Sushi Tour SP episódio 3: Hutô

Oi pessoal, hoje vamos dar prosseguimento ao Sushi Tour em São Paulo que fiz com alguns clientes do Gourmet San!

O 3o da lista foi o fantástico Hutô! Por quê fantástico? Vocês vão descobrir abaixo.

Antes de mais nada o Hutô é o único restaurante japonês em São Paulo que serve (1) sushis contemporâneos (modernos), (2) com foco em omakase (menu degustação) e (3) com um ambiente diferenciado. Essas 3 características juntas só acontecem no Hutô e se alguém quiser bater um papo sobre isso estou aberto, será uma conversa produtiva sobre pontos de vista.

Um ponto do Hutô que é preciso entender é que o público em geral está ali em ocasiões especiais: encontros, reuniões de datas comemorativas, aniversários etc etc. Ou seja, o próprio ambiente dele proporciona isso, então eu julgo uma informação importante para você não chegar lá de bermuda de surfe e camiseta furada, não vai pegar bem.

O cardápio é maravilhoso, com pratos que você só vê ali, ou seja, restaurante super original do começo ao fim. Porém  minha recomendação é: peça uma entrada para dividir e depois emende um menu degustação! Eles possuem 3 opções de menu degustação se não estou enganado, o mais básico já é suficiente para comer muitíssimo bem, consiste em 3-5 pratos + 8 sushis com os melhores do dia, o valor fica perto dos 200,00 eu acho, mas é uma refeição que vale!

C0mo estava esperando eles chegaram, pedi uma porção de edamame:

Mas logo que eles chegaram pedimos uma entrada, desnecessária em termos de comida na barriga, mas absolutamente deliciosa! Se trata de fatias de atum maçaricadas com ovo de codorna tempurá trufado e com ovas por cima, incrível!Logo depois iniciamos nosso menu degustação com um clássico do Huto e feito com perfeição. A versão maior do prato acima, mas sem o atum. Um meio ovo de codorna empanado, com azeite trufado e ovas de salmão. Juro, é maravilhoso!

 

Depois um prato lindo de ser ver e de comer, 3 fatias de atum selados com perfeição, acompanhando 2 molhos distintos.

 

Outro prato novo! Lula temperada com gema de ovo de codorna, prato surpreendente, gostei também

 

Um dupla de otras gratinadas, também com perfeição.

E como de praxe, pra finalizar antes dos sushis, um peixe grelhado, excelente.Agora vamos a o que interessa, os maravilhosos sushis que o Hutô serve.

Não vou nem comentar, apenas babem na sequência!

Pra mim o ponto alto foi o penúltimo sushi, que se trata de lagostim chamuscado com maneira trufada, absolutamente sensacional, coisa maluca mesmo. Eles fazem o sushi colocam uma colherzinha da manteiga temperada em cima e depois chamuscam, derretendo a manteiga e a fundindo ao lagostim. HUMMMMM… sushi campeão.

O Hutô é um restaurante único em São Paulo e eu recomendo muitíssimo a visita, não tem erro.

abraços

Gourmet Santour

Huto Omakasse freestyle – 1 Estrela Michelin

Fala pessoal, tudo bem?

Hoje vou falar sobre o restaurante Huto que é um dos restaurantes mais novos digamos assim da cena paulista de restaurantes japoneses. Já fizemos aqui no blog uma 1a review que o próprio Gourmet San que foi comigo fez. Mas ele pediu um omakase diferente, então aproveitem para mais um review deste incrível restaurante que tem 1 estrela Michelin.
Embora novo, a casa se posiciona de maneira a brigar de frente com as maiores casas de São Paulo como Jun, Kan e Shin. A casa conta com nomes de peso, durante a minha visita fui servido pelo Zezinho ex-Jun Sakamoto e Junji.
Eu pedi uma série de sushis e sinceramente foi uma das melhores que comi na vida, o destaque fica para todos os chamuscados no maçarico, sem dúvida as melhores execuções de chamuscados que eu já comi. A série pedi, mas que na verdade não pedi é o chamado Omakase 3. Ele é o omakase 100% freestyle, ou seja, o sushiman vai te mandando os melhores sushis do dia até você dizer chega!
O ambiente é muito interessante, me lembra algumas casas tradicionais como Kan e Harutaka (No Japão) e o Zezinho que me serviu mostrou ter sem dúvida uma das melhores técnicas em sushi hoje no Brasil.
O preço pode ser um pouco salgado (cerca de R$ 300 por pessoa se você comer muito), mas se você souber o que pedir consegue gastar cerca de R$ 200.
Um ponto negativo é a localização, é um pouco dificil de chegar, pois fica no meio do bairro de Moema.
Veredito final, sem dúvida um dos 5 melhores restaurantes de São Paulo hoje em dia com ingredientes de ponta, execuções precisas e até inovadoras em alguns sushis, provou o valor de sua estrela Michelin sem dúvida.
E vocês já foram ao Huto? O que acharam?
Comente aí embaixo
Abraços
Will

Especial Guia Michelin – Cap 1: Huto

Hoje começamos mais um especial aqui no Gourmet San!

Nele visitaremos restaurantes japoneses estrelados pelo Guia Michelin! Para que não sabe do que estou falando, o Guia Michelin (como um Guia 4 Rodas) ficou reconhecido por rankear restaurantes pelo mundo todo, de 1 a 3 estrelas.

Restaurantes que receberam as 3 Estrelas Michelin conseguiram ao longo de diferentes visitas dos inspetores Michelin manter o mais alto nível de serviço e comida! Um dos mais famosos 3 Estrelas Michelin no mundo dos restaurantes japoneses é o Sukiyabashi Jiro, do famosíssimo Jiro Ono, do documentário Jiro: Dreams of Sushi (recomendo MUITO assistir ao documentário AQUI).

Mas não estamos aqui pra falar de Japão e sim de Brasil! O Guia Michelin visitou São Paulo em 2015 e deu a diversos restaurantes a honra de ter 1 estrela Michelin! No dia de hoje eu escreverei aqui sobre o Hutô! Um restaurante japonês daqui de São Paulo que foi agraciado com 1 estrela Michelin! O restaurante fica numa área super residencial, no bairro de Moema, o endereço certinho é Av. Jandira, 677 – Moema, São Paulo – SP, (11) 5052-6804 (www.hutorestaurante.com.br/).

