Café da manhã Japonês no Hotel Intercontinental

Oi gente, tudo bom?

Hoje um post bem diferente aqui no Gourmet San, visitei o Hotel Intercontinental, localizado na Al. Santos, 1123, Tel:(11) 3179-2600para experimentar o café da manhã japonês que eles oferecem a seus hóspedes, e claro, a quem quiser ir lá fazer esse programa que sabemos que é comum em São Paulo, sair de casa para tomar deliciosos cafés-da-manhã que a cidade oferece.

Fui convidado por uma hiper-mega-especialista na cultura e gastronomia japonesa, a Katia Miyada, mas além disso, ela manja mais ainda é de como recepcionar bem o público japonês que se hospeda no Hotel Intercontinental. Com 14 anos de experiência no atendimento ao público japonês no ramo da hotelaria, trabalhando como gerente de vendas internacional, a Katia coleciona hoje um leque de habilidades e conhecimentos que poucos possuem como ela: como agradar um público que se atenta aos mínimos detalhes. Obviamente a Katia fala japonês e já foi ao Japão inúmeras vezes.

Falando um pouco mais desses detalhes, quem conhece um pouco da cultura japonesa sabe que eles prezam muito pela tradição e pela maneira “correta”, ou entendida como “tradicional” de fazer as coisas, e que caso seja feito diferente, já cai bastante no conceito e, pode até ser encarada como falta de respeito.

Pois bem, no café-da-manhã do Hotel Intercontinental é isso que você encontra, respeito ao gosto e a tradição japonesa. Antes de mais nada vale dizer que o café da manhã não é inteiro japonês, não é isso, há o café tradicional, tão maravilhoso quanto você pode imaginar (pães, ovos, bacon, frutas, café com leite) e também há uma estação com as opções japonesas. Deem uma olhada na estação especial:

O público ocidental pode achar estranho, mas os japoneses tem um café da manhã bem diferente do nosso. Você encontra gohan, peixe grelhado (salmão no caso), tamagoyaki, condimentos como pepino, conserva de shimeji, missoshiro, natto, nabo etc. Mas o importante aqui não é a oferta, de verdade, mas sim a qualidade, ela é extraordinária, digna dos melhores restaurantes japoneses da cidade, e como vocês podem ter certeza disso? Primeiro o crivo da Katia e segundo a aprovação dos hóspedes orientais.

Vejam abaixo o tamagoyaki e o salmão que peguei para mim:

E também as conservas:

Agora falando justamente da qualidade, vamos lá, o gohan é incrível, a Katia importa o arroz que mais se adequa ao paladar japonês. O salmão grelhado, eu juro, fiquei com um pé atrás quando vi, mas ele estava molhadinho, suculento e saboroso. O tamagoyaki super amarelinho (ou seja, não queimado) e macio. A conserva de shimeji então, quero mais!! Ela é importada, sendo exatamente como os japoneses comem por lá. Aliás, se você gosta das conservas, o café da manhã tem uma boa oferta:

Além disso, outros detalhes incríveis. O missoshiro é feito com missô importado também (que você encontra na Liberdade) e é o melhor que já comi em São Paulo, na verdade acho que empata com os melhores dos restaurantes mais tradicionais. O shoyu é Kikkoman. E o natto (soja fermentada) é oferecido num recipiente fechado especial, acompanhando os temperos especiais a serem misturados pelo cliente a seu gosto, confiram:

Vocês devem estar se perguntando, nossa, mas tudo isso? É necessário? Sim! Pensem que o público do Hotel Intercontinental é o público AAA que vem do Japão, CEOs, presidentes e VIPs que estão acostumados com o que tem de melhor lá no Japão e pasmem, eles aprovam o excelente café da manhã organizada pela Kátia e pelo hotel.

E não fica só na estação japonesa, eles possuem na parte de bebidas os famosos Yakult e Taffman, que os japoneses também adoram. Ah e falando em bebida, é claro que eles não esqueceram do chá verde, não é mesmo? Usando palavras da própria Katia: “chá verde nós fazemos na hora, se não fica oxidado e o gosto fica ruim”. Estão vendo? É esse o nível de atenção aos detalhes!

A caráter de curiosidade, pedi para ver os produtos importados que eles usam para o excelente café-da-manhã (com direito a nori crocante):

E só para finalizar esse trabalho exemplar do Hotel Intercontinental e da Katia com os hóspedes japoneses, ela me mostrou que eles oferecem também um tablet com o jornal japonês com a edição do dia para os hóspedes, quer hospitalidade melhor do que essa?

Abraços e esperam que tenham gostado da review o tanto que eu gostei de conhecer esse incrível café da manhã, acompanhado de todo conhecimento que a Katia me passou!

Estou louco para voltar! Recomendo a todos como opção de passeio em São Paulo um dia ir tomar um café da manhã lá no Continental.

Abraços

Gourmet San

Tonaktsu kare no Yakitori Mizusaka

Eae gente, tudo bom?

O Yakitori Mizusaka era um restaurante que eu frequentava muito uns anos atrás. Trabalhava na Av. Paulista e aproveitava muito esse tradicionalíssimo restaurante japonês que serve teishokus excelentes e para todos os gostos.

