 

 

Episódio 5: Sushi Kan

 

 

 

 

 

Episódio 6: Shin Zushi

 

Os melhores de SP em 6 semanas epi 6: Shin Zushi

Olá a todos,

Depois de um atraso de quase 1 mês conseguimos finalizar a lista dos melhores restaurantes japoneses de São Paulo. Hoje é o sexto e último episódio de uma série especial, todo domingo a noite, tivemos um post inédito sobre um restaurante japonês top de São Paulo e seu menu degustação (omakasse).

As visitas foram feitas por um enviado especial do Gourmet San, o Will, um colega fanático por comida japonesa e que visitou apenas as indicações dos melhores! Foi assim, através de indicações minhas e uma pré-lista dele que se deu início a o que talvez tenha sido uma das maiores sagas de restaurantes japoneses, ele percorreu os melhores restaurantes japoneses seguidos, um por semana! Então ele tem a visão única do atual estado dos melhores!

Para fechar com chave de ouro, nada melhor que um dos mais tradicionais restaurantes da cidade, o Shin Zushi, chamado carinhosamente de Shin. Eu já tive oportunidade de visitá-lo, num jantar tranquilo entre amigos, onde você pode ler aqui. Ele fica localizado na R. Afonso de Freitas,169, no bairro do Paraíso, tel 11 3889-8700.

O Shin tem história viu, se tem! Só para vocês terem uma idéia, eles possuem como se fosse um convênio ou intercâmbio com um restaurante no Japão que eles chamam como se fosse a matriz de todos. Do Shin e desse intercâmbio já participaram o Edson Yamashita (Aze Sushi) e o Egashira Keisuke (Sushi Kan), então o negócio é sério, rs. Hoje quem está a frente do balcão da casa é o Ken Mizumoto (primo do Edson) e seu irmão Nobu.

Com toda essa história um ponto vocês já devem imaginar, o Shin não cobra barato, aliás ele é bem carinho. Claro que na lista desses melhores de SP, nenhum restaurante é barato, mas talvez o Shin seja dos mais salgados. Em geral a impressão dos clientes é mista, alguns acham o local magnífico e justo e outros o acham insanamente caro. É entre essas e outras que o famoso blogueiro paulistano cult-undergroun JB (boteco do JB) fez uma crítica ferrenha ao restaurante recentemente que recomendo que todos leiam com pensamento crítico, afinal ele não tem papas nas línguas.

A visita de hoje não foi feita por mim, assim como as outras dessa série especial também não. Elas foram feitas pelo Will, então vamos as considerações dele, mas antes disso, as fotos é claro. Já digo vejam todas, elas são magníficas, os sushis e pratos servidos realmente são incríveis!

Muito bom né? Digo novamente: Muito Bom! Claro que por 250 pilas, tem de ser muito bom mesmo!

Segundo o Wil os ingredientes são dos melhores e a vantagem de se pedir o omakase é que vão te servir sempre o melhor que a casa possui, então a possibilidade do tiro ser certeiro é grande. Somado a isso a vantagem é que o omakase provavelmente sempre será diferente, o que te permite voltar lá outras vezes.

Alguns pratos foram inéditos, como o excelentíssimo tempurá de milho (que Will disse que repetiria infinitas vezes), cabeça de polvo empanada e variações de ostras. A impressão que ficou é que o Shin Zushi caminha no meio termo entre o super tradicional Sushi Kan e a nova geração de restaurantes da cidade (Nakka, Geiko San, Aya etc).

O ponto fraco apontado pelo Will é que o processo do omakase é um pouco demorado (perto de 2h), o que faz com que o restaurante fique cheio e demore um pouco mais ainda. Se formos comparar com o Sushi Kan, o Egashira é uma máquina, pois serve o omakasse em 45min (ok que o Sushi Kan é super pequeno). Outro ponto baixo é evitar ir no começo do ano onde os fornecedores ainda estão fechados ou em marcha lenta e s disponibilidade de ingredientes não está no pico.

Will foi enfático sobre o tako (polvo), disse que é incrivelmente macio, aliás, comentamos que a receita de tako da família Aze-Kan-Shin deve ser a melhor da cidade mesmo, pois todos fazem polvo melhor do que todos os outros restaurantes juntos. Os molhos também foram um ponto alto da noite, todos combinavam e elevavam os pratos.

Bom, é isso, Will posicionou o omakasse do Shin Zushi como o segundo melhor da cidade, só atrás do Sushi Kan e disse que realmente o lugar é carinho.

