Hana Maru, um excelente exemplo dos restaurantes japoneses dos EUA

Oi pessoal, tudo bem?

Tive já a oportunidade de ir aos EUA algumas vezes e sempre que vou não dá outra, me organizo para “vasculhar” a região em busca de restaurantes japoneses bons. Claro que ultimamente adicionei ao meu repertório os lamens tb!

Em abril (sei…faz tempo) visitei lá na California um pequeno restaurante japonês chamado Hana Maru, que fica entre os condados de Anaheim e Santa Ana (próximo, mas não tanto de Los Angeles).

Quero aproveitar essa experiência minha para dar a vocês que nunca foram aos EUA, ou que já foram mas não manjam muito de comida japonesa o que esperar, o que pedir, basicamente, como se dar bem, rs.

Quase todos restaurantes possuem uma sequência de sushi como a abaixo, e em geral elas custam por volta de 20usd

Bom, o que salta aos olhos logo de cara? A VARIEDADE. Pois é, nos EUA eles não tem problemas com variedades de peixes e ingredientes, se não me engano, a importação de tais ingredientes é facílima. Então qualquer restaurante japonês mediano poderá te servir uma variedade como a acima e claro, com uma qualidade boa. A verdade é que só entrei em furada com comida japonesa nos EUA 1x, e faz uns 5 anos.

Outro ponto é: foque no que é caro aqui em terras tupiniquins, como o-toro e enguia. Sim, lá nos EUA é bem mais barato, por exemplo, é comum achar pares de enguia por 3-4usd.

Seguindo a questão de pratos e ingredientes, se lá nos EUA tem algo pitoresco é que todos restaurantes seguem um padrão de enrolados, sushis e pratos, juro! Em todos lugares você encontrará rainbow roll, spider roll, volcano roll e por aí vai, hahahaha.Esse acima é um dos meus favoritos, é um enrolado de softshell crab empanado que aqui no Brasil é conhecido por siri mole. Honestamente? DELICIOSO! Recomendo muito pedirem, em geral os sushiman americanos colocam outros ingredientes juntos que combinam bastante.

E pra finalizar, algo que só encontrei nesse restaurante, um respingo de criatividade, me serviram um sushi de lula em formato de uma lulinha =)

Abraços e até a próxima!

Gourmet San visita o lamen house Momofuku de David Chang

Momofuku Lamen

Oi pessoal, tudo bom?

Eu tardo mas não falho =)

Tive a oportunidade de ir a NY e sempre faço uma lista imensa de lugares para comer, claro que no fim vou em 5% deles apenas, pois na correria e canseira dos passeios você acaba comendo em locais não planejados ou repetidos.

Mas de vez em quando dá certo e é uma dessas vezes que vou contar a vocês!

Nos últimos tempos, comecei a me aprofundar no mundo dos lamens (ou ramens pros tradicionalistas) e sou sincero, ainda estou dando os primeiros passos, mas já consigo fazer algumas comparações que podem ajudar vocês.

Bom, vamos lá! Quem minimamente está inserido no mundo da gastronomia já ouviu falar de David Chang, esse sujeito sorridente aí embaixo:

David Chang Momofuku

Eu ouvi falar no David Chang durante as temporadas de Top Chef onde ele foi chefe-jurado inúmeras vezes em múltiplas temporadas. Depois eu comecei a segui-lo no Facebook e descobri que ele super-fã e amigo de nosso chefe estrela Alex Atala.

Pois bem, em suas postagens em redes sociais o David Chang sempre fala muito de seus restaurantes em NY, mas principalmente sobre seu mais famoso, a casa de lamen chamada Momofuku! O restaurante fica em East Village, 171 1st Avenue, entre a 10th e 11th Street.

Uma amiga minha que mora em NY nos convidou pra jantar lá, mas como ela já manja dos paranauê, ela disse que ia chegar mais cedo pra pegar a fila. Pois é, nada que eu não esperasse, certeza que um restaurante de um chefe tão famoso assim não estaria nada menos do que cheio numa 2a feira a noite.