Eu fui com o Will, colaborador aqui no Gourmet San, mas pedimos coisas diferentes, vocês terão o prazer de ler 2 reviews diferentes do Huto =)

Eu e o Will reservamos o balcão, é claro. Assim que chegamos fomos direcionados para nosso lugar cordialmente pela hostess. Digo logo de cara o lugar é fino, bem decorado, ambiente aconchegante e com luz baixa, porém com pontos de luz nos lugares certos. Sentamos no balcão do Zezinho, que no meio do jantar descobrimos ter sido o braço direito do Jun Sakamoto por 7-8 anos (meu palpite é que ele deve ter assumido assim que o Juraci abriu o Aya).

Mas chega de falação! O Huto tem um cardápio bacana e com 3 opções de Omakasse, 1, 2 e 3. O 1 consiste em 5 entradas e 6 sushis especiais (sai uns 170 reais), o 2 consiste em 5 entradas e 10 sushis especiais (uns 230 reais), e o 3 consiste em um freestyle, o sushiman vai mandando de acordo com o que você quer, desde o início (preço = o que seu bolso aguentar, ou sua consciência permitir).

Eu escolhi o 2 e o Will o 3.

Vou começar com o couvert que consistia num trio de shimeji, vegetais e um atum agridoce. O shimeji não tinha nada de especial, o vegetal cozido também não. O atum agridoce estava gostoso, mas o tempero poderia ser mais agressivo e talvez com uns flocos de tempura por cima como comi no Kinoshita. Por 18 reais não recomendo, é melhor investir em outro prato.

Depois começamos o omakasse com um INCRÍVEL ovo tempura trufado e com ikura (ovas de salmão), comeria uns 10 desse, sem brincadeira, prato muito bem executado.

Em seguida serviram um lindo camarão numa base com shimeji. O camarão em si estava ótimo e o prato é bacaninha, mas confesso que ter comido shimeji no couvert e na entrada não foi legal, sinto que uma restaurante estrelado Michelin tem de ter uma olho nisso.

Agora uma das entradas mais belas, vieiras temperadas com yuzu, simplesmente deliciosas, além de que foi um dos pratos mais lindos que já vi.

Me serviram também um udon com flocos de tempura e fatias de kobe beef, um prato excelente numa porção perfeita, já comi em outros omakasses udon que me serviram um balde de udon. Só acho que o wagyu ficou um pouco perdido, talvez se fossem cubos e não fatias, ficaria melhor. Vale ressaltar uma parte fundamental no prato, os flocos de tempura dão uma textura incrível.

E para finalizar um excelente toro batidinho com caviar e gema de ovo de codorna, muito, muito bom, MAS eu esqueci de misturar um pouquinho de shoyu. =( vacilei, o shoyu ressaltaria o sabor muito mais!

Depois de todas essas entradas, eu assumo, já estava bem satisfeito e feliz, elas realmente compõe parte da refeição de forma muito respeitável. Mas ainda faltavam os sushis! Deem uma olhada neles aí abaixo, pega o babador!

Começamos com o sushi de atum gordo, toro, vejam que peça incrível o Zezinho cortou:

Depois ele já emendou com um atum com foie gras:

Diferentemente da maioria dos restaurantes japoneses que servem o atum com foie gras em formato de cubinho, no Huto eles servem uma camada completa por cima do atum, simplesmente divino, espetacular, um dos pontos altos da noite.

Depois o Zezinho partiu para alguns clássicos muito bem executados e cortados com perfeição:

Barriga se salmão com raspas de limão siciliano:

Veja que legal os cortes paralelos que bacana, bem diferente da maioria dos lugares que faz xadrez ou cortes perpendiculares.

Sushi de pargo:

Um dos sushis de pargos mais bem cortados, servidos e bem temperados de todos que já comi na vida.

Sushi de serra:

Em geral o serra tem um sabor bem forte, chega próximo da cavalinha (mas não tanto), esse estava incrível também, foi temperado com flor de sal e sal negro, comeria inúmeros sushis desse.

Sushi de King Crab / Centolla:

Nesse noite tivemos o prazer de ver o sushiman Zezinho trabalhando com centolla, esse ingrediente tão delicado. Ele tinha diversas perninhas do carangueijo ali e abriu e temperou na hora! Aliás, primeiro restaurante que acertou 100% no tempero, esse ingrediente chama complementos mesmo.

Sushi de uni:

Uni incrível que estava tão firminho que o chefe pode fazer o sushi em outro formato além do clássico gunkan! Isso só é possível quando o uni é de altíssima qualidade! E foi a primeira vez comi um sushi de uni temperado com flor de sal, ficou bem diferente, valeu a experiência!

Sushi de ika (lula):

Outro sushi muito correto, lula macia, bem preparada e temperado com limão e sal negro.

Sushi de vieira:

Outro ponto alto do jantar, sushi de vieira chamuscado e temperado com algo que não me recordo. Hoje em dia eu já posso dizer com propriedade, vieira crua é realmente melhor que assada/frita/etc.

E para finalizar, um repeteco: atum gordo, mas de um outro filé:

Um dos sushis com corte mais incrível que já vi na VIDA!! Parabéns Zezinho, que trabalho, repito, que TRABALHO! Absolutamente incrível.

De sobremesa me serviram um sorvete (presumo que feito na casa) com pêra em calda:

Eu não sou o Gourmet Sobremesa, sou bem simplista nisso, até demais, mas consigo falar de alguns pontos. Antes de mais nada eu desconfio que o Huto faça todas sobremesa na hora, sim, NA HORA. Por quê? Porque todas sobremesas eles informaram que levaria de 15-25 minutos para ficarem prontas. Eu, no ápice do meu simplismo pedi um petit gateau, que ficaria pronto em 25 minutos, já o de pêra em calda e sorvete, 15 minutos, troquei de pedido então.

Agora me diga, por que uma sobremesa de pêra em calda com sorvete levaria todo esse tempo para ficar pronta? A única resposta que vejo é que realmente eles fazem tudo na hora, o que é incrível e dá pra entender o motivo de serem estrelados pelo Guia Michelin.

Aproveitando, o Hutô realmente é um restaurante do mais alto calibre, pratos todos excelentes, equipe ótima, serviço do mesmo nível e ambiente requintado. Mas acho que posso ressaltar alguns pontos pra eles melhorarem ainda mais.

