Kaminari – você é cliente fiel de algum restaurante?

Restaurante Kaminari sushi de salmão maçaricado

Eae gente, tudo bem?

Sei que não estou escrevendo muitos posts ultimamente, mas vou tentar voltar a escrever 1 por semana, estou com um material bom acumulado. Não vou negar que as postagens no Instagram (visite meu perfil) nos faz ter uma ilusão de que estamos produzindo “conteúdo de qualidade”, mas vejo claramente que é uma muleta.

Quem acompanha minhas postagens sabe que tem um restaurante ali em Pinheiros que é meu xodó, se posso dizer assim, é o Mussashino. Restaurante simples e tradicional que oferece um temaki com a alga mais crocante da cidade (sem brincadeira). Com o passar dos anos o preço subiu pouco e possui uma clientela fiel, como eu.

Aliás, sempre duvide de clientes fiéis, significa que há algo que os faz retornar além da comida, além do preço, além do serviço e ambiente. É algum laço especial que as vezes é invisível e na maioria das vezes intangível, que muitas vezes depende exclusivamente das pessoas e não do restaurante. Exato, na minha impressão o que fideliza de verdade clientes não é algo que o restaurante possa fazer de especial, mas sim algo que depende das pessoas que vão lá em momentos específicos de sua vida.

Pra mim, por exemplo, o Mussashino é especial pois foi o primeiro restaurante japonês que fui na vida e possuía um preço bom numa época que eu não ousava gastar mais de 50-60 reais num restaurante. Pra vocês terem uma idéia, como eu não tinha experiência com peixe cru, pedi um temaki com pepino, manga e kani (que doideira! hahaha), lembro até hoje de ter achado horrível, depois fui pro salmão skim e gostei. Enfim, além dessa experiência pessoal o Mussashino, tem um ou outro ponto que me agradam, como a simplicidade, preço e tudo fresquinho, peixe e alga crocante.

Mas Gourmet San, vai falar quando do Kaminari? Agora! Eu fiz toda essa análise sobre clientes fiéis pois mais de 1 pessoa já tinha me indicado ir ao Kaminari, bom, finalmente decidi ir. Ele fica na R. Amaro Cavalheiro, 25 – Pinheiros, Telefone(11) 2306-7625. Cardápio: sushikaminari.com.br.

Assim que entrei, para minha surpresa, estava lotado, com 1-2 meses livres e outras 2-3 reservadas, pasmem RESERVADAS! Poxa o ambiente é super simples, é rodízio, fica no largo da Batata, por que alguém reservaria ali? Por que são clientes fiéis.

Deu pra perceber que nós éramos os estranhos ali, as garçonetes vieram explicar como funcionava o rodízio (preço por volta de 70 reais eu acho). Pedimos o rodízio e em breve vieram os pratos:

Eae o que acharam? Bom, logo de cara posso dizer a vocês que tudo estava gostosinho.

Os destaques foram os bateras com couve frita e os nigiris de salmão chamuscados, ambos bem feitos e deliciosos, são minha recomendação Além deles, o enrolado de camarão empanado com o salmão por cima também é bem bom e acho que deve ser um dos melhores enrolados da casa.

Fora isso, acho que o restaurante possui pratos bem regulares, o que faria o rodízio valer por volta dos 60 reais e não 70. Por exemplo, o carpaccio de salmão estava ácido demais, não sei que tempero colocaram nele, mas o sabor ficou agressivo. O tempura e o guioza ambos um pouco massudos, mas ponto positivo por vir tempurá de camarão. E pra finalizar, os combinados, bem padrão, mas como eu disse, padrão pra um rodízio de 60 e poucos reais.

Bom, mas ele Gourmet San, você recomendaria o Kaminari? Sim, recomendaria pra pessoas que não buscam um nível muito alto da gastronomia japonesa, e gostam do mais básico, ou seja, sem muita expectativa. Mas mesmo assim, o preço não era do mais confortável, por exemplo o próprio Mussashino é mais barato (mais simples também, confesso). Então o que faz o Kaminaria estar tão lotado? Clientes fiéis!

Abraços

Gourmet San

Yoshida San e seu balcão – Patrimônio de São Paulo

Olá a todos,

Para vocês que me acompanham no decorrer dos anos, sabem que eu não tenho frescura foodie, muito menos a de fascistas anti-foodie. Traduzindo: eu acho que a diversificação de approaches que a culinária japonesa possui é válida, afinal cada pessoa tem um paladar diferente e também um bolso diferente. Quão simples e sem graça seria se só existissem rodízios de 49,90? Quão segregacionista e elitista seria a culinária japonesa se só tivéssemos Kinoshitas e Juns? Cada um tem seu valor.

Eu tenho o prazer de ir em tudo quanto é lugar, as vezes gasto menos, as vezes gasto mais, porém ganho uma visão completa do cenário.

Dentre todas essas possibilidades (hoje já se encontram mais estáveis e não mais naquele boom descontrolado de anos atrás) tenho que levantar um único lugar, único em São Paulo: o balcão do Yoshida San – O Hamatyo.

