3o Jantar Especial by Gourmet San – Nōsu

Seja bem vindo ao #3 Jantar Especial by Gourmet San!

Nosso primeiro evento foi no Aze Sushi e o segundo no Toy Sushi, ambos foram um enorme sucesso! E agora lançamos nosso terceiro evento! São VAGAS LIMITADAS!! E para ser honesto só temos mais algumas disponíveis!

Veja informações abaixo:

  • Local: Nōsu
  • Horário: 20h
  • Data: 16/10/2019
  • Valor: R$ 275,00 (já com o serviço, bebidas e serviço sobre elas a parte no dia)

Reservas: por inbox/dm pelo instagram (@gourmetsan) ou pelo e-mail contato@gourmetsan.com.br

Menu Especial

Entradas

Carpaccio de Salmão Trufado

Sashimi de Vieira no Limão Siciliano

Mini salada wakame com vieiras

Robata de Shimeji com Bacon

Sashimis (2 fatias cada)

Atum

Barriga de Salmão

Magurozuke (atum marinado)

Polvo

Robalo

Sushis

Baterazushi Misto

Barriga de Salmão

Atum maçarico com pasta umeboshi (ameixa japonesa)

KingCrab Temarizushi

Salmão com ovo de codorna e foie gras

Camarão a moda do chefe

Salmão Defumado no bancha

Lula Trufada

Peixe da Estação

Sobremesa

Brigadeiro de colher com Morango

(foto meramente ilustrativo, não reflete o menu do dia em si por completo)

Sushi Tour SP episódio 4: Nosu

Oi pessoal, tudo bem?

Após um hiato considerável aqui no Gourmet San, voltarei a escrever! Principalmente porque fui pro Japão agora em Maio’18 e tenho muito a contar a vocês, inclusive estou considerando fazer um podcast sobre as dicas.

Mas o assunto hoje é continuar as reviews do Sushi Tour que fiz no final de 2017, indo nos principais restaurantes de SP num espaço de 3-4 dias, estava acompanhando um investidor do Rio de Janeiro.

Bom, nossa escolha 4 foi o Nosu, restaurante chefiado pelo EXCELENTE e cracásso de faca Regis Shiguematsu. Pra quem não sabe, foi ele quem prestou a consultoria técnica pro Nakka, que hoje é o sushibar mais badalado de São Paulo. Os traços e cortes do Régis são únicos e bem característicos pra quem tem bom olho.

Comecei com pra mim o que deveria estar em todos bares e botecos do Brasil: espetinho de shimeji com bacon! Se vocês nunca comeram isso não sabem o que está perdendo, os 2 ingredientes funcionam muito bem juntos. Vale lembrar que esses espetinhos são chamados de yakitoris e no Japão há restaurantes especializados nisso.

Depois pedimos um clássico da cidade, o carpaccio de salmão com raspas de limão e azeite trufado. Daria pra escrever um livro comparando todas variações da cidade que no final saem quase a mesma coisa, ahahaha. Mas não dá pra negar, é um prato muito gostoso e bem refrescante, o limão siciliano nasceu pro salmão e vice versa.

Aí meu amigo…AÍ pedimos o que vocês precisam pedir se forem ao Nosu, a sequência de sushis especiais! Como vocês podem ver abaixo, são 7 niguiris: atum maçaricado com pasta de umeboshi, barriga de salmão maçaricada, serra, lula, trufada, vieira, jo de codorna trufado, atum com foie gras. Todos sushi muito gostosos, eu diria que realmente é o ponto alto do sushibar. Vejam o formato do corte dos peixes, principalmente o salmão, é isso que digo sobre os cortes do Régis, vem mais no meu instagram (@gourmetsan).
Vejam só mais de perto o jô de ovo de codorna trufado: 

Após essa sequência, fomos pro complemento do almoço!

Duplinha de unagui:

Baterá misto de atum e salmão:

Sashimi de salmão trufado e chamuscado. Esse particularmente eu não gosto muito. Acho que fica um pedaço de salmão muito grosso e grande pra ficar com a textura do chamuscado, ele chega a ficar próximo de seco sabe? Fora que a parte de baixo fica ligeiramente crua, então fica uma confusão de sabores.


Esse gunkan sushi é famoso no restaurantes japonés highend da cidade, casar gema de ovo de codorna com ikura e uni. É gostoso, pra mim é neutro, sou um pouco mais purista. Acho que fica bom 2 elementos juntos, mas não esses 3.

Por final, uma combinação brasileira ótima e que funciona muito bem e que vocês podem fazer em casa: foie gras com lichia! A gordura do foie em contato com a textura e sabor da lichia traz uma suculência única, ahhaha, é estranhamento bom.E….de sobremesa, se eu me recordo bem, esse prato abaixo é um cheesecake de tofu! Olha só, ela mo cheesecake mas não gosto de tofu, mas estava muito bom, claro que o tofu não traz taaaaanto sabor assim, mas eu curti!
E vocês já foram no Nosu? Me contem o que acharam! 





Sushi Tour SP episódio 3: Hutô

Oi pessoal, hoje vamos dar prosseguimento ao Sushi Tour em São Paulo que fiz com alguns clientes do Gourmet San!

O 3o da lista foi o fantástico Hutô! Por quê fantástico? Vocês vão descobrir abaixo.

Antes de mais nada o Hutô é o único restaurante japonês em São Paulo que serve (1) sushis contemporâneos (modernos), (2) com foco em omakase (menu degustação) e (3) com um ambiente diferenciado. Essas 3 características juntas só acontecem no Hutô e se alguém quiser bater um papo sobre isso estou aberto, será uma conversa produtiva sobre pontos de vista.