Falando em preço “carinho”, vamos falar sobre a review do boteco do JB? O post dele, muito bem escrito como sempre, transparecem uma realidade complicada do Shin Zushi, uma possível incompatibilidade entre o preço cobrado e o servido, mas o que acontece é que o restaurante é caro mesmo e no sistema de omakase não tem jeito, um dia você vai comer toro de blue fin e no outro chutoro de atum bati, a partir daí cabe ao restaurante querer ajustar os preços ou não.

Esse assunto todo é polêmico e prometo um post especial analisando a realidade foodie-gourmezística-instagramzística da cidade em breve, se escrevesse aqui seria encher lingüiça no lugar errado.

abraços!

Gourmet San

 

Os melhores de SP em 6 semanas epi 5: Sushi Kan

Olá a todos,

Hoje é o quinto episódio de uma série especial, todo domingo a noite, um post inédito sobre um restaurante japonês top de São Paulo e seu menu degustação (omakasse).

As visitas foram feitas por um enviado especial do Gourmet San, o Will, um colega fanático por comida japonesa e que visitou  apenas as indicações dos melhores! Foi assim, através de indicações minhas e uma pré-lista dele que se deu início a o que talvez tenha sido uma das maiores sagas de restaurantes japoneses, ele percorreu os melhores restaurantes japoneses seguidos, um por semana! Então ele tem a visão única do atual estado dos melhores! 

Will visitou um restaurante que eu já havia visitado antes, o Sushi Kan! É o restaurante japonês mais aclamado da atualidade, ganhando os últimos prêmios de melhor restaurante japonês antes ocupado por Kinoshita e Jun Sakamoto. O Sushi Kan está instalado no lugar do tradicionalíssimo Hisa, que infelizmente fechou, mas que servia comida japonesa da mais clássica. 

Seguindo o modelo dos últimos posts dessa sequência especial, segue as fotos abaixo do omakasse de pratos frios do Sushi Kan, servidos pelo mestre Egashira San:

 

 

Incríveis, não? Convido vocês a tirar um tempo e clicar em cada foto para ver com zoom! Vejam que cortes incríveis o Egashira faz, são cortes que nunca vi em nenhum dos mais de 100 restaurantes que já visitei. Pronto, babaram um pouco? Vamos falar agora da experiência do Will!

É imprescindível fazer reserva, então faça! Você pode até tentar a sorte, mas te garanto que não será uma experiência tão bacana pois você se sentirá pressionado a comer rápido!O ambiente é muito bonito, simples, tradicional, perfeito, tudo redondinho, tudo no lugar, incólume! Som ambiente jazz, nada mais, só o Egashira e a equipe que o auxília! Aliás o Egashira é demais, antes só falava japonês, agora está arranhando bem um português! O Egashira tem a melhor técnica de São Paulo e possivelmente do Brasil, os cortes dele são incríveis. Will comentou que acha o Egashira, caso continue em atividade por aqui, será como um novo Hamatyo do Yoshida San.

Vamos falar agora da comida, o omakasse de pratos frios no dia estava 230 reais e compreendia de 5 pratos de sashimis e 10 sushis, como vocês podem ver pelas fotos, um mais incrível que o outro. Os peixes todos fresquíssimos e os cortes, preparos e montagens dos sushis e sashimis incríveis!

Sobre os sashimis, tirando o atum gordo, todos possuem um acompanhamento, seja gengibre, molho a base de gema de ovo de codorna ou algum pequeno vegetal. Já os sushis, vem no melhor estilo japonês, arroz mais escurinho, sushis compridos e peixes com uma pequena rebarba, demais! Vale a pena ressaltar sobre o polvo que foi trazido fumegante diretamente da cozinha e foi servido com o sal rosado, segundo o Will, melhor polvo de vida e ponto alto no jantar!

Sobre ser o melhor restaurante japonês de SP? Will concorda e que achou os sushis dele melhores que o do Jun, são escolas diferentes, mas essa é a análise feita!

De resto, só segue o incentivo do Will e do Gourmet San, visitem o Sushi Kan! É caro? É, mas para ir 1x a cada 6 meses ta valendo bem!

abraços

Gourmet San

Os melhores de SP em 6 semanas epi 4: Aizomê

Olá a todos,

Hoje é o quarto episódio de uma série especial, todo domingo a noite, um post inédito sobre um restaurante japonês top de São Paulo e seu menu degustação (omakasse).

As visitas foram feitas por um enviado especial do Gourmet San, o Will, um colega fanático por comida japonesa e que visitou  apenas as indicações dos melhores! Foi assim, através de indicações minhas e uma pré-lista dele que se deu início a o que talvez tenha sido uma das maiores sagas de restaurantes japoneses, ele percorreu os melhores restaurantes japoneses seguidos, um por semana! Então ele tem a visão única do atual estado dos melhores!