Conheci o Hamatyo anos atrás (leiam minha 1a review) e depois fui mais 1-2x e sempre foi igual, praticamente idêntico! Reconheço que nesse espaço de tempo cheguei a me incomodar pelo restaurante não variar muito, afinal eu fui num intervalo de 1 ano e meio e comi exatamente a mesma sequência.

Mas hoje penso diferente, não sinto nem a empolgação da 1a visita, nem o conformismo da 2a e 3a. Hoje eu sinto um respeito infinito combinado a uma sensação de que o lugar tem uma aura única e especial. O balcão do Yoshida devia ser tombado! É um lugar que vai deixar muita saudade e vai fazer mais falta que os extintos Rangetsu e Shintori. Explico mais abaixo, mas antes, vamos dar uma olhada nos incríveis sushis que comi no balcão do Yoshida:

 

Agora que você viram as fotos, vou tentar contar um pouco da experiência ao vivo, que é umas 100x mais incrível, aproveito e explico o que faz do Hamatyo o Hamatyo.

O ambiente é 100% tradicional, um balcão de madeira, longo, bem cuidado, louças bonitas mas não extravagantes. Funcionários? 3. O segurança na porta, Yoshida e sua esposa (que não faz meias palavras com quem acha que é rodízio). Valor do Sushi Hamatyo (a sequência máxima acima) é de 200 reais, não cobram taxa de serviço. Chá quente? Cortesia como tem de ser. Missoshiru? Cortesia como tem de ser.

Dificilmente a casa fica cheia, aliás, em geral só vai quem é comensal regular, aventureiros são raros, no Hamatyo vai quem sabe o que quer e o que vai encontrar.

Os sushis do Yoshida são grandes, repito, GRANDES, mas não devido ao bolinho de arroz, mas sim a perfeita e harmoniosa combinação com uma farta fatia de peixe. Aliás, por falar sobre a fatia de peixe (ou netá em japonês) os cortes do Yoshida são precisos e para cada pedaço do peixe ele faz um corte condizente. Recomendo que subam a página e revejam como os cortes do Yoshida não são lâminas de peixe, mas sim fatias generosas.

Sobre o custo benefício, não vou dizer que é ótimo, é caro sim, mas vale cada centavo quando você decide ir. Se eu tivesse mais dinheiro iria 1x por mês. Atrelado a isso, os 12 sushis por 200 reais soa pouco, certo? Todas as 4x que fui lá pensei o mesmo, porém quando você chega na metade já percebe que é mais do que suficiente para sair satisfeitíssimo! E a qualidade dos peixes? O Yoshida tem só pedaços excelentes de peixe, ele sempre pega o necessário para servir bem, já ouvi histórias de que em dias de peixe ruim ele nem abre.

Para finalizar meu raciocínio…Hamatyo seria a 1a opção para levar qualquer pessoa a qualquer momento se alguém quisesse comer um bom sushi. Mas Gourmet San, por que então você nunca disse isso? Pois eu sempre considero o custo benefício que a pessoa me passa, o gosto da pessoa e também a expectativa dela. Por exemplo, o Hamatyo não é para encontros, não é para quem quer pular do rodízio para um sushi tradicional, também não é para quem quer comer em muita quantidade. O Hamatyo é o cume do sushi em São Paulo.

Mas Gourmet San, e os outros sushis e restaurante top tipo o Jun Sakamoto, Kansuke (ex-Sushi Kan) e o Shin Zushi? Todos esses lugares são excelentes, repito, excelentes, mas não representam a experiência de um Sushi-Ya na minha opinião. Motivos? Os mais diversos, vamos comentar um a um abaixo.

No Jun Sakamoto é consenso que as pessoas vão lá para interagir com o Jun e isso nem de perto acontece o que gera até um desconforto. No Shin Zushi a questão é conhecidíssima, o custo-benefício freestyle devido as inconsistências planejadas e controladas pelo restaurante, por exemplo, se você sentar no balcão do Ken vai ser diferente do Nobu, também vai encontrar diferenças se eles foram com a sua cara e também se não forem e por fim, se a oferta dos peixe for ruim no dia não abaixam o preço. E por fim  o Kansuke, do Egashira Keisuke (Ex-Shin Zushi), acho que é o mais próximo ao prazer de comer no Hamatyo, porém os sushis são mais delicados, é uma experiência mais fina, digamos assim.

Bom, acho que já falei bastante, recomendo irem ao Hamatyo, eu gosto, muito! Me contem depois como foi. Ah e por favor coloquem shoyu só na parte de cima do sushi, no peixe =).

Abs!

Jin Jin Wok e uma reflexão sobre a culinária japonesa

Jin Jin Wok Sushis

Eae gente, tudo bom?

Se tem algo que raramente faço é comer comida japonesa em shopping centers. Em geral quando eu vou acabo recorrendo a algum restaurante “fechado” e não os clássicos de balcão. Não é nada contra, é apenas costume. E claro, como também não sou de ferro, muitas vezes o que você quer é comer aquele lanche com batata-frita, uma pizza-hut ou qualquer outra coisa.

Porém um dia desses fui convidado pela assessoria de imprensa do Jin Jin Wok a conhecer o restaurante. Obviamente fiquei um pouco com o pé atrás, mas fui com o coração aberto.