Um ponto do Hutô que é preciso entender é que o público em geral está ali em ocasiões especiais: encontros, reuniões de datas comemorativas, aniversários etc etc. Ou seja, o próprio ambiente dele proporciona isso, então eu julgo uma informação importante para você não chegar lá de bermuda de surfe e camiseta furada, não vai pegar bem.

O cardápio é maravilhoso, com pratos que você só vê ali, ou seja, restaurante super original do começo ao fim. Porém  minha recomendação é: peça uma entrada para dividir e depois emende um menu degustação! Eles possuem 3 opções de menu degustação se não estou enganado, o mais básico já é suficiente para comer muitíssimo bem, consiste em 3-5 pratos + 8 sushis com os melhores do dia, o valor fica perto dos 200,00 eu acho, mas é uma refeição que vale!

C0mo estava esperando eles chegaram, pedi uma porção de edamame:

Mas logo que eles chegaram pedimos uma entrada, desnecessária em termos de comida na barriga, mas absolutamente deliciosa! Se trata de fatias de atum maçaricadas com ovo de codorna tempurá trufado e com ovas por cima, incrível!Logo depois iniciamos nosso menu degustação com um clássico do Huto e feito com perfeição. A versão maior do prato acima, mas sem o atum. Um meio ovo de codorna empanado, com azeite trufado e ovas de salmão. Juro, é maravilhoso!

 

Depois um prato lindo de ser ver e de comer, 3 fatias de atum selados com perfeição, acompanhando 2 molhos distintos.

 

Outro prato novo! Lula temperada com gema de ovo de codorna, prato surpreendente, gostei também

 

Um dupla de otras gratinadas, também com perfeição.

E como de praxe, pra finalizar antes dos sushis, um peixe grelhado, excelente.Agora vamos a o que interessa, os maravilhosos sushis que o Hutô serve.

Não vou nem comentar, apenas babem na sequência!

Pra mim o ponto alto foi o penúltimo sushi, que se trata de lagostim chamuscado com maneira trufada, absolutamente sensacional, coisa maluca mesmo. Eles fazem o sushi colocam uma colherzinha da manteiga temperada em cima e depois chamuscam, derretendo a manteiga e a fundindo ao lagostim. HUMMMMM… sushi campeão.

O Hutô é um restaurante único em São Paulo e eu recomendo muitíssimo a visita, não tem erro.

abraços

Gourmet Santour

Sushi Tour SP episódio 2: Nakka (Itaim)

Eae pessoal, hoje é o segundo capítulo do Sushi Tour que fiz em São Paulo.

Uns meses atrás eu fui contratado por um grupo de investidores/restauranteurs do Rio de Janeiro para guiá-los num tour em São Paulo pelos melhores restaurantes dentro de um perfil específico que eles buscavam: modernos e contemporâneos. Visitamos 5 restaurantes em 4 dias.

O segundo restaurante do tour foi o moderno/contemporâneo/pop/lotado Nakka. Já escrevi bastante sobre o Nakka em outras reviews, então não preciso me estender muito, certo? Mas resumindo, o Nakka deve ser o restaurante mais badalado do cenário paulistano. Com duas casas (Itaim e Jardins) o restaurante foco em ingredientes de alta qualidade e um cardápio com ingrediente de ponta.

Fomos no almoço e foi preciso chegar cedo, pois o balcão é disputadíssimo, mesmo pelos clientes que não conhecem muito de comida japonesa (lá tem bastante). Agora se preparem pois foi uma verdadeira feast.

Primeiro é preciso ressaltar que sem dúvida o balcão de sushi do Nakka é dos mais bonitos de São Paulo, a maneira que ele é montado, com o vidro, e ficando na altura dos clientes, permite que assistamos toda movimentação na montagem dos pratos.

Seguindo, começamos com uma das minhas principais recomendações se você for ao Nakka: o sashimi de barriga de salmão.

Eles são deliciosos, suculentos, bem temperados e bem servido. É uma maneira excelente de começar a refeição.

A seguir, um gosto pessoal, primeiro, eu adoro um tempurá bem feito, segundo, eu adoro shisô, e terceira, amo atum batido. Imagina só agora um shisoten de spicy tuna:

É simplesmente delicioso, fenomenal, eu comeria esse prato todos os dias da minha vida, hahaha. Pois é, se posso definir pra vocês, ele é crocante, salgadinho e o sabor de todos ingredientes combinam bem, sobretudo a textura do tempurá com o atum batido.

Depois, um clássico do Nakka também, o uraebitem especial, que nada mais é do que um enrolado de camarão empanado com salmão maçaricado em volta:Eu gosto bastante, ele é correto, não incrível como os pratos anteriores, porém vale pra dividir com alguém.

Agora começa a loucura, a sequência madness de nigiris do Nakka. Claro, a sequência que nós pedimos, pois o Nakka estrategicamente não possui nenhuma sequência nem combinados, assim os clientes pedem tudo nos dedos (provavelmente gastando muito mais).

O primeiro foi o estrondoso atum com foie gras.Ele é farto, já adianto, o sabor explode na boca, é até um pouco exagerado, poderia ser um pouco mais comedido, porém o restaurante serve o que o público quer e pronto. O público do Nakka paga por esses sushis, fim de assunto.

A seguir a dupla de sushis trufados vencedoras do Nakka, a lula (ika) e a vieira (hotate):Como vocês podem ver, seguem a linha do restaurante de sushis grandes e bem montados. Ambos sushis são maravilhosos e eu comeria uns 10. O única ponto negativo é que o tempero de cada um deles é exatamente igual e isso logisticamente pro restaurante até pode funcionar, porém os ingredientes pedem trabalhos distintos.