O restaurante é moderno e possui longos balcões comunitários de madeira clara, super agradável e bem cheio, burburinho puro urbano, hahaha. Graças a minha amiga, sentamos depois de uns 10 minutos esperando.

O cardápio não ajuda, diversas opções deliciosas e, vejam só, variam toda semana!

Bom, como não estávamos de brincadeira, pedimos 2 buns, que se trata de sanduichinhos com o pão mais fofinho do mundo, super macio.

O primeiro que comemos foi um incrível shrimp bun:
Momofuku shrimp bun

Nem me perguntei como esse camarão foi preparado, não tenho a mínima idéia! Só sei que estava delicioso, comeria um desse todo dia. Camarão suculento e com uma textura ótima também, nem firme nem macio demais.

A seguir pedimos um shitake bun:
Momofuku shitake bun

Tão bom quanto, shitake preparado com esmero, só não digo que era melhor que o shrimp bun porque é impossível, hahaha, sacanagem.

E, finalmente, o meu pedido de lamen, o que leva o nome do local: Momofuku.

Momofuku Lamen

Já digo que o grande destaque vai pro conjunto da obra, lamen delicioso. Todos acompanhamento interagem muito bem, é um lamen equilibrado. O destaque vai pra fatia de porco, DESMANCHANDO! Deve ficar cozinhando durante muiiiiiiiito  tempo.

Porém vou te falar, o caldo me decepcionou um pouco, eu esperava um sabor mais marcante, mais Umami! Mas na próxima experimentarei outro para ver se esse é mais levinho mesmo.

E você, curte lamen? Curte, né? To ligado!

Me conta abaixo o que achou.

Abraços

Sushi na Europa? Achei o Shabu Shabu!

Oi gente, tudo bom?

Tive o prazer de viajar para a Europa e conhecer alguns países que nunca havia ido antes! Sempre que viajo, para qualquer lugar que seja, sempre tento experimentar o sushi local, ou como a culinária japonesa se moldou a cultura gastronômica local.

Infelizmente, na Europa, nunca fui muito feliz com a oferta de comida japonesa. Os locais e amigos meus que moram lá sempre me dizem que há ótima opções, porém quando faço buscas através de aplicativos de comida como o Yelp e o TripAdvisor, raramente encontrei opções que eu julguei convidativas. O mesmo aconteceu nessa última viagem.

Todo dia, sempre que eu passava por um restaurante japonês ou quando ía fazer alguma refeição, sempre cogitava a possibilidade de comer um sushi. Infelizmente, como disse acima, não encontrava nenhum que eu achasse que valia a pena o risco e o investimento. Quando digo “risco” é que a última coisa que eu quero numa viagem é passar mal com alimentos perecíveis estragados, segundo, na Europa tem restaurante japoneses bons? Sim, sem dúvida, excelentes, mas uma refeição boa sai por pelo menos uns 60-80 euros (240-360 reais no câmbio da época), to fora, dinheiro não ta sobrando assim não…

Bom, eu tinha desistido de comer um sushi na Europa, até que…numa caminhada em Amsterdam buscando uma opção de almoço que não houvesse batata-frita, me deparei com o Shabu Shabu, localizado em Rembrandtplein 47 1017 CT Amsterdam, Holanda.

O restaurante de fora é bem moderninho, assim como a parte de dentro, eu particularmente gostei bastante! Tinha desenho e cerejeiras de plástico, o que deixar ambiente bem agradável e moderno ao mesmo tempo.

Pra ser honesto, o foco não era comer sushi e sim um shabu shabu, que leva o nome do restaurante. Para quem não sabe, esse é um prato super saudável, onde você vai mergulhando legumes, fatias de carne, cogumelos entre outros alimentos numa panela de água quente e assim eles são cozidos e depois você come.

Para minha surpresa, não tinha shabu shabu no cardápio! E a garçonete confirmou que eles não servem! Hahaha vai entender… enfim… back to sushi!