A questão do shimeji no couvert e na entrada do Omakasse, não gostei mesmo, pra uma refeição cara, acho que o garçon ou o sushiman poderiam ter dito que eu ia comer 2x shimeji, o que realmente não me interessava. Segundo ponto é a questão da sobremesa, se ela levava tanto tempo assim, deveriam ter me avisado antes, ninguém merece esperar tanto por uma sobremesa.

Minha conclusão final é que o Huto é sempre dúvida um dos melhores restaurantes japoneses de São Paulo, ele parece que une parte de restaurantes top de São Paulo num só, como Kinoshita e Geiko San, gostei demais!

Abraços

Gourmet San

Djapa Moema – rodízio de comida japonesa se reinventando

Eae gente tudo bom?

Recentemente tive o enorme prazer de dar uma palestra no Japan & Asian Food Show, no Expo Center Norte. Comentei que apenas os melhores rodízios de comida japonesa sobreviveram nos últimos anos que não há mais espaço para os rodízios que oferecem o mediano do mesmo de sempre.

Assim sendo, se você não é um desses poucos restaurantes, você precisa ser criativo. O Djapa (leia “Jhapa”) fez justamente isso, o restaurante já famoso em Mogi das Cruzes e Arujá abriu as portas em São Paulo faz 1 ano e tive finalmente a oportunidade de conferir!

Ele fica localizado no bairro de Moema, na R. Gaivota, 168 – Indianópolis, São Paulo, Telefone:(11) 2691-2003 (www.djapa.com.br/moema/). O espaço é enorme, cabe muita gente no salão e o pé direito é altíssimo, 4m pelo menos, o que faz com que as mesas não participem da conversa uma das outras.

O sistema o Djapa é o grande diferencial (rodízio sai 79,90 o premium e 52,90 o executivo), ele serve no mesmo sistema das churrascarias, com os garçons andando no salão com bandejas servindo diretamente os clientes nas mesas. É uma idéia bem inovadora (apesar de eu já ter comida em outros restaurantes assim, porém de menor porte) e faz muito sentido para o restaurante, pois o sushibar não é massacrado por pedidos diferentes de cada mesa.

Mas antes de falarmos da comida, preciso falar de alguém, do Shundi Kobayashi! O que esse conhecido sushi chefe tem a ver com o Djapa? Pois bem, olha só essa história, os donos do Djapa chamaram o Shundi para prestar uma consultoria ao restaurante para dar um upgrade nos pratos, até aí tudo bem, o mais inesperado, é que eles conseguiram “efetivar” o chefe na unidade de Mogi das Cruzes, que para surpresa de todos, era a “cidade natal” do Shundi ao chegar do Japão quando criança. Então, para quem estiver na área de Mogi das Cruzes, dá um pulo lá no Djapa!

Agora, vamos a o que interessa, tudo que eu comi lá no Djapa:

Não pensem que esse é todo repertório do Djapa, não é, nem de perto, eles fazem muitos outros sushi e principalmente entradas. Aliás, nesse ponto vale a pena dizer que o Djapa não tem o intuito de ser um restaurante tradicional, então ele não se prende a tendências, ele é bem flexível, então é perfeito para “iniciar” um amigo ou levar pessoas que não tem muita segurança sobre restaurantes japoneses, o Djapa sem dúvida terá algo que eles gostem.

Todos pratos estavam bons, é um rodízio que se enquadra bem no cenário de rodízios de comida japonesa de São Paulo, acaba sendo uma nova boa opção para o paulistano que curte rodízio. Para falar de alguns destaques, sem dúvida a variedade de entradas e de sushis, são muitas mesmo, além das outras. Os pratos são bem feitos e contém ingredientes legais e do momento, por exemplo, serviram um sushi de salmão chamuscado com azeite trufado.

O ambiente também é muito bacana, achei ótimo para qualquer ocasião, mas sobretudo para grupos. E o serviço achei excelente, o maitre é daqueles espetaculares, nota 10!

Tem um outro ponto que é altíssimo, as sobremesas! Eles possuem 4 ou 5 opções bem diferentes, e eu fui de mousse de chocolate! Estava delicioso! Muito bom mesmo, textura ótima e geladinho, maneira perfeita de terminar a refeição.

Agora uma dicaa para o Djapa é trabalhar em todos os pratos, TODOS. Se começaram a caprichar em 1, 2 sushis, façam isso em todos, faz toda diferença. Por exemplo, a ostra foi servida em natura, estava boa, mas seria excelente se tivesse um molhinho ou tempero diferente.

Djapa é uma nova opção muito interessante em São Paulo e parece que o público está curtindo, fui numa quarta a noite e estava com o salão cheio!

E você, já foi? Curtiu? Me conte sua experiência!

Abraços

Gourmet San

Mori Sushi Moema

Eae gente, tudo bom?

Como você muito bem sabem, sou fã do Mori Ohta Sushi (com filiais no Itaim e Jardins), porém tem um outro Mori na cidade que causa quase tanta “comoção” sushizística de rodízio como o seu irmão mais badalado de alcunha Ohta.

Estou falando do Mori Sushi com filiais em Perdizes, Moema, Vinhedo e Campinas! É super comum a confusão entre esses 6 Mori(s), 4 sendo Mori Sushi e 2 sendo Mori Ohta Sushi (Ohta colocado recentemente no nome). Para quem não sabe, lá nos primórdios de 10 anos atrás eles realmente eram a mesma empresa porém se separaram logo no início, o que os une, além do nome era o foco no serviço diferenciado no balcão. Mas não os confunda, são empresas distintas!

Bom, um tempinho atrás fui conferir o Mori Sushi da Melo Palheta (Perdizes) e a comida no balcão realmente é farta e saborosa, seguindo a melhor linha possível do que o paulistano que ama um rodízio de sushi busca, porém o ambiente na época ficou a desejar (confira a review completa aqui).

Mas além do Mori de Perdizes, tenho amigos que falam incessantemente do Mori de Moema. Juro que eu não tinha ido antes por preconceito do ambiente que tinha ficado na memória do anterior. Mas cedi. A convite do meu colega Junião, eu e mais um amigo do trabalho fomos lá ver “qualé que é” desse Mori de Moema. O endereço é Rua Gaivotas, 1488 – Moema.