Seguindo, outro sushi que você DEVE pedir no Nakka, a enguia (unagui):Bom, preciso dizer que foi a primeira vez que eles serviram com essa mal cortada fatia de abacate por cima. Pra mim não teve nada a ver…Claro que nos EUA é comum servirem uramakis de enguia com avocado, mas não em niguiris, acho que foi um equivoco. De qualquer maneira, o sushi de enguia do Nakka é magnífico, sobretudo por que você come um pedaço significativo de enguia, é um dos maiores, se não o maior da cidade.

Bom, querem uma pausa? respirar fundo? Espero que tenham comido antes de ler esse post, hehehehe.

Seguindo firmes, uma duplinha clássica, tradicional e que tenho certeza que o público do restaurante não pede: ikura e uni.Ambos estavam corretos, nada a comentar.

Assim com os sushis a seguir, o jow de ovo de codorna trufado e a dupla de carapau.Só vale a pena citar que foi no Nakka que comi pela primeira vez esse jow e inclusive é onde ele é feito com mais esmeiro.

Vocês devem estar sentindo falta de salmão, certo? O Nakka possui um excelente sushi de barriga de salmão chamuscado. Vejam abaixo:
Infelizmente ultimamente eles tem temperado em excesso esse sushi, ficando muito salgado, eles precisam dosar um pouco mais na mão…

Seguindo onde o Nakka precisa trabalhar um pouco, segue abaixo os nigiris de Kobe beefNão sei por que eu insisto nesse sushi, talvez só pra pagar pra ver mesmo, pois o sushi de Kobe beef do Nakka parece mais um hamburguinho e falta sabor e textura, de todos pedidos, esse é o único No-Go que digo a vocês.

Depois de respirar e conversar muito, apenas para compararmos com o Kinoshita, pedimos um sashimi de Kobe beef:

Estava correto, nada demais também, eu tenho a impressão que o restaurante possui o ingrediente para satisfazer ao público que frequenta, sem desenvolver muito o prato.

O que é diferente do sashimi de salmão trufado, que foi como encerramos o almoço:

É um prato farto, esses pedaços de salmão são generosos e eles são muito bem maçaricados e temperados, recomendo que peçam também.

Bom, depois de comer tanto, saí rolando do restaurante e muitíssimo feliz. Mas mais importante que tudo isso, foi legal ver os pontos fortes e fracos do Nakka e ajuda meus clientes a entender o que é legal replicar e o que é bom evitar.

Abraços e até a próxima!

Gourmet San

Ryo, de Edson Yamashita, o único kaiseki do Brasil!

Entradas Ryo Culinária Japonesa balcão

Oi gente, tudo bem?

Faz mais de 1 mês que não escrevo =(

Sim, o final de ano é sempre corrido, atribulado e cheio de coisas, mas vocês podem sempre acompanhar pelo Instagram que continuo postando e visando lugares (não sempre novos, rs).

Pois bem, mas hoje a review é de um lugar novinho, que não tem nem 6 meses de vida, é o Ryo, restaurando novo do Edson Yamashita (Ex-Aze Sushi, Shin Zushi e Sushi Kan da matriz no Japão), basicamente um cara que entende muito da culinária japonesa! O Ryo fica na Rua Pedroso Alvarenga, 665 Itaim Bibi, telefone: 11 3881-8110 / 11-99221-2525 / contato@ryogastronomia.com.br

Já passei todas informações de contato aí em cima pois é bom vocês saberem que só atendem por reserva!

Depois de mais 1-2 anos que saiu do comando do Aze Sushi o Edson Yamashita percorreu o Japão e buscou lugares para seu novo empreendimento em São Paulo, demorou, mas não falhou, fiquei encantado com o Ryo, do começo ao fim.

Vamos lá.

Pera, vamos lá não…antes de falar do restaurante em si, é preciso que vocês saibam que ele funciona no sistema “Kaiseki (会席), que é um conceito que contempla uma forma de arte da culinária japonesa que equilibra sabor, textura, aparência e cores dos alimentos por meio de uma sequência de pratos tradicionais, artisticamente formatados, semelhante a um “menu degustação”, onde são usados ingredientes sazonais, únicos e frescos, incluindo também ingredientes locais.”

Entendeu? Bom, eu resumo, é uma experiência gastronômica que funciona similar ao menu degustação, porém os pratos servidos, além de harmonizarem entre si (sempre culminando no umami, o 5o sabor), também tem relação direta com a sazonalidade dos ingredientes da região. Isso faz com que o cardápio mude sempre, segundo o próprio Edson a idéia é mudar toda semana! Baita desafio!

Assim sendo, aproveitei que a casa estava com 30% de desconto e fui provar, como de costume quando quero comer com calma, abri a casa, cheguei 18h, ainda estavam preparando tudo e foi ótimo pra observar o restaurante e bater um papo com o Edson.

O ambiente é lindo, aliás, deem uma olhada no balcão:

Ryo Culinária Japonesa balcão

Ryo Culinária Japonesa balcão

E também no menu do dia:Menu Kaiseki Ryo Culinária Japonesa balcão

Não demorou muito e começaram a me servir os pratos! Mas antes dos pratos, uma surpresa, junto do bancha, serviram uma água com um ph especial que traz uma purificação maior do corpo, super interessante, e pra mim restaurante desse gabarito tem de impressionar do começo ao fim mesmo:

Ryo Culinária Japonesa balcão

E vamos partir logo para os pratos que foi um show de imagens, sabores e texturas!