O Jin Jin Wok possui diversas unidades e a que eu fui foi do Shopping Eldorado, que fica na praça de alimentação.

Para quem não sabe, o Jin Jin Wok tem como foco comida quente, porém oferece também sushis, sem dúvida pelo apelo comercial.  Se você nunca viu o Jin Jin Wok antes, dá uma olhada na carinha dele aí =)

Jin Jin Wok

Eles possuem, como eu disse, uma parte quente e um parte fria, além de alguns pratos a la carte, como yakisoba, por exemplo.

Antes de mais nada, vejam como ficam dispostos os sushis na bancada fria do Jin Jin Wok:

Jin Jin Wok Sushis

Um close mais de perto:

Jin Jin Wok Sushis

Não vou negar, ali até tinham sushis interessantes para o meu gosto, porém outros não tanto. Segue abaixo o meu prato:

Jin Jin Wok Sushis

Peguei niguiris de salmão chamuscados, hossomakis de salmão, uramakis de salmão, jow de salmão, hot rolls, enrolado de salmão skin. Enrolado de pepino com pedacinhos de polvo por cima. Todos esses sushis estavam muito bem feitinhos e gostosos. Gostei do chamuscado, mostrou que eles estão até a par do que está em moda por aí.

Além disso, peguei um “sushi” totalmente fora do meu gosto, só a caráter de experimentar mesmo, que foi aquele hot roll de morango com nutella ali em cima. Eu faço questão de experimentar sushis menos tradicionais mas que mesmo assim muita gente gosta. Confesso que não faz muito meu gosto mesmo, mas valeu a tentativa =). Serviu de semi-sobremesa, rs.

Depois segui de volta ao Jin Jin Wok e fiz um prato só com escolhas quentes:
Jin Jin Wok pratos quentes

Acima vocês podem ver rolinhos primavera, carne com brócolis, shimeji e lombo de porco a milanesa. Confesso que essas opções tiveram seus altos e baixos.

O rolinho primavera, por exemplo, não estava tão crocante, apesar de bom sabor. O molhinho agridoce também poderia ser um pouco melhor. O shimeji e a carne com brócolis estavam ok, a carne um pouquinho dura só, porém o brócolis super macio (como eu gosto).

E para minha surpresa total, o melhor foi o lombo de porco empanado, como se fosse um tonkatsu sem o empanado de panko. A cara não estava boa, mas o sabor e a textura estavam excelentes! Surpreendente mesmo, super macio.

Agora uma reflexão muito importante:

Aqui no Gourmet San costumo escrever sobre lugares ótimos de se visitar pois servem sushis excelentes e…geralmente caros. Não posso negar, busco bons custo-benefício, porém invisto para poder escrever no Gourmet San, são omakases, sushis com toques contemporâneos, corridas para provar um bluefin, e nada sai de graça.

Porém o mundo da culinária japonesa não é só esse. Aqui no Brasil, e particularmente em São Paulo, ela sofreu adaptações, seja no preparo do sushi, seja em níveis distintos de ingredientes. E sendo bem honesto, o foodie-fascistas que se remoam, mas AINDA bem que existem lugares com ambições menores em relação a culinária japonesa, AINDA bem que há restaurantes que querem servir algo acessível a maior parte da população. Esse é o caso do Jin Jin Wok.

Pude observar por um tempo o público que estava pegando comida ali no Jin Jin Wok, ele era o mais variado possível: adultos, crianças, idosos de todos os gêneros e raças. E olhando a todos eles, com minha experiência grande, foi uma certeza, todos eram iniciantes na culinária japonesa.

Vocês veem a beleza nisso?

Uma base enorme e variada de pessoas, um público leigo que está adentrando na culinária japonesa, sem expectativas, se abrindo e se expondo para o novo, que muitas vezes é assustador, como a culinária japonesa pode ser. E o Jin Jin Wok é um desses lugares que permite que essa nova base de clientes de restaurantes japoneses surja.

Espero que tenham gostado da reflexão

Abraços e até a próxima.

Gourmet San

Nayoro, mais um delivery bom em SP, acharam a fórmula?

Nayoro Delivery de comida japonesa

Eae gente, tudo bom?

Criei o Gourmet San uns 6 anos atrás e desde então tenho experimentado muitos deliveries, inclusive recomendo vocês darem uma olhadinha na lista de todos que já pedi. E no começo vou dizer pra vocês, 90% dos deliveries eram ruins ou pelo menos tinham 1 ou 2 erros gravíssimos, ou que tornavam a experiência bem insatisfatória.

Não digo que é fácil fazer delivery de sushi, é o oposto, é muito difícil. Imaginem só vocês que o temaki foi criado para ser comido segundos depois que o sushiman o prepara. O próprio sushi, para quem viu o filme Jiro: Dreams of Sushi, deve ter aprendido que deve ser comido também rapidamente, pois o timing dos ingredientes juntos funciona em sincronia.

Mas parece que esse cenário dos deliveries mudou. Ultimamente tenho experimentado alguns deliveries em São Paulo bem bons, que acertam na grande maioria dos elementos e que precisam apenas de 1 ou 2 acertos.