Se você ainda não foi ao restaurante, recomendo que leia minhas reviews anteriores que são de alguns anos e representam a essência do lugar, o teishoku e anchova grelhada e o de salmão, ambos muito bons mesmo. O próprio dono do restaurante tempera os filés de peixe, enfia os espetos de metal e os coloca na churrasqueira (sim isso mesmo!) bem na sua frente, isso se você se sentar no balcão no térreo, o que eu recomendo muito!

Bom, depois de uns bons anos, retornei ao Yakitori, pouca coisa mudou, as flâmulas do SPFC e uma foto do Rogério Ceni ainda estão perto do caixa, a televisão continua no canal japonês, o dono do restaurante a frente do balcão mas dessa vez acho que era o filho do casal no caixa.

Como estou na missão do “rolê do karê” pedi o tonkatsu karê! O preço do prato se nao me engano sai por uns 38 reais.

O dono do restaurante  separou na minha frente um filé de porco, temperou e bateu nele (do jeito que mãe bate em bife para amaciar a carne). Como de praxe o restaurante servia as saladinhas e otoshi abaixo:

Na parte de cima alguns vegetais cozidos beeeem japoneses, não soube nem identificar alguns deles. Na parte de baixo uma clássica saladinha de alface. Mas o destaque fica pra essa pastinha marronzinha perto da alface, que é a base de misso, simplesmente delicioso! Molhos a base de misso aliás é uma arte a parte.

Seguindo, me serviram também uma saladinha de shimeji com momiji oroshi, que é nabo ralado misturado com pimenta. Estava excelente também. Aliás o Yakitori Mizusaka é mestre em quantidade, as porções são sempre perfeitas para você matar sua fome sem sair cheio.

Pronto, chegou a hora, meu tonkatsu karê chegou!!

Me animou bastante a cor do kare logo de cara. Bem mais escuro que o usual, achei que estaria mais apimentado, mas não. Assim sendo, a cor mais escura definitivamente veio do modo de preparo com a mistura de alguma carne e vegetais. O sabor do karê estava bom, mas só, esperava mais.

Indo para o segundo elemento, o gohan, estava bem preparadinho mas veio numa quantidade descomunal, para vocês terem uma idéia sobrou metade no prato, me senti um pouco mal, porém a quantidade de karê e tonkatsu não é suficiente para comer o gohan todo. Recomendo ao restaurante diminuir um pouco o gohan e aumentar o kare e o tonkatsu.

Agora o terceiro elemento, o filé de porco a milanesa! Casquinha super crocante, porém parou por aí, infelizmente. A casquinha estava descolando da carne e o filé estava um pouco duro. Sendo bem sincero não gostei mesmo.

Acompanhando o prato veio um delicioso e bem amarelinho tamagoyaki com um bolinho de carne e esse outro vegetal que parece bandana agridoce que espero que meus amigos leitores me ajudem a identificar:

Como considerações finais, acho que o Yakitori Mizusaka possui um tonkatsu karê fraco. Porco a milanesa mal preparado e quantidade de gohan, karê e porco desproporcionais. Não acho que seja um pecado enorme desse restaurante, afinal não é o foco deles e isso ficou mais claro ainda.

Se for ao Yakitori Mizusaka, foque no clássica deles, os teishokus que saem da churrasqueira =)

Abraços

Gourmet San

Pub Kei: o karê, o chefe e o chá

Eae gente, tudo bom?

Faz umas 2 semanas eu escrevi sobre o equilibrado omakase do restaurante Pub Kei, excelente, recomendo ler a review e depois ir lá conferir!

Empolgado que sou, retornei lá 1 semana depois para comer um dos meus pratos preferidos, o Tonkatsu Kare, que é o lombo do porco empanado, frito e acompanhando molho a base de curry, o kare.

O valor do prato no Pub Kei é um pouco mais salgado do que na maioria dos restaurantes, se não me engano sai por uns 50 e tantos reais (entre 53 e 58,00), no Shigueru, por exemplo, sai por 41,00.

Não demorou muito e me serviram tudo isso abaixo:

Saladinha a esquerda, o tonkatsu com o shari (arroz) e o karê num recipiente a parte! Acima a direita vocês também podem ver o chá-verde que pedi para acompanhar, eles me serviram num bule, como muitos restaurantes fazem.

A saladinha veio como a maioria dos restaurantes tradicionais faz, alface, tomate, pepino, repolho ralado e tudo com um daqueles molhos para salada bem saborosos. Eu particularmente gosto de comer essa saladinha de entrada para minha fome ir embora mais cedo, rs. E também para me manter um pouco mais saudável.

Foi a primeira vez que comi um tonkatsu kare com o kare servido a parte, a idéia é interessante, você consegue ir adicionando aos poucos e onde quer. Vale a pena comentar que o sushi chefe que estava no balcão me perguntou num dado momento se eu queria um refil de kare! Gostei da iniciativa e faz muito sentido, algo que pensei na hora é que provavelmente o restaurante já tinha bastante kare preparado, ou a porção que eles fizeram para o meu pedido era maior do que a servida, então fazia sentido me oferecer mais, de qualquer maneira, gostei do lance de refil de kare!