Fomos numa quarta-feira a noite (recomendo muito), estava bem vazio e tranquilo, sentamos direto no balcão. Vale a pena dizer que o Mori Sushi de Moema é bem bonito e arrumadinho. Claro que não estou comparando ele com requintes de design como o Kinoshita, mas para um restaurante de rodízio ele está acima da média e melhor do que o que eu lembrava do Mori de Perdizes.

O ambiente é descontraído e o serviço foi bom. Sobre o rodízio, ele sai se não me engano por 87 reais e você fica por conta (ou não do sushiman). Digo isso pois eles tem uma variedade criativa bem grande mas você pode pedir a vontade algo dentro de sua preferência.

Antes de falar sobre os pratos, deem uma olhada em tudo que comemos:

Comida pra não botar defeito!

Se posso recomendar algo a vocês, vão em grupo, assim a refeição rende mais! Em geral, lugares de muita fartura você tende a se saciar rapidamente e fica um “quê” de frustração.

Agora minhas considerações sobre a comida. A qualidade dos ingredientes é boa, o giro dos peixes é muito grande então isso garante com que os peixes servidos sejam bons.

Sobre os pratos, vale a pena conferir as entradas quentes pois elas são bem feitas, em particular gostei muito do guioza no vapor, do harumaki (rolinho primavera) e dos camarões empanados. O serviço é atencioso e nos forneceu exatamente o número de unidades que pedimos, nada pior do que restaurante que tentam te empurrar um monte de prato quente que você não pediu.

Eu não foquei muito nos sashimis pois eles são básicos, e minha função ali era provar as novidades. Se posso ressaltar algo é que logo de entradas eles servem um sashimi de salmão maçaricado com um molho excelente e que há sashimi de polvo a vontade. Aliás vi que o sushiman serviu o clássico molho sumisso num outro sushi e pedi para ele servir sobre o polvo, pois fica muito bom.

Sobre os enrolados. É aí que mora a grande criatividade do restaurante, a variedade é enorme e segundo os visitantes mais fiéis, eles sempre tem novidades. Vou ser sincero, a grande maioria das combinações funciona bem, porém outras não, geralmente isso ocorre quando misturam sabores demais, por exemplos 2 tipos de peixe com 2 molhos diferentes. E como sempre digo, não acho que molho de maracujá combine com salmão, são raros os sushis que provei onde essa combinação foi agradável.

Mas vamos falar de coisa boa? O Mori Sushi de Moema tem acertos incríveis como os enrolados de salmão com camarão servido com ovas e molho a base de laranja, funciona muito bem, nota 10. Outros que funcionam muito são o enrolado de salmão chamusco com shimeji, fiquei surpreso, estava delicioso também. Para não ficar só em 2 destaques, eles serviram um flambado que acabei não fotografando que também estava excelente,.

No final das contas eu recomendo bastante o restaurante, mas atenção com as bebidas, pedi um chá e um coca-cola e no final a conta saiu quase 110 reais a cabeça com o serviço. Como dica para o Mori Sushi, sempre revisem os pratos para ter certeza de que não há misturas demais, em geral funciona, mas com comida japonesa, geralmente menos é mais =)

Se eu voltaria? Sim, voltaria!

Abraços

Gourmet San

 

Sushi Cake! Novidade da Sweet Sushi!

Olá a todos,

Além de vocês que sempre me mandam novidades, meus amigos e familiares sempre comentam comigo suas experiências em restaurantes, pedem dicas ou falam para combinarmos de ir a algum sushi ou fazer em casa. Ou seja, estou sempre cercado por informações de comida japonesa por todos os cantos!

Desta maneira, novidades batem a minha porta sempre! Desta vez foi algo que eu já tinha visto por aí “nas internets”, mas nunca tinha nem pensado que iria provar. Estou falando de sushicake (bolos de sushis), ou de sushis em formato de bolo!

Antes que vocês comecem a torcer ou nariz ou fazer cara feia, podem parar, isso já existe faz um bom tempo no exterior e grandes chefes já aprovaram, como o Morimoto (que foi um Iron Chef original), e é um dos maiores nomes da culinária japonesa do mundo.

Vocês então devem estar se perguntando: “mas então Gourmet San, nos diga, é bom? onde? quanto? como??”

Ok, vamos lá! Aqui em São Paulo temos uma empresa pioneira em sushi cakes (sushis em formato de bolo) que é a Sweet Sushi! Eles acabaram de começar as operações e já estão fazendo sucesso! Claro que fiquei sabendo rapidamente deles e fiz questão de ver qual que é a desse sushi em formato de bolo!

Por enquanto eles não possuem site, mas possuem uma fanpage no facebook e aceitam pedidos por lá, por email (sweetsushisp@gmail.com) ou telefone (11 95874-5248). Achei que eles estariam sem movimento, afinal acabaram de abrir, mas a coisa ta indo bem aparentemente, pois fiz um pedido correndo em cima no dia 23/12 e eles só puderem me enviar no dia 24/12 depois do almoço. Ou seja, programem-se, caso queiram provar um bolo de sushi no jantar, peçam no horário do almoço. Os bolos não estão prontos, como estamos falando de sushi

Eu pedi 2 bolos de tamanho P, que servem 2-3 pessoas e custam 70 reais cada um, ou seja, mais ou menos de 25-35 reais por pessoa, bem menos do que qualquer rodízio de comida japonesa! Bom, vamos ver se vale a pena abaixo?

Sushicake 1: Sweet & Spicy

Sushicake de salmão com raspas de limão, avocado e mais alguns ingredientes que não consegui decifrar. Para cortar é bem fácil, aliás muito mais do que um bolo normal, pois o arroz cede bem mas como o bolo é bem montado, ele não desmonta em nenhum momento.

O sabor desse sushicake é excelente! Ele traz a combinação de salmão com raspas de limão, que é classicamente conhecida e funciona muitíssimo bem. Além disso, o avocado (abacate) trabalha super bem e vale lembrar que ele é ingrediente comum na culinária japonesa nos EUA. Infelizmente os abacates estavam um pouquinho desformes, isso é por que não eram avocados.

Vejam abaixo o bolo de outro ângulo.

Pois é, dá pra ver que vai bastante salmão, não é um bolo de arroz. Para melhorar ainda mais esse bolo é só colocar um pouquinho de shoyu ou tarê, e foi o que eu fiz! Agora vamos ao  outro bolo!