Não foi difícil escolher e o cardápio é ótimo, bem variado e com ótimas opções! Como já escrevi muito aqui, segue abaixo tudo que comi:

Temaki de enguia:

Uramaki de salmão grelhado com pimenta:

Urabitem, ou seja, uramaki de camarão empanado:

E tekkamakis e gunkan sushi de atum spicy:

Digo desde já que tudo estava muito bem preparado e muito gostoso. Nada deixou a desejar, nada mesmo, fiquei surpreso.

Para começar, o temaki de enguia, apesar de pequeno, veio super saboroso e o preço era bem convidativo, algo como 4-6 euros. E além disso, não se pode negar uma enguia com bom custo-benefício, nunca!

A seguir, 2 enrolados, o de salmão grelhado com pimenta e o de camarão empanado. Ambos de ótimo tamanho e com 8 unidades cada, não dá pra reclamar mesmo, eles custavam por volta de 8-10 euros cada. O de salmão grelhado era bem apimentado, afinal essa pimentinha seca que eles usaram não é leve. Já o urabitem super bem executado.

Para finalizar, um combinho de atum, tekkamakis e gunkan de spicy tuna. O grande ponto foram sem dúvida os gunkan! Super fartos e picantes na medida certa, ou seja, não apimentados demais. Se eu não tivesse satisfeito eu repetiria com certeza.

Sem dúvida nenhum, uma das surpresas da viagem, sobretudo devido as minhas baixas expectativas e como essa refeição caiu tão bem para minha barriga e mente =)

Recomendo! Ah quase esqueci! A partir de um certo horário da tarde eles servem all-you-can-eat-sushi! Aproveitem!

abraços

Gourmet San

Ótimo sushi de aeroporto no Pappadeaux Seafood Kitchen

Mais uma review internacional!

Para quem acompanha de perto meu blog deve ter lido a minha péssima experiência no Origami Sushi no aeroporto de Newark. Confesso que fiquei um pouco traumatizado, claro, sem motivos, pois com a logística certa dá pra ter sushi bom em qualquer lugar do mundo. Inclusive, sobre o Origami Sushi, o colaborador do Gourmet San, Will visitou o mesmo local que eu e teve uma experiência bem boa.

Assim sendo, como a paixão do sushi vai além de pequenas pedras no caminho, tive a oportunidade de comer novamente um sushi em aeroporto, nessa vez em Houston, TX, o restaurante, nada japonês: Pappadeux Seafood Kitchen!

Pappadeux Seafood Kitchen é um restaurante de frutos do mar tipicamente americano, lembra um pouco o Red Lobster até, no cardápio você encontrará excelentes pratos com salmão, lagosta, vieiras, camarões, etc etc, acho que deu pra entender. Confesso que entrei no Pappadeux pensando em qualquer coisa, menos sushi.

Porém…não tem jeito, quem é aficcionado por sushi assim que vê no cardápio algo escrito com “maki” ou “sushi” já começa a se coçar inteiro para pedir. Tentei lutar contra, pensei em várias opções diferentes do cardápio e consegui, pedi ostras:

Os Estados Unidos são incrivelmente bem abastados por ostras e é comum você encontrar em restaurantes diversos tipos de ostras ofertados, por exemplo, ostra do Pacífico, ostra do Golfo do México, ostra não sei o que… Enfim, pedi meia dúzia de uma dessas ostras enquanto resolvia o que mais ia pedir.

As ostras estavam excelentes, muito boas mesmo, fresquinhas, refrescantes e com um tamanho bom. Assumo que acabei comendo só com limão depois de experimentar os 3 diferentes temperos que acompanham. Americano precisa aprender ainda a temperar ostras pois nenhum deles combinava muito bem, aliás, um deles parecia chimichurri, nossa nada a ver, limãozinho salvou. Vejam abaixo que a apresentação foi boa, num prato cheio de gelo!