Vejam abaixo um videozinho bem mais ou menos que fiz na hora:

Um ponto negativo do kare apenas é que ele veio apenas com o molho, sem os vegetais que muitas vezes o acompanham, como batata e cenoura.

Seguindo, o tonkatsu estava médio, veio bem crocante porém um pouco fino demais, eu particularmente gosto dele mais grosso. A casquinha também estava se soltando um pouco, o que faz o prato perder “pontos”.

O conjunto em si, do shari (arroz), o kare a vontade e self-service junto com o tonkatsu crocante faz o prato em si ser satisfatório. Mas não dá pra negar que os pontos negativos que levantei acima, acima de tudo lembrando que é um tonkatsu kare com o preço acima da média.

Como sempre, glutão e com os olhos maiores que a boca eu conversei com o chefe, super simpático e aberto, quais peixes estavam bons pro dia. Ele me ofereceu logo de cara um atum toro, porém não encarei, afinal eu sabia que a dupla ia sair uns 50 conto.

Desta maneira acabei pedindo outras indicações ele, um carapau e um buri:

Ambos sushis estavam bons, saborosos, frescos e bem cortados. Porém pelo o que já vi no instagram de alguns blogueiros famosos que foram lá, vi sushis espetaculares, eu esperava um pouquinho mais.

Ta na hora das considerações finais, e aqui tenho uns pontos cruciais a serem ditos.

Primeiro algo que não falei neste texto ainda, sobre o chá-verde que foi servido no bule. Como vocês muito bem sabem, em muitos restaurantes, se não na maioria, o chá quente é uma cortesia, ou seja, não é cobrado. Já no Pub Kei me cobraram 11 reais, sim, ONZE REAIS por 1 chá. Poxa Pub Kei, com esses 11 reais vocês compram quantos kilos de chá?

Segundo ponto é que os 2 nigiris que pedi, que estavam ok, mas nada espetaculares custaram uns 30 reais! Poxa, não foi nem buri toro nem um carapau incrível. Em restaurantes tradicionais a unidade de sushi desses peixes sai de 8 a 11 reais.

Por final, mais um aprendizado sobre o Pub Kei. Alguns pontos bons, como o kare refil e o bom e completo prato como num conjunto (recomendo muito para uma refeição). Mas outros pontos a serem melhorados, como o próprio tonkatsu, o preço absurdo do chá.

E você? Já foi ao Pub Kei? O que achou?

Abraços e até a próxima!

Gourmet San

A pedidos de leitores do passado: Rodízio do Hakka

Eae gente, tudo bom?

Escrevo sobre minhas experiências em restaurantes japoneses faz anos já, e logo de início um restaurante que meus leitores sempre falaram para eu visitar era o Hakka!

Não que eu tivesse comendo bola, o Hakka nunca saiu em nenhuma lista de melhores restaurantes nem figurou na mídia como sensação ou favorito do público. Mas mesmo assim, de tempos em tempos, alguém me mandava um e-mail ou comentava em algum post para eu visitar o tal do Hakka!

Pois bem, anos vem, anos vão e chegou a hora!

O Hakka (www.hakkasushi.com.br/) tem umas 5 unidades em São Paulo mas a que eu fui foi a da Al. Ministro Rocha Azevedo, 239, Jardim Paulista, São PauloTel 11 3266.5393. Ela fica a uma quadra da Av. Paulista, em uma região muito boa! O restaurante também tem unidades na Vila Olímpia, no Itaim e ali na região da Berrini.

O Hakka possui um sistema de rodízio parecido com o do Aoyama, você pede os pratos do rodízio na ordem que quiser diretamente de um cardápio específico do rodízio. Eu aprovo esse método, pior do que ter sua mesa lotada com coisas que você não quer comer e depois ficar sem graça de deixar comida na mesa.

Fui logo que eles abriram, por volta da 18h30, aliás, foi nessa terça-feira, estava um calor infernal e o ar condicionado caiu bem. Outra coisa que caiu bem logo de início também é o serviço, desde a sorridente hostess e dos garçons.

Primeira coisa que pedi foi uma coca-cola com um copo cheio de gelo e o serviço se mostrou eficiente, foi exatamente o que recebi, não precisei pedir mais gelo! Grazie!

Depois, como de praxe faço em rodízios, pedi um temaki de atum simples. Faço isso para testar questões básicas e fundamentais de um restaurante japonês: atum, shari e alga.

Infelizmente como vocês podem ver, o temaki não era dos mais vermelhos, era um atum mediano. O arroz estava gostoso mas a alga meio borrachuda, poderia estar melhor sem dúvida. Atenção Hakka, são pontos como esses que fazem toda diferença em fidelizar clientes! Não no atum em si, mas sim na experiência gastronômica, na mordida, na textura.