A review de hoje é do Nayoro, localizado na rua Carlos Weber, 92, Vila Leopoldina (ZO de São Paulo). Importante eu passar o endereço pois eles abrirão o restaurante físico em breve, mas hoje é só delivery pelo IFood.

Fiquei sabendo do Namoro por indicação e vi umas fotos no Instagram bem promissoras. Resolvi pedir num sábado a noite de preguiça e Netflix.

Em geral, em meus primeiros pedidos eu chuto o balde e quero experimentar o mais variado possível. Segue abaixo minha experiência e tudo que pedi e comi.

Antes de mais nada as embalagens não seguiram o padrão de virem numa sacola de papel marrom grandes. Nada contra nem a favor, mas gostei de ver as sacolinhas coloridas =)

Nayoro Delivery de comida japonesa embalagem

Depois que abri as embalagens ficou assim:

Nayoro Delivery de comida japonesa embalagem

Eu particularmente gosto muito dessas embalagens para encaixar rolls (enrolados) confortavelmente posicionados. É interessante também pois não tem aquela mistura de rolls diferentes na mesma embalagem, onde o ingrediente de um sushi cai em cima do outro. Claro que eu não pedi um combinado grande, pode vir junto, mas só posso dizer dessa minha experiência.

E agora…tan-tan-tan-tan:

Nayoro Delivery de comida japonesa

Vejam só que beleza, comida pra caramba! Aí vocês vem na coluna da esquerda um baterá com salmão e camarão, depois um uramaki com crispy de tempura e depois um enrolados de salmão com camarão empanado e ovas. Do lado direito um sashimi bem farto de salmão com alho poró e 3 duplas de sushi: atum com foies gra, how de salmão com alho poró e salmão chamuscado.

Vamos ver um a um agora.

Baterá de salmão com camarão e ovas:

Nayoro Delivery de comida japonesa batera de salmão com camarão

Eu comecei pelo prato que o Nayoro precisa mais trabalhar. Apesar do sabor estar ali e dos ingredientes serem bons, tem muita coisa junta rolando e cada baterá acabou ficando grande demais, mal cabia na minha boca. Minha recomendação pro pessoal do Nayoro é diminuir a quantidade de todos ingredientes e talvez tirar o camarão de cima, não precisa mesmo, o prato já é bom sem ele.

Enrolado de salmão com camarão empanado dentro:

Nayoro Delivery de comida japonesa

Esse prato funciona muito bem. Já está se tornando famoso em vários restaurantes. O Nayoro de seu toque, com as ovas verdes. Para o meu gosto funciona muito bem, muito bem. Foi um dos pontos altos do jantar. Se a equipe deles precisa ficar atenta só em um ponto é pro camarão não ficar crocante demais a ponto de ficar durinho. Só digo isso pois esse enrolado matou minha fome, bem farto.

Uramaki Camarão Parmesão:

Nayoro Delivery de comida japonesa uramaki

Esse daqui o pessoal pegou dos EUA, e fizeram muitíssimo bem, pois ele é ótimo. Aqui no Brasil os restaurante pegaram a péssima idéia de colocar pedaços muito grandes de pepino nos sushis, não funciona…Já diminuindo o pepino e acrescentando o avocado o sushi fica muito mais suave.

Esse foi o sushi que acabou antes, isso mesmo, devorei, é do jeito que eu gosto.

Sashimi de salmão chamuscado com alho poró:

Nayoro Delivery de comida japonesa salmão sashimi com alho poró

Esse foi outro grande acerto. A inédita combinação de salmão com alho poró me surpreender e funcionou super bem. Ele traz uma textura e sabor bem leve. Novamente apenas um ponto, os sashimis estavam muito grandes, da maneira que ficava difícil equilibrar a fatia. A grossura estava perfeita, acho que dá pra manter, mas o filé do salmão de onde foram tiradas as fatias estava muito largo. Lembrando que isso é só um toque para deixarem o prato na medida.

Niguiris:

Nayoro Delivery de comida japonesa niguiris

Realmente o atum com foies pra dominou a cidade, ele está presente em todos os cantos. Os produtores devem estar felizes da vida. Além desse sushi, as outras duplas era um jow de salmão com alho poró e um de salmão chamuscado. Ambos deliciosos e enorme, eu mesmo tive dificuldade para que coubessem na minha boca, quem gosta de sushi grande vai amar.

No final das contas eu adorei mesmo o Nayoro, entrega rápida, embalagens boas, sushis bons (precisando apenas acertar um ou outro ponto) e preços bons. Aliás, falando em preço, todos pratos acima (tirando os niguiris) tem preço de 15 a 30 reais, excelente custo benefício!

Recomendo o Nayoro sim! Mas uma opção interessante de delivery de comida japonesa em São Paulo, quero pedir novamente, mas agora outros pratos.

Abraços

Gourmet San

Omakase promocional do Aya as 2as, vale a pena? Eu fui!

Omakase Restaurante Aya jo de caviar

Oi gente, tudo bom?

Os omakases (menu degustação) que em japonês significa algo como “deixar por conta do chefe” ou “confie no chefe” estão cada vez mais caindo no gosto do paulistano, afinal é a chance de comer o melhor que o restaurante tem a oferecer, de uma maneira mais abrangente, e numa refeição só.