Abaixo a sopa de marisco, o polvo e o atum!Entradas Ryo Culinária Japonesa balcão

Os 3 totalmente diferentes, com características únicas, uma delícia, o polvo da família Shin Zushi não tem igual, realmente de uma maciez incrível.
Entradas Ryo Culinária Japonesa balcão

Depois me serviram um caldo de legumes delicioso, aliás, é o único jeito de eu comer nabo, rs. Vejam o video, muito mal gravado por mim mesmo. Pois é, eu gravei com o celular de pé ao invés de deitado, desculpem, mas deu pra captar a idéia:

Depois foi servido o prato de sashimis, linda apresentação, acho que a mais bela que já vi na vida (ah, agora acertei no video):

Nunca tinha presenciado nada assim, uma apresentação que eu mesmo tive de interagir, demais! Os peixes estavam super saborosos e fresquinhos, nada menos do que o esperado.

Seguindo me serviram o ponto único ponto mais fraco da refeição, o pato. Apesar da apresentação novamente linda e do ótimo purê de brócolis e vinagrete de alcachofra, realmente o pato não estava tão macio.
Screen Shot 2017-01-22 at 11.23.33 PMDepois dos pratos, começou a sequência de sushis! Quem conhece o Edson sabe que a mão dele devia coçar ali atrás do balcão do Aze Sushi, só comandando e sem botar a mão na massa, literalmente! Assim sendo dá pra ver que no Ryo ele fica mais do que feliz em servir sushis novamente, um a um.

São servidos 6 sushis na refeição, segue abaixo as delícias:

Toro do dia:
sushi de toro kaiseki Ryo Culinária Japonesa
O mais bonito do dia, xaréu:
sushi de xareu kaiseki Ryo Culinária Japonesa

Sushi de serra:

sushi de serra kaiseki Ryo Culinária JaponesaSushi de engage (músculo da garoupa):
sushi de engawa kaiseki Ryo Culinária Japonesa

Sushi de vieira:sushi de vieira kaiseki Ryo Culinária Japonesa

Sushi de Uni:
uni  kaiseki Ryo Culinária JaponesaE como último prato, algo inédito pra mim, tomate momotaro recheado de peixe:
Tomate momotaro sobremesa moti e sorbet de cereja kaiseki Ryo Culinária Japonesa

Esse tomate é algo único, muito diferente mesmo, a textura, sabor e o molhinho, foi bem interessante.

E como sobremesa, morango coberto por chocolate e moti e sorbet de cereja!sobremesa moti e sorbet de cereja kaiseki Ryo Culinária Japonesa

O sorbet é feito em casa e o moti com chocolate e morango foi feito na minha frente, muito muito muito bom, gostoso e confesso que foi minha 1a vez comendo moti, me surpreendeu, gostei bastante!

Agora pra completar, vamos lá, vale a pena? Sim! Se não me engano o valor fechado é entre 180 e 200 e ainda há vouchers de 30%, aí vale muito a pena, se não, continua valendo mesmo sim. Antes de mais nada é o único restaurante no Brasil inteiro que trabalha abertamente com o sistema kaiseki, se vocês conhecem outro me avisem. E não me vem com Kinoshita, pois ele não é.

Recomendo pra ocasiões especiais e pra apreciadores de profusão de sabores, afinal a refeição segue uma cadência pra chegar ao umami e isso faz a experiência ser única.

Eae, o que achar? Curtiram? Já foram?

Abraços

Gourmet San

Yoshida San e seu balcão – Patrimônio de São Paulo

Olá a todos,

Para vocês que me acompanham no decorrer dos anos, sabem que eu não tenho frescura foodie, muito menos a de fascistas anti-foodie. Traduzindo: eu acho que a diversificação de approaches que a culinária japonesa possui é válida, afinal cada pessoa tem um paladar diferente e também um bolso diferente. Quão simples e sem graça seria se só existissem rodízios de 49,90? Quão segregacionista e elitista seria a culinária japonesa se só tivéssemos Kinoshitas e Juns? Cada um tem seu valor.

Eu tenho o prazer de ir em tudo quanto é lugar, as vezes gasto menos, as vezes gasto mais, porém ganho uma visão completa do cenário.

Dentre todas essas possibilidades (hoje já se encontram mais estáveis e não mais naquele boom descontrolado de anos atrás) tenho que levantar um único lugar, único em São Paulo: o balcão do Yoshida San – O Hamatyo.

Conheci o Hamatyo anos atrás (leiam minha 1a review) e depois fui mais 1-2x e sempre foi igual, praticamente idêntico! Reconheço que nesse espaço de tempo cheguei a me incomodar pelo restaurante não variar muito, afinal eu fui num intervalo de 1 ano e meio e comi exatamente a mesma sequência.

Mas hoje penso diferente, não sinto nem a empolgação da 1a visita, nem o conformismo da 2a e 3a. Hoje eu sinto um respeito infinito combinado a uma sensação de que o lugar tem uma aura única e especial. O balcão do Yoshida devia ser tombado! É um lugar que vai deixar muita saudade e vai fazer mais falta que os extintos Rangetsu e Shintori. Explico mais abaixo, mas antes, vamos dar uma olhada nos incríveis sushis que comi no balcão do Yoshida:

 

Agora que você viram as fotos, vou tentar contar um pouco da experiência ao vivo, que é umas 100x mais incrível, aproveito e explico o que faz do Hamatyo o Hamatyo.