A review dessa semana é de um restaurante fora de série em muitos sentidos, o Aizomê! Já escrevi sobre ele muito tempo atrás, quando fui almoçar uma vez lá gostei tanto que o apelidei de a Pérola do Jardim Paulistano, não é pra menos eu acho. Bom o Will foi lá para uma proposta diferente da minha, ele pediu o omakasse no jantar e nos deixou suas impressões e as fotos é claro!

Logo ao chegar, o Will teve a mesma impressão que eu, o lugar é só pra quem conhece, afinal fica bem escondidinho, não tem placa com o nome e a porta de entrada fica na lateral da casa. Indo um pouco além, é só pra quem sabe e deve saber, se é que vocês me entendem, eles não buscam a massificação.

Para não perdermos mais tempo, veja abaixo que belas fotos, para vê-las ampliadas basta clicar nelas.

Fotos incríveis, não? E se você reparou bem, pouquíssimos sushis, pois o foco do Aizomê é em pratos, portanto segundo o Will, ele se compara e segue mais na linha do Kinoshita!

Will apontou como ponto forte a grande variação, o menu não é fixo, eles sempre trabalham com o que há de melhor no dia, então não se espante de indicar para alguém certo prato e ele não ser servido, essa a graça do Aizomê, ele sempre muda. Aliás, isso é algo muito bom, pois permite que os clientes retornem sempre e sempre!

Ainda falando dos ingredientes, o Will citou o excelente magret de pato, que você dificilmente vê em casas japoneses e que o do Aizomê estava absolutamente incrível, super bem preparado! Todos os pratos seguiram a mesma linha do magret de pato, preparados com muita técnica e servidos de forma muito bonita, mesmo se você é um fã de comida japonesa fria, irá adorar os pratos quentes servidos.

O Aizomê possui molhos especiais para cada prato, o que denota o nível da casa, o gabarito do chefe (Shin Koike) e o que você pode esperar da experiência!

Os sushis e sashimis servidos na degustação estavam divinos, Will comentou que deu pra perceber que cada peixe servido recebeu algum tipo de trato especial, seja defumado, maturado, chamuscado etc.

Mas, mesmo os sushis e sashimis estando excelente, o foco do restaurante não é a parte fria, portanto se você come apenas sushis e sashimi, talvez não seja a melhor opção, mas é recomendado que você abra sua mente e vá em frente. Will percebeu isso quando pediu alguns sushis a la carte, a variedade não era grande e o preço foi bem salgado, ele pediu uma dupla de toro e uma de vieira e saiu 70 reais esses 4 sushis.

Resumindo, o Aizomê tem tudo para te dar uma experiência gatronômica incrível, mas não vá com foco em sushis e sashimis, aproveite tudo que eles podem oferecer.

Ah, quase esqueci, o valor do omakasse é de 190,00 reais.

Abraços

Gourmet San

Os melhores de SP em 6 semanas epi 3: Hamatyo

Olá a todos,

Hoje é o terceiro episódio de uma série especial, todo domingo a noite, um post inédito sobre um restaurante japonês top de São Paulo e seu menu degustação (omakasse).

As visitas foram feitas por um enviado especial do Gourmet San, o Will, um colega fanático por comida japonesa e que visitou  apenas as indicações dos melhores! Foi assim, através de indicações minhas e uma pré-lista dele que se deu início a o que talvez tenha sido uma das maiores sagas de restaurantes japoneses, ele percorreu os melhores restaurantes japoneses seguidos, um por semana! Então ele tem a visão única do atual estado dos melhores!

Hoje a review é sobre um dos sushibares mais tradicionais de São Paulo, o Hamatyo! Além de tradicional, o restaurante é único, o ambiente constitui basicamente do balcão e 2 mesinhas pequenas e possui 2 funcionários, o Itamae Yoshida San e sua esposa. Falando um pouco mais do Yoshida San, ele é um dos sushi mestres mais respeitados de São Paulo.

Segundo o Will, o restaurante é tradicional do começo ao fim, comida, ambiente e atmosfera e ainda é bem bonito, não é daqueles tradicionais mal cuidados não!

Bom, veja a seguir a sequência de sushis que o Will pediu e custam por volta de 180,00 reais:

Pareceu pouco? Segundo o Will não, pois foram os maiores sushis que ele já comeu na vida. Realmente eles são satisfatoriamente fartos e enchem sua boca da sabor! O wasabi colocado era um pouco mais forte do que o normal que ele encontrou em outros restaurantes e todos ingredientes sem exceção incrivelmente frescos.