Sushicake 2: Salmão Sweet & Frutas

Bonito né? Esse é um sushicake muito mais complexo, ele leva diversas frutas como morango, cerejas, amoras, manga além do avocado e essas foram a que percebi. Sendo bem sincero, foi um pouco fruta demais, mas estava gostoso também, apesar de eu ter preferido o sushicake anterior. Quando cortei o bolo percebi que tinha muito mais ainda, vejam abaixo.

Dentre os ingredientes ainda percebi o gergelim e filamentos de algum vegetal (talvez cebolinha e alga-nori). Diferente do outro, esse não acrescentei nem shoyu ou molho tarê, mas acho que caberia muito bem também. Vale a pena comentar que as frutas selecionadas combinam bem com o salmão e o arroz adocicado, então tudo caminha bem.

Mas vamos lá, é necessário fazer uma análise mais ampla do conceito desses sushicakes e não apenas dos sabores de cada um. Isso é muito importante pois a todos que mostrei o sushicake acharam estranho a primeira vista, com preconceito obviamente, mas depois de provarem a coisa mudou, davam uma risadinha e diziam: “não é que funciona mesmo? gostoso heim!”

Os sushicakes ou bolos de sushis, vão mais para o lado dos sushis do que de bolos, então não pense em algo como um pão-de-ló, suspiro e salmão e sim como um sushi grande com um trabalho especial. Para ser mais preciso ainda, eu diria que se trata de uma versão maior e mais bem elaborada dos bateras, famosos sushis prensados.

O sabor também não é algo super doce como os bolos normais, mas ele segue a linha de sushis agridoces que temos hoje em dia, portanto se trata de uma versão maior de sushis.

A Sweet Sushi possui diversas opções em seu cardápio, inclusive opções servidas em copos, vale a pena conferir, eu gostei muito da novidade!

Abraços

Gourmet San

Sushi Guekko – buffet ok, mas quase caindo pelas tabelas, quase!

Oi gente, tudo bom?

Vamos lá para mais uma review de um restaurante inédito aqui no Gourmet San. A bola da vez é o Sushi Guekko! Eu ouvi falar dele por um colega de trabalho que seguia o Gourmet San mas não sabia que era eu quem escrevia =) Ele me disse com brilho nos olhos (ou brilho nas palavras, já que conversamos pela internet, ahhaha) que o Sushi Guekko servia um buffet excelente e que eu deveria conferir.

Me organizei certinho um dia e fui até o Sushi Guekko durante o almoço, ele fica localizado na Rua Bastos Pereira, 55 – Moema, (11) 3057-2835 (http://www.sushiguekko.com). Entrando achei estranho que estava muito vazio, apenas 1-2 mesas ocupadas. O buffet de comida japonesa não é dos maiores fiquei um pouco decepcionado, menor que o do Hideki, do Yashiro e do Isao também. Não podemos esquecer dos um pouco mais simples mas não com mal custo benefício: Friturinha e Sassá Sushi.

O Sushi Guekko serve buffet de sushi no almoço (R$ 71,00) e no jantar (R$79,00), ou seja, você levanta e pega a vontade, então vamos lá, um pouco de paciência, o que importa é a comida! Como não tirei foto do buffet em si, vamos fazer como sempre fiz, analisando meus pratos =). Abaixo o resultado de minha primeira ida ao balcão, que é onde fica montado o buffet:

Os nigiris eram diversos e estavam gostosos, mas o arroz um pouco durinho só. A minha surpresa ficou por conta de servirem polvo e tamago (omelete japonês). Além disso peguei uns sashimis de salmão selado que estava ok apenas também. A melhor parte ficou por conta dos enrolados, tanto os uramakis quanto os hossomakis estavam ótimos, um deles bem apimentado, melhores que os nigiris.

Agora vamos ver minha segunda ida ao buffet, onde caprichei mais!

Pois é, vocês estão vendo que este prato está beeeem melhor, não? Antes de mais nada peguei 2 pratos quentes, o tempurá de camarão que estava simplesmente ótimo, sequinho e super saboroso! Algo que sempre gosto nos tempurás de camarão é quando estão salgadinhos e esses estavam excelentes mesmo! Também peguei um empanado de sardinha que achei bem fraquinho e meio que nada a ver, não achei que combina muito.

Quanto aos sashimis, desta vez no balcão tinham colocado belos sashimis de atum e também 4 gunkan sushi de ovas, um de cada cor. Eu desconfio que eles só colocaram no balcão pois quando cheguei perguntei se tinha. Todos estavam bons, variedade de ovas é sempre algo bom (tobiko e massago)!

E para fechar com chave de ouro: ostras! Enormes e deliciosas, super bem temperadas. Quando eu mencionei grandes não era sobre a concha, mas sim da própria ostra dentro da concha, ela preenchia todos espacinhos e realmente a palavra que define é: fartura!

Agora vamos aos poréns, fiquei bem preocupado com o lugar estando tão vazio assim, e isso gera um efeito cascata num buffet de comida japonesa: poucas pessoas > comida sobra no balcão > sushimans repõe menos o buffet >  menor variedade > buffet menos rico > diminui a qualidade do restaurante cai e voltamos ao primeiro ítem: poucas pessoas.

Sim, foi apenas minha 1a visita ao restaurante, não sei se é sempre assim, mas baseado nesta visita eu recomendaria ao Sushi Guekko se juntar com pressa a um desses sites de desconto, como o Grubster ou o Chef`s Club.

Será que retorno? Acho difícil se for nas mesmas condições, em termos de concorrência de buffets eles estão ficando pra trás.

Abraços

Gourmet San

Restaurante Hanoo: se reinventando nas mãos do Retalhador

Nota:  A Equipe do Gourmet San foi informada que o Sushiman Retalhador não faz mais parte

da brigada do Hanoo, mas a review é interessante mesmo assim =)

Olá a todos,

Recentemente fui convidado pelo meu amigo Sushiman Retalhador a visitar o Restaurante Hanoo. Para quem não sabe, o Sushiman Retalhador fez história no Mori Sushi e fiz muitos posts sobre minha visitas ao balcão dele. Porém depois de um tempo ele seguiu outros caminhos, passando por restaurantes japoneses até de outros estados!