Pro restaurante também é bom, pois ele consegue sair do lugar comum dos pedidos de sempre e também varias e abusar mais de ingredientes diferentes.

Assim sendo, a quantidade de restaurante que possuem no cardápio 1, 2 ou até 3 tipos de omakase não é raro. Os preços obviamente são mais elevados. Acho que o omakase mais em conta que conheço é o do Shigueru, que sai por uns 130,00, depois tem o do Aze Sushi, que com o Chef`s Club sai por uns 160,00. Também tem os omakases dos restaurantes melhores ainda, como o Kinoshita e Shin Zushi, onde os omakases vão de 250 até uns 350 facilmente, mas é claro que trabalhando com a excelência em ingredientes e técnica.

O restaurante Aya, do chefe Juraci também tem seu omakase, que se não me engano custa uns 240 ou 260 reais, mas as 2as eles o oferecem pro 180,00! Eu já tinha ido conferir uma vez um bom tempo atrás e aproveitei para ir de novo.

Como sempre, vale a pena salientar que o ambiente do Aya é dos melhores. Para um casal, talvez seja o melhor de SP. O serviço do Aya também é top de linha, desde os garçons, maitre, segurança, tudo.

Quando cheguei o balcão estava 100% vazio e o Juraci não se encontrava, eu sentei na frente de um jovem oriental que morou anos no Japão (descobri no decorrer do jantar). Assim que sentei, confirmaram que era o omakasse, e eu confirmei que era o dia com preço promocional.

Sem mais churamelas, vejam tudo que me serviram (clique para ver em tamanho maior):

Pra começar, eles conseguiram me pegar pelo ponto fraco. Na minha opinião não tem melhor jeito de começar um jantar japonês do que com o tempurá de shiso com atum batido, é perfeito, e estava muito bem executado.

O tartare também estava bom, apesar de que eu achei que o foie gras em cima não combinava muito com o prato.

Sobre os sushis, o Aya manteve a mesma linha da vez passada que comi esse omakase, a grande maioria dos sushis bons, mas não excelentes. Sim, exato, sushis bem gostosos, mas não eram de chorar em cima. Com exceção da barriga de salmão chamuscada e do incrível jo de salmão com caviar, esse último é de brihar os olhos. A vieira também estava fresquíssima, geladinha, uma delícia. E para finalizar, eles serviram o signature sushi deles, o haddock empanado com mel trufado, simplesmente delicioso, de sonhar mesmo. Ah, e obrigado pelo uni cortesia =) Eles me serviram quando perguntei se não ia vir no omakase.

Como prato final, antes da sobremesa, serviram um surpreendente e delicioso lagostim a provençal, juro estava demais, comeria todos os dias, foi preparado com esmero!

E para finalizar, a sobremesa estava estupenda e perfeitamente executada. Vou ser sincero, eu gosto de banana, mas não sou fã dela como sobremesa, mas estava divina. Empanada em pedacinhos crocantes, sequinhos e com o sorvete. Raspei o prato! No fim, como tomei só bancha (cortesia) e minha conta saiu redondinha 200 reais.

Agora a consideração final. Vale a pena? Sim, vale! por 180,00 é um omakase completíssimo! Mas agora tem um ponto importante, se esse mesmo omakase for servido por 240/260 reais, aí não vale…

Então o que eu acho, minha opinião tá, que o Aya faz um omakase mais barato sim, que vale a pena, mas que também ele dá uma “acertada” nos ingredientes para adequação do preço.

Recomendo irem, vale a pena sim, principalmente como em casal =)

Abraços

Gourmet San

Izakaya Matsu – almoço de se ajoelhar

Oi pessoal, tudo bom?

Se tem um feedback que recebo com certa frequência é para eu postar menos sushi e sashimi e mais cozinha quente japonesa! É algo que estou trabalhando na minha logística diária.

Mas enquanto isso, quando consigo dar uns pulos eu sempre entro num restaurante novo! Dessa vez foi um lugar que está “bombando”, o Izakaya Matsu, que fica literalmente a 5m do clássico dos clássicos Hamatyo do Yoshida San. O endereço é Av. Pedroso de Morais, 403 – Pinheiros.

Já tinha ouvido muito falar do Matsu e estava ansioso pra ir, aliás até sigo eles no FB, onde eles postam sempre o cardápio semanal. E por falar em cardápio, no almoço eles só tem 1 opção, mas acreditem, você não precisa de mais, eles dão conta do recado, eles são bons dessa maneira.

Para minha surpresa estava vazio (sempre leio que lá é cheio, afinal o paulistano adoro o “point do momento”), sentei no balcão e pedi o cardápio, a japonesa me deu uma invertida falando que eles só servem 1 opção, perguntei o que era e ela respondeu: “chicken kare”. Falei que ela podia servir! O preço? 35 reais, excelente! Mas melhor ainda quando vi o que me serviram:

Aí em cima vocês veem uma saladinha de repolho, frango com legumes, abacaxi, missoshiru e o prato principal, frango no estilo Tandoori com gohan e kare.