Sobre a técnica do Yoshida San, ela é impecável, os sushi vem montados com perfeição e parecem uma obra de arte. Os cortes são grossos e os sushi simétricos, não dá pra reclamar de nada!

Infelizmente a foto da enguia (sushi de unagui) saiu turva e não coloquei no post, mas é um dos melhores, se não a melhor preparação de enguia de SP.

Will disse que se tem um ponto negativo, não tem repetição de sushis, é aquilo e pronto. Sobre o preço de 180,00 reais, é um pouquinho caro sim, mas é compreensível pela técnica, qualidade dos ingredientes e também vale a pena ressaltar que você não sai com fome!

Recomendadíssimo! Valeu Will!

Abraços

Gourmet San

[review]

Os melhores de SP em 6 semanas epi 2: Kinoshita

Olá a todos,

Hoje é o segundo episódio de uma série especial, todo domingo a noite, um post inédito sobre um restaurante japonês top de São Paulo e seu menu degustação (omakasse).

As visitas foram feitas por um enviado especial do Gourmet San, o Will, um colega fanático por comida japonesa e que visitou  apenas as indicações dos melhores! Foi assim, através de indicações minhas e uma pré-lista dele que se deu início a o que talvez tenha sido uma das maiores sagas de restaurantes japoneses, ele percorreu os melhores restaurantes japoneses seguidos, um por semana! Então ele tem a visão única do atual estado dos melhores!

Vamos lá, a review do Will de hoje é sobre o Kinoshita, o aclamado por muitos anos como melhor restaurante japonês de São Paulo. Eu mesmo já fui ao Kinoshita alguns anos atrás para comer um menu degustação e fui recentemente comer o mais que excelente Menu Executivo por Menos de 100 reais!

O Will confirmou tudo que eu já achava, o lugar é muito mas muito bonito tanto internamente como externamente, aliás, vendo da rua, ele é sem dúvida o mais impressionante de todos! Para essa experiência o Will reservou o balcão frio para o almoço e disse que o movimento estava muito tranquilo. O serviço de todos funcionários é do mais alto nível, digno da gastronomia internacional.

Como era para esse especial, o Will pediu o Menu Degustação de 7 pratos (300,00 reais), pois achou que o de 9 pratos (360,00 reais) seria um pouco demais tanto em comida como de grana, afinal, apesar de ser uma proposta honrosa visitar os melhores restaurantes sempre indo de omakasse, ainda era um almoço.

Enquanto o Will conversava com o sushiman a sua frente sobre sua escolha, preferências etc, sai de uma porta do fundo do balcão o super-chefe e hiper-simpático Chefe Tsuyoshi Murakami! Ele sem dúvida nenhuma é o chefe mais legal de todos! Bate papo, conversa, faz piada, é um cara que te faz sorrir ao mesmo tempo que te ensina sobre comida japonesa!

Bom, quando o chefe Murakami ficou sabendo que o Will tinha pedido o Omakasse de 7 pratos, gentilmente disse que iria dar um upgrade ao Will, e falou que o sushiman poderia servir o Menu Degustação de 9 pratos! Will deu sorte heim!

Bom, assim como no Jun Sakamoto, seguem os pratos abaixo! Todos os 9!

1. Shot de ostra com ikura (ovas de salmão), gema de ovo de codorna, tabasco e ponzu!

2. Unagui (enguia de água doce) com tofu frito e temperado com dashi!
3. Usuzukuri Kinoshita: vieiras vivas de picinguaba e carpaccio do peixe do dia com molho ponzu.
4. Atum com foie gras e molho teriyaki!
5. Guinda Misso Yaki: Sable fish do Alaska marinade no missô.
6. Sushis de atum, bijupirá, olhete, camarão e kobe-beef.
7. Beef Katsu no Tonkatsu: filet mignon empanado servido no molho tonkatsu.
8.Temaki de Unagui.
9. Arroz doce de sobremesa.

Eae, gostaram? Espetacular!!! Will disse que sem dúvida o Kinoshita ainda deve ser o melhor restaurante japonês de São Paulo em termos de pratos japoneses e servindo todos eles num Menu Degustação. Ou seja, a proposta são pratos japoneses e não sushis!

A criatividade, beleza e as técnicas colocadas em cada prato são muito difíceis de serem encontradas em qualquer outro restaurante. O Kinoshita é o Jun Sakamoto dos pratos (afinal no Jun o foco é no sushi).