Para compensar o temaki, chegou praticamente junto um delicioso shimeji:

Repito, o shimeji (pronúncia shimêdji) estava muito bom mesmo, antes de mais nada ele veio super quente e acompanhado de algo que poucos rodízios servem: caldo. Aprendi com o melhor shimeji da cidade (Meu Sushi delivery) que o caldo do shimeji é fundamental e o Hakka faz isso, sinceros parabéns!

A seguir me serviram outras entradas que pedi: carpaccio de salmão e o ebifry.

O carpaccio de salmão veio com uma apresentação melhor do que eu esperava, mas ainda dá pra melhorar:

O sabor estava ok, poderiam jogar flocos de tempurá salgadinhos que ficaria ótimo.

Já o camarão empanado, o ebifry, estava massudo demais, precisam rever a receita urgentemente:

Logo depois peguei o cardápio para escolher os diferentes sushis que eles oferecem, vou assumir que é um bom punhado de combinações, viu!

Essa é a parte que recomendo fortemente vocês focarem seus esforços comensais. Vejam o que pedi abaixo:

Como vocês podem ver, o Hakka tem ovas no cardápio, pode pedir a vontade, pedir tanto como djo, como gunkan e ambos vieram com quantidades satisfatórias! Gostei de ver o gunkan de couve frita, bem interessante.

Sobre os sushis, o de salmão skin estava mediano, mas o de salmão temperado ali estava muito bom, recomendo.

Já os sashimis foram a grande surpresa, em geral o polvo de rodízios é borrachudo e sem gosto, mas esse estava o oposto! Já o sashimi de atum veio assim:

Sabe o que isso significa? Que a peça do atum foi cortada certinho em filé, e o filé foi cortado da maneira correta também! Aliás, vendo a cor desse sashimi e do temaki que comi antes, tenho o palpite que o atum de temaki já estava pré-batido.

Esse combinado estava bem gostoso e eu pedi um outro, diferente, porém das 18h30 quando cheguei até o momento que pedi meu 2o combinado já tinha escurecido e o restaurante usa o sistema de velas e luz baixa então minha foto saiu uma desgraça, não conseguirei postar aqui, mas acreditem, vieram uns sushis bem apetitosos, tão bom ou melhor que esses!

No final das contas, se não me engano o jantar saiu por 86 reais, contando com a bebida e os 10%. O rodízio sai por 70 e poucos reais, o que é um preço justo, espero que mantenham assim, acaba sendo um valor justo se considerarmos os concorrentes.

Outro ponto que preciso ressaltar é que, como comentado no website deles, o serviço realmente é cortês, eu diria que até estranhamente cortês, pois todo mundo é muito simpático, é um diferencial!

Eu recomendaria o Hakka para grupos de amigos ou para famílias e pessoas que gostam de rodízios mas não querem gastar muito.

Abraços

Gourmet San

 

Pub Kei: um omakase na medida

Oi gente!

Recentemente fui 2x a um excelente restaurante japonês em São Paulo, o Pub Kei! Ele tem uma reputação muito menor do que deveria, já digo logo de cara, ele é acima de média fácil!

Antes de escrever essa review de hoje, voltei e reli minha primeira visita lá, e percebi que realmente tudo faz sentido (recomendo a vocês fazer a mesmo).

O Pub Kei fica no segundo andar do Top Center, na Avenida Paulista, 854. Ele recentemente mudou de lugar dentro do mesmo andar, está mais bonito e aconchegante e com um balcão bem melhor, sem dúvida nenhuma, acertaram em cheio.

Pela logística do meu dia, tive a chance de chegar as 18h e pouco no restaurante (ah! verdade! outra enorme vantagem do Pub Kei é que por estar dentro dentro de um shopping ele abre mais cedo!) e sentei no balcão vazio.

Como de praxe com os restaurantes que visito pelas primeiras vezes, pedi o omakase. Fui de omakase simples e não do especial, afinal era um dia da semana e não uma comemoração especial, dinheiro também não nasce em árvore e, pra finalizar, não consigo comer tanto assim para um omakase gigante.

O omakase simples sai por 160 reais e contempla pratos quentes e frios, acompanhem o que me serviram abaixo!

Antes das entradas, um ponto que mostra que o serviço do restaurante também é bom. Eu sempre peço uma coca-cola (ou pepsi) com um copo cheio de gelo. 95% dos restaurantes e dos atendentes ignoram o “todo” e quase sempre servem apenas com alguns cubos, no Pub Kei foi diferente, o garçon me OUVIU e me serviu essa perfeição:

Começamos com entradinhas básicas, uma é um sunomono um pouco mais trabalhado e tororosenguiri, que chei uma delícia! Foi servida com um molho cítrico parecido com o ponzu.

 

A seguir o sushiman me serviu um dos melhores sashimis que já vi na vida. Com corte japonês, mais grossos, eles foram um dos pontos altos do jantar, sem dúvida. Os sashimis foram de chutoro (atum semi gordo), pargo e serra!

Espetaculares, super fresquinhos. Vale a pena citar que o restaurante tem shoyu kikkoman, que é meu preferido e faz uma enorme diferença.

Logo depois começaram os pratos!