Vou ser sincero que não me impressionei muito por nenhum acompanhamento, mas o prato principal leva tudo nas costas, pois ele é espetacular, demais mesmo, nota 10! O frango tandoori é um receita original indiana e vou dizer que fiquei impressionado o que o Matsu entregou: frango alto, generoso, suculento e super saboroso, deu vontade de invadir a cozinha, colocar o cozinheiro contra a parte e obrigá-lo a contar a receita! Sobre o karê, está na medida, apimentado e saboroso, não dava para pedir nada a mais, prato redondinho, eles sabem o que estão fazendo.

Bom, saí de lá com uma certeza, um dos melhores almoços que já tive, além disso o custo-benefício é excelente com o valor de 35 reais. O único problema é que eu não pude retornar ainda e sempre fico babando no menu deles que é disponibilizado no Facebook, a variedade é grande e se tudo for tão bem executado com esse Frango Tandoori, vou te falar, é digno de ir lá todo santo dia.

Antes de eu me despedir, segue um zoom no prato do dia:

Abraços

Gourmet San

A Nova Geração de SP epi 3: Aya e seu Omakasse!

Olá gente, tudo bom?

Como 3o episódio da série onde exploro os novos restaurantes da cidade de São Paulo falaremos do Aya! Ele tem uma história bem única e isso se deve a seu sushiman chefe, o Juraci, que durante anos foi braço direito do Jun Sakamoto.

Já fui ao Aya umas 2x antes, provando o menu executivo normal e o omakasse executivo. Mas desta vez vamos de omakasse a noite. Se não me engano, de 2a feira o omakasse sai com desconto (e aqui vale a pena ligar lá pra conferir). O valor do omakasse varia de acordo com algumas opções que o Aya oferece a vai de 160 a 240 reais.

Como eu disse na review anterior, o Aya tem um ambiente bacana, tão legal que assumo que foi estranho ter ido lá num almoço corriqueiro.

Desta vez o diferencial foi ter ido a noite, mas antes de mais nada vejam a longa sequência de sushis que serviram:

Coisa pra caramba! Isso sem dúvida é um ponto a se exaltar, são pouquíssimos restaurantes que conseguem servir variedade tão grande de nigiris.

É uma série longa de sushis (15 ou 16 sushis), com alguns ingredientes difíceis de se encontrar, PORÉM (sim, um grande “porém), alguns sushis são bem fracos, como a “barriga de salmão” (que não parece barriga), bijupirá e o atum (akami, nada de chutoro ou toro). Esses sushis ficam desnivelados com o restante. Vale a pena lembrar que na minha última visita serviram saint-peter, outro peixe simples e que os leitores do blog ressaltaram bem que é um peixe bem basicão.

O Aya do Juraci é como se fosse uma versão mais barata e simples do Jun Sakamoto, mas mesmo que seja um pouco mais em conta o custo benefício é mais ou menos, vamos ver por quê…

Como eu disse, o ponto alto é a variedade, mas servindo peixes simples e baratos, o preço não justifica, e além disso, não se vê no corte dos peixes e no preparo de alguns sushis, técnica tão boa pra cobrar tão caro. É como se fossem pratos parecidos ao do Jun Sakamoto mas com execução abaixo.
Agora ressaltando os pontos altos, tem alguns sushis surpreendentes. O melhor de todos é o de tempura de anchova, simplesmente sensacional, nota 10! É daqueles que você come e se contorce na cadeira!
Outro que merece destaque é o de camarão com apenas seu rabo em formato de tempurá, a diferença de textura funciona muito bem. Seguindo na linha dos que fiquei surpreso foi com o salmão do alaska, e outros com um preparo diferenciado, com o tempura com ikura, a lula com yuzu e sal negro e a anchova negra em duas maneira diferentes.
Desta maneira, acho que o Aya seja uma opção boa para quem não quer dor de cabeça com reservas e que também não está no ímpeto de ter a refeição da vida. O Aya não compromete, ele é bom, um pouquinho caro para o que oferece e com o custo benefício quase bom.
Gostaria muito de ir mais vezes, talvez eu foque numa visita as 2as feiras para aproveitar o desconto!
Abraços
Gourmet San

Sushi Cake! Novidade da Sweet Sushi!

Olá a todos,

Além de vocês que sempre me mandam novidades, meus amigos e familiares sempre comentam comigo suas experiências em restaurantes, pedem dicas ou falam para combinarmos de ir a algum sushi ou fazer em casa. Ou seja, estou sempre cercado por informações de comida japonesa por todos os cantos!

Desta maneira, novidades batem a minha porta sempre! Desta vez foi algo que eu já tinha visto por aí “nas internets”, mas nunca tinha nem pensado que iria provar. Estou falando de sushicake (bolos de sushis), ou de sushis em formato de bolo!

Antes que vocês comecem a torcer ou nariz ou fazer cara feia, podem parar, isso já existe faz um bom tempo no exterior e grandes chefes já aprovaram, como o Morimoto (que foi um Iron Chef original), e é um dos maiores nomes da culinária japonesa do mundo.

Vocês então devem estar se perguntando: “mas então Gourmet San, nos diga, é bom? onde? quanto? como??”