Sobre o Restaurante Hanoo, eu não sabia muito dele, mas um amigo me disse que ele era mais daqueles que servia o rodízio básico de sushi e sashimi. Porém eu sabia que se o Retalhador estava no meio, algo de diferente ia rolar!

Chegamos ao Hanoo e o lugar é privilegiado, no meio de Moema, lugar residencial e super tranquilo e silencioso. O endereço é Avenida dos Eucaliptos, 389 – Indianópolis,  tel (11) 2478-0888 (http://www.hanoo.com.br/). Para parar o carro foi fácil e logo entramos. O restaurante possui ainda um ambiente bem básico de rodízio porém ambos Retalhador e o dono do local disse que em breve haverá mudanças e um possível balcão surgirá!

Como acompanhei o Sushiman Retalhador em seus passos pós-Mori Sushi eu sabia que ele serviria uma comida japonesa fusion com thai (tailandesa). Não sou fã de comida tailandesa mas valeia a pena conferir, e não é que valeu mesmo? O rodízio a noite saiu por R$ 69,90, acompanhe abaixo a sequência de pratos!

Começamos com o ceviche bem estilizado no copo do drink martini! Estava bem gostoso, porém foi esquecido com os pratos que vieram posteriormente!

Logo o segundo prato da noite, um dos melhores, atum com um molinho adocicado e crispy de alho poró por cima! Simplesmente demais, combinação certeira, recomendo ir ao Hanoo só pra provar este atum! Todos elementos caminham em harmonia e mais pra frente eu pedi um repeteco! Sabe daqueles pratos que você prova e diz: “hummmmmm!!”

Nos serviram também entradas únicas e que eu nunca tinha provado antes:

A primeira entradinha aqui foi uma das maiores surpresas da noite, uma torradinha com sunomono em cima! Honestamente, abrindo o jogo, eu não sou fã de sunomono, mas esta torrinha estava uma delícia! Deveria ser servida como comida de boteco! As outras entradas era como se fosse um shumai com um molinho especial (se não me engano a base de mel) e o último um peixe que estava bem gostoso também.

Na sequência talvez o ápice da cozinha thai na noite, camarões com molho apimentado servidos com arroz e canela:

Assumo que eu sou fraco com comida apimentada, mas o camarão estava apimentado no limite e quem está acostumado com comida apimentada encara numa boa! O arroz com canela incrivelmente funciona! A única coisa que eu não gostei foi da montagem, acho que se fosse servido num estilo tirashi seria mais bacana e fácil de comer. Imaginem-se só uma cumbuquinha com arroz no fundo, uma camada de canela por cima e depois os camarões, acho que ficaria perfeito!

Na sequência veio o combinado de sushi e sashimi no capricho:

O combinado também veio com toques thai, como os enrolados spicytuna logo abaixo a flor de salmão. Porém vamos logo aos pontos altos, os nigiris de atum e salmão e o sashimi de prego que foi servido com um tempero super especial que fez toda diferença. Agora algo super curioso…estão vendo esses uramakis na parte de baixo da tela? Pois bem…eles são de banana caramelizada e não era que estavam gostosos? Olha isso é contra minha religião sushizística, mas não posso negar que me surpreendeu. Porém tenho de ser honesto, não acho que combine no meio da refeição, talvez o sushi pudesse ser adaptado para uma sobremesa.

Na sequência mais surpresas: nigiris de camarão empanado e um uramaki de camarão com gergelim e molho de mostarda:

A idéia e sabor do nigiri de camarão empanado foi ótima, mas achei que faltou algum molinho para deixar tudo mais leve. Já os uramakis com molho de mostarda estavam excelentes e realmente foi um sushi novo que eu nunca tinha provado antes.

Além de todos esses pratos que mostrei acima, ainda comemos um carpaccio de salmão com molho a base de azeitonas, carpaccio de polvo com sumissô e 2 gunkan sushi de ovas.

Para finalizar, uma outra surpresa, um sorbet caseiro de lichia com molho de amora: delicioso! Super refrescante e leve, dava pra comer uns 3-4 tranquilamente!

 

Bom gente, aqui termina a review do Hanoo. Pelo o que percebi, este rodízio de comida japonesa com fusion tailandesa não é servido todos os dias, mas é o potencial que o Sushiman Retalhador está trabalhando através de sua releitura do cardápio do restaurante. Parece que a casa está investindo forte para ganhar seu espaço no cenário gastronômico paulistano. Acho que vale a pena dar um pulinho lá para conferir!

Abraços

Gourmet San

[review]

O incrível Menu Premium do Chefe Mario do São Paulo-Tokyo

Olá a todos,

Um tempo atrás fui conferir o restaurante São Paulo-Tokyo, do chefe Mario Tucillo. Diferente da maioria dos restaurantes japoneses de qualidade, que possuem um oriental liderando por trás do balcão, o chefe Mario, loirinho e com cara de sulista, te surpreende. Ele conhece muito de comida japonesa e já tem uma longa experiência!

Recentemente ele abriu uma nova filial do restaurante bem próxima da original. Localizado na Rua Pedro de Toledo, 399, São Paulo – SP, telefone: (11) 5083 6577.

O ambiente é muito bonito! Um vidro enorme na fachada, não deixando o ambiente escuro, poucas mesas e um enorme balcão! Eu fui lá exclusivamente para conferir o Menu Premium (R$78,00) que tanto o chefe Mario quanto os perfis de redes sociais do restaurante São Paulo-Tokyo postam nos últimos tempos. Bom não me arrependi!

O valor parece meio salgado, então vale como comparação com o rodízio do Mori Sushi, que é o que temos de melhor em termos de rodízio de comida japonesa na cidade de São Paulo.

O São Paulo-Tokyo possui 2 menus, um a la carte, e outro para o Menu Premium. Isso eu acho fundamental e respeito muito os restaurantes que fazem isso, ou seja, abrem o jogo de tudo que realmente servem para seus clientes, e permitem a eles pedir quantas vezes quiserem.

Sentamos no balcão e como a casa também é especializada em temakis, pedimos um de atum e um de camarão empanado! Estavam bons, mas não excepcionais, porém não é pelos temais que visitei a casa e sim pelo Menu Premium, então vamos lá.