Uma surpresa pro meu paladar: ostras! Vejam e babem:

Sabe quando você quer comer algo que nem você sabe que quer? Então, foi esse o caso. Eu não sabia que queria ostras, mas quando as vi eu percebi que fazia um tempo enorme que não comia uma e que eu iria devorá-las em segundos! Valeu Pub Kei!

Logo depois me serviram 2 pratos quentes bons também, de tamanho bem razoável.

Peixe grelhado com cogumelos:

Esse peixe veio num tamanho bem considerável viu, sem dúvida nenhuma poderia ser o prato principal de um teishoku! Bem temperado, quente e com espinha, que é o único ponto que é um pouco chato, afinal você tem de ser extra cuidadoso.

Me serviram também deliciosas vieiras salteadas com aspargos e batatas:

 

Apesar de na foto ter uma vieiras só, tinhas umas 4-5! Muito bem preparadas por sinal. Mas toda vez que como vieiras assim penso como elas cruas são bem melhores!

E para finalizar os pratos quentes, tempurá de siri mole! Um grande surpresa, afinal é um produto que pouquíssimos restaurantes possui:

Estava bom, poderia estar mais crocante, confesso, mas o legal é que cada pedaço empanado foi diferente.

Bom, terminei os pratos quente e ainda viriam os sushis. Eu disse ao sushiman que eu gostava de tudo assim eu sabia que se tivesse algo como uni, ele acabou me servindo, uhú! =)

Poderia ter sido melhor? Sim, mas gostei da seleção, entre eles chutoro, robalo e uni! Foi muito bom pra fechar!

Ahá! Mas não terminou não! O omakase tem sorvete de chá verde pra encerrar:

Agora vamos as considerações que explicam o título do meu post. Por que o omakase do Pub Kei é na medida?

Bom, antes de mais nada o preço de 160 reais é aceitável dentro do mundo dos menu degustação. Depois vem o fato de que a quantidade de comida faz você ficar super satisfeito e ao mesmo tempo não te deixa estufado e pedindo pra acabar.

E pra finalizar, os pratos quentes e frios trabalham bem em conjunto, as porções são na medida e tem até na sobremesa, afinal nada pior do que pagar 200 reais numa refeição e depois ter de pagar pela sobremesa.

Abraços e recomendo demais =)

Gourmet San

 

Sushi Cake! Novidade da Sweet Sushi!

Olá a todos,

Além de vocês que sempre me mandam novidades, meus amigos e familiares sempre comentam comigo suas experiências em restaurantes, pedem dicas ou falam para combinarmos de ir a algum sushi ou fazer em casa. Ou seja, estou sempre cercado por informações de comida japonesa por todos os cantos!

Desta maneira, novidades batem a minha porta sempre! Desta vez foi algo que eu já tinha visto por aí “nas internets”, mas nunca tinha nem pensado que iria provar. Estou falando de sushicake (bolos de sushis), ou de sushis em formato de bolo!

Antes que vocês comecem a torcer ou nariz ou fazer cara feia, podem parar, isso já existe faz um bom tempo no exterior e grandes chefes já aprovaram, como o Morimoto (que foi um Iron Chef original), e é um dos maiores nomes da culinária japonesa do mundo.

Vocês então devem estar se perguntando: “mas então Gourmet San, nos diga, é bom? onde? quanto? como??”

Ok, vamos lá! Aqui em São Paulo temos uma empresa pioneira em sushi cakes (sushis em formato de bolo) que é a Sweet Sushi! Eles acabaram de começar as operações e já estão fazendo sucesso! Claro que fiquei sabendo rapidamente deles e fiz questão de ver qual que é a desse sushi em formato de bolo!

Por enquanto eles não possuem site, mas possuem uma fanpage no facebook e aceitam pedidos por lá, por email (sweetsushisp@gmail.com) ou telefone (11 95874-5248). Achei que eles estariam sem movimento, afinal acabaram de abrir, mas a coisa ta indo bem aparentemente, pois fiz um pedido correndo em cima no dia 23/12 e eles só puderem me enviar no dia 24/12 depois do almoço. Ou seja, programem-se, caso queiram provar um bolo de sushi no jantar, peçam no horário do almoço. Os bolos não estão prontos, como estamos falando de sushi

Eu pedi 2 bolos de tamanho P, que servem 2-3 pessoas e custam 70 reais cada um, ou seja, mais ou menos de 25-35 reais por pessoa, bem menos do que qualquer rodízio de comida japonesa! Bom, vamos ver se vale a pena abaixo?

Sushicake 1: Sweet & Spicy

Sushicake de salmão com raspas de limão, avocado e mais alguns ingredientes que não consegui decifrar. Para cortar é bem fácil, aliás muito mais do que um bolo normal, pois o arroz cede bem mas como o bolo é bem montado, ele não desmonta em nenhum momento.

O sabor desse sushicake é excelente! Ele traz a combinação de salmão com raspas de limão, que é classicamente conhecida e funciona muitíssimo bem. Além disso, o avocado (abacate) trabalha super bem e vale lembrar que ele é ingrediente comum na culinária japonesa nos EUA. Infelizmente os abacates estavam um pouquinho desformes, isso é por que não eram avocados.