Ok, vamos lá! Aqui em São Paulo temos uma empresa pioneira em sushi cakes (sushis em formato de bolo) que é a Sweet Sushi! Eles acabaram de começar as operações e já estão fazendo sucesso! Claro que fiquei sabendo rapidamente deles e fiz questão de ver qual que é a desse sushi em formato de bolo!

Por enquanto eles não possuem site, mas possuem uma fanpage no facebook e aceitam pedidos por lá, por email (sweetsushisp@gmail.com) ou telefone (11 95874-5248). Achei que eles estariam sem movimento, afinal acabaram de abrir, mas a coisa ta indo bem aparentemente, pois fiz um pedido correndo em cima no dia 23/12 e eles só puderem me enviar no dia 24/12 depois do almoço. Ou seja, programem-se, caso queiram provar um bolo de sushi no jantar, peçam no horário do almoço. Os bolos não estão prontos, como estamos falando de sushi

Eu pedi 2 bolos de tamanho P, que servem 2-3 pessoas e custam 70 reais cada um, ou seja, mais ou menos de 25-35 reais por pessoa, bem menos do que qualquer rodízio de comida japonesa! Bom, vamos ver se vale a pena abaixo?

Sushicake 1: Sweet & Spicy

Sushicake de salmão com raspas de limão, avocado e mais alguns ingredientes que não consegui decifrar. Para cortar é bem fácil, aliás muito mais do que um bolo normal, pois o arroz cede bem mas como o bolo é bem montado, ele não desmonta em nenhum momento.

O sabor desse sushicake é excelente! Ele traz a combinação de salmão com raspas de limão, que é classicamente conhecida e funciona muitíssimo bem. Além disso, o avocado (abacate) trabalha super bem e vale lembrar que ele é ingrediente comum na culinária japonesa nos EUA. Infelizmente os abacates estavam um pouquinho desformes, isso é por que não eram avocados.

Vejam abaixo o bolo de outro ângulo.

Pois é, dá pra ver que vai bastante salmão, não é um bolo de arroz. Para melhorar ainda mais esse bolo é só colocar um pouquinho de shoyu ou tarê, e foi o que eu fiz! Agora vamos ao  outro bolo!

Sushicake 2: Salmão Sweet & Frutas

Bonito né? Esse é um sushicake muito mais complexo, ele leva diversas frutas como morango, cerejas, amoras, manga além do avocado e essas foram a que percebi. Sendo bem sincero, foi um pouco fruta demais, mas estava gostoso também, apesar de eu ter preferido o sushicake anterior. Quando cortei o bolo percebi que tinha muito mais ainda, vejam abaixo.

Dentre os ingredientes ainda percebi o gergelim e filamentos de algum vegetal (talvez cebolinha e alga-nori). Diferente do outro, esse não acrescentei nem shoyu ou molho tarê, mas acho que caberia muito bem também. Vale a pena comentar que as frutas selecionadas combinam bem com o salmão e o arroz adocicado, então tudo caminha bem.

Mas vamos lá, é necessário fazer uma análise mais ampla do conceito desses sushicakes e não apenas dos sabores de cada um. Isso é muito importante pois a todos que mostrei o sushicake acharam estranho a primeira vista, com preconceito obviamente, mas depois de provarem a coisa mudou, davam uma risadinha e diziam: “não é que funciona mesmo? gostoso heim!”

Os sushicakes ou bolos de sushis, vão mais para o lado dos sushis do que de bolos, então não pense em algo como um pão-de-ló, suspiro e salmão e sim como um sushi grande com um trabalho especial. Para ser mais preciso ainda, eu diria que se trata de uma versão maior e mais bem elaborada dos bateras, famosos sushis prensados.

O sabor também não é algo super doce como os bolos normais, mas ele segue a linha de sushis agridoces que temos hoje em dia, portanto se trata de uma versão maior de sushis.

A Sweet Sushi possui diversas opções em seu cardápio, inclusive opções servidas em copos, vale a pena conferir, eu gostei muito da novidade!

Abraços

Gourmet San

Os melhores de SP em 6 semanas epi 3: Hamatyo

Olá a todos,

Hoje é o terceiro episódio de uma série especial, todo domingo a noite, um post inédito sobre um restaurante japonês top de São Paulo e seu menu degustação (omakasse).

As visitas foram feitas por um enviado especial do Gourmet San, o Will, um colega fanático por comida japonesa e que visitou  apenas as indicações dos melhores! Foi assim, através de indicações minhas e uma pré-lista dele que se deu início a o que talvez tenha sido uma das maiores sagas de restaurantes japoneses, ele percorreu os melhores restaurantes japoneses seguidos, um por semana! Então ele tem a visão única do atual estado dos melhores!

Hoje a review é sobre um dos sushibares mais tradicionais de São Paulo, o Hamatyo! Além de tradicional, o restaurante é único, o ambiente constitui basicamente do balcão e 2 mesinhas pequenas e possui 2 funcionários, o Itamae Yoshida San e sua esposa. Falando um pouco mais do Yoshida San, ele é um dos sushi mestres mais respeitados de São Paulo.

Segundo o Will, o restaurante é tradicional do começo ao fim, comida, ambiente e atmosfera e ainda é bem bonito, não é daqueles tradicionais mal cuidados não!