O ambiente é 100% tradicional, um balcão de madeira, longo, bem cuidado, louças bonitas mas não extravagantes. Funcionários? 3. O segurança na porta, Yoshida e sua esposa (que não faz meias palavras com quem acha que é rodízio). Valor do Sushi Hamatyo (a sequência máxima acima) é de 200 reais, não cobram taxa de serviço. Chá quente? Cortesia como tem de ser. Missoshiru? Cortesia como tem de ser.

Dificilmente a casa fica cheia, aliás, em geral só vai quem é comensal regular, aventureiros são raros, no Hamatyo vai quem sabe o que quer e o que vai encontrar.

Os sushis do Yoshida são grandes, repito, GRANDES, mas não devido ao bolinho de arroz, mas sim a perfeita e harmoniosa combinação com uma farta fatia de peixe. Aliás, por falar sobre a fatia de peixe (ou netá em japonês) os cortes do Yoshida são precisos e para cada pedaço do peixe ele faz um corte condizente. Recomendo que subam a página e revejam como os cortes do Yoshida não são lâminas de peixe, mas sim fatias generosas.

Sobre o custo benefício, não vou dizer que é ótimo, é caro sim, mas vale cada centavo quando você decide ir. Se eu tivesse mais dinheiro iria 1x por mês. Atrelado a isso, os 12 sushis por 200 reais soa pouco, certo? Todas as 4x que fui lá pensei o mesmo, porém quando você chega na metade já percebe que é mais do que suficiente para sair satisfeitíssimo! E a qualidade dos peixes? O Yoshida tem só pedaços excelentes de peixe, ele sempre pega o necessário para servir bem, já ouvi histórias de que em dias de peixe ruim ele nem abre.

Para finalizar meu raciocínio…Hamatyo seria a 1a opção para levar qualquer pessoa a qualquer momento se alguém quisesse comer um bom sushi. Mas Gourmet San, por que então você nunca disse isso? Pois eu sempre considero o custo benefício que a pessoa me passa, o gosto da pessoa e também a expectativa dela. Por exemplo, o Hamatyo não é para encontros, não é para quem quer pular do rodízio para um sushi tradicional, também não é para quem quer comer em muita quantidade. O Hamatyo é o cume do sushi em São Paulo.

Mas Gourmet San, e os outros sushis e restaurante top tipo o Jun Sakamoto, Kansuke (ex-Sushi Kan) e o Shin Zushi? Todos esses lugares são excelentes, repito, excelentes, mas não representam a experiência de um Sushi-Ya na minha opinião. Motivos? Os mais diversos, vamos comentar um a um abaixo.

No Jun Sakamoto é consenso que as pessoas vão lá para interagir com o Jun e isso nem de perto acontece o que gera até um desconforto. No Shin Zushi a questão é conhecidíssima, o custo-benefício freestyle devido as inconsistências planejadas e controladas pelo restaurante, por exemplo, se você sentar no balcão do Ken vai ser diferente do Nobu, também vai encontrar diferenças se eles foram com a sua cara e também se não forem e por fim, se a oferta dos peixe for ruim no dia não abaixam o preço. E por fim  o Kansuke, do Egashira Keisuke (Ex-Shin Zushi), acho que é o mais próximo ao prazer de comer no Hamatyo, porém os sushis são mais delicados, é uma experiência mais fina, digamos assim.

Bom, acho que já falei bastante, recomendo irem ao Hamatyo, eu gosto, muito! Me contem depois como foi. Ah e por favor coloquem shoyu só na parte de cima do sushi, no peixe =).

Abs!

Omakase promocional do Aya as 2as, vale a pena? Eu fui!

Omakase Restaurante Aya jo de caviar

Oi gente, tudo bom?

Os omakases (menu degustação) que em japonês significa algo como “deixar por conta do chefe” ou “confie no chefe” estão cada vez mais caindo no gosto do paulistano, afinal é a chance de comer o melhor que o restaurante tem a oferecer, de uma maneira mais abrangente, e numa refeição só.

Pro restaurante também é bom, pois ele consegue sair do lugar comum dos pedidos de sempre e também varias e abusar mais de ingredientes diferentes.

Assim sendo, a quantidade de restaurante que possuem no cardápio 1, 2 ou até 3 tipos de omakase não é raro. Os preços obviamente são mais elevados. Acho que o omakase mais em conta que conheço é o do Shigueru, que sai por uns 130,00, depois tem o do Aze Sushi, que com o Chef`s Club sai por uns 160,00. Também tem os omakases dos restaurantes melhores ainda, como o Kinoshita e Shin Zushi, onde os omakases vão de 250 até uns 350 facilmente, mas é claro que trabalhando com a excelência em ingredientes e técnica.

O restaurante Aya, do chefe Juraci também tem seu omakase, que se não me engano custa uns 240 ou 260 reais, mas as 2as eles o oferecem pro 180,00! Eu já tinha ido conferir uma vez um bom tempo atrás e aproveitei para ir de novo.

Como sempre, vale a pena salientar que o ambiente do Aya é dos melhores. Para um casal, talvez seja o melhor de SP. O serviço do Aya também é top de linha, desde os garçons, maitre, segurança, tudo.

Quando cheguei o balcão estava 100% vazio e o Juraci não se encontrava, eu sentei na frente de um jovem oriental que morou anos no Japão (descobri no decorrer do jantar). Assim que sentei, confirmaram que era o omakasse, e eu confirmei que era o dia com preço promocional.

Sem mais churamelas, vejam tudo que me serviram (clique para ver em tamanho maior):

Pra começar, eles conseguiram me pegar pelo ponto fraco. Na minha opinião não tem melhor jeito de começar um jantar japonês do que com o tempurá de shiso com atum batido, é perfeito, e estava muito bem executado.