Após os temakis, começamos com as entradas e alguns pratos quentes. Nossa escolha foram pelo guioza, harumaki (rolinho primavera), shimeji com lula e shitake na manteiga, vejam só abaixo:

Como vocês podem ver, o guioza foi feito no vapor, super macio e gostoso, só acho que faltou algum tipo de tempero na carne para senti-la mais. O shimeji foi servido junto com anéis de lula. Mas agora, vamos falar do outro congumelo! O shitake estava demais, simplesmente delicioso, eu pessoalmente prefiro o shitake ao shimeji, ele tem mais sabor!  Vale a pena citar que as porçõezinhas são pequenas, o que é ótimo e mostra que o restaurante não quer que você encha a barriga e não coma o resto.

Não posso esquecer do harumaki, rolinho primavera:

Fiquei super feliz em ver rolinhos primavera que me lembrarem em aparência os do restaurante chinês Ton Hoi, que eu sou fã (claro que os do Ton Hoi são inigualáveis). Eles vieram moreninhos, levemente tostados e com o recheio de legumes, sempre! Não acho legal harumaki de queijo, pastel de queijo como na feira, hahaha!

Preciso comentar algo super importante, esses tomates cereja foram essenciais para quebrar o sabor forte que fica na boca após o rolinho primavera e os cogumelos na manteiga. Afinal nada mais importante do que começar a provar peixes com o paladar limpo!

O Chefe Mario começou com um ussuzukuri de peixe branco (robalo), maçaricado com azeite, flor-de-sal, limão sisciliano e hiyashi wakame (que é uma alga japonesa especial):

Simplesmente delicioso! Demais! Demais! Um sabor novo, que eu nunca havia provado antes, o chefe Mario acertou em cheio. O robalo estava super macio e os temperos que ele colocou, junto desta alguinha verde especial fizeram este prato ser demais mesmo! Vacilei em não pedir um repeteco!

Seguindo, mas um prato com fatias de peixe, um carpaccio de salmão no molho ponzu, regado com azeite de trufas brancas, flor-de-sal e cebolinha:

Este prato também estava divino, o aroma de azeite de trufas realmente dá um toque muito especial. Mas este prato não é tão especial quanto o outro, porém ainda assim, é bem gostoso, acho que o chefe Mario poderia achar um substituto pro ponzu talvez, mas só estou dando pitaco, o prato estava excelente também.

A seguir, a 3a entrada especial do Menu Premium, o chamado sushi del fuego, que é um jow de salmão, recheado com salmão frito, temperado com mostarda, mel e molho teriyaki:

Gostei bastante deste sushi, é uma receita bem diferente de todos sushis flambados que já me serviram antes. A combinação funciona bem e o garçon foi prestativo o suficiente para nos falar para não comer o pepino que é utilizado como base deles. Isso é muito importante, nunca me esqueço de quando fui ao Kinoshita, como explicavam cada prato minuciosamente, faz toda diferença e damos muito mais valor!

Agora vamos para o ponto alto do jantar, os nigiris especiais do Chefe Mario.

Acima vocês veem 4 tipos de nigiris, atum com foie gras, salmão com azeite de trufas e raspas de limão sisciliano, robalo com oroshi e polvo com azeite de páprica!

Todos são absolutamentes únicos e deliciosos, tanto que eu repeti depois =) O Menu Premium vale a pena só por questão deles! Então vale a pena dar uma olhada mais de perto em cada um.

Nigiri sushi de polvo maçaricado com azeite de páprica:

Nigiri sushi de salmão maçaricado com azeite de trufas e raspas de limão sisciliano:

Nigiri sushi de robalo com momiji oroshi (nabo com pimenta) e raspas de limão sisciliano:

Nigiri sushi de atum com foie gras maçaricado:

Cada um deles é excelente em sua característica única. O chefe Mário acertou em cheio, não tenho do que reclamar! Dá pra ir no São Paulo-Tokyo pedir uns 20 variando entre os 4 e já ficar feliz!

Ahá, mas ainda não acabou! Temos ainda o combinado de sushi e sashimi com sushis especiais: uramaki ebiten (camarão empanado), jou de salmão com creamcheese, batera sushi crispy e um enrolado de salmão frito com salmão por cima. Vejam abaixo:

Este é o único ponto fraco do Menu Premium, não que seja ruim,  porém fica muito abaixo das entradas e dos nigiris especiais. Não precisaria de muito para elevar os enrolados especiais a realmente um nível mais alto, por exemplo, o baterá poderia ter mais casquinhas de tempurá bem salgadinhas, os enrolados poderiam ter alguns ingredientes mais agressivos, como um camarãozinho cozido por cima ou ter uma uramaki de atum spicy! O mesmo acontece com os sashimis, após comer aqueles carpaccios incríveis do início do jantar, esses perdem um pouco a graça, talvez fosse a chance de servir um atum ou salmão selado com molho especial e um robalo com ovas.

Terminamos mas ainda tinha mais um prato do Menu Premium que foi demais, um yakitori de bacon com shimeji:

Simplesmente divino, vale cada mordida!

Após este, terminamos felizes da vida, mas prontos para a sobremesa, um delicioso sorvete de creme entre duas torradinhas =)

Terminamos o jantar, tudo uma delícia sem dúvida, vale a pena muito retornar lá, não vejo a hora! O Chefe Mario só precisa fazer uns ajustes no combinado com os sashimis e os enrolados.

Abraços

Gourmet San

Restaurante Sapporo Moema – rodízio bom e ambiente diferente

Olá a todos!

Sempre procurando visitar novos restaurantes, Gourmet San desta vez foi a um popular restaurante japonês do bairro de Moema, o Restaurante Sapporo, localizado na Praça Nossa Senhora Aparecida, tel 11 5051-5458 www.restaurantesapporo.com.br?

Resolvemos visitar o Sapporo pois já tinha ouvido falar algumas vezes nele e fiquei curioso em conhecer, afinal parecia ter um público muito fiel, sobretudo no bairro de Moema. Vale a pena dizer que fomos na semana do Natal e a unidade do Itaim estava fechada, então acabamos indo na de Moema, um pouco mais longe de onde estávamos, mas fomos até lá.

Para estacionar não tivemos muito problema, quer dizer, as ruas estavam cheias mas achamos uma vaguinha uma quadra de distância. Fiquem apenas atentos que a região está em obras devido ao metrô, então talvez encontrem algumas ruas fechadas e também com flanelinhas.