Bom, veja a seguir a sequência de sushis que o Will pediu e custam por volta de 180,00 reais:

Pareceu pouco? Segundo o Will não, pois foram os maiores sushis que ele já comeu na vida. Realmente eles são satisfatoriamente fartos e enchem sua boca da sabor! O wasabi colocado era um pouco mais forte do que o normal que ele encontrou em outros restaurantes e todos ingredientes sem exceção incrivelmente frescos.

Sobre a técnica do Yoshida San, ela é impecável, os sushi vem montados com perfeição e parecem uma obra de arte. Os cortes são grossos e os sushi simétricos, não dá pra reclamar de nada!

Infelizmente a foto da enguia (sushi de unagui) saiu turva e não coloquei no post, mas é um dos melhores, se não a melhor preparação de enguia de SP.

Will disse que se tem um ponto negativo, não tem repetição de sushis, é aquilo e pronto. Sobre o preço de 180,00 reais, é um pouquinho caro sim, mas é compreensível pela técnica, qualidade dos ingredientes e também vale a pena ressaltar que você não sai com fome!

Recomendadíssimo! Valeu Will!

Abraços

Gourmet San

[review]

Os melhores de SP em 6 semanas epi 1: Jun Sakamoto

Olá a todos,

Está começando hoje uma série especial, teremos 1x por semana, todo domingo a noite, um post inédito sobre um restaurante japonês top de São Paulo e seu menu degustação (omakasse).

Mas temos uma novidade, as visitas foram feitas por um enviado especial do Gourmet San, o Will, um colega fanático por comida japonesa e que visitou  apenas as indicações dos melhores! Foi assim, através de indicações minhas e uma pré-lista deles, que se deu início a o que talvez tenha sido uma das maiores sagas de restaurantes japoneses, ele percorreu os melhores restaurantes japoneses seguidos, um por semana! Então ele tem a visão única do atual estado dos melhores

Vamos dar início a essa saga com classe: Jun Sakamoto!

Após respirar fundo e preparar o bolso, o Will resolveu ir ao famosíssimo Jun Sakamoto, que já foi aclamado por anos seguidos, como melhor restaurante japonês de São Paulo e com os melhores sushis.

O Will fez certo, ligou lá e reservou o balcão de frente ao Jun Sakamoto, valor do menu degustação com 16 sushis e alguns pratos extras: 290 reais!

Caro né? Pesado… pensando que ainda serão somados bebidas e 10% e talvez um valet!

Segundo o Will, a atmosfera é bem diferente de um restaurante japonês tradicional, o lugar é realmente muito bonito, talvez um dos mais bonitos que ele já tinha ido. Todos os pratos e sushis servidos ao Will estão abaixo:

Bastante coisa não é mesmo? Cada sushi é servido numa pedra especial individual de cada cliente. Segundo o Will, todos ingredientes são muito bons, e alguns sushis executados de uma maneira impensavelmente impecável, como o de tempurá de enguia, o de uni, vieira e lula. Porém outros com execuções mais simples, como o pargo e o carapau.

Além disso o Will que o arroz não era parecido com nada que ele jamais tivesse provado num sushi. É provável que o arroz do Jun seja importado do Japão e deve ser daqueles caríssimos (leia-se o pacote algumas centenas de dólares).

Segundo o Will, ele achou o público do Jun em geral não tão expert e que pareceu estar ali por que pode e não por que realmente gosta, aprecia e aproveita sushis da melhor maneira possível (nível que o Jun serve). Claro que cada um vai onde quer, mas o Will comentou que ao seu lado uma mulher pediu para o Jun colocar mais ou menos wasabi num sushi e que o Jun nem respondeu, deu um trejeito de resmungada, e que na hora do sushi de vieira da mulher, ele serviu direto, não finalizou chamuscando e com temperos.

Galera, um sushi bem feito não é uma mistureba de ingredientes. O arroz temperado, o wasabi e o tipo de cobertura (peixe, ovas etc…) todos tem um motivo de ser, então pedir um sushi “destemperado” ao Jun, que estudou a arte do sushi ao extremo, é estupidez.

Aliás, pegando esse gancho, o Will disse que sentar-se de frente ao Jun não foi fácil. Primeiro pela pressão de sentar-se na frente do Jun, que possui todo esse renome, e depois pela chata experiência do Jun não dirigir nem uma palavra sequer, ficar quieto o jantar todo. Vale mencionar que não é nem o Jun que serve o sushi, ele corta e prepara, seu ajudante finaliza e serve.

Outro ponto de estranheza apontado é que há 2 balcões no recinto e que esses balcões são separados, é como se fossem 2 restaurantes separados e diferentes, em um fica o Jun e num outro o outro sushiman.

Conclusão final…o lugar é lindo, os sushis em sua maioria são absolutamente excelentes, talvez os melhores de São Paulo mesmo, sobretudo pelo conjunto da obra, com um arroz absolutamente incrível, ingredientes frescos e execuções em geral estupendas. Sobre o valor, é caro, caro mesmo, talvez pudesse ser um pouco mais barato, mas pela técnica aplicada e pelo arroz, é compreensível!

Abraços e até a próxima!

Gourmet San