Vejam abaixo o bolo de outro ângulo.

Pois é, dá pra ver que vai bastante salmão, não é um bolo de arroz. Para melhorar ainda mais esse bolo é só colocar um pouquinho de shoyu ou tarê, e foi o que eu fiz! Agora vamos ao  outro bolo!

Sushicake 2: Salmão Sweet & Frutas

Bonito né? Esse é um sushicake muito mais complexo, ele leva diversas frutas como morango, cerejas, amoras, manga além do avocado e essas foram a que percebi. Sendo bem sincero, foi um pouco fruta demais, mas estava gostoso também, apesar de eu ter preferido o sushicake anterior. Quando cortei o bolo percebi que tinha muito mais ainda, vejam abaixo.

Dentre os ingredientes ainda percebi o gergelim e filamentos de algum vegetal (talvez cebolinha e alga-nori). Diferente do outro, esse não acrescentei nem shoyu ou molho tarê, mas acho que caberia muito bem também. Vale a pena comentar que as frutas selecionadas combinam bem com o salmão e o arroz adocicado, então tudo caminha bem.

Mas vamos lá, é necessário fazer uma análise mais ampla do conceito desses sushicakes e não apenas dos sabores de cada um. Isso é muito importante pois a todos que mostrei o sushicake acharam estranho a primeira vista, com preconceito obviamente, mas depois de provarem a coisa mudou, davam uma risadinha e diziam: “não é que funciona mesmo? gostoso heim!”

Os sushicakes ou bolos de sushis, vão mais para o lado dos sushis do que de bolos, então não pense em algo como um pão-de-ló, suspiro e salmão e sim como um sushi grande com um trabalho especial. Para ser mais preciso ainda, eu diria que se trata de uma versão maior e mais bem elaborada dos bateras, famosos sushis prensados.

O sabor também não é algo super doce como os bolos normais, mas ele segue a linha de sushis agridoces que temos hoje em dia, portanto se trata de uma versão maior de sushis.

A Sweet Sushi possui diversas opções em seu cardápio, inclusive opções servidas em copos, vale a pena conferir, eu gostei muito da novidade!

Abraços

Gourmet San

Os melhores de SP em 6 semanas epi 5: Sushi Kan

Olá a todos,

Hoje é o quinto episódio de uma série especial, todo domingo a noite, um post inédito sobre um restaurante japonês top de São Paulo e seu menu degustação (omakasse).

As visitas foram feitas por um enviado especial do Gourmet San, o Will, um colega fanático por comida japonesa e que visitou  apenas as indicações dos melhores! Foi assim, através de indicações minhas e uma pré-lista dele que se deu início a o que talvez tenha sido uma das maiores sagas de restaurantes japoneses, ele percorreu os melhores restaurantes japoneses seguidos, um por semana! Então ele tem a visão única do atual estado dos melhores! 

Will visitou um restaurante que eu já havia visitado antes, o Sushi Kan! É o restaurante japonês mais aclamado da atualidade, ganhando os últimos prêmios de melhor restaurante japonês antes ocupado por Kinoshita e Jun Sakamoto. O Sushi Kan está instalado no lugar do tradicionalíssimo Hisa, que infelizmente fechou, mas que servia comida japonesa da mais clássica. 

Seguindo o modelo dos últimos posts dessa sequência especial, segue as fotos abaixo do omakasse de pratos frios do Sushi Kan, servidos pelo mestre Egashira San:

 

 

Incríveis, não? Convido vocês a tirar um tempo e clicar em cada foto para ver com zoom! Vejam que cortes incríveis o Egashira faz, são cortes que nunca vi em nenhum dos mais de 100 restaurantes que já visitei. Pronto, babaram um pouco? Vamos falar agora da experiência do Will!

É imprescindível fazer reserva, então faça! Você pode até tentar a sorte, mas te garanto que não será uma experiência tão bacana pois você se sentirá pressionado a comer rápido!O ambiente é muito bonito, simples, tradicional, perfeito, tudo redondinho, tudo no lugar, incólume! Som ambiente jazz, nada mais, só o Egashira e a equipe que o auxília! Aliás o Egashira é demais, antes só falava japonês, agora está arranhando bem um português! O Egashira tem a melhor técnica de São Paulo e possivelmente do Brasil, os cortes dele são incríveis. Will comentou que acha o Egashira, caso continue em atividade por aqui, será como um novo Hamatyo do Yoshida San.

Vamos falar agora da comida, o omakasse de pratos frios no dia estava 230 reais e compreendia de 5 pratos de sashimis e 10 sushis, como vocês podem ver pelas fotos, um mais incrível que o outro. Os peixes todos fresquíssimos e os cortes, preparos e montagens dos sushis e sashimis incríveis!

Sobre os sashimis, tirando o atum gordo, todos possuem um acompanhamento, seja gengibre, molho a base de gema de ovo de codorna ou algum pequeno vegetal. Já os sushis, vem no melhor estilo japonês, arroz mais escurinho, sushis compridos e peixes com uma pequena rebarba, demais! Vale a pena ressaltar sobre o polvo que foi trazido fumegante diretamente da cozinha e foi servido com o sal rosado, segundo o Will, melhor polvo de vida e ponto alto no jantar!