A partir desse momento, eu já tinha feito minha escolha para o jantar. O Pappadeaux tinha 3 inusitadas opções de sushi, 3 enrolados maki! Escolhi 2:

O primeiro foi um lobster roll, ou seja, um enrolado de lagosta!

Estava suculento, delicioso e bem grande, dá uma olhada no tamanho dos sushis! Isso é bem clássico dos americanos e eu particularmente gosto! Um ponto a melhorar, sem dúvida é o recipiente que veio o shoyu, totalmente desproporcional, quase uma bacia. Além disso eu pedi o sushi de lagosta pois é algo que você jamais encontraria em São Paulo.

O segundo enrolado eu não tinha como resistir, um urabiten com camarão jumbo!

Obviamente outro enrolado bem grande e farto, delicioso. Esse molho em cima é uma maionese apimentado, muito boa, mas um pouco too much. E outra vez um recipiente gigantesco para shoyu. Como vocês podem ver o sushi também estava envolto por uma casquinha que na verdade é um tipo de pimenta em pó.

Bom, depois dessa excelente refeição eu estava pronto para embarcar! Esse jantar com bebida e serviço saiu uns 40 dólares, um pouco carinho mas bem completo.

Gostei bastante do Pappadeaux Seafood Kitchen e assumo que ficou uma vontade de experimentar os outros pratos do cardápio!

E vocês já comeram no Pappadeaux? Curtiram?

Abraços

Gourmet San

Murasaki – Orange County, LA

Eae pessoal tudo bom?

Após um período de reviews não muito constantes aqui no blog, me reorganizei e vocês voltarão a ter mais reviews!! Inclusive com uma novidade em breve!!

Eu e o Will tivemos a oportunidade de viajar a trabalho para Los Angeles e sempre que viajamos nós somos do tipo de pessoas que só pensa em conhecer novos e bons lugares para comer algo que não comemos em São Paulo.

Uma dica sobre Los Angeles, tudo é LONGE, e quando digo longe, é longe mesmo. Los Angeles em si é bem espalhada e os diversos counties ficam separados por highways (estradas de 6 faixas pelo menos). Dando um exemplo melhor, é como se para ir do Bairro de Pinheiros para a Vila Olímpia você precisasse pegar a Marginal Pinheiros e andar a uns 100 km/h por uns 20 min, o que na realidade te faria chegar pelo menos na Represa Guarapiranga.

Enfim com esse exemplo de distância angelina, eu e o Will tínhamos mapeado diversos restaurantes para ir antes da viagem, porém quando nos demos conta das distâncias entre os bairros, tivemos de desistir de vários. Mas não de todos!

Nossa escolha foi visitar o Murasaki, 2901 W MacArthur Blvd #108, Santa Ana, CA, Tel:+1 714-241-1000. Logo que entramos, nada demais, um típico restaurante japonês dos EUA. Pedimos balcão mas todos livres estavam reservados! Bom sinal, pelo menos o restaurante tem um público fiel. Sentamos na mesa e perguntamos se serviam o omakase ali também, resposta positiva, sem problema =).

Assim que sentamos o Will, que estudou japonês, disse: “já sei por que Murasaki! Murasaki é roxo/violeta em japonês”. Aí olhamos pros guardanapos, forro das cadeiras e cortinas, tudo roxo! Bom, só um toque lúdico da experiência.

O que pedimos? Não tivemos muita dúvida, os peixes do omakase estavam na parede, num quadro, uma boa seleção, preço de 54usd, vamos nessa!

Vejam abaixo todos sushis que nos serviram:

Gostaram? Nós ficamos impressionados. Sushis suaves, bem temperados, bem finalizados, além da ótima variedade. O Will mencionou que alguns desses cortes/peixes ele só tinha comido em sua viagem ao Japão.

Nos serviram 10 ótimos sushis, com destaque para o uni, o toro, barriga de salmão chamuscada e sem dúvida ao tako cru. Sim, um dos sushis ali que parece uma vieira na verdade é polvo cru. Não foi a 1a vez que comi polvo cru, já tinham me servido num restaurante em São Paulo, mas foi fato raro. Além disso, eu já tinha visto um vídeo no youtube do restaurante Jewel Bako em NY que o estrelado chefe prepara o polvo cru. Estava excelente,super docinho e consistência macia, surpreendente!

