Restaurante Hisa – um almoço no Japão ( Fechado =( )

Olá a todos!

Hoje o Gourmet San almoçou no 3º e último restaurante japonês da Galeria Ouro Branco. Depois do Sushi Guen e do Yakitori Mizusaka, a vez agora é do Hisa! Localizado na R. Manoel da Nóbrega, 76, cruzamento entre a Av. Paulista e a Brigadeiro Luiz Antônio.



É importante dizer que o Hisa não fica atrás dos outros dois, e é incrível como cada um desses restaurantes japoneses vizinhos são ótimos com suas propostas diferentes. O Sushi Guen fica mais com o lado do sushi e sashimi de alto nível e outros pratos correlatos. O Yakitori Mizusaka traz o lado do churrasco, com os peixes feitos na churrasqueira, pelo próprio dono, em frente ao balcão. E o Hisa…bom, este post é pra isso mesmo!

Eu já havia ameaçado comer no Hisa algumas vezes, mas em todas recuei pois tinha a impressão de que não conseguiria me comunicar lá dentro! Sempre que entrava, só tinha japoneses, de ambos os lados do balcão, inclusive com o cardápio praticamente apenas em japonês.

Mas dessa vez entrei com coragem! O balcão estava cheio, uma senhora japonesa atendendo no balcão e outra descendo as escadinhas do 1º andar. Perguntei se podia subir, ela disse que sim, mas que lá era tatame! Subi e realmente era tatame com decoração toda japonesa, umas 5 mesas com tatames e almofadas. Me sentei aguardando uma delas subir, ela me deu o cardápio abaixo e foi atender outra mesa ao meu lado.

Infelizmente a luz do teto pegou o preço da 1ª opção, mas digo a vocês que é o teishoku e que custa 30 reais e foi a que escolhi! Para quem não sabe, teishoku é como se fosse o PF (prato feito) japonês, o Gourmet San já fez um post sobre ele, clique aqui.

O serviço é extremamente preciso, é incrível como os pratos chegam aos clientes com uma ordem justíssima, não tem atropelo!

Bom, vamos ver o que contempla o teishoku do Hisa?

 

 

 

Parte 1: anchova grelhada, tempurás de camarão e vegetais, sashimi e gohan.

Parte 2: missoshiro e o pote com gohan para você se servir mais.

Uma das senhoras japonesas me serviu todos os pratos e ela mesmo colocou o arroz (gohan) na minha cumbuca. Agora vamos ver a análise de cada prato!

Anchova grelhada: comparada a do Yakitori Mizusaka, eu achei essa mais bem temperada, porém com menos carne e com muitos espinhos, muitos mesmo, não recomendo para pessoas com problemas com espinhos, só para quem tem paciência! Porém, como eu disse estava bem gostoso.

Tempurá de camarão e vegetais: estavam todos ótimos, uma das razões que pedi o teishoku foi justamente por esse prato estar incluso, como pude atestar das outras mesas. Os tempurás de camarão (2) estavam muito bons, bem temperados, assim como o de batata doce e dos outros vegetais. A única pena é que eu ainda estava na memória o tempurá do Aizomê, com sal especial e limão sisciliano, que será difícil de esquecer de tão bom.

Gohan: o arroz não tem muito o que dizer, estava bom, macio e bem grudadinho! Lembrem-se que este não é o shari do sushi, é o gohan, Gourmet San já explicou a diferença no post da receita sobre o shari! Clique aqui para a receita.

Sashimis de atum, salmão e peixe branco: simplesmente ótimos, o de peixe branco veio em fatias gordas e bem macias, o de salmão nada de especial, agora deixo por último o sashimi de atum. Vejam o degradê formado no sashimi de atum, do claro pro escuro, assim como as fibras perpendiculares, isso significa que foi servida uma parte muito boa do peixe e que ele também foi cortado com sabedoria. Nota 10 ao Hisa pelo sashimi de atum! (Suspeito que importam do Sushi Guen…hummm…).

Aqui mostro pra vocês o lado direito da minha mesa com a missoshiro, uma saladinha japonesa e o recipiente com o gohan. Esse recipiente é uma beleza, ele não é tão profundo como parece e dá vontade de montar um tirashi-sushi! Mas fiquei na vontade…

De sobremesa ainda me serviram uns pedaços de laranja bem doce:

Eu não tirei fotos, mas logo no início me serviram de cortesia o chá verde! Como sempre digo, um bom restaurante japonês serve essa bebida sem cobrar nada!

O Hisa me surpreendeu pela comida e pelo ambiente. Quem não gostou foi minha coluna pois sentar no tatame, sem encosto, necessita de alguma prática que não possuo!

Retornarei sem dúvida, vale muito a pena. Agora uma dúvida que paira no ar…quando fui pagar a conta não vi mais ninguém além das duas senhoras japonesas, será que elas tomam conta de tudo sozinhas? =O!

Abraços

Gourmet San