Sobre ser o melhor restaurante japonês de SP? Will concorda e que achou os sushis dele melhores que o do Jun, são escolas diferentes, mas essa é a análise feita!

De resto, só segue o incentivo do Will e do Gourmet San, visitem o Sushi Kan! É caro? É, mas para ir 1x a cada 6 meses ta valendo bem!

abraços

Gourmet San

Sushi Kan, excelente em 30 minutos!

Olá a todos sushizeiros de plantão!

Se tem um restaurante hoje em São Paulo que talvez seja o mais comentado, esse é o Sushi Kan! Chefiado no balcão por Egashira San, ele praticamente não fala português e acompanhou por muito tempo Ken e a turma do Shin Zushi, e ensinou muito ao Edson Yamashita do Aze Sushi também.

Bom, o fato é que esse sushiman, mais que gabaritado, resolveu abrir seu próprio espaço em São Paulo. O local escolhido é ao lado do Sushi Guen e do Yakitori Mizusaka, no mesmo lugar do antigo e ótimo Hisa, o endereço é Rua Manoel da Nóbrega, 76 – Loja 12, Paraíso, Tel (11) 3266 3819.

Primeira dica de todas: faça reserva, seja para o almoço ou jantar! Eu não segui essa regra básica e fui na cara e coragem! Entrei e uma japonesa super simpática, gerente de local, me perguntou se eu tinha reserva. Eu disse que não…Ela pensou um pouco e me perguntou, você come rapidinho? Eu disse que sim e logo sentei no primeiro banquinho do balcão.

Perguntei quais opções eu tinha e eles falaram que tinha o omakase de sushi e os menus degustação, mas como meu tempo era curto e eu disse que queria o prato simples de sushi, a gerente se adiantou e pediu por mim ao Egashira San o omakase de sushi de 45 reais e 8 peças. Tinha também o de 12 peças e 70 reais, será minha próxima pedida na próxima visita.

Eu e mais algumas pessoas estávamos no balcão e outras no primeiro andar. Egashira San não pára um instante e não faz nada com pressa, tudo no seu ritmo e destreza, vai montando os nigiris e os tekkamakis.

Me serviram rapidamente uma sopinha de caldo de peixe com shoyu:

Veio super quente então esperei um pouco mas logo comecei a bebericar. Uma delícia, super reconfortante e deve ser ótima para o inverno! Não vou negar que esse recipiente me assustou no começo, pois ele é quase do tamanho de um prato normal.

Depois de uns minutos virado nos movimentos de Egashira San ele me serve a seleção de sushis:

Confesso que minha intenção era conseguir um nigiri sushi diferente do outro, mas por 45 reais seria pedir demais. A seleção que Egashira San fez para mim apresentou sushis puros e excelentes, sem temperinhos contemporâneos como raspas de limão sisciliano.

O melhor foram o polvo, o atum, o  camarão e o tamago. O camarão é marinado no missô e super gostoso e generoso. Ouvi dizer que o Egashira marina o camarão pois nosso camarão não é de qualidade boa o suficiente. O polvo estava ótimo também e muito macio. E por final o tamago, sem dúvida um dos melhores, se não o melhor que já comi, super cremoso! Se posso dizer algo especial sobre ele é como ele era amarelinho por inteiro e não apresentava aquelas comuns linhas mais escuras que caracterizam o procedimentos da receita do tamago, vocês merecem um zoom:

No final paguei a conta que não inclui os 10% de serviço (como é comum nos restaurantes japoneses tradicionais). Aproveitei para pedir para a gerente da casa agradecer ao Egashira algumas palavras minhas em japonês e também que quem tinha me indicado o restaurante tinha sido o Edson Yamashita que conhecó de muitas visitas ao Aze Sushi. Nesse momento ele sorriu e agradeceu de volta dizendo num português bem arrastado: “prazer!”

A gerente aproveitou para bater um papo comigo dizendo para eu voltar com mais calma e explicou que eles servem um menu degustação com pratos quentes também.

Fiquei super feliz com essa visita que ocorreu em menos de 30 minutos e já fiquei ansioso para voltar!

Abraços

Gourmet San

Tempura Ten: Tonkatsu com kare!

Oi gente, tudo bom?

Hoje não vamos falar de sushi nem de sashimi! E nem de Tempurá, ué, como assim Gourmet San, você visitou um lugar chamado Tempura Ten e não vai falar de tempurá? Sim, exato, acompanham abaixo!

O Tempura Ten fica na numa galeria na Avenida Brigadeiro Luís Antônio, 2050 – Loja 23 Tel: (11) 99622 3582, fica bem próximo a Av. Paulista e na frente de um supermercado Extra. O restaurante fica no canto esquerdo da galeria, tem uma plaquinha bem simples com o nome do restaurante e a entrada possui primeiro uma sala e depois o salão com um mesa e um balcão, só isso, nada mais! Para quem não sabe Tempura Ten significa “Paraíso do Tempurá”, então só pode sair coisa boa, né?