O Murasaki é uma ótima escolha para se provar o que um bom restaurante japonês dos EUA pode oferecer, que é matéria-prima das melhores (inclusive importadas do Japão) e uma técnica boa (não excelente).

Se tem algo que não me agradou um pouco foi o tamanho dos netas (leia “ne-tás”) que é a fatia de peixe para cobrir o bolinho de arroz. Achei que na grande maioria estavam um pouco pequenos demais.  Além disso a missoshiru estava feia, feia mesmo, poderia melhorar um pouco!

Se você estiver na região de Santa Ana, em Orange County, dê um passadinha no Murasaki, eu recomendo! Tente sentar no balcão!

Abraços

Gourmet San

Restaurante onde você pesca sua própria comida, só no Japão mesmo!

Eae gente, tudo bom?

Um amigo meu me enviou uma reportagem sobre um incrível restaurante no Japão onde você pesca seu próprio peixe numa espécie de aquário e pede para a cozinha prepará-lo da maneira que preferir!

Esse restaurante se chama Zauo e tem diversas localizações no Japão, algumas delas ficam em Tokyo! Mas recomendo ver todas lá no site, que por sinal é bem feitinho.

Acho que já falei demais né? Vejam fotos abaixo! Acho que é uma experiência bem bacana se você está de visita ao Japão:

Eae curtiram? Já conheciam ou conhecem algum restaurante como esse?

Me conte? Compartilhe!

Abraços

Gourmet San

Origami Sushi – Aeroporto de Newark: Fuja… fuja… fuja… fuja…

Oi pessoal, tudo bom?

No final da minha viagem onde relatei minha experiência no Miyako Japanese Stakehouse, peguei um vôo de conexão para casa que passou por Newark, NY.

Nesses momentos derradeiras no solo americano eu sempre penso que comida típica americana quero ter como última experiência…pizza? hambúrguer? sushi? Fui de sushi é óbvio, ahahha,

Bom, logo de cara falo que foi um erro, dos grandes! Fui praticamente um novato na arte da visitação de restaurantes japoneses. Mas isso é vantagem pra vocês, que verão todas minhas dicas de quando não sentar pra comer um sushi.

Antes de mais nada, o Origami, nome do restaurante que me ofereceu essa experiência ruim fica num aeroporto. Apesar de hoje a logística de alimentos ser excelente, é sabido que é bem mais difícil a liberação de tudo que entra e sai de aeroportos.

Depois disso, o ambiente era todo estranho, clean demais e em nada se preocupava em fazer alguma alusão a cultura ou gastronomia japonesa.

Eu já tinha passado pelas mesas antes e vi uns sushi feinhos e não muito apetitosos (por quê?? por quê?? por quê eu fui ficar lá??). Ou seja, só de olhar já dá pra vocês saberem e terem uma idéia se o lugar vale a pena ou não.

Bom, enfim…sentei.

Fiz meu pedido através de um tablet, quer dizer, tentei, não funcionou. O garçon pegou meu cartão e passou numa outra mesa, situação no mínimo estranha, já que ele mesmo re-escolheu meus sushis (ainda bem que acertou…).

Pedi também uma coca-cola que…veio aguada! ECOUT! Já trabalhei em restaurantes, sei bem como funcionam essa máquinas de refri. É uma máquina que injeta água com gás gelada misturando com os xaropes de cada sabor (coca, fanta, guaraná etc). O pior de tudo isso é o restaurante servir! Sabe, se está ruim avisa…

De comida, pedi uns enrolados diferentes com um preço um pouquinho salgado e que vieram assim:

E assim:

Ou seja, uma salada de ingredientes que o resultado final não foi nenhum pouco aprazível para os olhos ou para o paladar. Uma profusão de sabores sem sentido que define justamente o que eu acho que tem de pior a culinária japonesa norte americana. Não me entendam mal, os EUA tem restaurantes japoneses excelentes mas eles tem um lado ruim que é bem ruim também. E este amigos meus, acabei de apresentá-los.