Aliás, sobre os sushis, Will disse que eles são absolutamente excelentes e o arroz é ótimo, comentou também que foi um dos melhores kobes que já comeu. Porém o tamanho dos sushis deixa um pouco a desejar. É por isso galera, se for ao Kinoshita, não vá com a mente em sushis, foque nos pratos! =)

Sobre o Menu Degustação, é provável que a noite os pratos sejam mais incríveis ainda, afinal, tenho certeza que eles fazem ajustes e diferenciações entre almoços e jantares!

Resumindo, a comida é extraordinária, o ambiente é lindo, o serviço é nota 10, o chefe é nota 1000, o preço é compreensível se você somar tudo (inclusive a localização), mas devemos dizer que se fosse um pouco mais barato daria para considerar o Kinoshita um restaurante para ir todo mês e não 1x por ano.

Abraços e até a próxima!

Gourmet San

Os melhores de SP em 6 semanas epi 1: Jun Sakamoto

Olá a todos,

Está começando hoje uma série especial, teremos 1x por semana, todo domingo a noite, um post inédito sobre um restaurante japonês top de São Paulo e seu menu degustação (omakasse).

Mas temos uma novidade, as visitas foram feitas por um enviado especial do Gourmet San, o Will, um colega fanático por comida japonesa e que visitou  apenas as indicações dos melhores! Foi assim, através de indicações minhas e uma pré-lista deles, que se deu início a o que talvez tenha sido uma das maiores sagas de restaurantes japoneses, ele percorreu os melhores restaurantes japoneses seguidos, um por semana! Então ele tem a visão única do atual estado dos melhores

Vamos dar início a essa saga com classe: Jun Sakamoto!

Após respirar fundo e preparar o bolso, o Will resolveu ir ao famosíssimo Jun Sakamoto, que já foi aclamado por anos seguidos, como melhor restaurante japonês de São Paulo e com os melhores sushis.

O Will fez certo, ligou lá e reservou o balcão de frente ao Jun Sakamoto, valor do menu degustação com 16 sushis e alguns pratos extras: 290 reais!

Caro né? Pesado… pensando que ainda serão somados bebidas e 10% e talvez um valet!

Segundo o Will, a atmosfera é bem diferente de um restaurante japonês tradicional, o lugar é realmente muito bonito, talvez um dos mais bonitos que ele já tinha ido. Todos os pratos e sushis servidos ao Will estão abaixo:

Bastante coisa não é mesmo? Cada sushi é servido numa pedra especial individual de cada cliente. Segundo o Will, todos ingredientes são muito bons, e alguns sushis executados de uma maneira impensavelmente impecável, como o de tempurá de enguia, o de uni, vieira e lula. Porém outros com execuções mais simples, como o pargo e o carapau.

Além disso o Will que o arroz não era parecido com nada que ele jamais tivesse provado num sushi. É provável que o arroz do Jun seja importado do Japão e deve ser daqueles caríssimos (leia-se o pacote algumas centenas de dólares).

Segundo o Will, ele achou o público do Jun em geral não tão expert e que pareceu estar ali por que pode e não por que realmente gosta, aprecia e aproveita sushis da melhor maneira possível (nível que o Jun serve). Claro que cada um vai onde quer, mas o Will comentou que ao seu lado uma mulher pediu para o Jun colocar mais ou menos wasabi num sushi e que o Jun nem respondeu, deu um trejeito de resmungada, e que na hora do sushi de vieira da mulher, ele serviu direto, não finalizou chamuscando e com temperos.

Galera, um sushi bem feito não é uma mistureba de ingredientes. O arroz temperado, o wasabi e o tipo de cobertura (peixe, ovas etc…) todos tem um motivo de ser, então pedir um sushi “destemperado” ao Jun, que estudou a arte do sushi ao extremo, é estupidez.

Aliás, pegando esse gancho, o Will disse que sentar-se de frente ao Jun não foi fácil. Primeiro pela pressão de sentar-se na frente do Jun, que possui todo esse renome, e depois pela chata experiência do Jun não dirigir nem uma palavra sequer, ficar quieto o jantar todo. Vale mencionar que não é nem o Jun que serve o sushi, ele corta e prepara, seu ajudante finaliza e serve.

Outro ponto de estranheza apontado é que há 2 balcões no recinto e que esses balcões são separados, é como se fossem 2 restaurantes separados e diferentes, em um fica o Jun e num outro o outro sushiman.

Conclusão final…o lugar é lindo, os sushis em sua maioria são absolutamente excelentes, talvez os melhores de São Paulo mesmo, sobretudo pelo conjunto da obra, com um arroz absolutamente incrível, ingredientes frescos e execuções em geral estupendas. Sobre o valor, é caro, caro mesmo, talvez pudesse ser um pouco mais barato, mas pela técnica aplicada e pelo arroz, é compreensível!

Abraços e até a próxima!

Gourmet San