O tartare também estava bom, apesar de que eu achei que o foie gras em cima não combinava muito com o prato.

Sobre os sushis, o Aya manteve a mesma linha da vez passada que comi esse omakase, a grande maioria dos sushis bons, mas não excelentes. Sim, exato, sushis bem gostosos, mas não eram de chorar em cima. Com exceção da barriga de salmão chamuscada e do incrível jo de salmão com caviar, esse último é de brihar os olhos. A vieira também estava fresquíssima, geladinha, uma delícia. E para finalizar, eles serviram o signature sushi deles, o haddock empanado com mel trufado, simplesmente delicioso, de sonhar mesmo. Ah, e obrigado pelo uni cortesia =) Eles me serviram quando perguntei se não ia vir no omakase.

Como prato final, antes da sobremesa, serviram um surpreendente e delicioso lagostim a provençal, juro estava demais, comeria todos os dias, foi preparado com esmero!

E para finalizar, a sobremesa estava estupenda e perfeitamente executada. Vou ser sincero, eu gosto de banana, mas não sou fã dela como sobremesa, mas estava divina. Empanada em pedacinhos crocantes, sequinhos e com o sorvete. Raspei o prato! No fim, como tomei só bancha (cortesia) e minha conta saiu redondinha 200 reais.

Agora a consideração final. Vale a pena? Sim, vale! por 180,00 é um omakase completíssimo! Mas agora tem um ponto importante, se esse mesmo omakase for servido por 240/260 reais, aí não vale…

Então o que eu acho, minha opinião tá, que o Aya faz um omakase mais barato sim, que vale a pena, mas que também ele dá uma “acertada” nos ingredientes para adequação do preço.

Recomendo irem, vale a pena sim, principalmente como em casal =)

Abraços

Gourmet San

Naga, o primo chique do Nagayama

Eae pessoal, tudo bom?

Mais um domingo a noite, é hora de mais uma review aqui no Gourmet San!

Depois a excelente review feita pelo colaborador Will do Nagayama, resolvemos ir ao Naga, que fica logo ao lado.

ALIÁS, sim é um “aliás” maiúsculo, nessa esquina da Bandeira Paulista tem 3 Nagayamas. 2 no térreo (Nagayama e Nagayama Café, que de café não tem nada) e o Naga.

O Naga é só pra quem sabe, e tenho dito! Apesar de vocês até poderem ter ouvido do Naga, acho difícil ir lá por conta própria ou iniciativa própria, parece mais um encontra secreto da seita dos sushizeiros, rs. Piadas a parte, foi assim que me senti ao ir ao Naga, e conto mais a seguir.

Chegamos e o restaurante ainda estava fechado, mas quando os funcionários que estão do lado de fora percebem que você vai no restaurante eles te convidam a esperar dentro.

Do lado de dentro você espera numa pequena salinha escura onde cabem no máximo 15 pessoas. Tem um bar, um barman e a hostess, não mais que isso. Uma televisão ligada no Sportv passa os resultados do dia, do futebol é claro, rs. O barman oferece uma bebida mas negamos. Não é o que o casal mais granfino do outro lado da salinha faz, pedem o cardápio e algum drink.

Como chegamos perto do horário de abertura (19h30? ou 19h?) logo a hostess nos convida antes para subir. Subimos e o restaurante é maior do que eu imaginava, tem um número considerável de mesas. O ambiente é bem escuro, intimista, perfeito para um encontra a 2. As janelas tem cortinas que são abertas a noite apenas. Vendo daquela perspectiva dá pra entender porque do lado de fora não é possível entender que é um restaurante ali em cima.

Sentamos direto no balcão, vazio e muito bonito.

Depois de 3 minutos já estava cheio. Do nosso lado, um casal de 50 e poucos anos. Por falar nisso,  público do Naga é bem único e padrão. Público adulto (50-60 anos) com muito dinheiro e…pouco conhecimento sobre comida japonesa ou sushi. Aliás, é possível fazer um paralelo bem próximo com o público dos sushibares moderninhos da cidade Geiko San e Nakka, para citar uns exemplos. Esses restaurantes, recém nascidos, possuem um publico igualzinho ao da Naga, porém 20-30 anos mais novo.  E eu digo tudo isso com conhecimento de causa.

Mas vamos ver umas fotos do que comemos? depois continuo minha dissertação sobre a experiência:

Antes de mais nada, já aviso, não foi nada barato, meu foco inicial era deixar no máximo 170-200 reais lá e saiu 50% a mais que isso =(.

Aí vocês devem se perguntar, mas por que? Você não controlou o pedido? Não… e vocês vão entender abaixo.

Nesse tipo de restaurante em geral o menu não quer dizer muita coisa, a não ser que você queira ver os combinados de salmão e atum que eles possuem. Restaurantes a la carte de alto nível possuem ingredientes bons e excelentes que sempre alternam, ou seja, se você quer comer bem, pergunte ou deixe por conta do sushiman, nós fizemos um mix.

Sentamos e pedimos 10 niguiri sushi pra cada um, os melhores do dia e que depois iríamos ver algum enrolado. Afinal o próprio Will me disse que eles tinham enrolados de vieira que pareciam promissores.

Começamos e logo nos serviram uma entradinha bem boa de polvo, logo depois começaram os sushis. Não vou negar, eles começaram beeeem devagar, sushis bem simples, de atum-akami (parte das costas e mais vermelha), robalo, buri, serra, mas nenhum peixe gordo. Depois melhorou. Um pouco.

