Aoyama – um dos melhores rodízios da cidade, mas escolha bem os pratos!

Começo esse texto com uma pergunta: como funciona a logística do Aoyama? Deve ser uma loucura!

Bom..agora que já desabafei, vamos a review do rodízio de sushi do Aoyama que eu estava devendo há muito tempo pois a primeira review que fiz de lá faz muito mas muito tempo, vale a pena conferir.

O meu plano original era ir ao famoso restaurante Nagayama, porém após o maitre me dizer que em 5minutos eu conseguia um lugar no balcão e fiquei esperando por quase 20 minutos, desisti. Por sorte o Aoyama fica na mesma rua, menos de 100m de distância. O rodízio sai por volta de 67 reais, o que é incrível, pensando que em quase 3 anos o valor não subiu nem 10 reais!! Significa que ou eles eram muito careiros antes ou estão segurando o preço.

O Aoyama que visitei foi o da Rua Bandeira Paulista, 405, no Itaim, tel:  (11) 3168-8011 (http://www.restauranteaoyama.com.br). O ambiente é bem escuro e precisa sem dúvida nenhuma de ter suas luzes estarem um pouco mais fortes, eu pedi uma mesa perto do balcão e da janela, onde é mais iluminado. Estava praticamente vazio, era mais ou menos 19h30. Sentei e fui rapidamente atendido pelo João, um excelente garçon que me deu muita atenção durante todo jantar. Ele me perguntou o que eu queria dentre as entradas, dei uma olhadinha no cardápio mas ele é imenso, então aceitei as recomendações do João e só esperei.

Eu até que gostaria de fazer como sempre faço nas reviews, mostrar os pratos um a um conforme eles vão chegando, porém todos os pratos a seguir chegaram num espaço de menos de 10-15 minutos, ou seja, minha mesa ficou lotada em pouco tempo e os pratos abaixo não chegaram nessa ordem necessariamente, mas ficaram praticamente todos juntos na mesa.

Começamos pelo clássico dos clássicos, o shimeji na manteiga:

Um dos melhores que já comi, sem dúvida nenhuma. Aliás, fazia tempo que eu não comia um shimeji tão saboroso, estava tudo excelente! O Aoyama ta de parabéns! É perceptível como esse prato começou a a perder a atenção de muitos restaurantes, pois ultimamente comi muitos shimejis mais ou menos, mas não foi o caso deste!

Seguindo e indo em direção oposta ao shimeji, um ceviche beeeemmm ruinzinho, mas um dos piores que já comi. O peixe estava super ultra passado em caráter de cozimento pelo limão. E sendo sincero, isso é uma ofensa ao ceviche.

Também me serviram um clássico do Aoyama, que eles têm no cardápio desde minha primeira visita em 2011, o que eles chamam de tartare de salmão com um molho especial. Estava bom e melhor do que minha memória me lembrava, porém continuo não achando esse molho muito bom, poderia ser algum outro.

Outro prato que lembro bem da primeira visita é o canapé de salmão que você podem ver abaixo. Ele é gostosinho, mas eu sempre tento ver um passo a frente, então acho que combinaria muito bem algum molho picante (de leve)!

Agora uma das grandes surpresas e muito excelente achado neste jantar, um nigiri sushi de salmão com molho de raspas de limão , mel, maracujá e gengibre! Essa combinação funciona muitíssimo bem! Da próxima vez que eu for lá vou pedir mais do que duas unidades, pois fiquei na vontade!

Um outro prato que, junto ao ceviche, devem ser repensados ou retirados do cardápio (melhor) é um carpaccio de peixe branco.  O molho estava um pouco forte demais e foge totalmente do nível do nigiri sushi de salmão acima, parece que vem de restaurantes diferentes. Me serviram também um hot roll que segue a receita para o hot roll perfeito.

Bom, depois de todas essas entradas e mais uma ou outra, como camarões empanados, finalmente terminei e honestamente já estava bem cheio, ahahha. Mas tinha de prosseguir firmemente.

Logo que entrei no Aoyama e sentei na minha mesa vi saindo do sushibar um prato cheio de sushis com ovas e perguntei pro João se ele fazia parte do rodízio e ele disse que sim e que ia trazer para mim. João foi nota 10 e me trouxe o prato abaixo:

2 nigiris de camarão, 2 de polvo e 6 gunkan de ovas, sendo que as do meio são de salmão (ikura) e as da ponta tobiko.

Os de ovas estavam bons, não ótimos, mas só do Aoyama servir ovas deste nível já é incrível. Infelizmente os nigiris não estavam bons, não por culpa do polvo ou do camarão, mas sim do arroz que estava muito gelado. Não terminei os nigiris, perdi a vontade…

O garçon João neste momento voltou e me perguntou se podia trazer o combinado de sushi e sashimi e se eu queria algo em especial. Falei que poderia vir sim o combinado, mas não com tanta sashimi e que ele poderia trazer também um sushi com couve frita.

O negócio no Aoyama é rápido, então em menos 5 minutos me serviram ambos pratos.

Primeiro o enrolado de salmão com couve frita:

Ele estava demais, mas também eu já cansei de falar aqui que essa combinação é certeira né? Salmão com couve e molho tarê!

Praticamente junto chegou o combinado de sushi e sashimi:

Honestamente, me arrependi de ter pedido, não tinha nada tão bom quanto as entradas que eu havia comido até então. Talvez se eu não estivesse sozinho, teria encarado numa boa, mas além de não aguentar muito mais, foi como eu disse, as entradas estavam melhores.