Durante o jantar quem cuida do restaurante é o casal que é dono do Tempura Ten, eles servem uma sequência de tempurás que dizem ser simplesmente incrível. Sai por 95 reais! Mas não é sobre isso que venho falar hoje e sim sobre o almoço, onde quem cuida é o filho do casal.

O cardápio de um lado está em português e do outro totalmente em japonês e as opções são pratos quentes apenas e todo obviamente envolvem a habilidade única e especial deles de empanar e fritar. O meu pedido não foi difícil, queria comer o clássico Tonkatsu com kare, que nada mais é do que o lombo do porco empanado com o arroz ao molho curry que sai por 35 reais, vejam só abaixo que beleza, dá água na boca!

Não vou negar que olhei meio feio para a saladinha na esquerda no começo, mas ela é fundamental para quebrar a picância do curry. Aliás, falando no curry, o kare estava absolutamente no ponto, cheio de sabor e picante num ponto perfeitamente aceitável! 

Deixa eu parar de salivar um pouco… Pronto! Vamos prosseguir.

Vamos agora falar do porco a milanesa, o tonkatsu! A casquinha estava impecável, super crocante! A carne do porco estava incrivelmente macia e suculenta, absolutamente no ponto, ficando bem óbvio que eles são realmente craques na arte de empanar e fritar!

Obviamente raspei o prato até o final, a misturinha entre o arroz e o kare faz querer fazer esse prato em casa, deve ser ótimo para um dia frio!

Apenas fiquem atentos em um ponto, passem num caixa eletrônico antes pois eles só aceitam dinheiro!

Abraços

Gourmet San

Finalmente: Pub Kei! E um tirashi bem pensado!

Olá a todos!

Por muito tempo trabalhei na região da Av. Paulista e na época das vacas magras eu ia nos restaurantes mais baratinhas, PFs, self services até que achei o excelente e saudoso Mitsuyoshi com seus combinados de sushi executivos (preciso voltar lá pra matar a saudade!), o Wara e o Yakitori Mizusaka. E nessa mesma época eu já pesquisava sobre outras opções de restaurantes japoneses como o A1 e também sobre o Pub Kei, vizinho ali no pequeno shopping chamado Top Center.

Pois bem, anos depois (pelo menos 3-4 anos) finalmente tive a chance de voltar aos restaurantes que antes não cogitava ir, por falta de grana e também de conhecimento.

O Pub Kei fica no segundo andar do Top Center, na Avenida Paulista, 854. Não tem erro, chegou no segundo andar do Top Center você verá uma parede amarela com um vidro e na parte de cima a placa bem direta e numa escrita muito bonita: Pub Kei. Logo entrando você vê que o ambiente é daqueles não requintados, porém onde as pessoas que estão lá dentro sabem exatamente o porquê de estarem lá: a excelente comida! E não digo com foco em sushi não, os pratos quentes ali são os campeões, recomendo demais irem lá para comer um shogayaki, tonkatsu, udons, tempurás, lámens etc!

O cardápio é bem completo e repleto de pratos quentes e pasmem, apenas duas opções de peixes crus: um combinado de sushi com nigiris e hossomakis e um tirashi chamado de Kaisendon! A minha opção foi justamente essa 2a, o tirashi, que custa 67 reais. Na hora me arrependi de não ter pedido um prato quente pois o meu vizinho de balcão tinha pedido um shogayaki lindo e com cara de estar delicioso, porém me mantive firme e aguardei o meu pedido.

Não me arrependi, vejam só abaixo:

Abri um sorriso assim que vi o tirashi, junto com a melancia e a missoshiru! Como o prato principal é o tirashi deixa eu comentar primeiro sobre a missoshiru, super deliciosa, quentinha mas não queimando a boca e com um textura nota 10, não estava aguada e sim aveludada!

Agora vamos para o kaisendon ou tirashi! No comecinho achei ele meio pequeno mas estava muito enganado, o sushiman atrás do balcão, se não me engano com nome Roberto, sabia muito bem o que estava fazendo pois fui descobrindo aos poucos esse fantástico prato. Antes de mais nada vamos ver o prato mais de perto.

Neste mais que excelente tirashi o Roberto me serviu tamago (omelete japonês), ika (lula), ovas, salmão, atum e outros peixes um melhor que o outros. A maior surpresa fica por conta desta alguinha verde na parte de baixo chamada hiyashi wakame que eu já tive oportunidade de comer no Menu Premium do Chefe Mario do SP Tokyo. Essa alga é deliciosa e deveria ser mais utilizada pelos restaurantes!

Outro ponto alto do tirashi foram essas ovas laranjinhas, elas complementaram perfeitamente o prato, pois na medida que fui comendo elas foram se misturando aos outros peixes e deixando o prato com um sabor melhor e também com mais textura. Por final, as pequenas tiras de lula estavam ótimas!

No final eu fiquei muito mais satisfeito do que poderia imaginar!

Pub Kei? Recomendadíssimo!

Abraços

Gourmet San