Nos serviram uma ótima sequência de um farto camarão, uma centolla gigante (kingcrab) e uma lula mais ou menos (mal cortada). Depois nos serviram um trio muito bom: ikura, uni e spicy king crab. O spicy kingcrab realmente é uma delícia, já tinha provado no Geiko San. Porém, os gunkan sushi estavam mal montados, faltou habilidade ali pros sushimans, só ver na foto.

Enquanto isso, no meio do jantar, o chefe responsável pelo Naga, e que coordena todos sushiman ali nos ofereceu uma ostra com uni temperada, simplesmente deliciosa. Adoro quando chefes nos oferecem pratos extra que eles sabem que não são todos clientes que gostam, essa é a alma do sushibar. Ele também nos serviu ovas de tainha (karsumi).

Os sushiman continuaram nos servindo sushis, 10, 11, 12, 13, 14, 15! Finalizaram com um delicioso e fartíssimo sushi de atum com foie gras e uma gordíssima enguia (unagui, sim ela voltou a cidade).

Mas pera, você repararam algo acima? Eu tinha pedido claramente 10 sushis, mas eles foram servindo mais, mais, mais, mais. E depois veio a conta, claro, todos esses sushis E….E…a entradinha, a ostra e as ovas de tainha (karasumi). Somando mais uns 120 reais fácil pra conta. Sabe o que é isso? FALTA DE RESPEITO, mas infelizmente, eu que estava no ambiente dos ricaços, onde a conta nunca é vista, revista ou analisada com afinco, você apenas dá seu cartão e pega o carro no valet (o que eu não faço).

Os restaurante japoneses realmente possuem incongruências no serviço, alguns cobram chá-verde, outros não, alguns cobram cortesia, outros não. Na minha humilde, mas experiente opinião, não se deve cobrar cortesias, JAMAIS. Claro que não estou falando de oferecer cortesias, mas sim servir diretamente, eu ia fazer o que? Negar? Perguntar se iam me cobrar ou não? Paro por aqui, mas confesso que me tirou do sério um pouco.

E agora o veredicto final. Gourmet San, você recomendo o Naga? Sim! Recomendo, para ocasiões especiais, comemorações a 2 e claro, que você não se importe em gastar um pouco a mais. E se for sentar no balcão, atenção com as “cortesias”

Abraços

Gourmet San

 

 

 

Demistificando o Nagayama

Após 4 visitas é chegada a hora de finalmente fazer a review do Nagayama, essa review é com certeza uma das mais interessantes pra mim, eu de certo modo levei um tempo para entender o que exatamente era o Nagayama. O restaurante fica localizado na R. Bandeira Paulista, 369 – Itaim Bibi, Telefone:(11) 3079-7553.

Na minha primeira visita em 2014 eu havia pedido um combinado e uma série de sushis, e minha conta havia sido um pouco alta, cerca de 200 e poucos reais, e na época eu achei que tinha pago caro, pois esse foi o comentário que eu havia ouvido de muitas pessoas, de que o Nagayama era muito caro pelo que oferecia.
E com isso na cabeça eu simplesmente ignorei o restaurante por praticamente 2 anos, vindo a voltar apenas no começo de 2016,
Só pra dar um pouco de contexto, ao final do ano passado aparentemente por um problema de greve nos entrepostos, haviam alguns peixes que praticamente não se encontrava nos restaurantes como Chu-Toro ou O-Toro, e isso se arrastou por boa parte de Novembro e Dezembro.
Quando cheguei na minha nova visita ao Nagayama em janeiro de 2016, pra minha surpresa todos os peixes que estavam em falta no circuito comercial haviam lá, O-Toro, Chu-Toro, Uni e Unagui. Então nessa visita eu pedi uma série de 10 sushis entre duplas e unidades do melhor que eles tinham no dia e acabei gastando cerca de 300 reais, mas sai de lá satisfeito. Vejam abaixo o que comi:
E finalizei com uma dupla de unagui e o-toro:

Sushis Incríveis!

Algumas semanas mais tarde voltei com o Breno também na hora do almoço e pedimos cerca de 10 sushis duplas de sushi divididos entre duas pessoas, e no final dessa visita gastamos cerca de 170 reais. Vejam abaixo todas duplas que dividimos.

Sushi de serra e buri:

Sushi de vieira e pargo:
Sushi de barriga de salmão e lula:
Sushi de sabá e uni:
Sushi de polvo com aspargos:
Sushi de atum com foie gras:
Sushi de ikura:

Todos sushis simplesmente incríveis. Vale a pena dizer que foi a 1a vez que o Breno (Gourmet San) foi lá e ele ficou impressionado também.

Ontem, eu fiz mais uma visita ao lugar, e pedi uma série de 17 unidades de sushi e minha conta ficou por volta de 260 reais.

Minha conclusão é que foi um erro ter deixado de ir ao Nagayama por quase 2 anos, e agora vou explicar o porquê.

Embora a faixa de preço dele fique em torno de 200-300 reais por visita, não se pode dizer que é um restaurante caro, porque os ingredientes são realmente os melhores que você provavelmente vai ter a sorte de encontrar no circuito comercial atual, em todas as visitas havia Unagui por exemplo e não falo daquele Unagui raquitico que é servido em muitos lugares, é um Unagui gordo de um tom marrom bem claro e brilhante.

O Uni é sem dúvida um dos melhores que já comi, e com certeza está num patamar acima do restante dos outros restaurantes,

A Ika é deliciosa e incrivelmente leve,

O Tako grelhado é crocante e gostoso,

Sem falar no Chu-Toro e O-Toro que frequentemente você encontrará no cardápio,

O Nagayama entrega o que se espera dele, um dos restaurantes mais tradicionais e experientes (senão o mais experiente de todos do circuito comercial atual), sushis generosos do tamanho certo, matéria-prima de excelente qualidade e execuções que você só encontrará lá como Tako grelhado, a Ika e Sushi de Ebi Furai e Wakame.