Abraços

Gourmet San

Miyako – boa surpresa no meio de outlet americano

Eae gente, tudo bom?

Estive meio afastado das reviews pois viajei um tempo, mas estou de volta, e trago, obviamente, um review da minha viagem!

Fui para um lugar não muito turístico, Detroit, no Michigan (EUA) e fui conferir um outlet numa cidade próxima, Auburn Hills, chamado de Great Lakes Crossing Outlets. Obviamente que com a crise que estamos tendo e com a cotação do dólar, eu fui mais é garimpar pra ver se achava algo muito bom e não fazer a festa.

Mas o Gourmet San não é um blog sobre compras, (nfelizmente, pois talvez eu já tivesse virado um blogueiro de moda cobrando 15 mil reais um post, hahaha) mas besteiras a parte, vamos a o que interessa, a comida!

Se tem algo que você não espera num outlet é que a comida seja boa, em geral há uma praça de alimentação com os clássicos: pizza, frango frito, hambúrguer, alguma opção saudável etc. Mas para minha surpresa, num local fora da praça de alimentação encontrei o Miyako Japanese Steakhouse, um restaurante japonês com a mesma proposta do Shintori (e até o Benihana), chapas para shows com os teppanyaki men e a área do sushibar!

Não estava nem um pouco no pique de ir numa chapa e esperar showzinho etc, obviamente o que eu queria era um bom sushi, aproveitar o que os EUA tem para oferecer em termos de ingredientes!

O Miyako tem um ambiente grande e pude escolher um local tranquilo na janela.

Como de praxe dos restaurantes americanos, peguei o papelzinho e escolhi o que queria, os de sempre, spider roll e o unagui roll com avocado (um sushi que me acompanha desde minhas primeiras experiências na terra do Tio San.)

Não demorou muito me serviram as entradas cortesia que servem a todos clientes da casa, uma saladinha com molho de misô e um missoshiru.

Só pela cara dá pra ver que a salada era das mais xoxas…tentei ser saudável mas desisti. Já o missoshiru estava bem gostoso, mas é muito mais fácil tomar diretamente do recipiente do que usar essa colherzinha para sopa, é invencionice norte-americana, já cansei de ver isso por lá.

Bom, tomei o missoshiru e rapidamente vieram meus 2 rolls (enrolados) que eu tinha pedido, no valor entre 8 e 12 dólares cada um:

Ambos estavam ótimos, é uma experiência que sempre se paga. O spider roll vem com softshell crab empanado (siri mole) e com acompanhamentos que variam de restaurante pra restaurante. O outro enrolado que pedi, de unagui eu peço sobretudo por que no Brasil é uma fortuna e assim tenho chance de comer enguia em abundância. Além dos ingredientes principais, o shari também estava bom, aliás o sushiman oriental ali por trás do sushibar parecia muito competente.

Comi os 2 enrolados que estavam, repito, muito bons, e logo peguei o cardápio pra ver com o que eu ia fechar o meu almoço. É difícil escolher, os americanos possuem sempre uma grande ofertas de ingredientes. Mas fui apelão e fui de unagui novamente e uma lulinha (pra economizar). Vejam abaixo os nigiris servidos:

O de lula estava simplesmente ok, nada fora do normal. O de enguia também, era uma enguia honesta, rs, foi boa pra o que eu queria, matar minha vontade de unagui pagando pouco, mas não chegou perto das enguias servidas pelos restaurantes bons de São Paulo.

No final, o Miyako não é nenhum restaurante excelente, é um restaurante bom, bonzinho, mas o que traz grande destaque pra ele é que ele se localiza dentro de um outlet, mas poderia muito bem estar ali na 5a Avenida em Manhattan, sendo mais um dos infinitos restaurantes japoneses que a “big apple” possui.