Terminei e fiquei satisfeitíssimo! Ir ao Aoyama requer estratégia, eles servem muitos pratos e você precisa saber quais escolher! Isso vai fazer toda diferença de você ter uma refeição excelente e uma apenas “ok”.

Agora deu para entender por que o Aoyama foi escolhido um dos melhores rodízios de sushi da cidade junto ao Mori Sushi da Consolação, ele realmente é muito bom! Precisa de alguns ajustes e se eu fosse eles, tiraria do cardápio alguns pratos para desafogar a cozinha e o sushibar e elevaria a qualidade dos ingredientes, está na hora de fazer isso, não ter um cardápio tão extenso e focar no que eles fazem de melhor.

Retornarei em breve com mais pessoas pois ir sozinho é complicado para comer e pedir pratos diferentes. Vale a pena ver o cardápio do rodízio do Aoyama antes de ir.

Forte abraço

Gourmet San

 

Restaurante Aoyama Moema: inovando com o rodízio de sushi a la carte

Olá sushizeiros de plantão!

Hoje o Gourmet San chega estupefato e com uma ótima surpresa a todos vocês! O já conhecido e pop restaurante japonês Aoyama (http://www.restauranteaoyama.com.br/) se torna o primeiro rodízio de sushi da cidade que une a liberdade do rodízio com a qualidade dos pratos japoneses a la carte!

Visitei o Aoyama do bairro de Moema, Al.dos Arapanés, 532, o Gourmet San e sua intrépida amiga ruivinha chegaram por volta das 20h e sentaram sem demora. Logo de cara um susto: rodízio de sushi por 59,90! Bem caro a primeira vista, principalmente levando-se em conta minhas últimas experiências com o Aoyama, no extinto endereço da Mário Ferraz, uma vez não tinha atum e no outro não tinha sashimi de polvo, mas tinha niguiri de polvo, tudo já pré-feito, meio gelado. Mas vamos parar do passado ruim e falar do presente!

Antes de tudo deixem eu explicar como funciona o sistema deles. É um rodízio como todos os outros, mas a diferença é que, todo cardápio deles está no rodízio de sushi, sim, isso mesmo! E o cardápio é bem extenso e com diversos pratos bem exóticos!

 

 

De entrada eles serviram o básico shimeji na chapa quente, mas também outros pratos que só vi no Aoyama mesmo! Primeiro esse enrolado de salmão com um molho verde, muito gostoso, apesar de a primeira vista possa parecer estranho.

 

 

 

Aproveitando o mesmo molho verde, também foi servido o carpaccio de peixe branco, graças a Deus o Aoyama inovou e não serviu no já batido carpaccio de salmão com molho ponzu! Como vocês podem ver, a aparência não é das mais amistosas, mas não tenham medo, experimentem!

 

 

 

Aqui mais uma grande surpresa na parte das entradas! Camarões empanados de maneiras diferentes! Atenção, nenhum desses é tempurá, não confundam! Os camarões da esquerda estavam bem gostosos, mas o da direita, mais massudo estava mais ou menos, acho que ninguém que vai num rodízio de sushi quer se encher já nas entradas!

 

 

 Para finalizar as verdadeiras entradas inusitadas do inovador Aoyama, salmão com cebolinha sobre tortillas, é bem gostoso e para mim isso demonstra uma certa modernidade na cozinha do restaurante, que se preocupa em misturar diversas culturas e cozinhas do mundo! Ponto positivo!

Agora vamos para a outra parte do jantar! Após comer as entradas ficamos um pouco perdidos pois não nos serviram nenhum combinando como geralmente ocorre, então veio um garçon e deixou um minúsculo barquinho em nossa frente, com poucos sushis e alguns enrolados. Eu fiquei bem preocupado! O único ponto positivo foi o nigiri de salmão, incrivelmente bem feito, com o peixe cortado com primor! Vejam o resultado abaixo:

Terminamos rapidamente esse primeiro prato e logo pedi pro garçon para trazer mais, até aí eu não havia entendido que podíamos pedir do cardápio… Aí está a grande diferença do serviço oferecido pelo Aoyama de Moema! O cliente escolhe os sushis, sashimis e enrolados diretamente do extenso cardápio! Eu vibrei quando vi que incluía camarões, ovas, diferentes sushis e até enguia!

As minhas escolhas foram:

Hot Roll Clássico com salmão, kani e cream cheese. Foi servido bem quentinho, não igual ao Mussashino, mas estava bom, melhor do que a média.

Enrolados de salmão com enguia!

Hot Roll especial de camarão com abobrinha! Ok esse eu pedi por engano, não tinha lido abobrinha, mas não se assustem, o vegetal é praticamente imperceptível e o sushi fica com um delicioso gosto de bolinho de camarão.

Uramakis de camarão empanado com pepino e uramakis de salmão com casquinhas de tempurá! Nota para o molho tarê por cima para completar.

Duas duplas de nigiri de polvo (tako)

Bom gente, o quanto meu estômago aguentou foi isso, mas o cardápio do Aoyama é bem maior do que estes pratos que pude apresentar aqui! Procurem visitar, sem dúvida este restaurante japonês que apresenta uma nova proposta de rodízio de sushi!

Abraços

Gourmet San