Se optar por ir no almoço ou no jantar encontrará equipes diferentes, o lado bom é que em ambos os chefs tem criações e identidades distintas e você verá uma certa variação na execução e preparo de cada prato bem como os temperos,

Eu tenho apenas uma crítica a fazer ao Nagayama, eventualmente principalmente no almoço você pode dar o azar de pegar um chef mais jovem ou despreparado, lembro-me de em uma das visitas ter sido informado que eles apenas trabalhavam com duplas e não unidades de sushi, o que foi prontamente desmentido por outros chefs do local.

Concluindo, não é de hoje que o Nagayama é uma das referências em sushi em São Paulo, brigando de frente com Kan, Jun, Huto e Shin-Zushi pelo posto de melhor restaurante, uma das poucas casas que consegue transitar entre o contemporâneo e o tradicional, esteja pronto para encontrar tudo do melhor ali, mas lembre-se que ter esse nível altíssimo de serviço tem um preço então esteja ciente de que em cada visita gastará cerca de 150-300 reais.

Visitamos Geiko San para conhecer as novidades!

Eae gente, tudo bom?

Um dos restaurantes mais badalados do momento no cenário sushi contemporâneo (leia-se moderninho) em São Paulo é o Geiko San. Já tive a oportunidade de escrever sobre eles algumas vezes. E apesar de algumas pessoas insistirem (até os proprietários) que ele tem fusão com a cozinha italiana, eu não vejo isso de forma alguma, tirando uma entrada chamada paninno (que é excelente por sinal).

O Tiel, maitre da casa me mandou um email me convidando para conhecer as novidades da casa que eles estão lançando para 2016. Obviamente aceitei. Vale a pena lembrar que mesmo convidado, meu interesse continua que vocês tenham uma idéia do melhor que o restaurante serve e que o restaurante receba críticas construtivas. Exato, esse blog não escreve escárnios, perjúrios e nada escatológico. Aliás, se qualquer restaurante me servir melhor do que serve qualquer outro cliente, que isso fique óbvio e que obviamente será ruim para o próprio restaurante, que não mostra seu maior potencial para fidelizar clientes. Mas no caso do Geiko San já posso adiantar que eles atendem todos os clientes igualmente, eles são fera.

Bom, vamos a resenha! Início de ano, 1a-2a semana de janeiro e fui ao restaurante numa 3a feira se não me engano, para meu espanto o restaurante estava LOTADO. Cheguei 30 minutos depois da abertura e quase não tinha espaço no balcão e quando saí tinha fila.

Meu plano era sentar no balcão do chefe Fabrizio, sushi chefe e sócio do restaurante, além de ser um dos sushimen mais simpáticos da cidade é super habilidoso. Mas como o posto no sushibar já estava tomado, sentamos logo ao lado, em frente ao Goo Hasegawa, imediato do Fabrizio.

A idéia era que conhecer o que a casa tinha de novo e não foi difícil, logo que abrimos o cardápio (um dos mais bonitos e completos da cidade) vimos um destaque para as novidades. O foco claramente é excelente combinação do tempurá de shiso com cobertura de salmão, atum ou vieira batidinha. Não perdi tempo, a de atum. Emendei com um carpaccio de barriga de salmão trufado e aí aconteceu o que sempre acontece no Geiko, você deixa nas mãos deles (os sushimen) e só aproveita.

Vejam abaixo tudo que comemos:

Tudo espetacular não é mesmo?

Um jantar desse aí de cima pra duas pessoas sai por volta de 200 reais a cabeça, é barato? Não, mas dois pontos importantes. Primeiro, comemos demais, poderíamos ter comido um pouco menos. Segundo ponto, o Geiko San é para ocasiões especiais, isso pelo menos para mim. Mas como em todos restaurantes, principalmente os resididos nos Jardins, há os habitués.

Mas falando da comida, vamos falar dos destaques? TODOS! Brincadeira…mas é SÉRIO! O Geiko San é um restaurante super equilibrado, dificilmente você vai comer pratos os sushis de níveis muito diferentes, tudo é nivelado pra cima.

As minhas recomendações para um jantar imperdível no Geiko San são:

Para começar o carpaccio de barriga de salmão trufado e com raspas de limão. Delicioso do começo ao fim, o destaque fica pra quantidade. É uma entrada generosa, bem diferente de alguns restaurantes que miguelam fatias e servem 6-7 fatias só.

Como segunda entrada, peça o cripy rice. Consiste num baterá de salmão onde o arroz é fritinho, é algo único no mercado e eu adoro, faria em casa sem dúvida.

De sushis, nem pense, vá de vieira trufada, uma das melhores da cidade sem dúvida, grande, fresca, temperada na medida certa.Depois vá de gunkan de atum com foie gras, tudo perfeito, o destaque é obviamente para o foie gras que o pessoal do Geiko San prepara muito bem, melhor do que outros restaurantes, além de que, claro, o pedaço é monumental. Como também o sushi de camarão que eles servem no nori com uma maionese apimentada. Peçam também o clássico de ovo de codorna pochet.

De resto, para complementar, siga as dicas do pessoal da casa, eles sabem o que está bom no dia ou se delicie no incrível cardápio de variedades.

Para finalizar o jantar o Fabrizio preparou um INÉDITO tempurá de vieira com ikura (ovas de salmão). Espetacular! Peçam também!

Abraços e até a próxima

Gourmet San