Fica a dica, foi pra Michigan e resolveu ir no Great Lakes Outlets, sua melhor opção provavelmente será o Miyako.

Abraços

Gourmet San

 

Gourmet San sai na Westwing Home and Living!

Eae gente, tudo bom?

Nessa vida de blogueiro acabam aparecendo algumas oportunidades interessantes e surpreendentes! Digo isso quando a oportunidade foge do lugar-comum, no meu caso a comida japonesa, e acaba abordando outros temas inesperados!

Vou contar pra vocês o que aconteceu.

O pessoal da Westwing Home and Living, que é um e-commerce de decoração e inspiração entrou em contato perguntando se eu não queria colaborar com uma revista eletrônica deles especial sobre gastronomia! A proposta era perguntar a blogueiros de gastronomia quais restaurantes com design marcante e inesquecível eles recomendariam.

Claro que topei! O caderno que contribuí se chama Restaurantes Espetaculares! E o meu escolhido foi a EN Japanese Brasserie, que fica em NY. Confiram o conteúdo clicando na imagem abaixo:

Mas muito além dessa parte, o trabalho da Westwing Home and Living é de muitíssimo bom gosto e o resultado do e-book é lindo! Recomendo vocês conferirem ele na íntegra clicando na imagem abaixo!

Gostaria de agradecer a Equipe da Westwing Home and Living por essa belíssima oportunidade!

Forte abraço

Gourmet San

Visitando o Japão epi 3: Sushi Kan

Eai pessoal, hoje dando continuidade a série Visitando o Japão, vamos falar sobre a minha visita ao Sushi Kan, mas antes vamos contextualizar um pouco porque esse restaurante tem bastante história.

Se você alguma vez já foi ao Kan de São Paulo ou ao Shin Zushi, você de alguma forma experimentou um gostinho do Sushi Kan, digo isso porque o Egashira Keisuke (Chefe do Sushi Kan de São Paulo) era o gerente dessa unidade do Sushi Kan e o Chefe do Shin Zushi, o Ken Mizumoto também trabalhou 10 anos antes de voltar ao Brasil em 2011. Eu tirei uma foto dentro do restaurante e vocês irão reparar que ele se assemelha bastante ao Shin Zushi.

Essa minha visita foi na unidade próximo a Estação Toritsu-Daigaku, nessa unidade é onde fica atualmente o dono do Sushi Kan, o Sawamoto-San, ele vem todos os dias de Kawasaki até essa unidade, é importante lembrar que a primeira unidade fica em Kawasaki, ali hoje trabalham o braço direito do Sawamoto-San e a esposa dele. Na época em que eu visitei o Sushi Kan, tinha um brasileiro trabalhando lá o Wallace Morita, que me ajudou muito para conversar com o Sawamoto-San.
Eu pedi um seto que consistia em 9 sushis + 1 enrolado e depois fui pedindo algumas unidades a parte. Alguns sushis que comi lá e me lembro bem e que vocês poderão ver nas fotos abaixo: O-Toro, Chu-Toro, Tai, Sumi-Ika, Ama-Ebi, Ikura + Uni de Hokkaido, Beringeja em conserva japonesa, Anago, tekkamaki + kappamaki, Kohada, Aji, Mirugai, Aori-Ika, Tako, Tairagai, Anakyumaki, Kanpyomaki.
Tudo estava ótimo e clima do restaurante no meio do subúrbio no distrito de Meguro tornava toda experiência mais relaxante e tranquila. Destaques para a receita famosa de Tako extremamente macio, Anago, Atum bluefin e Kanpyomaki que é dificil de encontrar hoje em dia devido a dificuldade de se fazer.
No total minha conta ficou em cerca de 8500 ?, bem mais barato que um sushi de Ginza como o Mizutani e Harutaka que custam cerca de 30,000 ?.
Abraços
Will
Sushi Kan
153-0031
2-4-14 (Próximo a estação Toritsu Daigaku)