Do lado de fora o Sapporo é meio feinho, largado na fachada, porém essa imagem muda assim que você entra. Muito diferente, se não o mais diferentes de todos restaurantes japoneses que já visitei, o Sapporo conta com mesas de tamanho familia como em restaurante chineses. Mesas grandes e algumas até redondas, toalhas brancas e cadeiras estofadas da mesma cor compõe um cenário inesperado para um restaurante japonês. De verdade, dá impressão que você está num restaurante francês, sei lá, algo assim!

Outro fato a se comentar, sem dúvida nenhuma é o serviço, logo ao chegar você é recepcionado pelas hostess, maitre e sushimans que estão atrás do balcão, sensacional, nos sentimos super bem recebidos! Falando em balcão, foi lá mesmo que sentamos, pra ser sincero foi onde achei que melhor me encaixava. Recomendo o ambiente para famílias e grupos de amigos, mais para frente vocês verão o porquê não recomendo para casais.

Sucão do Sapporo

Sentamos no balcão e o serviço continuou o mesmo, super dinâmico. Pedimos algumas entradas tradicionais que vocês já conhecem dos rodízios que temos por aí. Todas ok, fiquei surpreso ao servirem camarões empanados que, apesar de cada vez mais fazerem parte das entradas dos rodízios (ainda bem), não estavam ótimos, apenas ok, talvez um pouco massudos demais. Os bolinhos de peixe e a “salada” a direita foram a melhor parte! Os guiozas fritos e os harumakis (rolinhos primavera) podiam estar melhores. O que eu gostei foi que serviram tudo junto, me incomoda um pouco quando trazem muitos praticos e cumbucas.

Essa entrada do Sapporo na cumbuca se destaca muito, foi a primeira vez que a vi, não é um ceviche, é diferente, lá eles chamam de salada e que consiste baseando-se um pouco no ceviche um pouco mais caprichado e menos refinado ao meu ver, sem cebolas roxas também. Antes de mais nada, claro que vale a pena dizer que o menos refinado se deve a grande quantidade, pois foi uma quantidade generosa de peixes, camarões e kani. Vale a pena mencionar também que o tempero estava bem agressivo, até um pouco demais para o meu gosto. Mas minha companheira gostou muito!

Além dessa salada ceviche, serviram também o ceviche tradicional dos restaurantes japoneses. Eu também achei o tempero forte, mas é mais frescura minha. Porém achei os peixes um pouco passados demais, parece que ficaram cozinhando no limão por muito tempo. Tive a experiência de já ir em algumas Cevicherias muito boas como a Suri em São Paulo e o Wanchako em Maceió, restaurante premiadíssimo de lá.

Logo depois vieram alguns sushis como entradas. Um chamuscado que estava ótimo, um jow e um com creamcheese e maracujá. Apesar de eu achar que o maracujá pode até combinar com o sabor do salmão, não gosto dessa infusão de creamcheese, o brasileiro precisa se livrar disso aos poucos… em um ou outro sushi, ok, mas creamcheese as vezes parece que vira parte primordial do sushi. Tsc tsc, claro que não estou culpando os restaurantes, eles oferecem o que vende mais.

O meu favorito foi o chamuscado, estava muito bom mesmo, cada vez mais vejo como salmão chamuscado adquire uma característica totalmente diferente. Após esses sushis veio o combinado de sushi e sashimi! Ele estava bem legal, não excepcional, mas gostamos, acho que o Sapporo manteve a linearidade do jantar, o que é muito importante. Vale apena ressaltar alguns pontos altos, sem dúvida nenhuma, o peixe serra, os hot rolls e o sashimi de atum!

Realmente fiquei bem surpreso em servirem peixe serra, isso é raro demais em rodízios de sushi! Acho que no máximo no Mori Sushi ou no buffet do Hideki! Sapporo está de parabéns pela diversidade de peixes e no capricho dos sushis! O hot roll estava bem crocante, quentinho e super saboroso. Os nigiris estavam bons assim como os sashimis, mas acho que foi mais devido a qualidade do peixe do que do arroz, achamos o arroz um pouquinho duro em alguns momentos.

Algo que vale a pena dizer é que tem uma televisão bem atrás dos sushimans, então se você está sentado ali no balcão tem a chance de acompanhar as últimas notícias da Globo…isso eu não gostei mesmo, não acho que combine com um restaurante. Porém como eu disse, é um restaurante familiar e acho que talvez o público goste mesmo, mas não achei que a novela das 8 combinou com o que eu esperava de um jantar sábado a noite, invariavelmente você acaba vendo tv e conversando menos! Por isso, reitero: vá com sua família ou amigos.

Claro que, como sempre, pedimos o repeteco, mas nada de combinado, pedi exatamente o que tinha sentido falta, um sashimi de polvo:

Descobrimos que o sashimi de polvo não fazia parte do rodízio, mas como a hostess havia nos dito que fazia, acabaram nos servindo. Eu acho que deveria fazer parte, pelo preço de quase 60 reais do rodízio. O polvo estava bom e foi cortado como deve ser, como vocês veem acima.

Também pedimos alguns uramakis com couve frita que vi indo para uma outra mesa! Estavam super bem recheados e foi ótimo para encerrarmos a noite!

Claro que quando se vai a um rodízio onde a sobremesa está inclusa, o final nunca é o final, hahaha. Então para realmente finalizarmos, pedimos a sobremesa, tempurá de banana com cobertura de chocolate:

Eu acho que estava bem gostoso, não sou muito fã de doces, porém minha companheiro doçólotra aprovou! Por isso é sempre bom ir em restaurantes acompanhado, você pega mais detalhes e características que deixaria passar.

No final concluímos que o Sapporo é uma boa opção sim, possui uma boa variedade de peixes e sushis, a equipe é altamente qualificada e atenciosa, desde o maitre, hostess e garçons. Acho que os sushimans poderiam se comunicar um pouco mais diretamente com quem senta no balcão, alguns sushimans faziam isso porém outros não então ficou meio confuso. Além disso só a questão da televisão que não me agradou.

Mas eu sem dúvida retornaria na ocasião correta, um almoço familiar, ou ir com alguns amigos bater um bom papo e comer sem pressa num horário de almoço. Aliás, almoço de domingo no Sapporo deve ser uma delícia.

Forte abraço

Gourmet San